quarta-feira, 2 de setembro de 2015

JULGAMENTO DOS PLANOS ECONÔMICOS : CORRENTISTA X BANCOS.

Suspeição de Fachin deixa STF sem saída para decidir sobre planos econômicos


Sessão do STF. Corte está sem quorum para planos econômicos. Foto: Nelson Jr./SCO/STF (27/08/2015)

 
felipe_recondo_medium
 
Por Felipe Recondo
Atualizada às 22h58
A decisão do ministro Luiz Edson Fachin de declarar-se suspeito de julgar os planos econômicos deixa o maior caso da Justiça brasileira sem qualquer perspectiva regimental de solução. A saída, se houver, terá de envolver um grau de criatividade heterodoxa no Supremo Tribunal Federal.
De um lado, milhares de correntistas em mais de 973 mil recursos em tramitação nos tribunais brasileiros esperam há duas décadas para receberem a diferença que consideram correta em suas poupanças. De outro, os bancos alegam – com apoio do Banco Central – que podem quebrar se perderem a causa. O BC calcula um impacto de R$ 149 bilhões.
Os únicos que poderiam decidir o conflito têm, um por um, se declarado suspeitos: antes de Fachin, os ministros Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Cármen Lúcia já haviam informado que não podem participar do julgamento. Assim, a Corte não tem quórum para julgar a causa.
Na falta de uma solução regimental, o ministro Dias Toffoli disse nesta terça, na saída da sessão do TSE, que o STF poderia ter de esperar até que houvesse uma nova composição da Corte. Acontece que a próxima aposentadoria por idade de ministro que declarou suspeição só acontecerá em 2023 – e não há nenhuma garantia de que seu substituto se declare apto a votar.
Esse horizonte de mais vários anos de indecisão deve aumentar a pressão sobre a Corte. Advogados e entidades que representam milhares de interessados não aceitarão passivamente a inação pura e simples. Alguma solução terá de ser apontada, e, a esta altura, todas as possíveis são heterodoxas:
1 – Uma questão de ordem para questionar se suspeição de ministros pode ser aplicada a uma ADPF – a possibilidade foi aventada pelo ministro Gilmar Mendes na noite desta terça na saída de sessão do TSE. Se for aceita, faria com que todos os ministros fossem liberados da própria suspeição. O ministro disse, no entanto, que estava apenas “pensando alto” e que precisaria refletir mais sobre o tema.
2 – Em razão da impossibilidade de julgar, declarar que prevalece a posição do STJ, que é favorável aos correntistas – uma possibilidade já levantada pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski.
3 – Diante da gravidade do caso, convocar um ministro do STJ para votar, como já aconteceu no julgamento de Fernando Collor após o impeachment. Desde 2009, o regimento mudou e isso não é mais possível, mas os ministros poderiam encontrar uma forma de circundar essa restrição. O ministro Gilmar Mendes advertiu hoje, também na saída do TSE,  que o critério de seleção do ministro convocado poderia automaticamente determinar como seria o voto adicional, já que o caso já foi tratado pelo STJ.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

DO POLO ATÉ PARIS COP21.

Dois cientistas percorrem 20 mil quilômetros divulgando temas da Cúpula do Clima da ONU

Cada um dos cientistas iniciou sua jornada em eixo da Terra e percorreu uma distância equivalente à metade da circunferência do planeta.
Pole to Paris é uma campanha pública mundial de conscientização ambiental. Foto: Pole to Paris/Erlend Knudsen
Pole to Paris é uma campanha pública mundial de conscientização ambiental. Foto: Pole to Paris/Erlend Knudsen
Do Polo a Paris é uma campanha mundial de conscientização ambiental realizada por dois cientistas ambientais que decidiram chamar a atenção para a questão da mudança do clima. Cada um dos cientistas iniciou sua jornada em eixo da Terra e percorreu uma distância equivalente à metade da circunferência do planeta.
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) conversou com os dois cientistas sobre esta iniciativa.
Enquanto o Daniel Price partiu de Brisbane, na Austrália, em uma bicicleta, Erlend Knudsen saiu de Tromsø, na Noruega, e realiza seu percurso correndo. Ambos têm um ponto de chegada em comum: Paris na França, onde acontece a conferência sobre mudanças climática que definirá as ações a serem tomadas sobre este tema pelos próximos 15 anos, a COP21.
Durante sua viagem, Knudsen notou que a juventude, por alguma razão, não acha a mudança do clima algo atrativo. “Tenho tentado muito alcançar especialmente a geração mais jovem, estou trabalhando arduamente com nossos parceiros nacionais para melhorar isso”. Segundo ele, os cientistas vão chegar em Paris no dia 5 de dezembro, “enquanto estivermos lá, para o final de semana e para a última (e mais importante) semana da COP21, organizaremos eventos com nossos parceiros presentes na COP21, incluindo o PNUD”.
Sobre a transição dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Knudsen destaca que espera que os líderes mundiais, em sua maioria, compreendam que a desigualdade e outros problemas mundiais só podem ser enfrentados se colocarmos em primeiro lugar aquilo de que nossa sobrevivência mais depende – a Mãe Terra.
Para ele, a parceria com o PNUD é muito importante para o projeto porque “o PNUD fornece para nós e para o mundo muitos exemplos de como se pode ter desenvolvimento de maneira sustentável. Assim, podemos destacar esses exemplos para fortalecer a história positiva que o esta iniciativa quer apresenta”.
Confira o vídeo especial que Knudsen gravou:
Fonte: ONU Brasil

SOMÁLIA : INSEGURANÇA ALIMENTAR.

Mais de 850 mil pessoas enfrentam insegurança alimentar aguda na Somália, adverte a ONU

“Os níveis de insegurança alimentar e desnutrição são críticos”, disse o coordenador humanitário na Somália, Peter de Clercq, nesta segunda-feira (31). “Agentes humanitários e doadores têm impedido a piora da situação, mas todos nós precisamos fazer mais”, acrescentando que “a situação entre as pessoas deslocadas internamente é particularmente preocupante”.
Os resultados da avaliação apresentados em Mogadíscio, capital do país, revelam que 855 mil pessoas em toda a Somália estarão em situação de”crise e emergência” em dezembro de 2015. Cerca de 25 mil crianças com menos de cinco anos estão atualmente gravemente desnutridos, dos quais 40 mil se encontram em um estado tão grave que correm risco de contrair doenças ou de morrer.
“Continuamos a investir em salvar vidas. Não podemos permitir reverter os importantes passos realizados pelas frentes humanitárias e de desenvolvimento”, disse de Clercq. “Temos que, simultaneamente, responder às causas subjacentes da situação no país, e trabalhar soluções duráveis quer irão mitigar o sofrimento e ao mesmo tempo construir mais resiliência na Somália.”
Fonte : ONUBrasil

MEIOS DE TRANSPORTE E COMUNICAÇÃO : VESTIBULAR 100% - PROJETO DO COLÉGIO SALESIANO ITAJAÍ.

AULA DE REVISÃO: PROJETO VESTIBULAR 100%
DISCIPLINA: GEOGRAFIA  
PROFESSORA :Conceição Aparecida Fontolan

Tema: Meios de transporte e comunicação
Objetivo: Identificar a situação atual do Brasil e do mundo em relação aos transportes e comunicações. 
Blog Geo-Conceição : 08/15 Geekie : Rede de comunicações e transportes

01- (IFBA) 
A análise das figuras e seus conhecimentos sobre o setor de transporte brasileiro permitem afirmar que


Fonte: Telles, Guimarães e Roessing,2009, p.09.
Disponível em: http://www.partes.com.br/2012/10/08/estadocirculacao-e-logistica-uma-abordagem-baseada-no-transporteda-soja-no-brasil/ Acesso em: 09 de setembro de 2013.
(A) A opção pelo maior investimento nas rodovias se inicia com Juscelino Kubitschek e seu “plano de metas”.
(B) Apesar do baixo crescimento, a expansão das ferrovias, entre 1975 e 2005, ocorreu principalmente na região Norte do país.
(C) O modal rodoviário recebeu maior investimento por ser mais vantajoso nos deslocamentos de longa distância.
(D) Durante todo o século XX, o Brasil priorizou os investimentos no modal rodoviário, abandonando o modal ferroviário.
(E) Entre 1975 e 2005, os investimentos em expansão da malha ferroviária foram similares aos investimentos em expansão da malha rodoviária.

02- (UFAM) “Como dispositivo de múltiplos usos, o telefone celular tem servido cada vez mais de suporte para convergência de mídia, potencialidade que o tem tornado alvo de investimentos por parte da indústria. Há previsões de que, em 2020, os dispositivos móveis serão o maior meio de acesso à internet.” (RODRIGUES, Carla. Revista Galáxia, São Paulo, n. 20, 2010).
O contexto da citação acima se refere a uma das principais características do:

(A) Capitalismo industrial.
(B) Capitalismo financeiro.
(C) Capitalismo informacional.
(D) Capitalismo comercial.
(E) Capitalismo da exploração.

03- (UDESC) O ano de 2013, no Brasil, foi marcado por muitas manifestações populares. Entre as demandas dos brasileiros figurava a questão urbana da mobilidade. A respeito da mobilidade, assinale a alternativa correta.
(A) O deslocamento de trabalhadores, a qualidade de vida e as vias de transporte fazem parte do que se costuma chamar de mobilidade urbana. A preocupação com a mobilidade urbana tem chamado atenção de diversas autoridades no mundo, sobretudo no que diz respeito à integração dos meios de transporte coletivos.
(B) Carros individuais são a grande saída para o problema da mobilidade, pois se cada um garantir o seu transporte, não haverá dificuldade de deslocamento para ninguém.
(C) Transporte coletivo é o nome dado a qualquer transporte que conduza mais de uma pessoa.
(D) A mobilidade urbana é um problema exclusivamente brasileiro, visto que em outras partes do mundo a questão já está resolvida.
(E) Nas grandes cidades, carro é sinônimo de velocidade, conforto e autonomia.

04- (UFSC)


 Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01. Infere-se do quadro acima que o maior número de acidentes ocorreu no Agreste, uma das
sub-regiões do Complexo Regional do Nordeste.
02. Nos últimos anos, a frota de motocicletas aumentou consideravelmente. Menos seguras que os automóveis, elas costumam ser o primeiro veículo motorizado de muitos brasileiros que ascenderam socialmente, explicando, em parte, o crescimento das estatísticas de mortos no trânsito.
04. O prefixo BR indica que é uma rodovia de administração federal, ou seja, não pode ser alvo de privatização nem de cobrança de pedágio.
08. As rodovias BR com prefixo 3 interligam o território brasileiro no sentido Norte-Sul; em Santa Catarina, a BR 375 estende-se de Florianópolis até Dionísio Cerqueira.
16. Considerando as informações contidas no quadro acima, no conjunto, o maior número de mortos ocorreu em rodovias federais, em municípios que pertencem ao Complexo Regional do Centro Sul.

05- (UFSC) 
Os problemas relacionados à mobilidade das pessoas [...] nos centros urbanos afetam diretamente a qualidade de vida da população, com as externalidades geradas na produção do transporte e, também, o desempenho econômico das atividades urbanas.
Disponível em [Adaptado] Acesso em: 17 jul. 2013.

Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).

01. No Brasil, em metrópoles como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, o transporte coletivo mais utilizado é o ferroviário associado ao metroviário, sendo relegado a segundo plano o transporte individual motorizado.
02. O transporte público coletivo urbano atende principalmente pessoas de média e baixa renda no Brasil, o que torna o valor deste serviço um instrumento importante na formulação de políticas de inclusão social.
04. A grande transformação na mobilidade das pessoas nas cidades brasileiras começou a ocorrer na década de 1950, quando ao processo intenso de urbanização associou-se o aumento do uso de veículos motorizados.
08. Sendo o transporte público um serviço não essencial, a visão do seu financiamento deve ficar submetida a enfoques monetaristas rígidos, como o da sustentabilidade financeira a qualquer custo.

06- (ESPM)
Com investimentos de US$ 50 bi, Nordeste vira rota de grandes empresas Já se foi o tempo em que as belas praias impulsionavam quase solitariamente a economia do Nordeste. Nos últimos anos, a região deixou de apenas atrair turistas e passou a ser receptora também de investimentos de peso, ajudando os Estados a se industrializarem.
Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/ redacao/2013/02/19/com-investimentos-de-mais-de-r-100- bi-nordeste-vira-rota-de-grandes-empresas.htm. Acesso: 01/08/2013.
Comprovam a informação fornecida na matéria:

(A) A ampliação da rede hoteleira em Alagoas com a conclusão do complexo de Sauípe.
(B) A consolidação da agroindústria e setor sucro - alcooleiro no sul da Bahia.
(C) A instalação de uma indústria automobilística em Sergipe e Rio Grande do Norte.
(D) A instalação de complexos industrial-portuários em Pecém (CE) e Suape (PE).
(E) A migração da indústria siderúrgica do Sudeste para o Nordeste.

07- (FGV-eco) 
Um turista inglês tem duas possibilidades de viagem: Punta Cana ou Lençóis Maranhenses. Analise essas possibilidades apresentadas no mapa.

(Carta Capital. Ano XIX, n.o 766, 18 set. 2013. p. 64) Os dados representados no mapa tornam evidente que no Brasil há:

(A) Deficiência na infraestrutura de transporte.
(B) Fraca potencialidade turística.
(C) Pequeno número de destinos turísticos.
(D) Pequena importância econômica do setor de turismo.
(E) Falta de segurança para os turistas estrangeiros.

08- (PUC-RJ)

Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2013.
O sistema portuário brasileiro está sendo reorganizado para eliminar parte dos gargalos infraestruturais que reduzem os investimentos nacionais e internacionais no país. Chama-se atenção, nesse processo, para o crescimento e valorização cada vez maior dos portos secos no território nacional. Porto seco é: 
(A) Um terminal intermodal terrestre diretamente ligado por estrada, via férrea e/ou aérea, em zona fora do porto, geralmente no interior.
(B) Uma estação aduaneira com o papel de salvaguardar todos os investimentos em tecnologias de ponta produzidos em território nacional.
(C) Um silo que armazena, sem impostos, a mercadoria importada por investidores nacionais para o abastecimento agro-alimentar do país.
(D) Uma infraestrutura portuária fluvial que segue o curso dos principais rios estaduais para complementar o sistema portuário de cabotagem.
(E) Um sistema intermodal de transporte ferroviário e metroviário que facilita a distribuição de bens para os aeroportos e portos do país.

09- (FUVEST) Considere o mapa esquemático do rodoanel na região metropolitana de São Paulo.

 Com base no mapa abaixo e em seus conhecimentos, atenda ao que se pede.
(A) Identifique um impacto ambiental e um impacto social que poderão ocorrer nessa região com a construção do trecho norte do rodoanel. Explique.

(B) O Estado de São Paulo é um importante produtor/exportador de laranja e de seus derivados. Cite uma área com importante produção no Estado e identifique, a partir do mapa, os trajetos rodoviários mais utilizados para o escoamento dessa produção até o seu principal porto de exportação.

  
10- (UNICAMP) As ocupações de telemarketing expressam uma importante transformação do mundo do trabalho nesse começo de século. Surgem nos EUA e na Europa nos anos 1980 e na década de 1990 atingem o Brasil, onde os call centers (locais de trabalho dos atendentes de telemarketing) mais concentram trabalhadores: 1.103 em cada empresa.
(Adaptado de Jessé Souza, “Os batalhadores brasileiros. Nova classe média ou a nova classe trabalhadora?”. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2012.)

Assinale a alternativa em que todas as características associadas a esse tipo de trabalho estejam corretas.

(A) Privatização das empresas de telecomunicações; generalização da posse de linhas telefônicas; expansão de serviços de suporte técnico e televendas; insegurança no mercado de trabalho.   
(B) Estatização das empresas de telecomunicações; generalização das linhas de telefones fixos; maior concentração populacional no meio rural; estabilidade no mercado de trabalho.  
(C) Privatização das empresas de telecomunicações; generalização da posse de telefones celulares; retração dos serviços de atendimento ao cliente; segurança no mercado de trabalho.    
(D) Estatização das antigas empresas de televendas; generalização do uso de telefones fixos; retração dos serviços de atendimento ao cliente; retração do mercado de trabalho nos serviços.   

11- (UNIMONTES) A Federação das Indústrias de São Paulo comparou indicadores de transporte do Brasil com equivalentes de países que são referência para o mundo todo. A conclusão do estudo é que, em dez anos, a eficiência de nossa infraestrutura não avançou. O Brasil é grande, mas parece maior ainda para quem leva peças de São Paulo a Manaus. “Demora de 15 a 20 dias. O caminhão sai daqui carregado, vai até Rio Branco, de Rio Branco é transportado para a balsa e vai via fluvial até Manaus”, conta o empresário José Kovacs.
Jornal Nacional - 6/5/2013.
Assinale a alternativa que NÃO indica um dos fatores que contribuem para o problema abordado no texto.

(A) A reduzida exploração do potencial de navegação dos rios.
(B) As condições precárias das rodovias que cortam o país.
(C) A saturação da capacidade operacional de portos e aeroportos.
(D) A prioridade dada ao modal ferroviário pela política de transporte nacional.

12- (UNESP) Leia a notícia para responder a questão.
Em dia de maior mobilização, protestos levam mais de 1 milhão de pessoas às ruas no Brasil
Mais de 1 milhão de pessoas participaram de protestos em várias cidades do Brasil nesta quinta-feira [20.06.2013]. Os protestos ocorreram em várias capitais e centenas de cidades nas cinco regiões do país. Ao todo, 388 cidades tiveram manifestações, incluindo 22 capitais.
(http://noticias.uol.com.br. Adaptado.)
Os protestos que tomaram as ruas do Brasil durante o mês de junho de 2013 foram originalmente motivados por problema que aflige grande parte da população que vive nas grandes cidades do país, a saber,

(A) O aumento do desemprego e a precarização do trabalho.
(B) O alto custo e a má qualidade do sistema público de saúde.
(C) O aumento da violência urbana e o alto custo da segurança pública.
(D) A falta de vagas na educação básica e a precarização do sistema público de ensino.
(E) O alto custo e a má qualidade do sistema público de transporte.

13- (UNESP) Leia a notícia para responder a questões.
Mais de 1 milhão de pessoas participaram de protestos em várias cidades do Brasil nesta quinta-feira [20.06.2013]. Os protestos ocorreram em várias capitais e centenas de cidades nas cinco regiões do país. Ao todo, 388 cidades tiveram manifestações, incluindo 22 capitais.
(http://noticias.uol.com.br. Adaptado.)

Ao se espalharem pelo território brasileiro, esses protestos evidenciaram características do espaço geográfico próprias do atual período histórico da globalização. Entre essas características pode-se mencionar

(A) Uma frágil articulação entre os lugares, resultante do uso corporativo das redes técnicas de comunicação por grandes empresas, o que inviabilizou a ocorrência de manifestações simultâneas pelo país.
(B) Uma estreita articulação entre os lugares, possibilitada pela presença de redes técnicas de comunicação que, por sua vez, viabilizaram a ocorrência de manifestações simultâneas por todo o país, em razão da circulação organizada de informações.
(C) Uma frágil articulação entre os lugares, devido a redes técnicas de comunicação e de transporte ainda problemáticas, o que inviabilizou a ocorrência de manifestações simultâneas por todo o país.
(D) Um relativo isolamento entre os lugares, devido à ausência de redes técnicas de comunicação, o que inviabilizou a ocorrência de manifestações simultâneas pelo país.
(E) Uma estreita articulação entre os lugares, possibilitada pela presença de redes técnicas de transporte que, por sua vez, viabilizaram o deslocamento do mesmo grupo de manifestantes por todo o país em um intervalo curto de tempo.

14- (MACKENZIE) 
Observe os mapas para responder a questão.


Locais que vão cruzar com o rodoanel norte                       Tipo de cruzamento
Estrada Clementina Cardoso da Silva                                Passagem superior
Rua de acesso ao lot. Quintas da Cidade                        Passagem inferior
Rua João Fagundes                                                        Passagem de veículos
Estrada Cel. Sezefredo Fagundes                                        Passagem superior
Rodovia Fernão Dias                                                        Passagem inferior
Estrada da Pedreira                                                        Passagem secundária
Av. Pedro de Souza Lopes                                                Passagem de veículos
Ligação Barro Barro                                                        Passagem superior
Estrada Silvestre Pires de Freitas                                        Passagem inferior
Rua Ivan Edmundo                                                                Passagem de veículos
Estrada Guarulhos-Nazaré                                                Passagem superior
Estrada Albino Monteiro                                                       Passagem de veículos
Estrada Amarias                                                                Passagem de veículos
Estrada do Morro Grande                                                Passagem de veículos
Estrada da Parteira                                                           Passagem de veículos
Estrada Francisco Beirão                                                Passagem de veículos

Jornal O Estado de São Paulo, Caderno Cidades, 2010

O Rodoanel, ainda não concluído, é uma obra viária para a circulação de veículos automotores na Região Metropolitana de São Paulo. Sua construção envolve questões econômicas, sociais, políticas e ambientais. Sendo assim, assinale a alternativa cor reta a respeito desse tema.

(A) Trata-se de um projeto que conta com unanimidade na Grande São Paulo, em razão dos benefícios que propicia ao promover a distribuição dos f luxos de caminhões e automóveis, sem maiores danos ambientais, em especial sobre a floresta tropical localizada ao norte da capital paulista.
(B) O Rodoanel é u ma resposta inovadora, pois rompe com o modelo de transporte de cargas adotado no Brasil desde a década de 1950, baseado na ferrovia como principal meio de deslocamentos para grandes distâncias.
(C) Economicamente o Rodoanel contribui para a fluidez de mercadorias dentro do modelo rodoviarista nacional. Contudo, tem sido alvo de críticas pelos impactos ambientais 
decorrentes da distribuição das fontes de emissão de poluentes em novas áreas da Grande São Paulo.
(D) A crítica recorrente ao Rodoanel é a de que tem priorizado o transporte de passageiros, por meio da construção de cor redores de ônibus e trens metropolitanos. Desse modo, o transporte de cargas em caminhões tem sido prejudicado, com orientações e regras para que circulem pelas áreas centrais da capital paulista.
(E) A opção desse tipo de modalidade de transporte para o deslocamento de cargas e passageiros é a mais comum entre economias desenvolvidas, como EUA, Japão, e entre outras emergentes, como a Rússia e a China. 

15- (MACKENZIE)                        A era do automóvel empacou

[...]O paradoxo do Brasil, onde a venda de automóveis cresce, e as pesquisas de mercado mostram a queda do interesse, se explica pela diversidade do país. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) afirma que a média brasileira de 6,1 habitantes por carro ainda é alta e deverá cair à metade até meados de 2020. O crescimento nas vendas é puxado pela demanda reprimida das regiões Norte e Nordeste. No Sul e no Sudeste, o aumento da frota passou a acompanhar o crescimento da população. Nessas regiões, observa-se a queda de interesse pelos carros. Segundo a Pesquisa Origem e Destino, do Metrô, a relação de carros por habitante em São Paulo manteve-se estável entre 1997 e 2007. Nesse período, o uso de transporte público subiu de 45% para 55%[...].
Marcelo Moura e Isabella Ayub, Revista Época, 04/12/2012

De acordo com o texto da reportagem e com seus conhecimentos a respeito da questão da mobilidade urbana no Brasil, considere as afirmativas a seguir:

I. A expressão “demanda reprimida” faz referência ao aumento da renda média ocorrida nos últimos anos nas regiões Norte e Nordeste. Desse modo, essas regiões, atualmente, contrariam o fundamento da industrialização brasileira que, implantada a partir da década de 1950, combina indústria automobilística, transporte individual e obras viárias urbanas.
II. O comportamento das vendas de automóveis nas regiões Sul e Sudeste tende à estabilização, sem o acréscimo significativo de novos consumidores. A queda do interesse por carros indica uma correlação direta com a saturação do modelo de transporte individual.
III. Os dados apresentados pela reportagem são de 2012. A partir deles, é correto afirmar que certos segmentos da sociedade brasileira já questionavam o modelo do transporte presente nas grandes cidades do país. Assim, as reivindicações iniciais das manifestações de rua de junho de 2013 foram um dos sinais desse processo.

Assinale a alternativa correta.
(A) Estão corretas apenas as afirmativas I e II.
(B) Estão corretas apenas as afirmativas II e III.
(C) Estão corretas apenas as afirmativas I e III.
(D) Está correta apenas a afirmativa I.
(E) Está correta apenas a afirmativa II


GABARITO
01- A
02- C
03- A
04- 18
05- 06
06- D
07- A
08- A
09- Resposta:
a) O trecho norte do Rodoanel poderá gerar impactos ambientais, entre os quais, o desmatamento de trechos importantes da Mata Atlântica da Serra da Cantareira. Entre os impactos sociais, a desapropriação de áreas residenciais com a remoção de população para outras áreas.

b) O Brasil é o maior exportador de suco de laranja concentrado do mundo. A principal região produtora é o Centro-Oeste do Estado de São Paulo, região que engloba municípios como São José do Rio Preto, Matão, Araraquara e Bebedouro. O escoamento do suco de laranja dá-se principalmente por rodovias como Bandeirantes, Anhanguera e Castelo Branco e, posteriormente, pela Rodovia Anchieta, que dá acesso à Planície Litorânea onde está o porto de Santos, principal porto exportador.
10- A
11- D
12- E
13- B
14- C
15- B

ROMBO NAS CONTAS PÚBLICAS.

Rombo nas contas provoca cortes em saúde, educação e programas sociais

O primeiro orçamento deficitário apresentado por um Governo brasileiro prevê cortes proporcionais em áreas-chave da gestão Dilma Rousseff, como saúde, educação e desenvolvimento social. Além disso, o rombo nas contas públicas, que em 2016 chegará aos 30,5 bilhões de reais, atingirá programas sociais vitrine da gestão, como o Minha Casa Minha Vida, o Ciência Sem Fronteiras e o Fies, assim como carros-chefe da campanha de 2014, como o Pronatec. A equipe econômica não caracteriza essas medidas como cortes, mas como revisões ou melhorias dos gastos públicos. Com ou sem eufemismos, os números deixam claro que o doloroso programa de ajuste fiscal não terminará neste ano, contaminando os resultados do ano que vem.
A reportagem é de Afonso Benites, publicada por El País, 01-09-2015.
O Governo prevê arrecadar, em 2016, 1,180 trilhão de reais líquidas e terá despesas de 1,210 trilhão de reais. O déficit será de 0,5% do produto interno bruto (PIB). Neste ano, haverá um superávit de 0,1% do PIB, de acordo com as estimativas governistas. Em meio à crise política, o vice-presidente Michel Temer elogiou ao menos "a transparência" do Governo de abandonar a maquiagem fiscal de anos anteriores e admitir o saldo negativo. Já a oposição reagiu: “O buraco nas contas públicas estimado para o próximo ano demonstra, de forma taxativa, o desgoverno da gestão Dilma Rousseff marcada pela incompetência e pelo total descrédito de suas ações”, afirmou o deputado Bruno Araújo(PSDB-PE), o líder da minoria na Câmara.
A peça orçamentária entregue nesta segunda-feira para o Congresso Nacional prevê uma clara diminuição proporcional das despesas discricionárias de oito ministérios. Esse tipo de gasto é o que o Governo escolhe como e onde investir. Ele é diferente das despesas obrigatórias, que, como o nome diz, ele tem de gastar em determinada área. As reduções mais relevantes ocorrerão nas pastas da Saúde (que em 2015 representa 37% dos gastos e em 2016 será 35%), na Educação (de 14,4% para 13,3%) e Desenvolvimento Social (de 13,5% para 12,9%). Este último ministério é o responsável pelo programa que foi o carro-chefe das gestões petistas, o Bolsa Família.
Sobre outros programas sociais, os cortes aparecem de maneira mais discreta. Os valores não foram divulgados, mas o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, os explicou como uma necessária revisão nos processos e criticou a palavra corte. “O termo corte não é adequado porque estamos fixando o valor para o próximo ano. Quando você fala em corte, você fala em contingenciamento de um orçamento que já foi aprovado”, explicou.
Os ministérios que terão cortes
Ministério / % no orçamento 2015 / % no orçamento 2016
Cidades / 0,24% / 0,23%
Desenvolvimento, Indústria e Comércio / 0,41% / 0,40%
Desenvolvimento Social / 13,5% / 12,9%
Educação / 14,4% / 13,3%
Ciência e Tecnologia / 1,53% / 0,83%
Pesca / 0,67% / 0,66%
Saúde / 37,8% / 35,9%
Transportes / 0,41% / 0,40%
Barbosa admitiu que o programa Minha Casa Minha Vida, por exemplo, será tocado em um ritmo mais lento do que o atual. A prioridade, segundo ele, será concluir as 1,5 milhão de unidades que estão sendo construídas nesta segunda fase do programa. Ainda assim, o Governo pretende lançar a terceira fase do projeto ainda neste ano. “Nós procuramos fazer uma proposta de despesa que seja bem realista e adequada aos recursos. Isso implicou em uma revisão de vários programas. Revisão de metas, alongamento de cronogramas.”
Outras áreas em que haverá mudanças estão nos financiamentos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e no Plano Safra, que concede benefícios para agricultores.
Grau de investimento e Congresso
Para especialistas, como o economista Alex Agostini, da agência Austin Rating, essa decisão de reduzir os gastos discricionários em pontos nevrálgicos pode influenciar no relacionamento do Governo com o Congresso e, futuramente, interferir na queda da confiabilidade do Governo frente ao mercado. “Se houver dificuldades em aprovar o orçamento, pode resultar em um maior prazo para pagar as contas”, avaliou Agostini.
Um impacto esperado da queda da confiança é sobre o veredito das agências de avaliação de risco, que mantém o Brasil a apenas um passo de perder o grau de investimento, o selo de bom pagador para investidores. A  Standard & Poor's  e a Moody's rebaixaram a nota de crédito do país nos últimos dois meses e o déficit orçamentário poderia acelerar o ritmo rumo ao nível especulativo. A notícia de que Orçamento teria déficit já impactou o mercado, já agitado por incertezas externas. O dólar teve nova alta ante ao real nesta segunda, fechando em 3,62 reais.
O Governo está particularmente preocupado com o relacionamento com o Congresso e diz contar com os parlamentares para superar a crise econômica. É do Legislativo que podem vir tanto a ratificação de medidas que o Governo tem de aplicar para sair da crise como mais dores de cabeça na forma de pautas-bomba, de aumento de gastos. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tratou o relacionamento como "uma ponte" a ser construída. “A gente sabe onde a gente quer chegar, a gente sabe como vai chegar, que é através de reformas, é fazer o Brasil mais justo simples, eficiente através de medidas legislativas em alguns casos. Precisa de uma ponte para assegurar a estabilidade fiscal, com receitas para cobrir despesas no curto prazo, podem ser ações provisórias, mas é importante considerá-las", afirmou. Numa tentativa de fazer essa ponte, numa relação já desgastada, a presidenta recebeu parlamentares no Planalto nesta segunda.
O líder do Governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), tentou seguir Levy e se mostrar otimista. Disse que apresentar um orçamento deficitário abre a possibilidade de se debater no Legislativo vários temas “vêm se eternizando como tabu”. “A despeito da crise você abre perspectivas muito boas para temas importantes, como previdência, qualidade da gestão pública, ICMS, repatriação de recursos brasileiros no exterior. São temas relevantes que precisam ser discutidos”, declarou.
Salário mínimo de 865,5 reais e mais imposto sobre vinhos
Uma das frentes para amenizar as perdas financeiras pelo Governo é o aumento de tributos, como a revisão da desoneração do PIS/Cofins para computadores, tablets e smartphones, a mudança no IOF sobre operações de créditos do BNDES e mudança na tributação de bebidas como vinhos e destilados.
A expectativa de arrecadação com essas medidas é de 11,2 bilhões de reais.
Outra fonte de receita extra a comercialização de ativos, como imóveis, a venda de participações acionárias não prioritárias, o leilão da folha de pagamento do funcionalismo público e a ampliação de concessões. Nessa linha, o Governo espera obter mais 37,3 bilhões de reais.
A volta da CPMF, o imposto do cheque, está descartada em um primeiro momento pela gestão Rousseff. Na semana passada, o Governo lançou um balão de ensaio para ver qual era a reação do Congresso e do empresariado por essa proposta, que seria para financiar exclusivamente a saúde. Como os retornos foram insatisfatórios, o projeto foi suspenso, ainda que temporariamente.
Eis alguns dos números da peça orçamentária apresentada pelo Governo ao Congresso Nacional nesta segunda-feira:
•    Receita líquida - 1,180 trilhão de reais
•    Despesa total - 1,210 trilhão de reais
•    Salário mínimo previsto - 865,50 reais
•    Inflação estimada - 5,40%
•    PIB previsto - crescimento de 0,2%

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

ATUALIDADES : ARÁBIA SAUDITA E A PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NAS ELEIÇÕES.

Mulheres participam pela primeira vez de eleições na Arábia Saudita

30/08/2015 - 14h29min
As inscrições das candidatas sauditas às eleições municipais de dezembro começaram neste domingo, situação inédita neste país ultraconservador onde as mulheres são discriminadas e nem sequer tem o direito de dirigir.
Os procedimentos para registrar as eleitoras - outro fato inédito - já havia começado no dia 22 de agosto, em locais separados dos homens.
A separação entre os sexos é uma norma na Arábia Saudita, onde as mulheres são obrigadas a usar um véu que as cobre da cabeça aos pés.
As mulheres só podem trabalhar, viajar ou ter um passaporte com a autorização de um homem da família, como o pai, marido ou irmão.
Porém, o falecido rei Abdallah decretou em 2011 que as mulheres poderiam votar e ser candidatas nas eleições municipais de 2015, e disse na época que "rechaçava a marginalização da mulher na sociedade saudita".
O jornal da capital saudita Al-Hayat publicou recentemente que cerca de 200 mulheres manifestaram interesse em ser candidatas a essas eleições, previstas para o fim do ano.
As mulheres tem 17 dias a partir de domingo para se candidatarem. Nas próximas eleições, os eleitores definirão dois terços dos conselhos municipais. A última parte é escolhida pelas autoridades.
O rei Salman sucedeu Abdallah em janeiro e os especialistas se perguntam se ele dará continuidade às tímidas reformas iniciadas por seu meio-irmão.
* AFP

domingo, 30 de agosto de 2015

FONTES DE ENERGIA: VESTIBULAR 100% PROJETO DO COLÉGIO SALESIANO ITAJAÍ

AULA DE REVISÃO : VESTIBULAR 100% PROJETO DO COLÉGIO SALESIANO ITAJAÍ
DISCIPLINA: GEOGRAFIA                                                 
PROFESSORA : Conceição Aparecida Fontolan

Tema: Fontes de energia
Objetivo: Identificar as principais fontes energéticas e as mais utilizadas na atualidade
Blog Geo-Conceição : 08/15   Geekie : Energia : Uso e Produção

01- (CEFET-MG) Com o avanço do consumo como lógica de expansão capitalista, a demanda por energia tende a crescer em todo o mundo. A partir da análise do gráfico, é correto inferir que a(o).

TEIXEIRA et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos, 2000. (A) estabilização do crescimento da população assegurará o decréscimo da utilização de petróleo.
(B) consumo gradativo do combustível fóssil possibilitará a equalização do acesso ao recurso no mundo.
(C) relação direta entre natalidade e utilização energética permitirá o controle de crises nos formigueiros humanos.
(D) ampliação gradual do uso do hidrocarboneto revelará a inserção crescente da população no circuito consumista.
(E) limitação espacial das reservas de petróleo impedirá a expansão industrial nas áreas economicamente desenvolvidas.

02- (FUVEST) O gráfico abaixo exibe a distribuição percentual do consumo de energia mundial por tipo de fonte.

 Com base no gráfico e em seus conhecimentos, identifique, na escala mundial, a afirmação correta.
(A) A queda no consumo de petróleo, após a década de 1970, é devida à acentuada diminuição de sua utilização no setor aeroviário e, também, à sua substituição pela energia das marés.  
(B) O aumento relativo do consumo de carvão mineral, a partir da década de 2000, está relacionado ao fato de China e Índia estarem entre os grandes produtores e consumidores de carvão mineral, produto que esses países utilizam em sua crescente industrialização.  
(C) A participação da hidreletricidade se manteve constante, em todo o período, em função da regulamentação ambiental proposta pela ONU, que proíbe a implantação de novas usinas.  
(D) O aumento da participação das fontes renováveis de energia, após a década de 1980, explica-se pelo crescente aproveitamento de energia solar, proposto nos planos governamentais, em países desenvolvidos de alta latitude.  
(E) O aumento do consumo do gás natural, ao longo de todo o período coberto pelo gráfico, é explicado por sua utilização crescente nos meios de transporte, conforme estabelecido no Protocolo de Cartagena.

03- (FGV-eco) Analise a figura a seguir.

Os fluxos na figura identificam a circulação de um produto entre as áreas vendedoras e as compradoras.
Assinale a alternativa que identifica corretamente um dos fluxos numerados.
(A) 1 – O carvão mineral da Rússia e dos países da CEI, principais produtores mundiais, é vendido para a Europa e a Ásia.
(B) 2 – A água virtual, commodity valorizada no mercado mundial, é comercializada da América do Sul para os Estados Unidos.
(C) 3 – O petróleo é vendido por um grande número de fornecedores de vários continentes para os Estados Unidos, grande consumidor mundial.
(D) 4 – Os minérios radioativos são vendidos pelos países do Sul para as centrais nucleares de países desenvolvidos.
(E) 5 – O xisto betuminoso e o gás natural são vendidos pelos países do norte da África para a Europa ocidental.

04- (UERJ) Na atualidade, o petróleo é um recurso natural de grande importância para o crescimento econômico, representando uma das principais fontes de riqueza e investimento para os países do mundo. No mapa abaixo, registram-se os desiguais fluxos comerciais de produção e consumo desse recurso.


Explicite a situação atual do Brasil como produtor e sua participação no comércio mundial de petróleo. Em seguida, identifique dois espaços econômicos desenvolvidos que importam mais de três milhões de barris de petróleo por dia.
Resposta:
Atualmente, apesar de o Brasil produzir petróleo, sua participação não é importante no comércio do produto em escala mundial.
Duas das respostas:
• Japão
• Estados Unidos
• União Européia

05- (PUC-CAMPINAS) Gerar energia é, atualmente, uma das necessidades fundamentais do mundo contemporâneo. Observe o gráfico a seguir.
 Considerando-se o atual contexto econômico mundial e a leitura do gráfico é correto afirmar que o consumo de energia
 

(http://sciences blogs.liberation.fr) (A) da China apresentou forte crescimento pois, apesar de baseado no carvão mineral, tem sido impulsionado pela expansão da indústria e diversificação das fontes de energia utilizadas.
(B) dos Estados Unidos tem apresentado ligeiro declínio devido ao compromisso do governo estadunidense em cumprir as metas do Protocolo de Quioto de redução da poluição.
(C) da União Europeia manteve-se estável no período porque vários membros do bloco têm encontrado dificuldades de importar o gás natural da Rússia.
(D) dos Estados Unidos e da União Europeia tem se mantido em queda devido às constantes crises geopolíticas que ocorrem no Oriente Médio, principal fornecedor de petróleo.
(E) do Japão está em declínio desde o início do século XXI porque o país tem fechado sistematicamente as usinas nucleares, optando pelas termelétricas.

06- (UERJ)


 A ampliação do uso de fontes de energia renováveis e não poluentes representa uma das principais esperanças para a redução dos impactos ambientais sobre o planeta.
Considerando os gráficos, a distribuição espacial da produção instalada das energias eólica e fotovoltaica é explicada, sobretudo pela seguinte característica dos países que mais as utilizam:
(A) matriz elétrica limpa
(B) perfil climático favorável
(C) densidade demográfica reduzida
(D) desenvolvimento tecnológico avançado

07- (PUCRS) Para resolver a questão, leia o texto a seguir, sobre fontes de energia, e selecione as palavras/expressões que preenchem correta e coerentemente as lacunas.

O _________ foi importante fonte de energia para a Primeira Revolução Industrial. Atualmente as maiores reservas estão localizadas no hemisfério _______. É um dos principais responsáveis pela __________, pois sua queima libera grande quantidade de óxido de enxofre na atmosfera.

(A) carvão mineral – norte – chuva ácida
(B) petróleo – sul – poluição dos oceanos
(C) petróleo – sul – chuva ácida
(D) carvão mineral – sul – poluição dos oceanos
(E) petróleo – norte – chuva ácida

08- (UDESC) A procura por novas fontes renováveis de energia surge como alternativa importante para superar dois problemas atuais: a escassez de fontes não renováveis de energia, principalmente do petróleo, e a poluição ambiental causada por essas fontes (combustíveis fósseis). Assinale a alternativa que apresenta um tipo de recurso energético não renovável.

(A) Biomassa, massa dos seres vivos habitantes de uma região.
(B) hidrogênio, usado como célula combustível.
(C) biogás, utilização das bactérias na transformação de detritos orgânicos em metano.
(D) carvão mineral, extraído da terra pelo processo de mineração.
(E) energia geotérmica, aproveitamento do calor do interior da Terra.

09- (UDESC) Analise as proposições acerca da produção mundial de petróleo.

I. A sua utilização como fonte de energia iniciou em 1859, na Pensilvânia – EUA, quando Edwin Drake encontrou petróleo e passou a comercializá-lo com as cidades para ser utilizado na iluminação pública.
II. A bacia de Campos no Rio de Janeiro possui as maiores reservas de petróleo do Brasil.
III. A Arábia Saudita é o país que mais exporta petróleo, e os EUA o país que mais importa petróleo.
IV. A Venezuela tem uma produção maior de petróleo que o seu consumo.
V. A partir da década de 80, houve um aumento da produção de petróleo no Brasil e uma consequente diminuição da dependência externa. Assinale a alternativa correta.

(A) Somente as afirmativas I, II, III e IV são verdadeiras.
(B) Somente as afirmativas II, III, IV e V são verdadeiras.
(C) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras.
(D) Somente as afirmativas IV e V são verdadeiras.
(E) Todas as afirmativas são verdadeiras.

10- (UNIFOR) Fontes de energia são fundamentais para o funcionamento da sociedade. Em função de alterações climáticas, existe um debate amplo relacionado à diversificação da matriz energética e à adoção de fontes de energia renováveis.
Com relação a este tema, marque a alternativa abaixo que NÃO é coerente com os debates atuais.
(A) Apesar de a utilização de biocombustíveis oferecer vantagens por ser uma fonte de energia renovável e emitir menos gases poluentes durante a combustão, diversos especialistas defendem que a produção em larga escala pode ter efeitos negativos sobre a produção de alimentos.
(B) Apesar de ser uma fonte de energia renovável e não emitir poluentes, a energia hidrelétrica não está isenta de impactos ambientais.
(C) As principais barreiras à opção pela produção de energia nuclear dizem respeito à segurança, à disposição dos rejeitos radioativos e à proliferação de armas nucleares, além dos custos de construção e manutenção das usinas nucleares.
(D) A ausência de tecnologia no setor é apontada como a grande barreira para a substituição de derivados do petróleo como uma das principais fontes de energia empregadas.
(E) Segurança energética significa ter energia suficiente para atender às necessidades de uma população de forma confiável e ininterrupta, a um preço razoável.

11- (FGVRJ) O gráfico abaixo revela as mudanças ocorridas na matriz energética mundial entre 1973 e 2006. Observe-o.

Sobre as causas e as consequências dessas mudanças, assinale a alternativa correta:
(A) O aumento da participação do carvão resultou do esforço de substituição do petróleo por alternativas menos poluentes.
(B) O recuo da biomassa resultou da crise do setor de biocombustível, que afetou sobretudo o Brasil e os Estados Unidos.
(C) A queda da participação da energia hidráulica na matriz energética global reflete a escassez de novos investimentos na geração dessa forma de energia, cujo potencial já está praticamente esgotado em todas as regiões do mundo.
(D) Apesar do aumento significativo na matriz energética global, a geração de energia nuclear permanece fortemente concentrada nos países desenvolvidos.
(E) O aumento da participação do gás natural reflete o aumento da proporção da energia global consumida pela China, detentora das maiores reservas mundiais desse combustível.

12- (UFPE) “Os recursos energéticos constituem um importante subsídio à expansão do capital, integrando o capital constante circulante. Nesse sentido, constituem ingredientes centrais da geoeconomia e da geopolítica do capitalismo contemporâneo. O petróleo representa papel proeminente dentro dessa matriz energética mundial, estando sempre em questão a ampliação do consumo e a capacidade de suporte das reservas petrolíferas existentes. A localização das suas principais reservas e estruturas de escoamento em áreas de instabilidade política, bem como o fator concorrencial desafiam pesquisas e estudos acerca do descobrimento e ou desenvolvimento de outras fontes alternativas de energia”.
(LINS, Hoyêdo N. Geoeconomia e geopolítica dos recursos energéticos na primeira década do século XXI)
Sobre as questões tratadas no texto, é correto afirmar que:
(   ) as principais reservas de petróleo se encontram localizadas no Oriente Médio, em especial no Golfo Pérsico. Esse fato vincula a Guerra do Golfo em 1990 com a energia, a geoeconomia, a geopolítica e a guerra no cenário mundial.
(   ) a atualidade registra mudanças na espacialidade da acumulação de riqueza global, especialmente com o desempenho econômico da Índia e da China; isso repercute no aumento e na intensificação de consumo de recursos energéticos.
(   ) o petróleo brasileiro da camada "pré-sal", fonte de intensas pesquisas geológicas, foi originado de materiais orgânicos depositados no subsolo oceânico, em terrenos magmáticos, ricos em hidrocarbonetos. Essa reserva de petróleo vai tornar o país autossuficiente em petróleo e gás natural.
(   ) a justificativa para o predomínio da matriz energética contemporânea remete ao fato de que ela não exige uma ampla e complexa infraestrutura, tampouco articulações de interesses diversos.
(   ) a Rússia exerce historicamente grande controle sobre as rotas de exportação dos recursos energéticos produzidos na Eurásia (Região do Cáucaso e Ásia Central), uma vez que partes do seu território funcionam como corredores em relação a ex-repúblicas soviéticas, tradicionais espaços de influência russa.
(A) V V F F V.
(B) V F F V V.
(C) F V F F V.
(D) F F F V V
(E) V V V F V

13- (UNIMONTES) O acidente em Fukushima reaviva o trauma nuclear no Japão e leva o mundo a debater se essa fonte de energia é realmente segura e imprescindível. Países cancelam ou reavaliam seus planos atômicos.
Fonte: Revista Veja, 23/3/2011.
Considerando o texto e seus conhecimentos referentes à produção, uso e consumo da energia nuclear, é incorreto afirmar:
a) A alta do petróleo é um fator favorável para que haja investimentos em energia nuclear, considerando o custo benefício.
b) O acidente de Chernobyl assim como o de Fukushima desencadeiam movimentos sociais antienergia nuclear.
c) A produção de energia nuclear torna-se uma medida viável para os países com limitação de potencial hidrelétrico.
d) A produção de energia nuclear brasileira é sabidamente eficiente por sua origem em tecnologia alemã, com altos padrões de exigência para o funcionamento.

14- (UERJ) Uso de fontes renováveis de energia (2005)
O uso de fontes renováveis de energia passou a ser encarado como fundamental para a superação das contradições ecológicas do modelo econômico atual.
As fontes renováveis que mais contribuem para o percentual verificado na matriz energética brasileira são:

Adaptado de: Atlas geográfico escolar: ensino fundamental do 6º ao 9º ano/IBGE. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.
(A) solar e eólica
(B) biomassa e solar
(C) eólica e hidráulica
(D) hidráulica e biomassa


15- (UFRN) O Oriente Médio, foco de conflitos geopolíticos, nacionalistas e religiosos que geram preocupações em diferentes países, é considerado uma das principais áreas estratégicas do mundo

(A) por ter o seu território banhado pelos oceanos Pacífico e Índico e por sua importância no mercado mundial, devido ao elevado consumo de carvão mineral.
(B) devido à sua localização próxima à China e à Índia e à sua importância econômica como principal produtora de carvão mineral em escala mundial.
(C) devido à sua localização entre Ásia, Europa e África e à sua importância econômica como detentora das maiores reservas mundiais de petróleo em terra.
(D) por ter o seu território banhado pelo Mar Mediterrâneo e Mar Vermelho e por sua importância no mercado mundial como principal consumidora de petróleo.

16- (ESPM) Observe a tabela:
                                                                          (BEN / Empresa de Pesquisa Energética, EPE, 2009.)
A partir dos dados, é possível aferir com segurança que
(A) Os maiores produtores mundiais de petróleo são membros da Opep.
(B) Os países árabes são os maiores produtores mundiais de petróleo.
(C) Observa-se uma coincidência entre os países produtores, exportadores e importadores de petróleo.
(D) Os grandes importadores mundiais de petróleo não são grandes produtores.
(E) Os principais exportadores não figuram dentre as maiores economias mundiais, fato mais comum entre os importadores.

17- (UNICAM) Considerando a geopolítica do petróleo e os dados da figura abaixo, em que se observam os grandes fluxos de importação e exportação desse recurso energético de origem mineral, pode-se afirmar que:

(Adaptado de Yves Lacoste, Geopolítica: la larga história del presente. Madrid: Editorial Sintesis, 2008.)
(A) A porção do globo que mais importa petróleo é o Oriente Médio, região carente deste recurso.
(B) O Japão consome petróleo principalmente da Rússia, em função da proximidade geográfica.
(C) A Europa é importante exportadora de petróleo em função da grande quantidade de países produtores.
(D) A Venezuela é um importante exportador de petróleo para os EUA.

GABARITO
01- D
02- B
03- C
 04- Resposta:
Atualmente, apesar de o Brasil produzir petróleo, sua participação não é importante no comércio do produto em escala mundial.
Duas das respostas:
• Japão
• Estados Unidos
• União Européia
05- A
06- D
07- A
08- D
09- E
10- D
11- D
12- A
13- D
14- D
15- C
16- E
17- D