domingo, 28 de fevereiro de 2010

PLACAS TECTÔNICAS NO HAITI E NO CHILE- PARTE II



TERREMOTO NO CHILE






AS PLACAS TECTÔNICAS

O terremoto de 8,8 graus de magnitude que atingiu o Chile neste sábado matou pelo menos 300 pessoas, afirmou a chefe do Bureau Nacional de Emergências, Carmen Fernandez. O último número divulgado pelo governo chileno era de 214 vítimas fatais. A presidente do país, Michele Bachelet, estimou que o abalo afetou cerca de 2 milhões de pessoas.


Em menos de 24 horas depois do abalo, as réplicas do tremor seguem assustando as zonas afetadas em sete regiões do país. A população ainda sofre com bloqueio de estradas e interrupções nas comunicações. Há registro de saques em supermercados devido ao medo de abastecimento nos próximos dias, segundo a imprensa local.

Tragédia no Chile

O tremor teve epicentro no mar, a 59,4 km de profundidade, na região de Maule, no centro do país e a 300 km ao sul da capital, Santiago. Por isso, foi enviado um alerta de tsunami ao chile, Peru e Equador.

Efeitos do estrago

Os danos materiais do terremoto ainda estão sendo avaliados. O muro de uma prisão veio abaixo com o abalo sísmico, o que causou a fuga de mais de 200 detentos na cidade de Chillán, a 401 quilômetros de Santiago. O aeroporto internacional de Santiago foi fechado devido a alguns danos em suas instalações, e várias pontes ficaram danificadas. A luz e o serviço de telecomunicações estão cortadas na região metropolitana e em Valparaíso foram registrados danos internos em edifícios. Os bombeiros correm as ruas de Santiago com megafones dando instruções à população. Em Santiago, há um forte movimento de automóveis e muitos cidadãos perambulam pelas ruas. Em alguns lugares, falta água potável. Pelo menos três hospitais na capital desabaram e na cidade de Concepción, cerca de 400 km ao sul de Santiago, o edifício do governo local desmoronou e pacientes estavam sendo transferidos dos hospitais, segundo rádios chilenas.

Mais forte que no Haiti


O movimento sísmico, muito mais poderoso que o mortífero terremoto que devastou o Haiti em janeiro, também causou pânico no popular balneário de Viña del Mar. De manhã, policiais e bombeiros percorriam as ruas em distintas cidades do país para verificar a magnitude dos danos e socorrer vítimas.
O terremoto ocorreu poucos dias antes de completar 25 anos do sismo que causou centenas de vítimas e destruiu várias localidades no litoral central do Chile, em 3 de março de 1985.
Um forte terremoto atingiu o Haiti em janeiro de 2010, causando a queda de construções na capital, Porto Príncipe, e deixando moradores sob escombros. Há dezenas de mortos e feridos, e escobros bloquearam estradas na cidade, de acordo com a agência de notícias Reuters. O embaixador americano no país, Raymond Joseph, disse que houve uma "catástrofe de grandes proporções", mas relatos precisos são difíceis porque as comunicações foram afetadas. O Haiti é o país mais pobre do Ocidente. O Brasil comanda cerca de 7.000 soldados da força de paz da ONU (Organização das Nações Unidas) no Haiti, enviada ao país em 2004, e tem cerca de 1.300 homens na região. O Ministério da Defesa informou, por meio de nota, que houve "danos materiais" em instalações usadas por brasileiros, mas não citou vítimas.
O terremoto provocou a emissão de um alerta de tsunami para partes do Caribe, que posteriormente foi suspenso, informou o Centro de Alerta para Tsunamis no Pacífico. "Tudo começou a sacudir, as pessoas estavam gritando, as casas começaram a cair [...] é o caos total", disse um repórter da agência Reuters. "Vi pessoas sob os escombros, e pessoas mortas", acrescentou. De acordo com medição preliminar do Serviço Geológico dos Estados Unidos, o terremoto teve 7 graus de magnitude e aconteceu a cerca de 10 km de profundidade, a 22 km da capital haitiana, que tem mais de 1 milhão de habitantes.








ZILDA ARNS- ANJOS SÃO ETERNOS.......


TAREFA :
1-Qual a diferença entre o terremoto do Haiti e do Chile?
2-O que são placas tectônicas e como funcionam ?
3-Por que o Brasil apresenta uma grande estabilidade em relação aos agentes internos do relevo?
4- Escreva sobre as falhas geológicas do Brasil :

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

ESCALAS CARTOGRÁFICAS

planeta planeta planeta planeta planeta planeta




ESCALA

É a relação matemática entre o comprimento ou distância figurada no mapa e a superfície real da superfície representada. Há duas modalidades de escala: a numérica e a gráfica.

A ESCALA NUMÉRICA : se representa por uma fração ordinária (como 1/1.000.000) ou de uma razão matemática (1:1.000.000). O número 1 significa a unidade no mapa (1 cm) e o número 1.000.000 o tamanho real (1.000.000 de cm, ou seja 10 km)... para tal conversão é preciso saber converter cm em metro e este em km.


Quanto menor for o segundo número, no caso o denominador da fração ordinária, maior será a escala; e vice-versa. Assim as escalas inferiores a 100.000 são consideradas grandes; quanto superiores a 500.000, são pequenas.
Quanto maior a escala mais detalhada é a carta geográfica. Assim, as plantas (ou cartas cadastrais) se fazem com escalas entre 1/500 e 1/20.000. Os mapas topográficos têm escalas entre 1/25.000 e 1/250.000, que são escalas médias; estes mapas são conceituados como de informação oficial. O governo brasileiro, através do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e da Diretoria do Serviço Geográfico do Exército, além dos institutos cartográficos estaduais, adotam esse tipo de mapa, o topográfico.




A ESCALA GRÁFICA é representada sob a forma de um segmento de reta graduado em km. É dividida em partes iguais indicativas da quilometragem; a primeira parte (chamada de talão ou escala fracionária) é seccionada de tal modo a permitir uma avaliação mais precisa das distâncias ou tamanhos no mapa. Essa escala gráfica facilita de maneira mais prática o cálculo dessas distâncias. Para mudar essa escala gráfica em numérica é simples:
1 cm = 10 km no mapa (ou 1.000.000 cm), daí a escala numérica vai ser 1: 1.000.000 ou 1/1.000.000.
Conforme dito acima, para se confeccionar um mapa de uma certa área geográfica, devemos pegar a dimensão real no terreno e reduzi-la para colocá-la no mapa. Para este trabalho devemos usar uma escala, que irá estabelecer uma proporção entre as dimensões apresentadas no mapa e as reais (no terreno)

2. Principais tipos de escalas


a) NUMÉRICA


Quando usada a escala 1:30.000.000 , ela vai indicar que a cada 1cm no mapa, temos no terreno (real) 30.000.000 cm (= 300km).

Assim, entre Brasília e Rio de Janeiro, no mapa, temos 3 cm e no terreno é de 90.000.000 cm (= 900 km). Entre Brasília e Florianópolis há uma distância, no mapa, de aproximadamente 4 cm e no terreno é de 120.000.000 cm (= 1.200 km).
Podemos dizer que o tamanho real foi reduzido 30.000.000 vezes para ser colocado no mapa. Assim, podemos concluir que o denominador da escala numérica informa quantas vezes o tamanho real foi reduzido para ser colocado na folha de papel (o mapa).

b) GRÁFICA


Vejamos a gravura II e III:
Na gravura II, a escala pode ser lida da seguinte forma: a cada 1 cm no mapa temos 100 km no mapa. Se a distância, no mapa, de Natal para Fernando de Noronha é de 2,5 cm, consequentemente são lugares separados por 250 km no terreno. Na gravura III , a escala afirma que 1 cm no mapa eqüivale a 1 km no terreno. A distância dos locais "A" e "B" na Ilha de Fernando de Noronha é de 5,5 cm (no mapa), então no terreno será de 5,5 km.
3. Procedimento para saber quantas vezes o tamanho real foi reduzido no mapa através de uma escala gráfica - basta transformar para uma escala numérica.
Vejamos a gravura II: A escala gráfica afirma que 1 cm (mapa) = 100 km (terreno). Transformando para escala numérica, vamos ter 1:10.000.000.Assim, o tamanho real foi reduzido 10.000.000 vezes ao ser representado no mapa. 4. Relação entre denominador, escala e riqueza de detalhes (informações). Transformando as escalas das gravuras II e III para numéricas, temos:

5. Como ampliar o mapa? Para ampliar o mapa deve-se aumentar a riqueza de detalhes. Assim, devemos proceder da seguinte forma: Diminuir o denominador ---> Aumentar a escala Ex: Num mapa de escala 1: 100.000, queremos ampliar o mapa 5 vezes. Devemos usar a escala 1: 20.000.



TAREFA :
1- QUAL A DIFERENÇA ENTRE A ESCALA NUMÉRICA E A ESCALA GRÁFICA?
2-PARA QUE SERVEM AS ESCALAS ?
3-QUAIS SÃO OS MÚLTIPLOS E SUBMÚLTIPLOS DO METRO ?

Referências Bibliográficas :sempreaaprender.com/viewpage.php?page_id=15 -
educacao.uol.com.br/geografia/ult1701u49.jhtm -
mundogeografico.sites.uol.com.br/carto05.htm -
www.ufrgs.br/destec/destec-livro/paginas/7.htm -

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

REFLEXÃO PARA O SÉTIMO ANO BBBBBB

planeta


O PROBLEMA NÃO É MEU - Watch a funny movie here



DIANTE DA MENSAGEM DO VÍDEO, COMO PODEMOS AGIR EM NOSSO GRUPO?




FAÇA SEU COMENTÁRIO EM NOSSA PASTA DA GESTÃO DE GRUPO E NO BLOG.......

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

DA ORIGEM DO UNIVERSO À MARQUÊS DE SAPUCAÍ.......




Mapa de Psalter (1250) — uma das páginas de ilustrações de um livro de salmos do século XIII. Representa a perspectiva medieval T-O, segundo a qual Jerusalém se situa ao centro do mapa (vale dizer, do mundo, uma vez que a Terra era o centro do mundo); no topo do mapa, abaixo do Cristo Pantocrático, claramente inspirado nas figuras bizantinas, cujos braços abertos guardam o mundo, o Paraíso Terrestre. Nota-se a presença de ícones bíblicos, tais como a Arca de Noé, a Torre de Babel, entre outros. É interessante perceber que as recentes descobertas geográficas, fruto das cruzadas do século XII, não são aplicadas a representação cartográfica, sendo o mapa marcado pelo ensejo de ensinar os fiéis, e não de representar corretamente o espaço físico (Pelletier, 1989).
T - Tripartite
O- Os limites  circulares do mundo conhecido
Pantocrático - Onipotente, todo-poderoso
















O Jardim do Éden. Para quem crê na bíblia, é o lugar onde Deus criou o homem. Para os cientistas, o Éden é uma metáfora da origem da humanidade. Seja como for, os primeiros capítulos da bíblia influenciaram toda a civilização ocidental. "Somos o que somos e pensamos o que pensamos porque a bíblia teve papel dominante em nossa história e cultura". Seria o Éden mais do que simples lenda? Os cruzados achavam que ele ficava em terras do leste, os exploradores o procuraram no novo mundo, e agora o homem talvez esteja muito próximo de encontrar este jardim..

JARDIM DO ÉDEN


A ideia da Natureza é a ideia de um poder e de uma arte divinos inexprimíveis, sem comparação ou medida com o poder e a indústria do homem, que imprime nas suas obras um carácter próprio de majestade e graça, que opera todavia sob o domínio de condições necessárias, que tende fatal e inexoravelmente a um fim que nos ultrapassa, de maneira contudo que essa cadeia de finalidade misteriosa, da qual não podemos demonstrar cientificamente nem a origem, nem o termo, aparece a nós como um fio condutor com a ajuda do qual a ordem é introduzida nos fatos observados e que nos coloca no rastro dos fatos a pesquisar. A ideia da natureza, esclarecida assim tanto quanto pode ser, não passa da concentração de todos os clarões que a observação e a razão nos fornecem sobre o conjunto dos fenômenos da vida, sobre o sistema dos seres vivos.


Auguste Comte, in 'Tratado do Encadeamento das Ideias Fundamentais nas Ciências e na História'


Os séculos XIX e XX marcam, diferenciadamente, através da produção, das técnicas, das indústrias e mesmo da cultura, a incorporação da natureza à vida social. O grande avanço tecnológico permite a sociedade ser capaz de mudar algumas características essenciais da natureza, colocando-a cada vez mais imbricada com o homem, incorporando-a cada vez mais ao espaço geográfico, entendido como produto social. A modificação do mundo natural em território humano, legitimada pelas necessidades, requerimentos, desejos e esperanças dos homens, pode ser vista tanto como um projeto de emancipação coletiva, como pela realização do conforto na vida individual. O avanço técnico transforma a Natureza em algo cada vez mais social do que natural, onde o processo histórico-social passa a controlar, incorporar e produzir naturezas, imbuídas de qualidades humanas.

HOTEL DE LUXO - PARA POUCOS

Na sociedade ocidental, objetos ou mercadorias, são e servem de mediação entre o homem e a natureza. Nesta virtualização da natureza, objetos/mercadorias passam pelo creme dental com sabor natural; pelo protetor de tela do computador com suas árvores de folhas vermelhas ou os peixinhos nadando; pelos lugares turísticos, onde se pode passear por praias desertas ou pelas trilhas ecológicas na mata; e pelos condomínios de alto padrão nas cidades. O período histórico atual também mostra claramente a construção cultural da natureza e como as concepções sobre a natureza estão intimamente ligadas à vida cotidiana urbana. Assim, na materialidade que é apresentada nos dias atuais, as grandes cidades acentuam o papel da ação humana na definição dos conteúdos e limites da natureza, sua valoração, valorização e conservação.

DIA-A-DIA DOS PAULISTANOS

Se num primeiro momento, a natureza na cidade apresentava-se somente como um elemento estético dado, o qual era característico do sítio urbano, agora irá ser altamente incorporada à vida econômica da cidade. Além disto, observa-se uma reaproximação ou um 'reencanto' do mundo urbano ocidental com a natureza, ou melhor, com uma ideia, um padrão de natureza. A natureza é retrabalhada sob a forma de uma segunda natureza, incorporada, produzida e vendida de acordo com as leis e objetivos de uma racionalidade instrumental capitalista, voltada para o lucro, a propriedade privada, sob os fetiches e sensibilidades dos agentes do mercado imobiliário. O consumismo e o marketing natural tornam-se um hábito ou um estilo de vida e passam a ser o foco das relações capitalistas em todas as esferas da vida - da fábrica à moradia. Vende-se uma vida 'em harmonia' com a 'natureza'.


IMAGEM DA MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL


PARA PENSAR E COMENTAR :

Após assistir os vídeos,observar as imagens e realizar a leitura das informações :
1- Na sua concepção, qual é a origem do universo e a do homem?
2-O que é natureza?
3- Como o homem está interagindo com a natureza?

4-Qual relação podemos estabelecer entre o samba da Mocidade com o conteúdo : A ideia de natureza como mercadoria página 15 ?
5-Registre uma síntese sobre a formação do Jardim do Éden, página 14 e o vídeo Jardim do Éden.


LEMBRETE: COLOCAR, NOME, NÚMERO, ANO , RESOLVER AS QUESTÕES PELA ORDEM E NUMERAR.





























sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

CARVÃO MINERAL




planeta

A IMPORTÂNCIA DO CARVÃO MINERAL.



O carvão mineral é formado por troncos, raízes, galhos e folhas de árvores gigantes que cresceram há 250 milhões de anos em pântanos rasos. Essas partes vegetais, após morrerem, depositaram-se no fundo lodoso e ficaram encobertas. O tempo e a pressão da terra que foi se acumulando sobre o material transformaram-no em uma massa negra homogênea – as jazidas de carvão.



Paulatinamente, a partir da época dos grandes descobrimentos, o carvão mineral foi substituindo a lenha, até então considerada como a principal fonte de energia utilizada pelo homem. A combustão direta do carvão, para produção de vapor, foi a principal alavanca para o progresso da humanidade em direção à industrialização. As máquinas a vapor, alimentadas pelo carvão, surgiram em meados de 1700 e foram aperfeiçoadas por Watt, que passou a construí-las, comercialmente, em Birmingham, na Inglaterra, de 1774 a 1800.


MÁQUINA A VAPOR


Apesar do fato de as máquinas a vapor terem sofrido grandes melhorias no decorrer do tempo, os princípios básicos, estabelecidos por Watt, permaneceram inalterados. Atualmente, o principal uso da combustão direta do carvão é na geração de eletricidade, por meio de usinas termoelétricas. Essa tecnologia está bem desenvolvida e é economicamente competitiva.

USINA TERMELÉTRICA

Os impactos ambientais das usinas a carvão são grandes, não só pelas emissões atmosféricas, mas também pelo descarte de resíduos sólidos e poluição térmica, além dos riscos inerentes à mineração.
Este tipo de usina ocupa grandes superfícies, ao redor de 4 km2 por usina, excluindo-se instalações de armazenamento e vias de acesso. A própria infra-estrutura dessas usinas, como os corredores para os fios de alta tensão, chaminés, torres de resfriamento, trechos de acesso e de eliminação de resíduos, apresenta altos riscos potenciais ao meio ambiente e aos operários da usina.


LAGOA SOBRE REJEITOS DE CARVÃO MINERAL

A melhoria do processo de combustão poderia reduzir as emissões de monóxido de carbono e nitrogênio, a partir da dessulfurização dos gases de combustão ou da utilização de carvão com baixo teor de enxofre. E também o calor residual da usina poderia ser aproveitado nas suas proximidades, para evitar perdas energéticas, como por exemplo: aquecimento de caldeiras, movimentação de motores, etc..

Gaseificação do carvão

A gaseificação do carvão é praticada desde a primeira metade do século XIX e tem a finalidade de converter o carvão mineral em combustível sintético de aplicação direta na produção de energia. Existem diversos processos industriais de gaseificação do carvão, e o Brasil já domina essa tecnologia. Os impactos ambientais e riscos aos operários nas usinas são aqueles relacionados à mineração e transporte do minério e, também, aos problemas do processamento, como riscos de incêndio e exposição humana a agentes cancerígenos, e exposição a altas temperaturas.

Liquefação do carvão

O carvão, até 1961, era a principal fonte primária mundial de energia, quando foi suplantado pelo petróleo. No entanto, mantém-se até hoje como fonte energética nobre, pois sua conversão produz o combustível sintético líquido que mais se assemelha ao petróleo de ocorrência natural.

O processo de liquefação do carvão é bastante recente e visa transformar o carvão, que é encontrado em estado sólido na natureza, em combustível líquido. Nos EUA já existem usinas de liquefação de carvão, no entanto o processo é bastante sofisticado e caro. O Brasil ainda não domina essa tecnologia, embora pesquisas já estejam sendo desenvolvidas nesse sentido.
Até a Segunda guerra mundial, o carvão era o combustível mais utilizado no mundo. A descoberta dos combustíveis derivados do petróleo, que permitiu o desenvolvimento dos motores a explosão e abriu maiores perspectivas de velocidade e potência, e o surgimento da energia nuclear, relegaram o carvão a condição de fonte subsidiária de energia. No entanto, a disponibilidade de grandes jazidas de carvão mineral e o baixo custo do carvão vegetal ainda conferem a esse combustível um papel relevante.

PRODUÇÃO MUNDIAL DE CARVÃO MINERAL

Carvão mineral. De acordo com a maior ou menor intensidade da encarbonização, o carvão mineral – também chamado carvão fóssil ou de pedra – pode ser classificado como linhito, carvão betuminoso e sub-betuminoso (ambos designados como hulha) e antracito.A formação de um depósito de carvão mineral exige inicialmente a ocorrência simultânea de diversas condições geográficas, geológicas e biológicas. Primeiro, deve existir uma vegetação densa, em ambiente pantanoso, capaz de conservar a matéria orgânica. A água estagnada impede a atividade das bactérias e fungos que, em condições normais, decomporiam a celulose. A massa vegetal assim acumulada, no prazo de algumas dezenas de milhares de anos – tempo curto do ponto de vista geológico – transforma-se em turfa, material cuja percentagem de carbono já é bem mais elevada que a da celulose.
Geografiaparatodos

www.amantesporferrovias.com.br

TURFA- CERCA 60% DE CARBONO

Na etapa seguinte, que leva algumas dezenas de milhões de anos, a turfa multiplica seu teor de carbono e se transforma na primeira variedade de carvão, o linhito, cujo nome provém de sua aparência de madeira.LINHITO- CERCA DE 70% DE CARBONO

HULHA- CERCA DE 80% DE CARBONO

Na etapa seguinte, surge a hulha, primeiro como carvão betuminoso, depois como sub-betuminoso. Na fase final, a hulha se transforma em antracito, com teores de mais de noventa por cento de carbono fixo.
ANTRACITO- CERCA DE 95% DE CARBONO

Quanto maior o teor de carbono, maior também é o poder energético. Por isso, a turfa, que em teores muito baixos e altas percentagens de umidade, nem sempre pode ser aproveitada como combustível, e nesse caso serve para aumentar a composição de matéria orgânica dos solos. Encontrada nos baixos e várzeas, ou em antigas lagoas atulhadas, a turfa caracteriza-se pela presença abundante de restos ainda conservados de talos e raízes. Já o linhito, muito mais compacto que a turfa, é empregado na siderurgia, como redutor, graças a sua capacidade de ceder oxigênio para a combustão como matéria-prima na carboquímica. Quando o linhito se apresenta brilhante e negro, recebe o nome de azeviche.

CARVÃO MINERAL NO BRASIL

No território brasileiro esse minério é encontrado em áreas restritas e limitadas, além disso, o carvão extraído não possui boa qualidade, pois apresenta baixo poder calórico e quantidade de cinza elevada. Por essa razão não possui viabilidade quanto à sua utilização como fonte de energia e matéria-prima nas siderúrgicas.
Diante disso, a produção brasileira é insuficiente, portanto, o país importa 50% do carvão consumido, oriundo dos Estados Unidos, Austrália, África do Sul e Canadá. No Brasil uma das principais jazidas se encontra no Rio Grande do Sul, como no vale do rio Jacuí, cuja produção é consumida pelas usinas termelétricas locais. Hoje, cerca de 85% do consumo de carvão é para abastecer usinas termoelétricas, além de 6% na indústria de cimento, 4% na indústria de papel celulose e 5% nas indústrias de cerâmica, alimentos e secagem de grãos.


No Estado de Santa Catarina é realizada a maior produção de carvão, com destaque para o vale do rio Tubarão, nessa jazida o minério é totalmente aproveitado pelas indústrias siderúrgicas, geralmente localizadas na região Sudeste

FONTES:
cepa.if.usp.br/energia/energia1999/.../carvao.html -
www.suapesquisa.com/o...e/carvao_mineral.htmwww.mundoeducacao.com.br/.../carvao-mineral.htmwww.mundodoquimico.hpg.ig.com.br/carvao_mineral.htm

TAREFA:
1- EXPLIQUE SOBRE A FORMAÇÃO DO CARVÃO MINERAL:
2- COLOQUE PELA ORDEM O NOME DO TIPOS DE CARVÃO E SEU TEOR.
3-QUAL A SITUAÇÃO DE SANTA CATARINA, EM RELAÇÃO AO CARVÃO MINERAL?
4- NO BRASIL, QUAIS ESTADOS POSSUEM RESERVAS MINERAIS DE CARVÃO?

RECOMENDO O SITE:
veja.abril.com.br/.../carvao-mineral/poluicao-energia-combustiveis-f..