segunda-feira, 9 de agosto de 2010

DITADURA MILITAR/ 1964-1985

INTRODUÇÃO Podemos definir a Ditadura Militar como sendo o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil. Esta época vai de 1964 a 1985. Caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.
O golpe militar de 1964 A crise política se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961. O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.
Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Lembrando, que neste período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.


Este estilo populista e de esquerda, chegou a gerar até mesmo preocupação nos EUA, que junto com as classes conservadoras brasileiras, temiam um golpe comunista. Os partidos de oposição, como a União Democrática Nacional (UDN) e o Partido Social Democrático (PSD), acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda e de ser o responsável pela carestia e pelo desabastecimento que o Brasil enfrentava. No dia 13 de março de 1964, João Goulart realiza um grande comício na Central do Brasil ( Rio de Janeiro ), onde defende as Reformas de Base. COMÍCIO DE JANGO Neste plano, Jango prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país. Seis dias depois, em 19 de março, os conservadores organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo. O clima de crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia. No dia 31 de março de 1964, tropas de Minas Gerais e São Paulo saem às ruas. Para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai. Os militares tomam o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos.
GOVERNO CASTELLO BRANCO (1964-1967) Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária. Estabeleceu eleições indiretas para presidente, além de dissolver os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar. Em seu governo, foi instituído o bipartidarismo. Só estavam autorizados o funcionamento de dois partidos: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Enquanto o primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o segundo representava os militares. O governo militar impõe, em janeiro de 1967, uma nova Constituição para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.


GOVERNO COSTA E SILVA (1967-1969) Em 1967, assume a presidência o general Arthur da Costa e Silva, após ser eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A oposição ao regime militar cresce no país. A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil. Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar. A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada. No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
GOVERNO DA JUNTA MILITAR (31/8/1969-30/10/1969) Doente, Costa e Silva foi substituído por uma junta militar formada pelos ministros Aurélio de Lira Tavares (Exército), Augusto Rademaker (Marinha) e Márcio de Sousa e Melo (Aeronáutica). Dois grupos de esquerda, O MR-8 e a ALN sequestram o embaixador dos EUA Charles Elbrick. Os guerrilheiros exigem a libertação de 15 presos políticos, exigência conseguida com sucesso. Porém, em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretava o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária, ou subversiva". No final de 1969, o líder da ALN, Carlos Mariguella, foi morto pelas forças de repressão em São Paulo.
GOVERNO MEDICI (1969-1974) Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente: o general Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo ". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. O DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna ) atua como centro de investigação e repressão do governo militar. Ganha força no campo a guerrilha rural, principalmente no Araguaia. A guerrilha do Araguaia é fortemente reprimida pelas forças militares. O Milagre Econômico Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.


GOVERNO GEISEL (1974-1979) Em 1974 assume a presidência o general Ernesto Geisel que começa um lento processo de transição rumo à democracia. Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em altas taxas. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira, no momento em que os créditos e empréstimos internacionais diminuem. Geisel anuncia a abertura política lenta, gradual e segura. A oposição política começa a ganhar espaço. Nas eleições de 1974, o MDB conquista 59% dos votos para o Senado, 48% da Câmara dos Deputados e ganha a prefeitura da maioria das grandes cidades. Os militares de linha dura, não contentes com os caminhos do governo Geisel, começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1975, o jornalista Vladimir Herzog á assassinado nas dependências do DOI-Codi em São Paulo. Em janeiro de 1976, o operário Manuel Fiel Filho aparece morto em situação semelhante. Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.

GOVERNO FIGUEIREDO (1979-1985) A vitória do MDB nas eleições em 1978 começa a acelerar o processo de redemocratização. O general João Baptista Figueiredo decreta a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados por crimes políticos. Os militares de linha dura continuam com a repressão clandestina. Cartas-bomba são colocadas em órgãos da imprensa e da OAB (Ordem dos advogados do Brasil). No dia 30 de Abril de 1981, uma bomba explode durante um show no centro de convenções do Rio Centro. O atentado fora provavelmente promovido por militares de linha dura, embora até hoje nada tenha sido provado. Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país. Os partidos voltam a funcionar dentro da normalidade. A ARENA muda o nome e passa a ser PDS, enquanto o MDB passa a ser PMDB. Outros partidos são criados, como: Partido dos Trabalhadores ( PT ) e o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).

A Redemocratização e a Campanha pelas Diretas Já 

Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos. Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.








48 - História para Vestibular e ENEM - A Ditadura Militar (1969-1984) from Paulo Alexandre on Vimeo.
Material de apoio.

ATIVIDADE:
1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
3- O que foi os anos de chumbo ?
4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?

5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
6- Escreva sobre o AI-5:

7- Pela ordem , coloque  o nome dos presidentes, datas  a principal característica do seu governo.
8- O que foi a lei da Anistia ?
9- Como ficam os partidos a partir da lei criada em 1979 ?

95 comentários:

Anônimo disse...

Hemily Cunha Nº15 2ºB

1- Quais foram as principais causas para a deflagração do Golpe Militar no Brasil?
As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira.
o golpe de 64, apesar de se auto-proclamar revolucionário – e parte da historiografia brasileira o tem como tal! – possui na sua consumação um teor altamente conservador. Dada a dinâmica dos processos políticos ocorridos naquele momento, o golpe expressa efetivamente a reação de uma elite historicamente identificada como conservadora no que diz respeito a qualquer proposta de mudança na ordem social vigente. Desde a formação da América portuguesa até a consolidação do estado brasileiro, nossa estrutura societária possui uma configuração que, ao se complexificar com a modernidade, paradoxalmente, se mantém arcaica em relação à sua estratificação. O golpe de 64 simboliza o caráter político conservador da sociedade brasileira, que tem nas elites seu demiurgo ideológico. A resistência destas elites, no passado e no presente, à realização das reformas sociais de base, expressa de forma veemente este caráter.
http://www.cfh.ufsc.br/
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
Podemos definir a Ditadura Militar como sendo o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil. Esta época vai de 1964 a 1985. Caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.


3- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais conseqüências para a população brasileira?
O Milagre Econômico Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

4- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ ?

Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil.
Explique como funcionava os Atos Institucionais?

Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os anos após o Golpe militar de 1964 no Brasil. Serviram como mecanismos de legitimação e legalização das ações políticas dos militares, estabelecendo para eles próprios diversos poderes extra-constitucionais. Na verdade os Atos Institucionais eram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a Constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir.

Anônimo disse...

Hemily Cunha Nº15 2ºB

1- Quais foram as principais causas para a deflagração do Golpe Militar no Brasil?
As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira.
o golpe de 64, apesar de se auto-proclamar revolucionário – e parte da historiografia brasileira o tem como tal! – possui na sua consumação um teor altamente conservador. Dada a dinâmica dos processos políticos ocorridos naquele momento, o golpe expressa efetivamente a reação de uma elite historicamente identificada como conservadora no que diz respeito a qualquer proposta de mudança na ordem social vigente. Desde a formação da América portuguesa até a consolidação do estado brasileiro, nossa estrutura societária possui uma configuração que, ao se complexificar com a modernidade, paradoxalmente, se mantém arcaica em relação à sua estratificação. O golpe de 64 simboliza o caráter político conservador da sociedade brasileira, que tem nas elites seu demiurgo ideológico. A resistência destas elites, no passado e no presente, à realização das reformas sociais de base, expressa de forma veemente este caráter.
http://www.cfh.ufsc.br/
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
Podemos definir a Ditadura Militar como sendo o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil. Esta época vai de 1964 a 1985. Caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.


3- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais conseqüências para a população brasileira?
O Milagre Econômico Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

4- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ ?

Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil.
Explique como funcionava os Atos Institucionais?

Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os anos após o Golpe militar de 1964 no Brasil. Serviram como mecanismos de legitimação e legalização das ações políticas dos militares, estabelecendo para eles próprios diversos poderes extra-constitucionais. Na verdade os Atos Institucionais eram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a Constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir.

Anônimo disse...

Nosso país passou por distintos processos políticos durante sua história, entre 1964 e 1985 nosso país foi governado por militares, onde os direitos dos cidadãos foram deixados de lado, uma época de censura a muitas manifestações artísticas, inúmeras pessoas que eram contra a forma arbitrária e autoritária dos militares que governavam o Brasil eram perseguidas muitos eram até mortos.
Quando Janio deixou seu posto, o país já estava vivendo uma crise política muito grande e foi nesse clima tenso que seu vice João Goulart assumiu a presidência.
Com João no poder, foram abertos oportunidades aos jovens, aos trabalhadores e a qualquer tipo de organização social. Porém essas oportunidades não foram bem vistas por uma parte da sociedade como: os empresários, os banqueiros, os membros da Igreja Católica, os militares... Essas pessoas temiam a volta do Brasil comunista, pois nesse mesmo tempo a Guerra Fria estava no ápice de seu desenvolvimento.
Após muitas manifestações, acusações, Jango deixa o país vai para o Uruguai e finalmente os militares tomam o poder.
Com os militares no poder eles criaram e alteram muitas leis para se beneficiarem e se manterem no centro do poder brasileiro.

Eduardo Nicolau 3B N09

Anônimo disse...

Conceição.. as questões foram todas respondidas no texto:

A crise política se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961. O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como a dos empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma virada do Brasil para o lado socialista. Neste período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.
Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária. O governo militar impõe uma nova Constituição para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.
Em 1967, o general Arthur da Costa e Silva assume, foi eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Em seu governo houve muitos protestos e manifestações. Costa e Silva fica doente e é substituído por alguns ministros. O governo de Emílio Garrastazu Medici é considerado extremamente duro e o mais repressivo do período. Em 1974 assume o general Ernesto Geisel, então começa um lento processo de transição rumo à democracia. Seu governo coincide com o termino do milagre econômico e com o descontentamento popular por causa das altas taxas.
Assumindo a Presidência em 1979, João Baptista Figueiredo teve a tarefa de cobrir a transição do regime militar para a democracia. Depois foi aprovada a Lei da Anistia, que começou na segunda metade da década de 70 reunindo entidades do movimento estudantil e sindical e algumas organizações populares.
Reconhecida como uma das maiores manifestações populares já ocorridas no país, as “Diretas Já!” foram marcadas por enormes comícios onde figuras perseguidas pela ditadura militar, membros da classe artística, intelectuais e representantes de outros movimentos militavam pela aprovação do projeto de lei.


Caio (n°8) (3°A)

Lucas Laurindo 16 3B disse...

Acredito que a ditadura militar trouxe momentos obscuros para a historia do brasil claro.mas a outra parte é que naquele momento a policia tinha respeito e os governanates tambem.o trafico de drogas era reduzido a ponto de todos os drogados fumarem escondidos .hoje todo mundo que fuma nao se importa com a presença de policiais por perto.3 grandes acontecimentos que marcaram a ditadura foram a explosao da bomba no centro de convençoes rio centro em abril de 1981.as diretas já foram um outro movimento revolucionario contra as eleiçoes feitas por militares e abrindo para o povo ,fazendo assim eleiçoes diretas.outro fato importante foi a lei da anistia que permitia ao exilados politicos retornarem ao brasil depois da ditadura.Os Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os anos após o Golpe militar de 1964 no Brasil. Serviram como mecanismos de legitimação e legalização das ações políticas dos militares, estabelecendo para eles próprios diversos poderes extra-constitucionais.o milagre economico ocorreu de 69 a 73 e O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. LUCAS 16 3B

Anônimo disse...

O período militar aborda as características gerais de todos os governantes desse período. Ao mesmo tempo, fala sobre as práticas repressivas e os movimentos de esquerda desta época.O golpe de 64, apesar de se auto-proclamar revolucionário expressa efetivamente a reação de uma elite identificada como conservadora no que diz respeito a qualquer proposta de mudança na ordem social vigente,e nas elites seu carater ideológico. A resistência destas elites, no passado e no presente, à realização das reformas sociais de base, expressa de forma veemente este caráter.A História da Ditadura Militar no Brasil, o golpe de 64, o bipartidarismo, os movimentos sociais, o milagre econômico, a repressão do regime militar, a falta de democracia, o movimento de luta armada, os governos militares, crise do regime militar, a abertura política, lei da anistia, campanha das diretas já, vai ate fim da ditadura.
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos.
Em 1984, políticos de oposição, artistas e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.

No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal.
Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.



Ana Carolina 3ª A n 04

Abraão Werner 3o B - no1 disse...

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil? As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira segue abaixo as vertentes do mesmo:
- Quando Dom Pedro II era quem governava o país, os militares demonstraram sua insatisfação com as condições vividas pelas Forças Armadas Brasileiras, Com o fim da Guerra do Paraguai os militares se conscientizaram que na América Latina apenas o exército brasileiro permanecia sem prestígio na sociedade e na política, Ao longo da República Velha os militares só foram se revoltar novamente na década de 1920 quando organizaram um movimento de contestação política novamente, mas os responsáveis pelo movimento eram pertencentes de um escalão intermediário da hierarquia militar, por esse motivo o acontecimento ficou conhecido como Tenentismo. De toda forma, serviu para colocar novamente os militares na cena política nacional e seria um dos fatores republicanos que engrossaria mais tarde a capacidade política dos militares de promoverem um golpe. O governo de Juscelino Kubitschek seria atacado por tentativas de golpe em 1955, mas quem sofreria o impacto maior mesmo seria João Goulart em 1964.
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
-Extinguem-se em 1965 os partidos políticos existentes e institui-se o bipartidarismo, com a Aliança Renovadora Nacional (Arena), de apoio ao governo, e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), de oposição.
-Em 1966 São suspensas as eleições diretas para cargos executivos. Vários deputados federais são cassados. O Congresso, ao protestar, é posto em recesso por um mês.
-Agrava-se a crise econômica. Aumentam as greves e as manifestações de protesto. O PDS substitui a Arena e o PMDB o MDB. Funda-se o PDT e o PTB isso em 1980.
3- Explique como funcionava os Atos Institucionais? Atos Institucionais foram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares, ou seja; os militares que faziam as leis como bem lhes convinham utilizando os Atos Institucionais que estavam para eles acima da constituição, criaram o Ai 5 que fechava o Congresso e dava poderes absolutos ao governo.
4- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasileira? "milagre econômico" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, ou anos de chumbo, especialmente entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a conquista da terceira Copa do Mundo de Futebol em 1970 no México, e a criação do mote de significado dúbio: "Brasil, ame-o ou deixe-o".
A industrialização ocorreu, principalmente, no eixo Rio-São Paulo e atraiu para esta região uma imigração em massa das regiões mais pobres do país, principalmente o Sertão Nordestino. Nessa época, a economia brasilira crescia 8%,9%,10% ao ano, mas isso não se refletia na vida da população.O país crescia e os pobres continuavam pobres e a concentracão de renda aumentava.O crescimento do Brasil entre 1969 e 1973 pode ser comparado ao crescimento da economia Chinesa atualmente e a questão da desigualdade também.A região costeira da China é muito rica e o interior é demasiadamente pobre .
5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ? Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

Abraão Werner 3o B - no1 disse...

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil? As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira segue abaixo as vertentes do mesmo:
- Quando Dom Pedro II era quem governava o país, os militares demonstraram sua insatisfação com as condições vividas pelas Forças Armadas Brasileiras, Com o fim da Guerra do Paraguai os militares se conscientizaram que na América Latina apenas o exército brasileiro permanecia sem prestígio na sociedade e na política, Ao longo da República Velha os militares só foram se revoltar novamente na década de 1920 quando organizaram um movimento de contestação política novamente, mas os responsáveis pelo movimento eram pertencentes de um escalão intermediário da hierarquia militar, por esse motivo o acontecimento ficou conhecido como Tenentismo. De toda forma, serviu para colocar novamente os militares na cena política nacional e seria um dos fatores republicanos que engrossaria mais tarde a capacidade política dos militares de promoverem um golpe. O governo de Juscelino Kubitschek seria atacado por tentativas de golpe em 1955, mas quem sofreria o impacto maior mesmo seria João Goulart em 1964.
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
-Extinguem-se em 1965 os partidos políticos existentes e institui-se o bipartidarismo, com a Aliança Renovadora Nacional (Arena), de apoio ao governo, e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), de oposição.
-Em 1966 São suspensas as eleições diretas para cargos executivos. Vários deputados federais são cassados. O Congresso, ao protestar, é posto em recesso por um mês.
-Agrava-se a crise econômica. Aumentam as greves e as manifestações de protesto. O PDS substitui a Arena e o PMDB o MDB. Funda-se o PDT e o PTB isso em 1980.
3- Explique como funcionava os Atos Institucionais? Atos Institucionais foram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares, ou seja; os militares que faziam as leis como bem lhes convinham utilizando os Atos Institucionais que estavam para eles acima da constituição, criaram o Ai 5 que fechava o Congresso e dava poderes absolutos ao governo.
4- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasileira? "milagre econômico" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, ou anos de chumbo, especialmente entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a conquista da terceira Copa do Mundo de Futebol em 1970 no México, e a criação do mote de significado dúbio: "Brasil, ame-o ou deixe-o".
A industrialização ocorreu, principalmente, no eixo Rio-São Paulo e atraiu para esta região uma imigração em massa das regiões mais pobres do país, principalmente o Sertão Nordestino. Nessa época, a economia brasilira crescia 8%,9%,10% ao ano, mas isso não se refletia na vida da população.O país crescia e os pobres continuavam pobres e a concentracão de renda aumentava.O crescimento do Brasil entre 1969 e 1973 pode ser comparado ao crescimento da economia Chinesa atualmente e a questão da desigualdade também.A região costeira da China é muito rica e o interior é demasiadamente pobre .
5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ? Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

fanta disse...

Abraão Werner 3o B - no1

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil? As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira segue abaixo as vertentes do mesmo:
- Quando Dom Pedro II era quem governava o país, os militares demonstraram sua insatisfação com as condições vividas pelas Forças Armadas Brasileiras, Com o fim da Guerra do Paraguai os militares se conscientizaram que na América Latina apenas o exército brasileiro permanecia sem prestígio na sociedade e na política, Ao longo da República Velha os militares só foram se revoltar novamente na década de 1920 quando organizaram um movimento de contestação política novamente, mas os responsáveis pelo movimento eram pertencentes de um escalão intermediário da hierarquia militar, por esse motivo o acontecimento ficou conhecido como Tenentismo. De toda forma, serviu para colocar novamente os militares na cena política nacional e seria um dos fatores republicanos que engrossaria mais tarde a capacidade política dos militares de promoverem um golpe. O governo de Juscelino Kubitschek seria atacado por tentativas de golpe em 1955, mas quem sofreria o impacto maior mesmo seria João Goulart em 1964.
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
-Extinguem-se em 1965 os partidos políticos existentes e institui-se o bipartidarismo, com a Aliança Renovadora Nacional (Arena), de apoio ao governo, e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), de oposição.
-Em 1966 São suspensas as eleições diretas para cargos executivos. Vários deputados federais são cassados. O Congresso, ao protestar, é posto em recesso por um mês.
-Agrava-se a crise econômica. Aumentam as greves e as manifestações de protesto. O PDS substitui a Arena e o PMDB o MDB. Funda-se o PDT e o PTB isso em 1980.
3- Explique como funcionava os Atos Institucionais? Atos Institucionais foram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares, ou seja; os militares que faziam as leis como bem lhes convinham utilizando os Atos Institucionais que estavam para eles acima da constituição, criaram o Ai 5 que fechava o Congresso e dava poderes absolutos ao governo.
4- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasileira? "milagre econômico" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, ou anos de chumbo, especialmente entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a conquista da terceira Copa do Mundo de Futebol em 1970 no México, e a criação do mote de significado dúbio: "Brasil, ame-o ou deixe-o".
A industrialização ocorreu, principalmente, no eixo Rio-São Paulo e atraiu para esta região uma imigração em massa das regiões mais pobres do país, principalmente o Sertão Nordestino. Nessa época, a economia brasilira crescia 8%,9%,10% ao ano, mas isso não se refletia na vida da população.O país crescia e os pobres continuavam pobres e a concentracão de renda aumentava.O crescimento do Brasil entre 1969 e 1973 pode ser comparado ao crescimento da economia Chinesa atualmente e a questão da desigualdade também.A região costeira da China é muito rica e o interior é demasiadamente pobre .
5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ? Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

Anônimo disse...

O Brasil passou por varios processos de políticos durante muitos anos, entre os anos de 1964 e 1985 o mesmo foi governado por miliares que alem de se autobeneficiarem com o poder em suas mãos, esqueciam todos os direitos da sociedade, gerando então um grande descontentamento com a forma autoritaria de governo dos militares, mas como estes alem de governarem tinham força e arma, procuravam pequenos grupos de manifestaçoes onde sempre terminaria em mortos. Assim que Janio fica de fora do poder o país estava em um contexto de uma crise política e então João Goulart assumiu. Com a posse do poder este tentou fazer um bom trabalho abrindo oportunidades para os jovens, trabalhadores entre outros tipos de serviço em relação a sociedade, ajudando assim aqueles que precisavam, essas oportunidades trouxeram um descontentamento aos banqueiros, empresários e todos aqueles que tinham o seu proprio negocio e principalmente os militarese nao deixando de lado a igreja catolicas.
Resumindo essas ja estao vendo muito proximo a volta do comunismo. Ao decorrer de muitas manifestações Jango deixa o país indo para o Uruguai onde os militares tomam o poder, e assim mudaram e criaram muitas leis a seu favor para se manterem no poder do Brasil. O mais resumido de todos os governos, esquecem a sociedar se beneficiam causando um grande descontentamento na maioria da populção. Odílio De Mello 3ºA nº: 23

Anônimo disse...

um período onde o brasil era governados pro militares, eles possuíam todo poder em suas as mãos e o usavam para seu beneficio sem se preocupar com o povo, entao o movimentos das diretas ja entrou com o objetivo de acabar com isso, e com varias trocas no governo com o tempo conseguimos a nossa democracia, acabando com varios problemas como a censura
nº10 3ªa

Amanda Paglia 3ªºA nº03 disse...

1:O grande estopim que colocaria os militares em cena e determinados a tomar o poder através de um golpe seria o discurso de João Goulart e Leonel Brizola feito no dia 13 de março de 1964 na Central do Brasil, Rio de Janeiro. Nesse, os dois anunciavam as reformas de base, reforma agrária, um novo plebiscito para aprovar uma nova constituição e a nacionalização das refinarias estrangeiras de petróleo. Os militares sabiam que o povo apoiaria o projeto e então não perderam tempo, aliaram-se aos políticos da UDN e ao governo norte-americano para deflagrar o golpe.
2:*A Campanha pela Anistia Ampla, Geral e Irrestrita.
*Explosão da bomba no centro de convenções rio centro em abril de 1981.
*Criação das Diretas já
3: Foram decretados alguns anos após o golpe militar, eram uma espécie de mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a Constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir. Então foi criado o Ai 5 que fechava o Congresso e dava poderes absolutos ao governo.
4:O Milagre Econômico, foi quando um crescimento acelerado da indústria gerou empregos e aumentou a renda de todos os trabalhadores. Houve, porém, ampliação da concentração de renda.Nessa época, a economia brasilira crescia 8%,9%,10% ao ano, mas isso não se refletia na vida da população.O país crescia e os pobres continuavam pobres e a concentracão de renda aumentava
5:Diretas já foi criada por fatores de descontentamento que era : uma profunda aspiração democrática, represada por anos de repressão, e a insatisfação com o regime decorrente da crise econômica deflagrada no início dos anos 80.
Teve participação popular,com inicio em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

Anônimo disse...

Maria de Lourdes Deglmann, 24 – 3º ano B – EM
Questão 1:
As principais causas para a defragação do governo militar surgiram através do contexto político da época. A renúncia de Jânio Quadros em 1961 marcou o início de um clima político adverso, pois seu vice, João Goulart representou um período de abertura às organizações sociais. A classe estudantil, as organizações populares e dos trabalhadores ganharam espaço e importância, motivo este que fez com que as classes conservadoras temessem uma virada socialista para o país. O estilo de governo de Goulart chegou até mesmo a preocupar os EUA, país envolvido neste antigo conflito (Capitalismo X Socialismo) através da Guerra Fria.
Os partidos da época acusavam-no de um governo esquerdista e, em seu comício na Central do Brasil onde defendeu as reformas de base, estas atitudes tornaram-se ainda mais “observadas”. Para se colocarem contra Goulart os conservadores realizaram a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas no centro da cidade de São Paulo.
As tensões continuaram a aumentar até que em 31 de março de 1964 tropas militares saem às ruas. Para evitar uma guerra civil Jango refugia-se no Uruguai.
O golpe militar é, portanto, resultado das tensões vividas no mundo todo. O medo de uma tomada de poder Socialista, claramente apoiada pelo povo, se arrastava há muito tempo. No caso do Brasil pode-se até mesmo relembrar a Intentona Comunista de 1935 durante o governo de Vargas. O mundo capitalista, desta maneira, continuava a temer o gigante vermelho em que os movimentos socialistas poderiam se tornar.
Questão 2:
Entre grandes feitos ocorridos durante o governo militar pode-se citar:
A Constituição de 1967 que confirmava e institucionalizava o regime militar e suas formas de atuação
O Ato Constitucional Número 5, de 13 de dezembro de 1968 – ação mais dura do governo militar. Aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com a garantia do habeas corpus, intensificou a repressão militar e policial.
Milagre Econômico (1969 – 1973): período de imenso crescimento econômico. O PIB brasileiro crescia mais de 12% ao ano.
Questão 3:
Os Atos Constitucionais eram normas impostas pelo governo militar, funcionavam como decretos de lei, que visavam aumentar a soberania e influência dos militares através da repressão aos grupos sociais da oposição.


Questão 04:
Milagre Econômico (1969 – 1973): período de imenso crescimento econômico. O PIB brasileiro crescia mais de 12% ao ano. O país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura, gerando milhões de empregos. As obras faraônicas do governo militar datam desta época, entre elas a Transamazônica e a ponte Rio – Niterói. Os empréstimos feitos neste período geraram uma dívida externa imensa para o país, a qual mais tarde recairia sobre o povo suas conseqüências.
Questão 5:
A campanha de Diretas Já foi realizada em meio a uma insatisfação popular generalizada devido a opressão do governo militar, a alta inflação e recessão econômica. Foi no ano de 1984 que políticos da oposição, artistas, jogadores de futebol e o povo participaram de um movimento favorável a aprovação da emenda Dante de Oliveira, que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. A emenda não foi aprovada. Na disputa de 1985 Tancredo Neves vence, porém fica doente e falece. Quem assume em seu lugar é José Sarney. Acaba então o período militar. A constituição de 1988 garante o fim de qualquer rastro deixado pelos governos dos militares.
Em suma, o movimento das Diretas Já teve por objetivo a “aquisição” do direito de voto para as eleições de 1984, o que só seria possível com a aprovação da emenda Dante de Oliveira.

Anônimo disse...

A ditadura Militar foi um marco na política brasileira (não necessariamente um marco positivo).
O que levou a este período foi basicamente o golpe me 1964 contra o governo de João Goulart.
A partir daí os militares assumem o poder, e com isso o Brasil fica restrito a um governo autoritário e extremamente repreensor.
Dentro do governo militar existiu o chamado "Milagre Econoõmico", que foi o crescimento sem distribuição de renda e o aumento da dívida externa. E também o movimento das diretas já que era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Mas como a força militarista era grande, o projeto não foi aprovado.
Depois de muito batalhar, a Constituição de 88 dá fim a mais uma era do nosso país.


Isabella, n°15 3°A

roberta disse...

Em plena Guerra Fria, diante da ameaça de uma retomada ao comunismo, os militares brasileiros, apoiados pelos EUA, tomam o poder depondo Jango e suas propostas de reformas.

Os anos iniciais da ditadura militar foram marcados por intensa repressão aos que se colocassem contrários aos governantes ou "ameaçassem a soberania nacional". Diante deste contexto, os atos institucionais serviram para legitimar as obscuras ações dos militares.

Criou-se intensa propaganda, sobretudo pela expansão econômica e pela conquista da Copa de 1970. A veiculação de jornais e outras manifestações era controlada. O governo monopolizou a mídia nas mãos da Rede Globo e músicas como "País Tropical" e "Eu Te Amo, Meu Brasil" foram utilizadas para fortalecer a campanha, sob o slogan: "Brasil, Ame-o ou Deixe-o!".

Subsídios difundiram os meios de comunicação às casas dos brasileiros como forma de "acalmar os ânimos" da população desconfiada. A campanha oficial chamou de "Milagre Econômico" o período de desenvolvimento marcado pelo aumento das taxas anuais, gerado pela intensificação da produção industrial em parceria com empresas estrangeiras. Muitos se beneficiaram.

Todavia, com a valorização do petróleo o "milagre" teve fim, já que baseava-se numa situação favorável. A inflação subiu e a dívida externa elevou-se a níveis estratosféricos. Com a crise econômica instalada, a população insatisfeita pelo agravamento da concentração de renda começou a manifestar-se sob a influência de intelectuais e artistas da época.

Surge um dos movimentos de maior repercussão da história, com cidadãos de diversas classes gritando pelas ruas um mesmo ideal: Diretas Já! Apesar de não conseguirem a aprovação da emenda Dante de Oliveira no Congresso, o regime militar teve fim e o país começou a se redemocratizar após a eleição indireta - sem o voto popular - de Tancredo Neves à presidência.

Roberta Haide Adriano (27) 3°B EM

Jess disse...

questão um - o contexto social influenciou muito pois essa época caracterizou-se pela falta de democracia, censura,
perseguição política e repressão àqueles que eram opostos ao regime militar. os partidos da época (UDN, PSD) acusavam ele de estar planejando um golpe esquerdista
dia 19 de março, os conservadores organizaram um protesto que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo
contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade. No dia 31 de março de 1964 tropas militares saem as ruas e finalmente tomam poder
tentando evitar uma guerra civil.

questao dois-
Constituição brasileira de 1967
Luta armada de esquerda no Brasil
Operação Brother Sam
Operação Popeye
Milagre econômico
Pressão social
Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais
Frente Ampla
Pacote de Abril
Diretas Já

questão três- milagre econômico brasileiro foi o nome dado para o crescimento econômico que aconteceu em 1669~1973 no Brasil, durante a ditadura militar que
aconteceu graças ao Plano de Metas - o programa "cinquenta anos em cinco" - que era baseado na política de uma forte inflação de demanda. evidenciando o ufanismo
as consequências são, o aumento da concentração de renda e da pobreza.


questão quatro- diretas já, foram manifestações (uma das maiores manifestações populares já ocorridas no país) que se transformaram em um movimento pois
cerca de 300.000 pessoas se reuniram na Praça da Sé, em São Paulo. três meses depois, um milhão de cidadãos tomou o Rio de Janeiro e algumas semanas depois, cerca de 1,7 milhões de pessoas se mobilizaram em São Paulo.
mas mesmo realizando uma enorme pressão para que as eleições diretas fossem oficializadas, os deputados federais da época não se sensibilizaram
mediante os enormes apelos. com isso, por uma diferença de apenas 22 votos e um vertiginoso número de abstenções, o Brasil manteve o sistema
indireto para as eleições de 1985. para dar a tal disputa política uma aparência democrática, o governo permitiu que civis concorressem ao pleito.

Ana Paula nº 05 3º A disse...

Questão 1: Com a renúncia de Jânio Quadros, o Brasil passou a vivenciar uma enorme crise política: falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão àqueles que eram opostos ao regime militar. Com João Goulart na presidência, organizações sociais se abriram em meio a sociedade, como estudantes e trabalhores, o que preocupava a classe conservadora, como os militares e a igreja católica. Num grande comício na Central do Brasil (RJ), Goulart defendeu seu ponto de vista, e alguns dias depois, aqueles que se opunham, organizaram também uma forma de contestar, contra as intenções de João Goulart: a Marcha da Família com Deus pela Liberdade (SP). Foi quando os militares assumiram o poder e impuseram artigos que lhes davam a capacidade de alterar a constituição e etc. Ou seja, um série de fatos acabaram culminando no golpe militar no Brasil, começando com a renúncia de Jânio.
Questão 2: Queda do presidente João Goulart. O governo militar torna obrigatório o ensino do idioma inglês em todas as escolas públicas e privadas do Brasil, como resultado de negociações entre o Governo Federal e o governo dos Estados Unidos chamado na época de Acordo MEC-Usaid. União dos Lavradores e Trabalhadores Agrícolas do Brasil.
Questão 3: Os atos inconstituicionais foram um mecanismo de para manter podere extra-constitucional aos militares da época, são decretos mandados a cumprir.
Questão 4: O milagre econômico foi um período de grande crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar no Brasil. Porém, grandes empréstimos foram feitos e, o povo e o país ficou com uma enorme dívida.
Questão 5: Foi um dos movimentos de maior participação popular do Brasil, ocorrido na presidência de Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República.

Anônimo disse...

1-O governo de João Goulart estava dando espaço para organizações sociais, trazendo insatisfação para as classes conservadoras, pois tinham receio de que o governo brasileiro aderisse o socialismo.
No ano de 1964, acontecia um comício na Central do Brasil, onde João Goulart expõe mudanças que seriam feitas por ele, como, reforma agrária e investimento na educação. Fato que leva a realização do Golpe Militar.
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
De 1964 a 185 é o período da Ditadura Militar, época onde o governo fica em mãos militares, onde não há democracia,porém há, censura perseguição política e repressão.
Dentre tantos acontecimentos, pode-se destacar o governo de Castello Branco (1964-1967), general militar, eleito pelo Congresso Nacional. Com promessas de um governo democrático, seu mandato toma uma posição autoritária, realizando eleições indiretas, além de proibir a existência de outros partidos políticos. Sendo instituído o bipartidarismo.
Outro governo a ser destacado é da Junta Militar (31/8/1969-30/10/1969) quando Costa e Silva é substituído por uma junta, sendo nesse período decretada uma lei (Lei de Segurança Nacional), onde decretava o exílio e a pena de morte em casos de oposição ou governo militar.
Porém, o sucessor da Junta Militar, o general Emílio Garrastazu Medici tem seu governo como mais cruel e repressivo conhecido como “anos de chumbo”. Foi nessa época que se da à censura, tendo livros, músicas e jornais “barrados” em suas divulgações.
Canções como, "Pra Não Dizer que Não Falei das Flores" – Geraldo Vandré, "Cálice" – Chico Buarque e Gilberto Gil, "É Proibido Proibir" – Caetano Veloso e "Sociedade Alternativa" - Raul Seixas, somente vão às rádios após esse período de ditadura.
3- Os Atos Institucionais eram como um meio de legitimação e legalização das ações políticas dos militares. Sendo uma forma de manter a posse do governo em mãos militares.
4- O "Milagre Econômico" vai de 1969 a 1973, período onde há o crescimento de 12% do PIB e um avanço na infra-estrutura brasileira. Porém, tais investimentos seriam bons somente de imediato, pois como foi comprovado futuramente trouxe uma grande dívida externa para o Brasil.
5- A campanha das Diretas Já foi um movimento adaptado por muitos cidadãos brasileiros, que defendia à aprovação da Emenda Dante de Oliveira, para garantia de eleições diretas para presidente. Entretanto, não houve aprovação da Câmara dos Deputados. E para dar a disputa política uma aparência democrática, o governo aceita o participação de candidatos civis ao cargo da presidente, o que de fato leva Tancredo Neves ao poder, que nas vésperas de sua posse, falece levando ao seu lugar o vice José Sarney,dando termino a Ditadura Militar.
N°05 3°B - EM

Anônimo disse...

1-O governo de João Goulart estava dando espaço para organizações sociais, trazendo insatisfação para as classes conservadoras, pois tinham receio de que o governo brasileiro aderisse o socialismo.
No ano de 1964, acontecia um comício na Central do Brasil, onde João Goulart expõe mudanças que seriam feitas por ele, como, reforma agrária e investimento na educação. Fato que leva a realização do Golpe Militar.
2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
De 1964 a 185 é o período da Ditadura Militar, época onde o governo fica em mãos militares, onde não há democracia,porém há, censura perseguição política e repressão.
Dentre tantos acontecimentos, pode-se destacar o governo de Castello Branco (1964-1967), general militar, eleito pelo Congresso Nacional. Com promessas de um governo democrático, seu mandato toma uma posição autoritária, realizando eleições indiretas, além de proibir a existência de outros partidos políticos. Sendo instituído o bipartidarismo.
Outro governo a ser destacado é da Junta Militar (31/8/1969-30/10/1969) quando Costa e Silva é substituído por uma junta, sendo nesse período decretada uma lei (Lei de Segurança Nacional), onde decretava o exílio e a pena de morte em casos de oposição ou governo militar.
Porém, o sucessor da Junta Militar, o general Emílio Garrastazu Medici tem seu governo como mais cruel e repressivo conhecido como “anos de chumbo”. Foi nessa época que se da à censura, tendo livros, músicas e jornais “barrados” em suas divulgações.
Canções como, "Pra Não Dizer que Não Falei das Flores" – Geraldo Vandré, "Cálice" – Chico Buarque e Gilberto Gil, "É Proibido Proibir" – Caetano Veloso e "Sociedade Alternativa" - Raul Seixas, somente vão às rádios após esse período de ditadura.
3- Os Atos Institucionais eram como um meio de legitimação e legalização das ações políticas dos militares. Sendo uma forma de manter a posse do governo em mãos militares.
4- O "Milagre Econômico" vai de 1969 a 1973, período onde há o crescimento de 12% do PIB e um avanço na infra-estrutura brasileira. Porém, tais investimentos seriam bons somente de imediato, pois como foi comprovado futuramente trouxe uma grande dívida externa para o Brasil.
5- A campanha das Diretas Já foi um movimento adaptado por muitos cidadãos brasileiros, que defendia à aprovação da Emenda Dante de Oliveira, para garantia de eleições diretas para presidente. Entretanto, não houve aprovação da Câmara dos Deputados. E para dar a disputa política uma aparência democrática, o governo aceita o participação de candidatos civis ao cargo da presidente, o que de fato leva Tancredo Neves ao poder, que nas vésperas de sua posse, falece levando ao seu lugar o vice José Sarney,dando termino a Ditadura Militar.
N°05 3°B - EM

Anônimo disse...

Diego Machado nº8 3ºB

É parcialmente correto afirmar que a maior causa desses movimentos revolucionários ou no caso golpes, é a disputa de poderes sociais e econômicos. É o que acontece quando os estudantes e manifestantes populares ganham seu espaço e a alta classe tenta reprender. Além disso, o "poderoso" EUA se preocupa pois desconfia de um possivel golpe comunista, pois o contexto era de conflito, a guerra fria.
Jango faz um discurso, prometendo mudanças radicais em várias áreas como da agrária, econômica e educacional, mas os conservadores protestão, alarmando uma possivel guerra civil, tropas de MG e SP saem as ruas e Jango se refugia no Urugui. E dia 31 de março inicia se o golpe.
O Brasil é governado por: CASTELLO BRANCO (1964-1967), COSTA E SILVA (1967-1969), DA JUNTA MILITAR (31/8/1969-30/10/1969), MEDICI (1969-1974), GEISEL (1974-1979), FIGUEIREDO (1979-1985). No primeiro dia do golpe militar (1964), havia tanques nas ruas. Ou seja podemos definir que militares governavam o Brasil e esse contexto caraterizou se pela falta de democracia ( quem tinha esse direito era o Exército brasileiro) , supressão dos direitos constitucionais, censura ( Exemplo: musica), perseguição política e repressão aos que eram contra o regime. A sociedade era totalmente contra o golpe, com isso as manifestações e protestos ganham as ruas em quase todas as principais cidades do Brasil, nesses protestos se incluem os estudantes, operários e outros. Em 29 de Março de 1968, houve um protesto de 50 mil pessoas no centro do Rio. Até que a pena de morte e a prisão perpetua são institucionalizadas em função desses acontecimentos que geralmente acabavam em conflitos diretos.
Os Atos Institucionais eram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a Constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir.
Até que acontece as Diretas Já onde milhares de brasileiros se reuniram para protestar a "democracia" e reestabelecer a verdadeira democracia. Mas primeiramente não consegue.Ainda assim, os adeptos do movimento conquistaram uma vitória parcial em janeiro do ano seguinte quando seu principal líder, Tancredo Neves, foi eleito presidente pelo Colégio Eleitoral.

Anônimo disse...

Tiago Gonçalves - 30 - 3ºB

1-
O Brasil vivia um período de instabilidade política e social, que foi agravado com a renúncia do presidente Jânio Quadros em 1961 e posse de seu vice João Goulart. O atual presidente do país tem um governo marcado pela abertura às organizações de cunho social, como a de estudantes e de trabalhadores, o que certamente gerou um descontentamento dos conservadores, ou seja, empresários, banqueiros e principalmente dos militares, já que esses, tendo como base o contexto da Guerra Fria, temiam que o Brasil se voltasse para o lado socialista, através de um golpe. Os partidos de oposição UDN e PSD estavam acusando João Goulart de estar planejando tal golpe, além de o condenarem pelo desabastecimento e consequente carestia nacional. Em março de 1964, Jango realizou um comício prometendo mudanças radicais em vários aspectos do país e recebeu como resposta uma marcha organizada pelos conservadores, no centro de São Paulo, portando a cada dia a situação piorava, até que no dia 31 de março do mesmo ano tropas mineiras e paulistas saem às ruas e visando evitar uma guerra civil, João Goulart deixa o país. Após todo o ocorrido os militares tomam o poder, decretam o ato institucional número 1, impõem suas regras e a partir desse momento tinha início o regime militar brasileiro.

2-
No ano de 1967 uma nova constituição é aprovada, sendo que essa confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação no país.
No dia de 13 de dezembro de 1968, devido a crescente oposição ao regime militar existente no país, principalmente por greves de operários ou de estudantes, é decretado o ato institucional número 5, que por sinal foi o mais duro de todo o regime militar, já que cassou mandatos, aposentou juízes, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumento consideravelmente a repressão militar e policial.
Durante o governo de Médici houve um período que ficou conhecido como, época do milagre econômico, aonde o PIB brasileiro chegava a crescer 12% ao ano, o que junto a investimentos internos e empréstimos do exterior fez com que o país construísse uma base de infra-estrutura, apesar de toda repressão vivida naquele tempo.

3-
Os atos institucionais funcionavam como as leis, os militares, obviamente para se manterem no poder e ter o direito de tomarem certas atitudes, decretavam os atos institucionais, que inclusive eram extremamente radicais.

4-
Durante o governo de Médici (1969-1974), apesar de muito repressivo, sendo conhecido inclusive como “anos de chumbo”, aconteceu o que foi chamado de milagre econômico, já que o PIB brasileiro crescia 12% ao ano, juntamente com a inflação de 18%. Com todo esse desenvolvimento econômico o Brasil pode fazer uma base de infra-estrutura contando com a ajuda de empréstimos no exterior, os empregos cresceram consideravelmente e obras muito importantes foram realizadas como foi o caso da, Rodovia Transamazônica e da Ponte Rio – Niterói, porém, tudo isso deveria ser pago, principalmente os empréstimos, o que fez com que o Brasil ficasse com uma enorme dívida externa, que era muito elevada para os padrões daquela época.

5-
O principal objetivo das Diretas Já era conseguir o direito do voto do povo, para as eleições de 1984, para isso vários políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e o povo em geral participaram desse movimento, porém, o mesmo não foi aprovado pela Câmara dos Deputados e em 1985 o Colégio Eleitoral escolhe Tancredo neves como presidente, que acaba adoecendo e vindo a óbito, nesse momento seu vice José Sarney assume e no ano de 1988 decreta a nova constituição brasileira, que apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu os princípios democráticos.

Tiago Gonçalves - 30 - 3ºB

Anônimo disse...

Tiago Gonçalves - 30 - 3ºB

1-
O Brasil vivia um período de instabilidade política e social, que foi agravado com a renúncia do presidente Jânio Quadros em 1961 e posse de seu vice João Goulart. O atual presidente do país tem um governo marcado pela abertura às organizações de cunho social, como a de estudantes e de trabalhadores, o que certamente gerou um descontentamento dos conservadores, ou seja, empresários, banqueiros e principalmente dos militares, já que esses, tendo como base o contexto da Guerra Fria, temiam que o Brasil se voltasse para o lado socialista, através de um golpe. Os partidos de oposição UDN e PSD estavam acusando João Goulart de estar planejando tal golpe, além de o condenarem pelo desabastecimento e consequente carestia nacional. Em março de 1964, Jango realizou um comício prometendo mudanças radicais em vários aspectos do país e recebeu como resposta uma marcha organizada pelos conservadores, no centro de São Paulo, portando a cada dia a situação piorava, até que no dia 31 de março do mesmo ano tropas mineiras e paulistas saem às ruas e visando evitar uma guerra civil, João Goulart deixa o país. Após todo o ocorrido os militares tomam o poder, decretam o ato institucional número 1, impõem suas regras e a partir desse momento tinha início o regime militar brasileiro.

2-
No ano de 1967 uma nova constituição é aprovada, sendo que essa confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação no país.
No dia de 13 de dezembro de 1968, devido a crescente oposição ao regime militar existente no país, principalmente por greves de operários ou de estudantes, é decretado o ato institucional número 5, que por sinal foi o mais duro de todo o regime militar, já que cassou mandatos, aposentou juízes, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumento consideravelmente a repressão militar e policial.
Durante o governo de Médici houve um período que ficou conhecido como, época do milagre econômico, aonde o PIB brasileiro chegava a crescer 12% ao ano, o que junto a investimentos internos e empréstimos do exterior fez com que o país construísse uma base de infra-estrutura, apesar de toda repressão vivida naquele tempo.

3-
Os atos institucionais funcionavam como as leis, os militares, obviamente para se manterem no poder e ter o direito de tomarem certas atitudes, decretavam os atos institucionais, que inclusive eram extremamente radicais.

4-
Durante o governo de Médici (1969-1974), apesar de muito repressivo, sendo conhecido inclusive como “anos de chumbo”, aconteceu o que foi chamado de milagre econômico, já que o PIB brasileiro crescia 12% ao ano, juntamente com a inflação de 18%. Com todo esse desenvolvimento econômico o Brasil pode fazer uma base de infra-estrutura contando com a ajuda de empréstimos no exterior, os empregos cresceram consideravelmente e obras muito importantes foram realizadas como foi o caso da, Rodovia Transamazônica e da Ponte Rio – Niterói, porém, tudo isso deveria ser pago, principalmente os empréstimos, o que fez com que o Brasil ficasse com uma enorme dívida externa, que era muito elevada para os padrões daquela época.

5-
O principal objetivo das Diretas Já era conseguir o direito do voto do povo, para as eleições de 1984, para isso vários políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e o povo em geral participaram desse movimento, porém, o mesmo não foi aprovado pela Câmara dos Deputados e em 1985 o Colégio Eleitoral escolhe Tancredo neves como presidente, que acaba adoecendo e vindo a óbito, nesse momento seu vice José Sarney assume e no ano de 1988 decreta a nova constituição brasileira, que apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu os princípios democráticos.

Tiago Gonçalves - 30 - 3ºB

Anônimo disse...

1-
O Brasil vivia um período de instabilidade política e social, que foi agravado com a renúncia do presidente Jânio Quadros em 1961 e posse de seu vice João Goulart. O atual presidente do país tem um governo marcado pela abertura às organizações de cunho social, como a de estudantes e de trabalhadores, o que certamente gerou um descontentamento dos conservadores, ou seja, empresários, banqueiros e principalmente dos militares, já que esses, tendo como base o contexto da Guerra Fria, temiam que o Brasil se voltasse para o lado socialista, através de um golpe. Os partidos de oposição UDN e PSD estavam acusando João Goulart de estar planejando tal golpe, além de o condenarem pelo desabastecimento e consequente carestia nacional. Em março de 1964, Jango realizou um comício prometendo mudanças radicais em vários aspectos do país e recebeu como resposta uma marcha organizada pelos conservadores, no centro de São Paulo, portando a cada dia a situação piorava, até que no dia 31 de março do mesmo ano tropas mineiras e paulistas saem às ruas e visando evitar uma guerra civil, João Goulart deixa o país. Após todo o ocorrido os militares tomam o poder, decretam o ato institucional número 1, impõem suas regras e a partir desse momento tinha início o regime militar brasileiro.
2-
No ano de 1967 uma nova constituição é aprovada, sendo que essa confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação no país.
No dia de 13 de dezembro de 1968, devido a crescente oposição ao regime militar existente no país, principalmente por greves de operários ou de estudantes, é decretado o ato institucional número 5, que por sinal foi o mais duro de todo o regime militar, já que cassou mandatos, aposentou juízes, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumento consideravelmente a repressão militar e policial.
Durante o governo de Médici houve um período que ficou conhecido como, época do milagre econômico, aonde o PIB brasileiro chegava a crescer 12% ao ano, o que junto a investimentos internos e empréstimos do exterior fez com que o país construísse uma base de infra-estrutura, apesar de toda repressão vivida naquele tempo.
3-
Os atos institucionais funcionavam como as leis, os militares, obviamente para se manterem no poder e ter o direito de tomarem certas atitudes, decretavam os atos institucionais, que inclusive eram extremamente radicais.
4-
Durante o governo de Médici (1969-1974), apesar de muito repressivo, sendo conhecido inclusive como “anos de chumbo”, aconteceu o que foi chamado de milagre econômico, já que o PIB brasileiro crescia 12% ao ano, juntamente com a inflação de 18%. Com todo esse desenvolvimento econômico o Brasil pode fazer uma base de infra-estrutura contando com a ajuda de empréstimos no exterior, os empregos cresceram consideravelmente e obras muito importantes foram realizadas como foi o caso da, Rodovia Transamazônica e da Ponte Rio – Niterói, porém, tudo isso deveria ser pago, principalmente os empréstimos, o que fez com que o Brasil ficasse com uma enorme dívida externa, que era muito elevada para os padrões daquela época.
5-
O principal objetivo das Diretas Já era conseguir o direito do voto do povo, para as eleições de 1984, para isso vários políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e o povo em geral participaram desse movimento, porém, o mesmo não foi aprovado pela Câmara dos Deputados e em 1985 o Colégio Eleitoral escolhe Tancredo neves como presidente, que acaba adoecendo e vindo a óbito, nesse momento seu vice José Sarney assume e no ano de 1988 decreta a nova constituição brasileira, que apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu os princípios democráticos.

Tiago Gonçalves - 30 - 3ºB

Anônimo disse...

1- As causas são percebidas devido ao grande numero de acontecimentos que geraram uma insatisfação na sociedade, mas o que mais motivou a deflagração do golpe militar de 64 foi quando os militares determinados a tomar o poder souberam de um discurso onde Goulart e Brizola iriam discutir sobre as reformas de base, a reforma agrária e um novo plebiscito para aprovar negociações. Ao saber de tudo isso, os militares rapidamente se uniram aos políticos da UDN e ao governo norte americano para acabar com essa “pouca vergonha”.
2- A Constituição de 1967 que confirmava e institucionalizava o regime militar e suas formas de atuação.
O Ato Constitucional Número 5, de 13 de dezembro de 1968 – ação mais dura do governo militar.
Luta armada de esquerda no Brasil.
Pressão social.
Diretas Já.
3- Funcionava de uma certa forma no qual normas eram impostas pelo governo militar, onde nada poderia ser contestado, afinal eram leis sendo impostas pela repressão da sociedade.
4- Nessa época o produto interno bruto brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Vários investimentos foram feitos no Brasil, usando dinheiro de empréstimos com o exterior, esse investimento seria pago a longo prazo, mas foi tanto dinheiro, que gerou uma divida externa muito grande para a economia brasileira.
5- Foi um dos movimentos de maior participação popular do Brasil, ocorrido na presidência de Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República.

Luis Henrique nº18 3ºB

Jess disse...

questão um - o contexto social influenciou muito pois essa época caracterizou-se pela falta de democracia, censura,
perseguição política e repressão àqueles que eram opostos ao regime militar. os partidos da época (UDN, PSD) acusavam ele de estar planejando um golpe esquerdista
dia 19 de março, os conservadores organizaram um protesto que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo
contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade. No dia 31 de março de 1964 tropas militares saem as ruas e finalmente tomam poder
tentando evitar uma guerra civil.

questao dois-
Constituição brasileira de 1967
Luta armada de esquerda no Brasil
Operação Brother Sam
Operação Popeye
Milagre econômico
Pressão social
Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais
Frente Ampla
Pacote de Abril
Diretas Já

questão três- milagre econômico brasileiro foi o nome dado para o crescimento econômico que aconteceu em 1669~1973 no Brasil, durante a ditadura militar que
aconteceu graças ao Plano de Metas - o programa "cinquenta anos em cinco" - que era baseado na política de uma forte inflação de demanda. evidenciando o ufanismo
as consequências são, o aumento da concentração de renda e da pobreza.


questão quatro- diretas já, foram manifestações (uma das maiores manifestações populares já ocorridas no país) que se transformaram em um movimento pois
cerca de 300.000 pessoas se reuniram na Praça da Sé, em São Paulo. três meses depois, um milhão de cidadãos tomou o Rio de Janeiro e algumas semanas depois, cerca de 1,7 milhões de pessoas se mobilizaram em São Paulo.
mas mesmo realizando uma enorme pressão para que as eleições diretas fossem oficializadas, os deputados federais da época não se sensibilizaram
mediante os enormes apelos. com isso, por uma diferença de apenas 22 votos e um vertiginoso número de abstenções, o Brasil manteve o sistema
indireto para as eleições de 1985. para dar a tal disputa política uma aparência democrática, o governo permitiu que civis concorressem ao pleito.

JESSICA 3A número 17 (agora sim né)

Anônimo disse...

O cenário mundial era marcado por revoluções ditatoriais, sendo assim, no Brasil não foi diferente. As políticas de Jango eram bastante atraentes, mas também duvidosas. Ele oferecia melhorias na educação, economia brasileira e reforma agrária, devido a este fato, foi acusado de estar planejando um golpe de esquerda para implantação do socialismo. A partir desse pressuposto, os militares tomam o poder. A organização baseava-se na repressão dos mais oprimidos, da falta de liberdade de expressão, da censura e para isso, o uso da força era invariavelmente utilizado. Todos contra a nova organização tinham seus mandatos cassados, caso fossem políticos esquerdistas e na perda da estabilidade dos funcionários públicos, tudo isto conforme o novo Ato Institucional (1964).
Os generais que assumiam o poder revelavam-se estritamente autoritários, com as eleições indiretas e partidos filtrados pelo mesmo.
A revolta das massas populares crescia, consequentemente, as manifestações também, de ambos os lados. Tinham aqueles que ainda defendiam uma reforma esquerdista, entre eles, os jovens e até mesmo aqueles que lutavam pelos seus direitos e devido espaço na sociedade.
Como resultado, os revolucionários eram todos mortos ou massacrados. Há quem defenda essa política, ressaltando que a nação cresceria somente com a morte daqueles que a atrapalhavam. E de certa forma isso acontecia, pois a economia brasileira dava vários passos à frente, momento conhecido como Milagre econômico, porém, enquanto isso, a população era dizimada e aqueles que sobreviviam ainda tinham que sofrer perante as altas taxas de inflação.
Por fim, as duas décadas de ditadura e governos militares chegavam ao fim.
O fortalecimento dos sindicatos e novos partidos políticos encaminhavam o país à democracia e os primeiros sinais eram vistos a partir das eleições diretas de 1984, que quase foram estabelecidas, exceto pelo fato de não terem sido aceitas pela Câmara dos Deputados. Por sorte, o Brasil seguiu com governos liberais, primeiramente formado por Tancredo Neves e assim, reconquistaram o caminho do Brasil de volta para os trilhos.

Nome: Bethina Hoffmann - N:04 -3"B"

Anônimo disse...

A causa para que o golpe militar acontecesse no Brasil foi o governo de João Goulart, que era marcado pela abertura nas organizações sociais, o que preocupava os conservadores, que temiam um Brasil socialista, já que na época acontecia a guerra fria. Depois do comício de Jango e da resposta dos conservadores com a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, os militares conseguem o poder, instaurando o Ato Institucional Número 1 (AI-1), que cassa opositores.
No governo de Castello Branco consolidou-se o autoritarismo, eleições indiretas e o bipartidarismo: Movimento Democrático Brasileiro (MDB), oposição controlada, e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA), que representava os militares.
No governo de Arthur da Costa e Silva tem-se um período de oposição ao regime militar, como a UNE (União Nacional dos Estudantes), no Rio de Janeiro com a Passeata dos Cem Mil. Também decreta o Ato Institucional Número 5 (AI-5), o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
De 31/8/1969 à 30/10/1969 tem-se o governo da junta militar e em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretou o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária".
Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente, Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como "anos de chumbo". Tem-se uma grande censura artística, onde professores, políticos, músicos e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. Por outro lado tem-se o período do Milagre Econômico, onde O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com grandes investimentos internos o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura, sendo contruídas as obras faraônicas como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, isso gerou uma grande dívida externa.
Em 1974 assume a presidência Ernesto Geisel que começa a dar um rumo voltado à democracia, com o fim do milagre econômico. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira e o presidente consolida uma abertura política lenta. Os limitares de linha dura começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, onde restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.
No governo de João Baptista Figueiredo é decretada a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados na época da censura. Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país e é criado o Partido dos Trabalhadores ( PT ) e o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).
Em 1984, políticos de oposição, artistas e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já, favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Porém a emenda não foi aprovada. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheu o deputado Tancredo Neves para presidente, mas ele acaba falecendo antes e, o vice-presidente José Sarney, assume a presidencia e consolida o fim do regime militar com a Constituição de 1988 que estabeleceu os princípios democráticos no país.


Arianne 3ºA/nº:07.

Anônimo disse...

A causa para que o golpe militar acontecesse no Brasil foi o governo de João Goulart, que era marcado pela abertura nas organizações sociais, o que preocupava os conservadores, que temiam um Brasil socialista, já que na época acontecia a guerra fria. Depois do comício de Jango e da resposta dos conservadores com a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, os militares conseguem o poder, instaurando o Ato Institucional Número 1 (AI-1), que cassa opositores.
No governo de Castello Branco consolidou-se o autoritarismo, eleições indiretas e o bipartidarismo: Movimento Democrático Brasileiro (MDB), oposição controlada, e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA), que representava os militares.
No governo de Arthur da Costa e Silva tem-se um período de oposição ao regime militar. Também decreta o Ato Institucional Número 5 (AI-5), o mais duro do governo militar, pois cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
De 31/8/1969 à 30/10/1969 tem-se o governo da junta militar e em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretou o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária".
Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente, Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como "anos de chumbo". Tem-se uma grande censura artística, onde professores, políticos, músicos e escritores são presos, torturados ou exilados do país. Por outro lado tem-se o período do Milagre Econômico, onde O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com grandes investimentos internos como a construção das obras faraônicas (Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi). Porém, isso gerou uma grande dívida externa.
Em 1974 assume a presidência Ernesto Geisel que começa a dar um rumo voltado à democracia, com o fim do milagre econômico. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira e consolida-se uma abertura política lenta. Os limitares de linha dura começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, onde restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.
No governo de João Baptista Figueiredo é decretada a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados na época da censura. Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país e é criado o Partido dos Trabalhadores ( PT ) e o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).
Em 1984, políticos de oposição, artistas e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já, favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Porém a emenda não foi aprovada. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheu o deputado Tancredo Neves para presidente, mas ele acaba falecendo antes e, o vice-presidente José Sarney, assume a presidencia e consolida o fim do regime militar com a Constituição de 1988 que estabeleceu os princípios democráticos no país.

Arianne 3ºA/nº:07.

Anônimo disse...

A causa para que o golpe militar acontecesse no Brasil foi o governo de João Goulart, que era marcado pela abertura nas organizações sociais, o que preocupava os conservadores, que temiam um Brasil socialista, já que na época acontecia a guerra fria. Depois do comício de Jango e da resposta dos conservadores com a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, os militares conseguem o poder, instaurando o Ato Institucional Número 1 (AI-1), que cassa opositores.
No governo de Castello Branco consolidou-se o autoritarismo, eleições indiretas e o bipartidarismo: Movimento Democrático Brasileiro (MDB), oposição controlada, e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA), que representava os militares.
No governo de Arthur da Costa e Silva tem-se um período de oposição ao regime militar. Também decreta o Ato Institucional Número 5 (AI-5), o mais duro do governo militar, pois cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
De 31/8/1969 à 30/10/1969 tem-se o governo da junta militar e em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretou o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária".
Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente, Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como "anos de chumbo". Tem-se uma grande censura artística, onde professores, políticos, músicos e escritores são presos, torturados ou exilados do país. Por outro lado tem-se o período do Milagre Econômico, onde O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com grandes investimentos internos como a construção das obras faraônicas (Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi). Porém, isso gerou uma grande dívida externa.

Arianne 3ºA

Anônimo disse...

Continuação:
Em 1974 assume a presidência Ernesto Geisel que começa a dar um rumo voltado à democracia, com o fim do milagre econômico. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira e consolida-se uma abertura política lenta. Os limitares de linha dura começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, onde restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.
No governo de João Baptista Figueiredo é decretada a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados na época da censura. Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país e é criado o Partido dos Trabalhadores ( PT ).
Em 1984, políticos de oposição, artistas e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já, devido à Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente. Porém a emenda não foi aprovada. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheu o deputado Tancredo Neves para presidente, mas ele acaba falecendo antes e, o vice-presidente José Sarney, assume a presidencia e consolida o fim do regime militar com a Constituição de 1988 que estabeleceu os princípios democráticos no país.

Arianne 3ºA/nº:07.

Anônimo disse...

A Ditadura Militar foi o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil, entre os anos de 1964 e 1985. Desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961, o Brasil vivia uma crise política. O vice de Jânio, João Goulart, assumiu a presidência num clima político tenso. Seu governo foi marcado pela abertura às organizações sociais.

A crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia durante esse período. No dia 31 de março de 1964, tropas de Minas Gerais e São Paulo saíram às ruas. Evitando uma guerra civil, João Goulart deixou o país, refugiando-se no Uruguai. Os militares finalmente tomaram o poder.

Durante o regime militar, houve um fortalecimento do poder central, especialmente do poder Executivo. A liberdade de expressão e de organização era quase inexistente. Os meios de comunicação e as manifestações artísticas foram submetidos à censura. A década de 1960 iniciou também, um período de grandes modificações na economia do Brasil: de modernização da indústria e dos serviços, de concentração de renda, de abertura ao capital estrangeiro e de endividamento externo.

Os Atos Institucionais colocaram todos os partidos políticos do país na ilegalidade e reconheceu a existência de apenas dois partidos novos: o MDB e o ARENA. Além disso, esses atos exigiram que os governadores e prefeitos de algumas cidades fossem eleitos de forma indireta e convocou o Congresso Nacional para a aprovação de outra constituição. O "milagre econômico" é a denominação dada à época de crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a criação do mote de significado dúbio: "Brasil, ame-o ou deixe-o".

As “Diretas Já!” foram os grandes comícios onde a população se colocava em favor da escolha direta para o cargo de presidente, organizados por membros do PMDB, PT e PDT.

Felipe nº: 09 3ºA

lucas baixo disse...

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil?
R: Desde D. Pedro I a insatisfação dos militares para com o governo Brasileiro sempre foi muito grande. O governo de João Goulart, em meados de 1964 foi o estopim para este golpe. O mundo passava por um intenso período de tensão, devido a guerra fria. Toda e qualquer manifestação em prol do comunismo era severamente repreendida. A abertura as organizações populares no Brasil deixou muitas pessoas ‘de orelha em pé’, inclusive os Estados Unidos, que temiam uma revolução comunista no Brasil.
Jango então elaborou o Comício de Jango, aonde propunha reformas agrárias e sociais. O povo revoltado foi as ruas, e temendo uma guerra civil, Jango foge do Brasil. Aproveitando a deixa, os militares tomam o poder, e é aí que a ditadura começa.

2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
R: A Constituição de 1967, que sob o Comando de Castello Branco institucionalizou o governo militar e seus meios de atuação.
A UNE, que representava um forte movimento de oposição ao regime militar, e vendo o povo se revoltando Costa e Silva decreta o Ato Institucional nº 5, no mais severo governo de todos os regimes militares.
A censura do Governo Médici, que controlou toda a imprensa brasileira, desde jornais à músicas. A tortura e o exilamento eram práticas comuns no país, e o Milagre Econômico ‘cobria’ as barbáries que os militares executavam.

3- Explique como funcionava os Atos Institucionais?
R: Os Atos Institucionais foram decretos emitidos na época da ditadura militar que, em poucas palavras, legalizavam tudo o que os militares faziam, do mesmo jeito que D. Pedro havia feito no Brasil a séculos atrás. Com a justificativa de ‘combater a corrupção’, os militares torturavam e matavam pessoas, das quais várias não se tem o paradeiro até hoje. Estes atos instituíam desde eleições indiretas à pena de morte.

4- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
R: O Milagre Econômico foi um período durante a ditadura no qual o Brasil cresceu bastante em pouco tempo. Com um PIB de 12%, era evidente que o Brasil estava em uma ascendente. Porém, esse desenvolvimento foi obtido com inúmeros empréstimos, e mesmo com o elevado número de empregos e projetos elaborados (e alguns completos), a dívida era muito elevada para os padrões brasileiros.

5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ?
R: Com uma alta taxa de inflação e vários problemas pipocando no Brasil inteiro, os movimentos de oposição começaram a tomar forças. Milhares de brasileiros, inclusive famosos participaram deste movimento, que lutava em prol da eleição direta para presidente com a aprovação da emenda Dante de Oliveira. Porém, a emenda não foi aprovada, mas a elevação de José Sarney ao cargo de presidente da república apagou todos os traços da ditadura no Brasil e instituiu um regime democrático no país.



LUCAS BAIXO BATISTA 3B n15

lucas baixo terceiro B disse...

1-Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil?
R: Desde D. Pedro I a insatisfação dos militares para com o governo Brasileiro sempre foi muito grande. O governo de João Goulart, em meados de 1964 foi o estopim para este golpe. O mundo passava por um intenso período de tensão, devido a guerra fria. Toda e qualquer manifestação em prol do comunismo era severamente repreendida. A abertura as organizações populares no Brasil deixou muitas pessoas ‘de orelha em pé’, inclusive os Estados Unidos, que temiam uma revolução comunista no Brasil.
Jango então elaborou o Comício de Jango, aonde propunha reformas agrárias e sociais. O povo revoltado foi as ruas, e temendo uma guerra civil, Jango foge do Brasil. Aproveitando a deixa, os militares tomam o poder, e é aí que a ditadura começa.

2-Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
R: A Constituição de 1967, que sob o Comando de Castello Branco institucionalizou o governo militar e seus meios de atuação.
A UNE, que representava um forte movimento de oposição ao regime militar, e vendo o povo se revoltando Costa e Silva decreta o Ato Institucional nº 5, no mais severo governo de todos os regimes militares.
A censura do Governo Médici, que controlou toda a imprensa brasileira, desde jornais à músicas. A tortura e o exilamento eram práticas comuns no país, e o Milagre Econômico ‘cobria’ as barbáries que os militares executavam.

3-Explique como funcionava os Atos Institucionais?
R: Os Atos Institucionais foram decretos emitidos na época da ditadura militar que, em poucas palavras, legalizavam tudo o que os militares faziam, do mesmo jeito que D. Pedro havia feito no Brasil a séculos atrás. Com a justificativa de ‘combater a corrupção’, os militares torturavam e matavam pessoas, das quais várias não se tem o paradeiro até hoje. Estes atos instituíam desde eleições indiretas à pena de morte.

4-O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
R: O Milagre Econômico foi um período durante a ditadura no qual o Brasil cresceu bastante em pouco tempo. Com um PIB de 12%, era evidente que o Brasil estava em uma ascendente. Porém, esse desenvolvimento foi obtido com inúmeros empréstimos, e mesmo com o elevado número de empregos e projetos elaborados (e alguns completos), a dívida era muito elevada para os padrões brasileiros.

5-O que foi a campanha das DIRETAS JÁ?
R: Com uma alta taxa de inflação e vários problemas pipocando no Brasil inteiro, os movimentos de oposição começaram a tomar forças. Milhares de brasileiros, inclusive famosos participaram deste movimento, que lutava em prol da eleição direta para presidente com a aprovação da emenda Dante de Oliveira. Porém, a emenda não foi aprovada, mas a elevação de José Sarney ao cargo de presidente da república apagou todos os traços da ditadura no Brasil e instituiu um regime democrático no país.

LUCAS BAIXO BATISTA 3ºB nº15

Lucas Baixo Batista 3ºB disse...

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil?
R: Desde D. Pedro I a insatisfação dos militares para com o governo Brasileiro sempre foi muito grande. O governo de João Goulart, em meados de 1964 foi o estopim para este golpe. O mundo passava por um intenso período de tensão, devido a guerra fria. Toda e qualquer manifestação em prol do comunismo era severamente repreendida. A abertura as organizações populares no Brasil deixou muitas pessoas ‘de orelha em pé’, inclusive os Estados Unidos, que temiam uma revolução comunista no Brasil.
Jango então elaborou o Comício de Jango, aonde propunha reformas agrárias e sociais. O povo revoltado foi as ruas, e temendo uma guerra civil, Jango foge do Brasil. Aproveitando a deixa, os militares tomam o poder, e é aí que a ditadura começa.

2- Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
R: A Constituição de 1967, que sob o Comando de Castello Branco institucionalizou o governo militar e seus meios de atuação.
A UNE, que representava um forte movimento de oposição ao regime militar, e vendo o povo se revoltando Costa e Silva decreta o Ato Institucional nº 5, no mais severo governo de todos os regimes militares.
A censura do Governo Médici, que controlou toda a imprensa brasileira, desde jornais à músicas. A tortura e o exilamento eram práticas comuns no país, e o Milagre Econômico ‘cobria’ as barbáries que os militares executavam.

3- Explique como funcionava os Atos Institucionais?
R: Os Atos Institucionais foram decretos emitidos na época da ditadura militar que, em poucas palavras, legalizavam tudo o que os militares faziam, do mesmo jeito que D. Pedro havia feito no Brasil a séculos atrás. Com a justificativa de ‘combater a corrupção’, os militares torturavam e matavam pessoas, das quais várias não se tem o paradeiro até hoje. Estes atos instituíam desde eleições indiretas à pena de morte.

4- O que foi o chamado: "Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
R: O Milagre Econômico foi um período durante a ditadura no qual o Brasil cresceu bastante em pouco tempo. Com um PIB de 12%, era evidente que o Brasil estava em uma ascendente. Porém, esse desenvolvimento foi obtido com inúmeros empréstimos, e mesmo com o elevado número de empregos e projetos elaborados (e alguns completos), a dívida era muito elevada para os padrões brasileiros.

5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ?
R: Com uma alta taxa de inflação e vários problemas pipocando no Brasil inteiro, os movimentos de oposição começaram a tomar forças. Milhares de brasileiros, inclusive famosos participaram deste movimento, que lutava em prol da eleição direta para presidente com a aprovação da emenda Dante de Oliveira. Porém, a emenda não foi aprovada, mas a elevação de José Sarney ao cargo de presidente da república apagou todos os traços da ditadura no Brasil e instituiu um regime democrático no país.

Anônimo disse...

A Ditadura Militar foi um período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil. Esta época vai de 1964 a 1985. Caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.
Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.
Os partidos de oposição, como a União Democrática Nacional (UDN) e o Partido Social Democrático (PSD), acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda e de ser o responsável pela carestia e pelo desabastecimento que o Brasil enfrentava. No dia 13 de março de 1964, João Goulart realiza um grande comício na Central do Brasil ( Rio de Janeiro ), onde defende as Reformas de Base.
No dia 31 de março de 1964, tropas de Minas Gerais e São Paulo saem às ruas. Para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai. Os militares tomam o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos.
GOVERNO CASTELLO BRANCO (1964-1967) Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária. Estabeleceu eleições indiretas para presidente, além de dissolver os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar. Em seu governo, foi instituído o bipartidarismo.Só estavam autorizados o funcionamento de dois partidos: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Enquanto o primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o segundo representava os militares. O governo militar impõe, em janeiro de 1967, uma nova Constituição para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.
Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados. No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República.
s Atos Institucionais foram decretos emitidos durante os anos após o Golpe militar de 1964 no Brasil. Serviram como mecanismos de legitimação e legalização das ações políticas dos militares, estabelecendo para eles próprios diversos poderes extra-constitucionais. Na verdade os Atos Institucionais eram um mecanismo para manter na legalidade o domínio dos militares. Sem este mecanismo, a Constituição de 1946 tornaria inexecutável o regime militar, daí a necessidade de substituí-la por decretos mandados cumprir.
luciano 3A N°20

Anônimo disse...

Isabele Vequi - n° 11 - 3° "B"

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil?
Conforme Vito Giannotti, "As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira." Pode-se dizer que foi um golpe de direita, a serviço exclusivo da burguesia nacional e internacional. A situação política brasileira estava muito instável, a crise havia fragmentado os destinos da nação. Os militares formavam o grupo que defendia a entrada do capital estrangeiro no país. O grande estopim foi o discurso de João Goulart e Leonel Brizola feito no RJ, no qual, anunciavam as reformas de base, reforma agrária, um novo plebiscito para aprovar uma nova constituição e a nacionalização das refinarias estrangeiras de petróleo. A queda foi inevitável e os militares permaneceram com o poder no Brasil de 1964 até 1985.

2-Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
*O Ato Instiucional nº 1 suspende os direitos políticos de centenas de pessoas.
*O general Castelo Branco toma posse como presidente.
*Suspensas as eleições diretas para cargos executivos. Vários deputados federais são cassados.

3- Explique como funcionava os Atos Institucionais ?
Foram 17 atos institucionais e 104 atos complementares a eles ao longo da ditadura militar. Esses dispositivos não tinham qualquer fundamentação jurídica e davam poder quase absoluto ao Executivo. Eles justificavam e tornavam legal qualquer arbitrariedade cometida pelo governo. O AI-1, por exemplo, concedia aos militares o direito de cassar os mandatos de deputados e suspender os direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos. O governo também passou a poder demitir, afastar ou aposentar funcionários públicos considerados contrários ao regime. Lembrando que os acusados não tinham direito a defesa.

4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ ?
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

Anônimo disse...

Isabele Vequi - n° 11 - 3° "B"

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil?
Conforme Vito Giannotti, "As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira." Pode-se dizer que foi um golpe de direita, a serviço exclusivo da burguesia nacional e internacional. A situação política brasileira estava muito instável, a crise havia fragmentado os destinos da nação. Os militares formavam o grupo que defendia a entrada do capital estrangeiro no país. O grande estopim foi o discurso de João Goulart e Leonel Brizola feito no RJ, no qual, anunciavam as reformas de base, reforma agrária, um novo plebiscito para aprovar uma nova constituição e a nacionalização das refinarias estrangeiras de petróleo. A queda foi inevitável e os militares permaneceram com o poder no Brasil de 1964 até 1985.

2-Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
*O Ato Instiucional nº 1 suspende os direitos políticos de centenas de pessoas.
*O general Castelo Branco toma posse como presidente.
*Suspensas as eleições diretas para cargos executivos. Vários deputados federais são cassados.

3- Explique como funcionava os Atos Institucionais ?
Foram 17 atos institucionais e 104 atos complementares a eles ao longo da ditadura militar. Esses dispositivos não tinham qualquer fundamentação jurídica e davam poder quase absoluto ao Executivo. Eles justificavam e tornavam legal qualquer arbitrariedade cometida pelo governo. O AI-1, por exemplo, concedia aos militares o direito de cassar os mandatos de deputados e suspender os direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos. O governo também passou a poder demitir, afastar ou aposentar funcionários públicos considerados contrários ao regime. Lembrando que os acusados não tinham direito a defesa.

4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ ?
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

Anônimo disse...

Isabele Vequi - n° 11 - 3° "B"

1- Quais foram as principais causas para a defragação do Golpe Militar no Brasil?
Conforme Vito Giannotti, "As causas que favoreceram ao golpe militar ocorrido no Brasil no ano de 1964 são um somatório de diversos acontecimentos políticos e sociais ocorridos ao longo da história republicana brasileira." Pode-se dizer que foi um golpe de direita, a serviço exclusivo da burguesia nacional e internacional. A situação política brasileira estava muito instável, a crise havia fragmentado os destinos da nação. Os militares formavam o grupo que defendia a entrada do capital estrangeiro no país. O grande estopim foi o discurso de João Goulart e Leonel Brizola feito no RJ, no qual, anunciavam as reformas de base, reforma agrária, um novo plebiscito para aprovar uma nova constituição e a nacionalização das refinarias estrangeiras de petróleo. A queda foi inevitável e os militares permaneceram com o poder no Brasil de 1964 até 1985.

2-Escreva três grandes acontecimentos do período militar no Brasil:
*O Ato Instiucional nº 1 suspende os direitos políticos de centenas de pessoas.
*O general Castelo Branco toma posse como presidente.
*Suspensas as eleições diretas para cargos executivos. Vários deputados federais são cassados.

3- Explique como funcionava os Atos Institucionais ?
Foram 17 atos institucionais e 104 atos complementares a eles ao longo da ditadura militar. Esses dispositivos não tinham qualquer fundamentação jurídica e davam poder quase absoluto ao Executivo. Eles justificavam e tornavam legal qualquer arbitrariedade cometida pelo governo. O AI-1, por exemplo, concedia aos militares o direito de cassar os mandatos de deputados e suspender os direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos. O governo também passou a poder demitir, afastar ou aposentar funcionários públicos considerados contrários ao regime. Lembrando que os acusados não tinham direito a defesa.

4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- O que foi a campanha das DIRETAS JÁ ?
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

Anônimo disse...

Como ja é do conhecimento de todos a Ditadura Militar foi o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil, entre os anos de 1964 e 1985.
As causas que favoreceram a esse golpe militar são um somatório de diversos acontecimentos sociais e politicos ocorridos ao longo da história brasileira.
Devido a instabilidade econômica, o Brasil durante vários anos não recebia investimentos estrangeiros.
Essa época caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão àqueles que eram opostos ao regime militar.
Devido a estabilidade politica e economica que estava ocorrendo no Brasil, graças aos militares, os recursos voltaram ao Brasil, porém de forma muito rapida e em volume muito grande. Então empresas privadas e estaduais se aproveitavam da situação, durante esta epoca o Brasil cresceu muito, e também logico foi nesse período que o Brasil, de forma concreta, entrou no processo de industrialização, mais de certo modo foi um processo sem planejamento social e que agravou mais ainda as desigualdades.Tudo isto gerou muitos empregos pelo país e muitas obras importantes foram feitas. Este é o chamado "milagre econômico".
Diretas ja teve inicio no ano de 1983 e foi um movimento de maior participação popular no Brasil, e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República.Foram realizadas várias manifestações públicas. Foi então que surgiu as censuras sobre a imprensa e inumeras prisões. "Diretas Já" teve grande importância na redemocratização do Brasil.

Mariana, 25 3ºB

Anônimo disse...

Marcelly(21)- 3°B EM
1- As principais causas que favoreceram ao Golpe Militar no Brasil em 1964 é relacionado as problemas sociais e políticos.Isso vem acontecendo ao longo da história do brasil, desde o período imperial, governado por Dom perdro II,os militares demonstravam insatisfação, com as condições de vida e o salário pago a eles.
Essa crise política esteve se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961.O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista.

2- Três acontecimentos:

* Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.

* Ato Institucional.Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

* Milagre econêmico Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país.

3- Os Atos Constitucionais eram normas impostas pelo governo militar, funcionavam como decretos de lei, que visavam aumentar a soberania e influência dos militares através da repressão aos grupos sociais da oposição.

4- . O Milagre Econômico.Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- Diretas Já - Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também.E a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos. Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.EM 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.

Anônimo disse...

Marcelly(21)- 3°B EM
1- As principais causas que favoreceram ao Golpe Militar no Brasil em 1964 é relacionado as problemas sociais e políticos.Isso vem acontecendo ao longo da história do brasil, desde o período imperial, governado por Dom perdro II,os militares demonstravam insatisfação, com as condições de vida e o salário pago a eles.
Essa crise política esteve se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961.O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista.

2- Três acontecimentos:

* Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.

* Ato Institucional.Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

* Milagre econêmico Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país.

3- Os Atos Constitucionais eram normas impostas pelo governo militar, funcionavam como decretos de lei, que visavam aumentar a soberania e influência dos militares através da repressão aos grupos sociais da oposição.

4- . O Milagre Econômico.Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- Diretas Já - Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também.E a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos. Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.EM 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.

Renata Barth Almeida Nº: 26 3"A" disse...

O Brasil sempre foi considerado uma terra de povo pacato, ordeiro, educado e trabalhador. Veja o que a história recente nos mostra:
Em 1961 o presidente Jânio Quadros renuncia, com a intenção de voltar nos braços do povo, triunfante ao poder. Ele não consegue tal fato, e quem assume é João Goulart, considerado um político fraco e sem liderança, que acaba sendo substituído por militares, no “Golpe Militar” de 1964. Os militares, com sede de poder, e querendo organizar o país, perseguem pessoas, expulsam artistas, cassam vários políticos. Estabelece-se no Brasil o medo, a repressão e a falta de liberdade. A imprensa já não pode mais se pronunciar livremente, e também mostrar a realidade de um país livre.
Por outro lado vivemos o “milagre econômico”, com enormes taxas de crescimento. Obras faraônicas são erguidas do dia para noite, a custa de financiamentos externos praticamente impagáveis, resultando num endividamento sem precedentes, que nos joga para o terceiro mundo, e, nos subjuga aos poderes externos.
Mas vem a “abertura”, e, com ela retornam nossos políticos, nosso artistas, e pouco a pouco a vida assume ares de democracia.
Mas o período da ditadura nos deixou seqüelas, pois até hoje vemos os reflexos de uma geração reprimida, sem perspectivas de vida e que acaba passando para as gerações futuras a acomodação, a falta de ética na política, a corrupção exagerada, o jeitinho brasileiro de ser, onde a população se vende por uma “bolsa família”, sem a perspectiva de um dia ascender socialmente e intelectualmente.
Ao mesmo tempo temos vários grupos que lutaram em prol de um mundo melhor e mais humano, se aproveitando desses menos favorecidos.
Enfim, foram quase três décadas perdidas (60/70 e parte da década de 80) com reflexos e ações que estão contaminando décadas futuras.
A questão é saber até onde e até quando.

Anônimo disse...

Irielton Alves - nº12 - 2EMA

1- O mundo vivia o auge da Guerra Fria. Quando João Goulart assumiu o governo, dava-se inicio a muitas organizações sociais, o povo começava a expor suas ideias e defender seus interesses. O clima de crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia. No dia 31 de março de 1964, tropas de Minas Gerais e São Paulo saem às ruas. Os militares tomam o poder.

2- Foi decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos.

3- Os anos de chumbo foram os anos em que Emílio Garrastazu Medici , um general, foi eleito presidente. Devido seu governo ter sido considerado como o mais duro e repressivo. Período onde houveram muitas censuras, prisões, torturas, enfim.

4- O período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infraestrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niterói. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo que consequentemente deveria ser pago no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- Os principais slogans usados pelos governos militares para convencerem a população a aceitar o regime militar foram , por exemplo:"Brasil: Ame-o ou deixe-o!", que era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis. "Brasil:AME-O", muitas empresas de transportes de valores utilizavam-na ostentada em seus veículos. "Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".

6- Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial. Atitude esta tomada pelo general a fim de diminuir as manifestações, tentar fazer com que as pessoas continuassem submissas ao seu governo.

Franklin 2A 06 disse...

1 - O estopim do golpe militar aconteceu em março de 1964, quando Jango, após um discurso inflamado no Rio de Janeiro, determinou a reforma agrária, reforma educacional e a nacionalização das refinarias estrangeiras de petróleo. E imediatamente a elite reagiu reunindo cerca de 500 mil pessoas com a intenção de bloquear qualquer tentativa de ultraje à Constituição Brasileira e à defesa dos principios, garantias e prerrogativas democráticas constituíram a tônica de todos os discursos e mensagens.

2- Os militares tomam o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos. Portanto todos os opositores, politicos e estudantes que protestaram contra o regime foram cassados.

3- Foi governo mais duro e repressivo do período, governado pelo general Emílio Garrastazu Medici (1969-1974)

4- O Milagre Econômico (1969 a 1973) foi o periodo em que o PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país .

5- O governo monopolizou a mídia nas mãos da Rede Globo e músicas como "País Tropical" e "Eu Te Amo, Meu Brasil" foram utilizadas para fortalecer a campanha, sob o slogan: "Brasil, Ame-o ou Deixe-o!".

6- Ato Institucional número 5 ( AI-5 ) foi decretado no dia 13 de dezembro de 1968. Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Franklin 06 2A

Luiz Telles - 19 - 2ºA disse...

1)O governo de João Goulart foi marcado pela abertura às organizações sociais,causando a preocupação das classes conservadoras, assim, todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Os conservadores então organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart e o militares ganham o poder.

2)Estabelecimento das eleições indiretas para presidente, além da extinção os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar.

3) Aconteceu durante o governo Medici, considerado o governo mais duro e repressivo dessa época.A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.

4)Foi o período que vai de 1969 a 1973. O PIB brasileiro crescia 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Obras grandiosas foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5)Campanhas oficiais incentivavam o ufanismo utilizando slogans: Ninguém mais segura este país , ame-o ou deixe-o....

6)o AI-5 (Ato Institucional Nº 5) foi o mais duro golpe do regime militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Anônimo disse...

Natália Costa n27 2B


1- Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Sendo nesse período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.

2-A oposição ao regime militar cresce no país. A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil. Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar.

3- Designa o período compreendido aproximadamente entre o pós-1968 e o fim dos anos 1970, na Alemanha, ou meados dos anos 1980, na França e na Itália — anos marcados por violência política, luta armada e revolucionária de extrema esquerda e de terrorismo de extrema direita, bem como pelo endurecimento do aparato repressivo dos estados democráticos da Europa Ocidental. o período mais repressivo da ditadura militar no Brasil, estendendo-se basicamente do fim de 1968, com a edição do AI-5 em 13 de dezembro daquele ano, até o final do governo Médici, em março de 1974.

4- Refere-se a grandes períodos de mudança, especialmente períodos de crescimento econômico dramático, na história recente de uma série de países pelo mundo:

5- Usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
''Ninguém mais segura este país ou Brasil, ame-o ou deixe-o. ''

6- O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.

Anônimo disse...

Gabriela Aline nº 8, Isabel Rescaroli nº14 – 2B


1- Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista.


2- Criou-se o medo de que Goulart levasse o país a um golpe de estado, com a implantação de um regime político nos moldes de Cuba e China. Era o "perigo comunista", que serviria depois como justificativa para o golpe.


3- Após o golpe de 1964, a ditadura foi endurecendo e fechando o regime aos poucos. Vieram os Atos Institucionais, artificialismos criados para dar legitimidade jurídica a ações políticas contrárias à Constituição Brasileira de 1946, culminando numa ditadura.


4- Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país.


5- A Publicidade do Regime Militar de 1964 influenciou mais de uma geração de brasileiros pela sua veiculação em todos os meios de comunicação.
Os lemas e as canções de incentivo surgiam a todo instante.
Foram criadas as mais diversas frases de efeito, por exemplo:
* "Brasil: Ame-o ou deixe-o!", era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis.
* "Brasil:AME-O", muitas empresas de transportes de valores utilizavam-na ostentada em seus veículos.
* "Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".

6- O Ato Institucional Nº5 ou AI-5 foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar brasileiro nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil.
O AI-5 sobrepondo-se à Constituição de 24 de janeiro de 1967, bem como às constituições estaduais, dava poderes extraordinários ao Presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais.

Anônimo disse...

João Pedro nº15 2ºA



1- Em 20 de março de 1964, a Associação dos marinheiros e dos fuzileiros navais pediu a demissão do ministro da Marinha, Almirante Sílvio Mota, fato que demonstrava grave indisciplina. O governo da República colocou-se numa posição favorável aos marinheiros.Em 31 de março, as Forças Armadas desencadearam o movimento que iria depor João Goulart. Os Generais Olímpio Mourão Filho e Carlos Luís Guedes alertaram suas tropas, recebendo o apoio do então governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto.Logo a seguir, quase todos os estados se aliaram ao golpe militar. No dia seguinte, o presidente vendo que não contava com o apoio das forças da capital federal seguiu para o Rio Grande do Sul. O senado declarou que o cargo presidencial estava vago e empossou o Presidente da Câmara Ranieri Mazzili.
2-A crise política se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961. O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais.Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Neste período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.

3-Foi uma época de ditaduras na América do sul. Os estados unidos para dominar a América do sul falou que os comunistas iriam tomar o poder e mandou os militares se tomarem posse do podere no Brasil,Argentina,Uruguai e Chile. Aonde houve muita censura e as pessoas eram vigiadas.
4-Além do futebol, os brasileiros conheceram uma nova paixão, o automobilismo. Até hoje, o mundo só teve um único piloto capaz de vencer na sua estréia na Fórmula 1: o nosso Émerson Fittipaldi, campeão mundial em 1972 e 1974.Nas escolas vivia-se um clima de ufanismo (exaltação da pátria). Todo mundo tinha de acreditar que o Brasil estava se tornando um país maravilhoso. Nos vidros dos carros, os adesivos diziam: “Brasil - Ame-o ou Deixe-o!” É como se os perseguidos políticos foragidos tivessem se exilado por antipatriotismo. Um pontapé na verdade.Claro que essa euforia toda no começo dos anos 70 não vinha só das vitórias esportivas e da máquina de propaganda do governo. Em realidade, o país vivia a excitação de um crescimento econômico espetacular. Era o tempo do “milagre econômico”.

5- “Brasil - Ame-o ou Deixe-o!”

6-O Ato Institucional nº 5, AI-5, baixado em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do general Costa e Silva, foi a expressão mais acabada da ditadura militar brasileira (1964-1985). Vigorou até dezembro de 1978 e produziu um elenco de ações arbitrárias de efeitos duradouros. Definiu o momento mais duro do regime, dando poder de exceção aos governantes para punir arbitrariamente os que fossem inimigos do regime ou como tal considerados.

Anônimo disse...

Ditadura Militar
1964-1985

1-O golpe foi sendo pensado ao longo de dez anos, desde 1954, até que veio a cabo em 1964. O motivo alegado era o crescimento do comunismo. O contexto, porém, era bem mais complexo: a estatização promovida por Jango e as visões conflitantes entre a política e a economia de ambas as correntes de pensamento, particularmente da extrema direita e extrema esquerda, vinham se contrapondo desde o início do século XX, sendo as alternativas mistas ainda em estágio embrionário.

2-Os políticos, estudantes e opositores foram perseguidos e ameaçados pelos apoiadores do novo regime instalado pelos militares.

3-Anos marcados por violência política, luta armada revolucionária de extrema esquerda e de terrorismo de extrema direita, bem como pelo aparecimento da repressão dos estados democráticos.

4-O crescimento econômico do Brasil, que ocorreu durante o regime militar. Esse mesmo período de 1969-1973, durante o governo Médici, era conhecido como anos de chumbo entre os oposicionistas ao regime, além de ser um período onde a economia brasileira cresceu a concentração de renda e pobreza, aumentou também.

5-“Brasil, ame-o ou deixe-o”, o cidadão devia aceitar o país do jeito em que estava e se não aceitasse teria que sair do país.
“Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil.”, se o cidadão não servisse ao Brasil de forma correta, apoiando o regime militar, deveria sair do país.

6-O Ato Institucional nº5 foi decretado pela ditadura militar,representando um ato de intensificação da censura, da perseguição política, da tortura e dos assassinatos dos opositores políticos.

Matheus Bornhausen Braz Olegário
nº23 2ºemB

Anônimo disse...

1- Os três anos do governo de Goulart foram marcados pelos movimentos de organizações sociais de esquerda, que ganharam cada vez mais espaço, e com a reação imediata de insatisfação dos conservadores da direita. Empresários, militares, Igreja Católica e classe média, temendo o domínio do socialismo com um golpe comunista (na época o mundo estava vivendo a Guerra Fria) começaram a se articular para derrubar o populista João Goulart e suas Reformas de Base. Assim, os conservadores organizaram a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, em São Paulo. O processo de crise política aumentava, com tropas saindo às ruas e com isso, temendo uma guerra civil, Goulart foi embora para o Uruguai.
Vaga a Presidência, os militares tomaram o poder no dia 1° de abril de 1964. Oito dias depois era decretado o Ato Institucional N°1 (AI-1) cassando os mandatos políticos dos opositores ao novo regime, a estabilidade dos funcionários públicos, a vitaliciedade dos magistrados etc.

2- Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.
Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Lembrando, que neste
período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.

3- A expressão anos de chumbo foi aplicada inicialmente a um fenômeno da Europa Ocidental, relacionado com a Guerra Fria e com a estratégia da tensão. Designa o período compreendido aproximadamente entre o pós-1968 e o fim dos anos 1970, na Alemanha, ou meados dos anos 1980, na França e na Itália — anos marcados por violência política, luta armada e revolucionária de extrema esquerda e de terrorismo de Extrema direita, bem como pelo endurecimento do aparato repressivo dos estados democráticos da Europa Ocidental.

4-O "milagre econômico brasileiro" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a Regime militar no Brasil, também conhecido pelos oposicionistas como "anos de chumbo", especialmente entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a conquista da terceira Copa do Mundo de Futebol em 1970 no México, e a criação do mote: "Brasil, ame-o ou deixe-o"

5-Utilizam promessas de melhoria e discursos para a população, defendendo a democracia, formas de votação.

6- AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.

O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Fernanda 2ºB 07

Anônimo disse...

Guilherme Reich 2ºC nº:6

1- No dia 31 de março de 1964 o Brasil sofreu um Golpe de Estado. Desde a renúncia de Jânio Quadros, em 1961, o país veio se arrastando numa crise política, agravada com a posse de João Goulart na Presidência da República. Os três anos do governo de Goulart foram marcados pelos movimentos de organizações sociais de esquerda, que ganharam cada vez mais espaço, e com a reação imediata de insatisfação dos conservadores da direita. Empresários, militares, Igreja Católica e classe média, temendo o domínio do socialismo com um golpe comunista (na época o mundo estava vivendo a Guerra Fria) começaram a se articular para derrubar o populista João Goulart e suas Reformas de Base.

2- Vaga a Presidência, os militares tomaram o poder no dia 1° de abril de 1964. Oito dias depois era decretado o Ato Institucional N°1 (AI-1) cassando os mandatos políticos dos opositores ao novo regime, a estabilidade dos funcionários públicos, a vitaliciedade dos magistrados etc.

3- Foi uma época de ditaduras aqui na América do Sul. Os Estados Unidos para dominar a América do Sul falou que os comunistas iriam tomar o poder e mandou os militares tomarem posse dos poderes no Brasil, houve muita censura e as pessoas eram vigiadas nas escolas e empresas.

4- O "milagre econômico" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, ou anos de chumbo, especialmente entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência". Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- “Brasil, ame-o ou deixe-o''. “Participação”, a ideia chave da segunda metade dos anos 60 continuaria um lema a ser repetido pelos anos afora. “Pague seus impostos” (Castelo Branco). “A ordem do Brasil é o progresso. Marche conosco” (Costa e Silva). “Você está convidado a participar das duzentas milhas” (Médici). “O Brasil é o trabalho e participação de todos” (Geisel). Todos esses slogans, cada um na sua época, foram intensa e sistematicamente repetidos em todos os meios de comunicação.

6- O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.
O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Anônimo disse...

1-Devido a suposições que o Brasil entra-se em um regime socialista, pois o governo dele estava muito populista. Banqueiros e empresários apoiaram a ditadura
2- Foram torturados e alguns estão desaparecidos ate os dias de hoje.
3-Foram os anos de governo de Emilio Garrastazu Médici, esse é o período mais repressivo da historia. Ocorreu censura nos meios de comunicação, vários professores, políticos, músicos, artistas e escritores foram exilos, torturados e presos.
4- Foi um crescimento econômico durante a ditadura militar, ocorreu essencialmente entre 1969 e 1973.
5-“Brasil, ame-o ou deixe-o.”
"Noventa milhões em ação,pra frente, Brasildo meu coração(...)Salve a seleção.”
“Ninguém segura este país”
6-O AI-5 (ato institucional) foi dava poderes extraordinários ao Presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais. O ato deu ao regime poderes absolutos

Daniel Nº 3 2ºC

Anônimo disse...

1- João Goulart assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Este estilo populista e de esquerda, chegou a gerar até mesmo preocupação nos EUA, que junto com as classes conservadoras brasileiras, temiam um golpe comunista. Os partidos de oposição, como a União Democrática Nacional e o Partido Social Democrático, acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda e de ser o responsável pela carestia e pelo desabastecimento que o Brasil enfrentava. Neste plano, Jango prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país. Seis dias depois, conservadores organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade. O clima de crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia.

2- Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Os opositores como a União Democrática Nacional e o Partido Social Democrático, acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda e de ser o responsável pela carestia e pelo desabastecimento que o Brasil enfrentava.

3- Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente: o general Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como anos de chumbo. A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.

4- O Milagre Econômico Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- com o comicio de jango, neste plano, Jango prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país.Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária.

6- Em 1967, assume a presidência o general Arthur da Costa e Silva, após ser eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A oposição ao regime militar cresce no país. A UNE organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil. Em Contagem greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar. A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada. No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Larissa Florencio 14 2ºC

Anônimo disse...

1 – O governo de Jango foi marcado pela abertura às organizações sociais, causando medo dos conservadores (empresários, Igreja Católica, militares, banqueiros) de que o Brasil virasse um país socialista pelo ganho de espaço dos estudantes e trabalhadores na sociedade.
Os partidos da oposição acusavam João Goulart de estar planejando um golpe de esquerda e ser o responsável pela carestia e desabastecimento que o país enfrentava. O clima de crise política e tensões sociais aumentava a cada dia, causando manifestações. Então, para evitar uma guerra civil, Jango deixou o país se refugiando no Uruguai.

2 – Os políticos, estudantes e opositores foram investigados, presos, torturados ou exilados do país.

3 – Os “anos de chumbo” foram o Governo Medici, período conhecido como o mais duro e repressivo. A repressão à luta armada cresceu e uma severa política de censura foi colocada em prática. Muitos meios de comunicação e forma artística sofreram censura. Muitos professores, políticos, músicos, artistas, sofreram com investigações, prisões, torturas ou exilamentos.

4 – o Milagre Econômico foi um o período de 1969 a 1973, em que o PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro, fazendo assim com que os empréstimos estrangeiros gerassem uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5 - O principal slogan usado foi o "Diretas Já". Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. Um movimento que era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.

6 - No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial. Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.

Luis Henrique Baldi nº18 - 2ºA

Gustavo Bittencourt - 2A - Nº 10 disse...

1) O golpe militar ocorreu porque com o que João Goulart estava fazendo no poder eles temiam que o Brasil virasse um país socialista pois na época foram abertas às organizações sociais que preocuparam as classes conservadoras como os banqueiros, militares, católicos e outros.

2) Os políticos da oposição tem os mandatos cassados e os etudantes foram viraram fugitivos.

3) Os anos de chumbos foram o período em que o General Medici governou o Brasil, foi chamado assim devido a violenta repressão feita a oposição do seu governo. Ocorreram Prisões, torturas e grupos de exterminios estes eram fatos comuns em seu governo.

4) O Milagre Econômico Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5) "Brasil, ame-o ou deixe-o", "Brasil Potência", "Brasil Grande"

6) O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.

O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.
Algumas determinações:
- Concedia poder ao Presidente da República para intervir nos estados e municípios, sem respeitar as limitações constitucionais;

- Concedia poder ao Presidente da República para suspender os direitos políticos, pelo período de 10 anos, de qualquer cidadão brasileiro;
No ano de 1978, no governo Ernesto Geisel, o AI-5 foi extinto e o habeas corpus restaurado.

Fonte: http://www.suapesquisa.com/ditadura/ai-5.htm

Anônimo disse...

1-No começo da década de 60, depois da renúncia do presidente Jânio Quadros, em 1961, assumiu seu vice, João Goulart (Jango). Faziam parte de seus planos as reformas de base, que pretendiam reduzir as desigualdades sociais brasileiras. O perfil de Jango logo preocupou as elites, que temiam uma alteração social(pensaram que ele era socialista) que ameaçasse seu poder econômico. Por isso, uma série de decisões foram tomadas para enfraquecer o presidente. A mais famosa foi a adoção do parlamentarismo, que, em 1961 e 1962, atribuiu funções do presidente ao Congresso, então dominado por representantes das elites. O regime presidencialista foi restabelecido em 1963 após um plebiscito. A crise econômica e a instabilidade política se propagavam no país. Jango propôs as reformas constitucionais que aceleraram a reação das elites, criando as condições para o golpe de 64. O estopim do golpe militar aconteceu em março de 1964, quando Jango, após um discurso no Rio de Janeiro, determinou a reforma agrária e a nacionalização das refinarias estrangeiras de petróleo.
2-Poderiam ser exilados ou condenados a pena de morte segundo uma lei de segurança nacional.
3- Anos de chumbo da ditadura foi o período em que o general Medici governou o país durante o regime militar. Devido à violentíssima repressão promovida à oposição durante seu governo esse nome foi dado. Prisões, torturas e grupos de extermínio foram fatos comuns em seu governo.
4-No governo do presidente Médici foi implantado no Brasil uma medida de crescimento econômico, o principal idealizador dessa medida foi o ministro da fazenda, Antonio Delfim Netto, esse projeto tinha como princípio o crescimento rápido. O que ocorreu para provocar esse chamado “milagre” foi o imenso capital estrangeiro no país. O motivo pelo qual os recursos voltaram ao Brasil foi a estabilidade política e econômica propiciada pelos militares. Os recursos estrangeiros chegaram ao Brasil em volume muito grande, com isso, tanto empresas privadas quanto estatais foram beneficiadas, além das multinacionais. As empresas multinacionais que aqui se instalaram tiveram benefícios em mátria-prima, e também mão-de-obra, já que o governo mantinha os salários sempre baixos, quaisquer manifestações em busca de melhoria salarial eram respondidas de forma violenta por parte do governo. Foi nesse período que o Brasil, de forma concreta, entrou no processo de industrialização, mais de certo modo foi um processo que agravou mais ainda as desigualdades.
5-Eram usados slogans como: Brasil ame-o ou deixe-o! para acabar com a oposição ao regime militar. Eram feitas musicas com o tema central, o povo brasileiro, para aproximar a nação do regime da época.
6-O Ato Institucional Nº5 ou AI-5 foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar brasileiro nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil. O AI-5 sobrepondo-se à Constituição de 24 de janeiro de 1967, bem como às constituições estaduais, dava poderes extraordinários ao Presidente da República. Redigido pelo ministro da justiça Luís Antônio da Gama e Silva em 13 de dezembro de 1968, entrou em vigor durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva. O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi o instrumento que deu ao regime poderes absolutos e cuja primeira conseqüência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano.

Matheus Puff 2ºB

Anônimo disse...

1-João Goulart estava organizando mudanças radicais no país e isso não agradava os mais conservadores como os militares, que temiam uma guinada do Brasileira para o lado socialista. Em 1964 os militares se unem e saem as ruas para tentar impedir essas mudanças. Então Jõao Goulart deixa o país para evitar uma guerra civil.

2- Eles eram investigados depois disso muitos eram exilados, alguns eram pressos e torturados.

3- Foi o período mais repressivo da ditadura militar, nesta época quem governava era o general Emílio Garrastazu Medici. Ele determinou uma censura sobre tudo que se opusesse ao seu governo musica , filmes etc... Tudo que se fosse contra o estado era destruido. Porém foi um período muito bom para economia brasileira que crescia rapidamente.

4- Foi um periodo que ocorreu durante a ditadura onde a economia brasileira crescia muito. Isso aconteceu pois o país pegava empréstimos do esterior e investia em infra-estrutura. Isso gerou milhões de empregos paro os brasileiros além de algumas grandes obras que até hoje são consideradas importantes.
5- Ninguém mais segura este país, ame-o ou deixe-o; Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil.
6- Foram uma serie de decretos feitos pelo regime militar logo após o golpe militar que permitia ao presidente decretar receso na assembleia legislativa, congresso nacional e nas cameras de vereadores. Enfim os poderes judiaciario e legislativo se subordinaram totalmente ao executivo.

Nome: Rômulo Fischer Nº:25/ 2ºC

Anônimo disse...

1-Jango (João Goulart) havia sido democraticamente eleito vice-presidente pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) – na mesma eleição que conduziuJânio da Silva Quadros do Partido Trabalhista Nacional (PTN) à presidência, apoiado pela União Democrática Nacional (UDN). O golpe estabeleceu um regime alinhado politicamente aos Estados Unidos da América e acarretou profundas modificações na organização política do país, bem como na vida econômica e social. Todos os cinco presidentes militares que se sucederam desde então declararam-se herdeiros e continuadores da Revolução de 1964.[2]O regime militar durou até 1985, quando Tancredo Neves foi eleito, indiretamente, o primeiro presidente civil desde 1960.

2- Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classesconservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.
Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista.
3- A expressão anos de chumbo foi aplicada inicialmente a um fenômeno da Europa Ocidental, relacionado com a Guerra Fria e com a estratégia da tensão. Designa o período compreendido aproximadamente entre o pós-1968 e o fim dos anos 1970, na Alemanha, ou meados dos anos 1980, naFrança e na Itália — anos marcados por violência política, luta armada e revolucionária de extrema esquerda e de terrorismo de Extrema direita, bem como pelo endurecimento do aparato repressivo dos estados democráticos da Europa Ocidental. Posteriormente a expressão passou a designar esse período de radicalização política, também fora da Europa — particularmente nos países do Cone Sul.

4- Também conhecido como milagre brasileiro, se caracterizou pela modernização das indústrias e pelas obras que estavam acontecendo, porém grandes grupos econômicos tinham interesse nos lucros advindos da ditadura forçando a construção de grandes obras de infra-estrutura.
Naquela época, muito dinheiro foi ganho à custa de empréstimos externos. Alguns diziam que o retorno do investimento das empresase grupos multinacionais era necessário, o golpe foi imenso. O Brasil cresceu, mas endividou-se, mas mesmo assim foi elevado à oitava economia do planeta.
Os empréstimos a juro barato se extinguiram, o crescimento desacelerou, o país entrou em grandes dificuldades de caixa e principalmente de liquidez. Muitas obras pararam ou tiveram sua qualidade diminuída em função da falta de dinheiro para um término adequado, outras foram inauguradas às pressas.
O governo militar, prevendo aonde isso poderia chegar, viu-se forçado a mudar de estratégia. Já em meados de 1976, iniciou um lento processo de abertura democrática e adequação social. Este processo não poderia ser rápido demais, pois poderia haver uma explosão social, nem muito lento, pois a recessão advinda poderia destruir a economia do país.

5- A Publicidade do Regime Militar de 1964 influenciou mais de uma geração de brasileiros pela sua veiculação em todos os meios de comunicação. Brasil: Ame-o ou deixe-o!", era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis.

6- O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.
O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Georgia e Maria Júlia – 12 e 23 – 2ºB

Anônimo disse...

1- Pois militantes de direita acusaram Jango, como era conhecido, de ser comunista e o impediram de assumir o cargo como presidente. Foi feito um acordo político e o Parlamento brasileiro cria o regime parlamentarista, sendo João Goulart chefe de Estado. Em 1963 há um o povo brasileiro votou pela volta do regime presidencialista, e João Goulart finalmente assume a presidência da república com amplos poderes.

2- Os estudantes se reuniram, e fizeram passeatas com a ajuda de trabalhadores, reivindicando contra o que estava acontecendo. Assaltaram bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição arma.

3- E expressão 'anos de chumbo' refere-se a um período da ditadura militar brasileira (1964-1985), inaugurada com o golpe militar que derrubou o governo democrático de João Goulart; foi o período mais repressivo da ditadura militar no Brasil, estendendo-se basicamente até o fim de 1968.

4- O "milagre econômico" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, no governo Médici.
Nesse período do desenvolvimento brasileiro, houve aumento da concentração de renda e da pobreza.

5- "Brasil: Ame-o ou deixe-o!"/
"Brasil:AME-O"/
"Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".

6- Ato Institucional número 5, foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar.O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Ana Carolina (03) 2B

Anônimo disse...

Matheus Lucas Bernardes (25) – 2b
1) O Brasil, na presidência de Jânio Quadros, sofreu um golpe militar. Eles ligados a força e a um sistema político, ficar intimidados com o potencial de que a liberdade de expressão dos jovens, estudantes, trabalhadores mudassem o poder político do Brasil para o socialista. Diz-se força devido à ligação dos Estados Unidos da América estar apoiando o golpe militar, pois no auge da guerra fria era ele quem comandava os grupos capitalistas, e não queria perder uma nação para o socialismo da União Soviética.

2) Após o golpe militar, os interesses políticos e sociais eram próprios, mas o medo continuou os atingindo, causando várias mudanças no sistema que os amparavam das opiniões do povo e da política opositora. Foram criados vários decretos que atingiam os políticos que eram forçados ao bipartidarismo ou tinham seus mandatos caçados, e tais decretos tiraram do povo a oportunidade do voto, tornando assim a eleição do presidente uma decisão apenas dos políticos e militares que apoiavam o regime militar, a (junta militar).


3) Os anos de chumbo foi o nome dado aos anos de posse do general Emílio Garrastazu Médici, recebeu tal nome por ser o governo mais repressivo e agressor de todos os militares antecessores. Todos eram alvo de várias investigações e de várias torturas, os movimentos artísticos, jornais, expressam opinião censurada do governo, todos castigados com o exilo do país, torturas, e onde o centro de todas as investigações estavam no comando o DOI-CODI, destacamento de operações e informações e ao centro de operações de defesa interna, que ganhou ainda mais força na guerrilha do Araguaia.

4) O milagre econômico foi a etapa que ocorreu dos anos de 1969 a 1973 as mudanças econômicas no Brasil, que não paravam de crescer e juntos com a economia, as dividas também não paravam de crescer, onde os empréstimos do exterior não paravam de crescer, mas toda a evolução do setor econômico levou a criarem muitas oportunidades de emprego, muitas obras de ligação das cidades, e o PIB a aumentar cada vez mais ao ano.

5) Tinha como slogan, que o Brasil iria parar de investir e combater a inflação. Prometiam ao Brasil mudanças que acarretariam a evolução econômica e social do país. Embora não seria com a força nem com a opressão que seria conseguido tal mérito.

6) O ato de número 5, foi um ato institucional que dava o direito ao atual presidente de revindicar os mandatos de políticos, poderes públicos, e também com os direitos do cidadão como corte do Habeas corpus.

Alexandra disse...

1-Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar?

Um dos principais motivos alegados foi evitar a instalação de um governo totalitário comunista no Brasil. João Goulart era o homem certo, na hora errada. Pacífico e conciliador, num momento em que a ninguém interessava a conciliação, acabou sendo envolvido num clima de agitação que apressou o seu fim.
O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organizações populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.

2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
O Congresso Nacional foi pressionado de todas as formas pelos militares
O movimento estudantil, de orientação esquerdista, realizava protestos nas ruas.

3- O que foi os anos de chumbo ?
O general Medici governou o país durante o regime militar, sendo o seu governo conhecido como 'os anos de chumbo da ditadura', devido à violentíssima repressão promovida à oposição durante seu governo. Prisões, torturas e grupos de extermínio foram fatos comuns em seu governo, que lhe deram o apelido de "Carrasco Azul", devido ao seu sobrenome, Garrastazu.


4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?

Em 1967, a economia dava sinais de recessão. Delfim Netto, então encarregado pela economia do país, passou a investir nas empresas estatais, nas áreas de siderurgia, petroquímica, geração de energia, entre outras. As medidas surtiram efeito, e os investimentos nas estatais renderam muitos lucros. O processo de industrializaçãofinalmente havia chegado ao Brasil, gerando milhões de empregos. Em 1969, quando Emílio Garrastazu Médici assumiu a presidência, o “Milagre Econômico” acontecia. O processo de industrialização finalmente havia chegado ao Brasil, gerando milhões de empregos. Como resultado, nos anos seguintes, a classe média teve aumentos consideráveis em sua renda, enquanto aumentava o abismo social no país. O aumento das desigualdades sociais e as divida externa assumida nessa época são as principais heranças do Milagre Econômico no Brasil.


5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?

"Ninguém segura este país"
"Brasil grande"
"Ame-o ou deixe-o"
“O máximo de desenvolvimento possível, com o mínimo de segurança indispensável”
“Cinquenta anos de progresso em cinco anos de governo”


6- Escreva sobre o AI-5:

No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional Número 5 (AI-5). AI-5 foi o quinto de uma série de decretos emitidos peloregime militar brasileiro nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil. Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial. Foi o instrumento que deu ao regime poderes absoluto e cuja primeira conseqüência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano.


Alexandra - nº 01- 2ª A

Anônimo disse...

Alunas: Daniela Luz (06) e Gabriela Luz (10) 2°B

1) Desgastado com a crise econômica e com a oposição de militares, o presidente procurou fortalecer-se, participando de manifestações e comícios que defendiam suas propostas. Fez um comício que foi bastante marcante à todos os brasileiros, onde João Goulart em seu discurso, anunciou uma série de medidas. A oposição acusava o presidente de desrespeito á ordem constitucional. Na reunião da Associação dos Sargentos e Suboficiais da Polícia Militar, o general Olímpio Mourão Filho iniciou, uma movimentação de tropas de Juiz de Fora, em direção ao Rio de Janeiro. Este foi o início da Revolução Redentora, um dos nomes dados pelos militares ao golpe de estado, que derrubou o governo de João Goulart .


2) Após o novo regime, os estudantes, organizações populares e trabalhadores, ganham espaço. Com isso causando preocupações das classes conservadoras, sendo eles: empresários, banqueiros, Igreja, militares e a classe media. Todos esse temiam um País pendendo para o lado socialista.

3) Anos de chumbo foi um fenômeno relacionado com a Guerra Fria e com a estratégia da tensão que aconteceu na Europa Ocidental, no período entre o pós-1968 e o fim dos anos 1970, na Alemanha, França e Itália. Estes foram anos marcados por violência política, luta armada e revolucionária.
Durante esse período, houve o desaparecimento e morte de centenas de militantes, políticos e estudantes de esquerda, além de militares, policiais e civis condenados pelos tribunais revolucionários da extrema-esquerda e em ações terroristas.


4) O milagre econômico brasileiro é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a Regime militar no Brasil, e nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a conquista da terceiraCopa do Mundo de Futebol em 1970 no México, e a criação do mote: "Brasil, ame-o ou deixe-o”


5) Os dois primeiros anos do governo do general Artur da Costa e Silva, foram presenciadas várias manifestações de protesto contra o regime militar, contra o cerceamento das liberdades e contra o arrocho salarial. A UNE (União Nacional dos Estudantes), apesar de extinta, promoveu várias passeatas em todo o país. Aos estudantes se juntaram alguns representantes da classe política, do meio artístico, da Igreja e das classes trabalhadoras. A maior manifestação de protesto, a Passeata dos Cem Mil.

6) O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.
O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Anônimo disse...

1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
Jango sofreu o golpe militar pelo Estados unidos e a população achar que ele queria o socialismo no Brasil, e não era bem isso que ele queria, ele apenas defendia a ideia de todos os brasileiros terem um planejamento e uma boa organizaçao. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Antes de sofrer o golpe, e criado o comicio de jango, Neste plano, Jango prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país. Seis dias depois, em 19 de março, os conservadores organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo. O clima de crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia. No dia 31 de março de 1964, tropas de Minas Gerais e São Paulo saem às ruas. Para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai. Os militares tomam o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos , então após essa pressao toda imposta ao seu governo Jango foge e Castelo Branco assume disposto a mudar a forma de governo.
2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
além de dissolver os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar. Em seu governo, ou seja politicos foram cassados, muita pessoa presa. Foi um regime muito rigido sem ocorrer nenhuma modancas nas ordens impostas.
3- O que foi os anos de chumbo ?
Os anos de chumpo foram marcadas por muita pressão do governo e muita rigidez com a populacão, Os Anos de Chumbo foram o período mais repressivo da ditadura militar no Brasil, estendendo-se basicamente do fim de 1968, com a edição do AI-5 em 13 de dezembro daquele ano, até o final do governo Médici, em março de 1974. Alguns, reservam a expressão "anos de chumbo" especificamente para o governo Médici. [2] O período se destaca pelo feroz combate entre a extrema-esquerda, de um lado, e de outro, o aparelho repressivo policial-militar do Estado, eventualmente apoiado por organizações paramilitares e grandes empresas, tendo como pano de fundo, o contexto da Guerra Fria. Durante esse período, houve o "desaparecimento" e morte de centenas de militantes, políticos e estudantes de esquerda, além de militares, policiais e civis condenados pelos tribunais revolucionários da extrema-esquerda e em ações terroristas. A liberdade de imprensa, de expressão e manifestação foram cerceadas. Por outro lado, alguns noticiários, como o Jornal Nacional, brasileiro".
4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
O chamado milagre econômico veio logo depois dos anos de chumbo, o chamado milagre econômico brasileiro,foi um período de intenso crescimento econômico e de posterior endividamento. De 1968 a 1973 o PIB do Brasil cresceu acima de 10% ao ano, em média, apesar da inflação, que oscilou entre 15% e 20% ao ano, e da grande concentração de renda, com redução dos salários reais, acentuação da desigualdade social e aumento da pobreza, com cerceamento às liberdades individuais associado à repressão política.
Lukas Grazziotin Nº21 2ºB

Anônimo disse...

5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?

BRASIL- AME-O OU DEIXE-O

Eles alegavam que com as novas regras impostar o brasil iria ser melhor, so haveriam mudanças pra melhor, so que eles teria que tem um pouco de paciencia com as novas formas que poderiam mudar um pouco para acontecer as mudanças.

6- Escreva sobre o AI-5: O Ato Institucional Nº5 ou AI-5 foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar brasileiro nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil. O AI-5 sobrepondo-se à Constituição de 24 de janeiro de 1967, bem como às constituições estaduais, dava poderes extraordinários ao Presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais.
Redigido pelo ministro da justiça Luís Antônio da Gama e Silva em 13 de dezembro de 1968, entrou em vigor durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva, o ato veio em represália à decisão da Câmara dos Deputados, que se negara a conceder licença para que o deputado Márcio Moreira Alves fosse processado por um discurso onde questionava até quando o Exército abrigaria torturadores ("Quando não será o Exército um valhacouto de torturadores?"[2]) e pedindo ao povo brasileiro que boicotasse as festividades do dia 7 de setembro.
Mas o decreto também vinha na esteira de ações e declarações pelas quais a classe política fortaleceu a chamada linha dura do regime militar. O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi o instrumento que deu ao regime poderes absolutos e cuja primeira conseqüência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano.
Lukas Grazziotin Nº21 2ºB

Anônimo disse...

Jeana nº14 2ºA


1. O governo de João Goulart abriu espaço para estudantes, organizações populares e trabalhadores, fazendo com que empresários, banqueiros, militares e outros de classe média se sentissem prejudicados por esse avanço social. Assim, estes militares organizaram uma manifestação para acabar com as intenções de João Goulart, que teve que fugir.

2. Falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra. Os sindicatos receberam intervenção do governo militar. Foi aprovada uma nova constituição que confirmou e institucionalizou o regime militar e suas formas de atuação. Quanto aos políticos, vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados.

3. Foi o período em que quem estava no governo era o general Emílio Garrastazu Medici. Esse período foi marcado por censura, lutas armadas, torturas. Todos os tipos de artistas foram torturados e exilados de país. Nenhuma ação que não fosse aceita pelo governo era tolerada, e o massacre estava feito.


4. Com o PIB do Brasil crescendo quase 12 % ao ano, e a inflação não estava alta, o país se reconstituiu, com novos empregos e obras. Tudo isso graças aos altos empréstimos feitos do exterior, que estava acumulando uma grande dívida para o país.

5. “você constrói o Brasil”, “Ninguem segura este país”, “Brasil, conte comigo”, “Brasil, ame ou deixe-o”. Querendo que o povo apoiasse e achasse que tudo que estava sendo feito, era par ao bem do país.

6. Ato Institucional número 5. O mais duro de todos os governos até o momento. Cassou mandatos, eliminou o habeas-corpus e teve repressão militar total.

Anônimo disse...

Paulo Meneses nº 26 2ºA



1- O governo de João Goulart foi marcado pela abertura às organizações
sociais, causando a preocupação das classes conservadoras, assim, todos
temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Os conservadores
então organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart e o
militares ganham o poder.

2- Estabelecimento das eleições
indiretas para presidente, além da extinção os partidos políticos.
Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos
cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais
cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar.


3- Aconteceu durante o governo Medici, considerado o governo mais duro e
repressivo dessa época. A repressão à luta armada cresce e uma severa
política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros,
peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística
são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e
escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.


4- Foi o período que vai de 1969 a 1973. O PIB brasileiro crescia 12% ao ano,
enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e
empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de
infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos
pelo país. Obras grandiosas foram executadas, como a Rodovia
Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve
um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos
estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões
econômicos do Brasil.

5- Campanhas oficiais incentivavam o ufanismo utilizando slogans: Ninguém mais segura este país, ame-o ou deixe-o, entre outras.


6- O AI-5 (Ato Institucional Nº 5) foi o mais duro golpe do regime militar,
pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do
habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Anônimo disse...

Gustavo laurentino numero:11 turma:segundo A.....

1-Ogoverno de João Goulart foi determinado pela abertura às organizações
sociais,provocando a preocupação das classes conservadoras, assim, todos
tinha medo de uma troca do Brasil para o lado socialista. Os conservadores
então fizeram uma manifestação contra os princípios de João Goulart e os
militares ganharam o poder.
2-Estabelecimento das eleições indiretas para presidente, além da abolição os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram a cassação de seus mandatos, cidadãos receberam seus direitos políticos e constitucionais
perdidos e os sindicatos receberam mediação do governo militar.
3-Aconteceu durante o governo Medici, considerado o governo mais duro e
repressivo dessa época.A repressão à luta armada cresce e uma dura
política de censura é colocada emfuncionamento. Jornais, revistas, livros,
peças de teatro e outras formas de expressão artística
são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e
escritores sãoprocurados, presos, torturados ou mandados para fora do país.
4-Foi o período que vai de 1969 a 1973. O PIB brasileiro aumentava 12% no ano,
enquanto a inflação chegava em torno de os 18%. Com investimentos internos e
empréstimos do exterior, o país seguio em frente e estruturou uma base de
infra-estrutura. Todos estes investimentos fizeram milhões de empregos
no país. Obras imensas foram executadas, como a Rodovia
Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi.Mas, todo esse crescimento teve
um custo alto e a conta deveria ser paga nodurante anos. Os empréstimos
estrangeiros geraram uma dívida externa muito alem dos patamares econômicos do brasil
5-Campanhas oficiais apoiavam o ufanismo usando slogans: Ninguém mais segura este país , ame-o ou deixe-o....
6-oAI-5 (Ato Institucional Nº 5) foi o mais severo golpe do regime militar,
pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do
habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.E os direitos humanos já não existiam e com isso piorou mais ainda.

Anônimo disse...

Anna Karoline (o3)- 2A

1- Após a renuncia de Jânio Quadros da presidência, o vice João Goulart assumiu. Em seu mandato Jango deu prioridade as classes menos favorecidas, como os estudantes, organizações populares e trabalhadores, que acabaram ganhando espaço na sociedade. Tentou implantar reformas que também favoreciam essas classes. As classes conservadoras, como os banqueiros e empresários, preocupados que o Brasil se tornasse socialista decidem pressionar o presidente com o apoio dos militares, gerando então o golpe militar.
2- Muitos foram presos, torturados, mortos, pessoas desapareciam, qualquer um que fosse contra o governo militar, sofria as consequências. Quem era contra o regime militar foi proibido de expressar seu pensamento, onde tudo que seria publicado ou transmitido deveria passar pelos militares.
3- Foi o período mais em que o governo foi considerado o mais duro e repressivo. Artistas, músicos, políticos, professores, escritores foram investigados, presos, torturados ou exilados do país. Jornais, filmes, livros, músicas foram censuradas. Tudo que era contra o governo era impedido.
4- Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico, pois foi um crescimento muito grande na economia do país. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.
5- Foram criadas as mais diversas frases de efeito, por exemplo: "Brasil: Ame-o ou deixe-o!", era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis. "Brasil:AME-O", muitas empresas de transportes de valores utilizavam-na ostentada em seus veículos. "Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".
6- Ato Institucional nº 5, AI-5, baixado em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do general Costa e Silva, foi a expressão mais acabada da ditadura militar brasileira (1964-1985). Vigorou até dezembro de 1978 e produziu um elenco de ações arbitrárias de efeitos duradouros. Definiu o momento mais duro do regime, dando poder de exceção aos governantes para punir arbitrariamente os que fossem inimigos do regime ou como tal considerados. O ano de 1968, "o ano que não acabou", ficou marcado na história mundial e na do Brasil como um momento de grande contestação da política e dos costumes. O movimento estudantil celebrizou-se como protesto dos jovens contra a política tradicional, mas principalmente como demanda por novas liberdades. O radicalismo jovem pode ser bem expresso no lema "é proibido proibir".

Anônimo disse...

1-O governo de João Goulart foi marcado por “abrir as organizações sociais”, equilíbrio social. Onde estudantes e trabalhadores ganham espaço, e assim causam preocupação das classes conservadoras, como empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Assim gerando uma revolta de tal modo em que os militares atacassem o governo de João Goulart e consequentemente o Brasil também.



2.Quem fazia parte da oposição a esse novo regime de João Goulart, promoveu uma manifestação muito grande chamada Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo. A tensão da crise aumentava a cada dia.

3.O governo de Emílo Medici é considerado o mas duro e repressivo do famos período, por isso assim ficou chamado como 'Anos de Chumbo.'




4. O Milagre Econômico,o país crescia de forma muito acelerada . Este período vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação ficava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo muto elevado a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5."O último a sair, apague a luz do aeroporto."
"A ditadura é um estado em que todos têm medo de um e um tem medo de todos."
"Brasil, ame-o ou deixe-o.";

6.
O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva.O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Isabela Cadori n 15 2B

Anônimo disse...

1- Como o partido do João Goulart foi marcado pela abertura das organizações sociais, e aonde os Estudantes, as organizações populares e os trabalhadores ganharam espaço, os empresário, os militares e a igreja católica se revoltaram e realizaram a Marcha da família com Deus pela liberdade a favor da ditadura militar.
2- 2- Com a integração do Ato Institucional Número 1 (AI-1), este por sua vez cassava os políticos estudantes e quem mais se opunha ao regime estabelecido. Os opositores perdiam seus direitos políticos e constitucionais cancelados. Os estudantes se organizaram, se manifestando contra o regime, através da UNE (União Nacional dos Estudantes), criando um movimento dos Cem Mil.
3- Foi considerado o período mais duro da ditadura militar, no mandato do general Emílio Garrastazu Médici, a repressão pela luta armada cresceu e uma severa censura e colocada em execução. Jornais, revistas, pecas de teatro e outras formas de manifestações artísticas foram duramente censuradas.
4- Neste período o país crescia e se desenvolvia rapidamente, necessitava-se de orçamento para custear a infra-estrutura, em razão disso o governo buscava empréstimos no exterior. Com esse desenvolvimento, gerou muitos empregos, com implantação de rodovias e grandes obras, mas também gerou como conseqüência, altas dívidas financeiras futuras para o padrão econômico do país.
5- Utilizavam frases em cartazes para a motivação da população a favor do regime militar, como “Brasil, ame-o ou deixe-o”.
6- O AI-5 (ato institucional numero Cinco) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro. Uma represália que pediu ao povo brasileiro que boicotasse os festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar.

Gabriela Benedet N 09 2B EM

Anônimo disse...

1- João Goulart e o Brasil sofreram golpe militar porque: organizações populares de esquerda – socialistas – tomaram espaço. O que preocupou muito as classes mais conservadoras. Os partidos de oposição – UDN e PSD - acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda(socialista).
1964 - João Goulart realiza um grande comício defendendo as Reformas de Base. Devido a isto, uma parte da classe conservadora faz uma manifestação contra Jango. A tensão política e social aumenta no Brasil, as tropas saem as ruas. Então é aí que Jango foge para o Uruguai, para evitar que houvesse uma guerra civil, e assim os militares tomaram o país através da imposição de seu poder militar.
2- Governo Castello Branco (1964-1967): general militar; inicialmente disse que defendia a democracia mas ao colocar em prática suas palavras em seu governo; teve postura totalmente diferente. Ao governar seu mandato foi altamente autoritário.
Estabeleceu eleições indiretas para presidente, dissolveu os partidos políticos. Os parlamentares federais/estaduais tiveram seus mandatos cassados, já os direitos civis dos cidadãos foram cancelados, houve intervenção do governo militar nos sindicatos.
3- Governo Médici (1969-1974): A junta militar escolhe o novo presidente; Emílio Medici. Seu governo é conhecido como “anos de chumbo”, devido à repressão e dureza com que impunha seu regime militar. Seu regime com repressão à luta armada; era a favor da censura de qualquer meio artístico (pintores, escritores, músicos) ou comunicação(televisão, revistas,jornais), que tivesse principalmente, algo contra a ele.
O DOI-Codi foi criado para atuar como centro de investigação e repressão militar. Investigava letras de músicas, meios de comunicação, e o que fosse contra este partido militarista, eles torturavam, etc.
4 – O milagre Econômico ficou conhecido assim pois o país cresceu muito rapidamente. O PIB anual aumentou muito, fazendo com que o país se desenvolvesse. E para isto, ele precisava de investimentos ( empréstimos) de países externos. Com o tempo, houve muito desenvolvimento da infra-estrutura brasileira, aumento de trabalhos para a população. Mas sua evolução como país, também teve suas consequências: as dívidas externas,que deveriam ser pagas no futuro. Porém toda dívida tem juros, o que acarreta a acumulação ainda maior destas.

5 – “Pra frente Brasil; Salve a Seleção; Brasil, ame-o ou deixe-o”. Usavam até a Seleção brasileira de futebol como slogan (copa de 1978). E estes slogans não eram exatamente para aceitarem a ditadura, pois a população era contra ela, nada iria mudar sua opinião sobre isso, pois queriam a democracia. Isso era somente um modo de persuasão, de tentar mudar a opinião do povo, e aceitar a ditadura.. Mas como a maioria da classe conservadora sabia que população não aceitaria em paz, houve a implantação da ditadura militar à repressão armada. O povo tentou lutar por seus direitos através de passeatas, e greves, porém não adiantou tanto. Somente houve diferença, quando o povo insistiu em movimentos a favor de sua liberdade. Pois os políticos mandavam cassare-los, tirar os direitos civis dos cidadãos, etc.
Começou-se dizendo que: defendiam a democracia, que queriam o melhor para o povo. Porém, quando foi posto em prática, a ditadura foi implantada, e seguida assim anos por diante. Mas isso não fez com que o povo se contivesse, eles foram à luta por seus direitos, e por isso hoje temos democracia em nosso país.
6- Arthur Costa e Silva criou o Ato Institucional número 5 (AI-5 ). Foi o ato mais duro por que aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial. Após a revolta da guerrilha urbana “entrar em ação”.

Marina de Lara Bertollo - 2ºC- nº18

Anônimo disse...

1- Jango prometia mudanças radicais na estrutura agrária econômica e educacional do país, o clima estava ficando muito tenso, os militares e outros partidos políticos contra , temiam que o Brasil vire socialista, pois ele dava liberdade para pessoas que antes não tinham como se expressar. Então militares tomam uma atitude, e tomam o poder, deixando Jango em exílio.

2- Alguns políticos tiveram seus mandatos cassados, e alguns funcionários públicos perdem a estabilidade nos empregos. Estudantes sofrem torturas, isso mostra o poder e controle político, para conseguir o comando, usavam a força e autoridade

3- Foi o governo mais duro de 1969, é feito um controle na mídia para que nada saísse do controle, aconteceram muitas torturas, prisões, e exílios nessa época.

4- Alguns investimentos internos e empréstimos do exterior o país conseguiu avançar. Foram gerados muitos empregos beneficiando a população. Porem foram custos super altos e deveriam ser pagos futuramente, deixando o país com uma divida externa elevada.

6- Ato institucional número 5, foi decretado pelo governo ,e foi o mais duro de todos, aumentou a repressão policial, cassou mandatos, e aposentou juízes .

Pedro Compiani - 2b n:28

Anônimo disse...

R1: João Goulart e o Brasil sofreram golpe militar por que: Como as organizações populares de esquerda – socialistas – tomaram espaço. O que preocupou muito as classes mais conservadoras. Os partidos de oposição – UDN e PSD - acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda (socialista). 1964 - João Goulart realiza um grande comício defendendo as Reformas de Base. Devido a isto, uma parte da classe conservadora faz uma manifestação contra Jango. A tensão política e social aumenta no Brasil, as tropas saem às ruas. Então é aí que Jango foge para o Uruguai, para evitar que houvesse uma guerra civil, e assim os militares tomaram o país através da imposição de seu poder militar.

R2: Quando Castello Branco assumiu o poder, inicialmente disse que defendia a democracia, mas ao colocar em prática suas palavras em seu governo; teve postura totalmente diferente. Ao governar seu mandato foi altamente autoritário. Estabeleceu eleições indiretas para presidente dissolveu os partidos políticos. Os parlamentares federais/estaduais tiveram seus mandatos cassados, já os direitos civis dos cidadãos foram cancelados, houve intervenção do governo militar nos sindicatos.

R3: Foi o período (entre 1969 – 1974) em que o general Medici, foi escolhido para ser o novo presidente do Brasil. Por ser o governo mais repressivo e duro do período da ditadura ficou conhecido como “anos de chumbo”.
R4: A época do Milagre Econômico (ocorreu entre 1969 – 1973) onde a área econômica do Brasil crescia rapidamente. O PIB (produto interno bruto) do país chegou a uma taxa de 12% de aumento no ano. O Brasil investiu internamente com empréstimos do exterior, avançando a uma estrutura de base. Com esses investimentos foram gerados milhões de empregos pelo país.
R5: “Pra frente Brasil; Salve a Seleção; Brasil ame-o ou deixe-o”. Usavam até a Seleção brasileira de futebol como slogan (copa de 1978). E estes slogans não eram exatamente para aceitarem a ditadura, pois a população era contra ela, nada iria mudar sua opinião sobre isso, pois queriam a democracia. Isso era somente um modo de persuasão, de tentar mudar a opinião do povo, e aceitar a ditadura. Mas como a maioria da classe conservadora sabia que população não aceitaria em paz, houve a implantação da ditadura militar à repressão armada. O povo tentou lutar por seus direitos através de passeatas, e greves, porém não adiantou tanto.

R6: O AI-5 foi o Ato Institucional número 5, foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva. O AI-5 foi uma revanche ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.
Laila, 16 – 2ª A.

Anônimo disse...

Ricardo Régis Rocha N: 28 2ano A

1- Nessa época o Brasil era governado por Jânio Quadros, até ele renunciar, sendo então assumido pelo Vice João Goulart. Como “novo” presidente, Goulart queria fazer muitas reformas, e para isso precisava de uma base econômica muito grande para evoluir o país. Com esse plano, muitas pessoas da classe alta junto com a CIA, temeram que fosse implantado o socialismo, e forjavam documentos, e provas que pressionava o presidente. Com essa oposição, João Goulart fugiu para o Uruguai, e nesse tempo, o Brasil estava sem governo, até que os militares assumiram o poder, e foi implantado o golpe militar.

2- Todos opositores que demonstravam ser da oposição, eram de certa forma punidos, com torturas, prisão, e muitos eram até mortos. Todas ideias não podiam ser exibidas sem que antes o governo olhasse. Muitos músicos, foram presos, por mostrarem suas ideias através da música, políticos por mostrarem suas opiniões, estudantes protestando pelo fim da ditadura, entre outros.

3- Os anos de chumbo foram os anos mais "pesados" da ditadura militar, onde tudo era fiscalizado antes de ser passado para a mídia. Tudo que era contra a opinião do governo, era punido ou censurado. Foram os anos em que muitas pessoas foram presas, assim como protestantes, políticos, cantores, etc, no qual tentavam mostrar suas opiniões, e eram apanhados.
4- O Milagre Econômico ocorreu entre 1969 até 1973 e foi um período de imenso crescimento econômico para o país. O PIB brasileiro crescia mais de 12% ao ano. Os empréstimos feitos neste período geraram uma dívida externa imensa para o país, a qual mais tarde recairia sobre o povo suas conseqüências. O país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura, gerando milhões de empregos. Como uma das consequências, o país crescia e os pobres continuavam pobres e a concentracão de renda aumentava.
5- O governo monopolizou a mídia nas mãos da Rede Globo e músicas como "País Tropical" e "Eu Te Amo, Meu Brasil" foram utilizadas para fortalecer a campanha, sob o slogan: "Brasil, Ame-o ou Deixe-o!". Com isso incentivar o patriotismo brasileiro "forçado".
6- O AI-5 significava Ato Institucional Número 5, que como consequência disso, foi aposentado juízes, cassou mandatos, acabava com garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial. Com esses fatores o governo conseguia ter mais poder sobre a população e aumentar a repressão

Anônimo disse...

Lucas Nº 17 2ºA

ATIVIDADE:
1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
3- O que foi os anos de chumbo ?
4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
6- Escreva sobre o AI-5:

1- Porque os conservadores e os partidos opositores fizeram manifestações contra as intenções de João Goulart. Eles acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda e de ser o responsável pela carestia e o desabastecimento que o Brasil enfrentava. O governo de Jango foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando aflição das classes maiores. Com medo de uma guerra civil João Goulart se refugiu no Uruguai, deixando assim os militares no poder do Brasil e começando a ditadura militar.

2- Os políticos, estudantes e opositores ao regime militar sofriam muito, eles eram caçados, investigados , presos, torturados ou exilados do país.

3- 'Os anos de chumbo' foram os mais difíceis para o Brasil. O governo Medici é considerado o mais duro e repressivo durante o período da ditadura militar. A repressão à luta armada crescia e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. Os anos de chumbo foram de muita tensão, opressão e repressão no Brasil.

4- O milagre econômico foi o período onde o PIB brasileiro cresceu 12% ao ano, enquanto a inflação beirava 18%.Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro.

5- “O último a sair, apague a luz do aeroporto."
“A ditadura do proletariado constitui-se na transição para atingir uma sociedade sem classes."
“A diferença entre uma democracia e uma ditadura consiste em que numa democracia se pode votar antes de obedecer as ordens."
6- O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.
O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Anônimo disse...

Marina Eing Barbosa - 19 - 2ºC

1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socalista, temiam um golpe comunista. João Goulart era acusado de estar planejando um golpe de esquerda, enquanto na verdade prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país. No dia 19 de Março, os conservadores organizaram uma anifestação contra as inteções de Jango, chamada de marcha da família com Deus pela liberdade. As manifestações foram crescendo cada vez mais, então o político deixa o país, refugiando-se no Uruguai para evitar uma guerra civil, e foi assim que os militares tomaram o poder. 9 de Abril foi o dia em que foi decretado o Ato Intitucional Número 1 (AI-1), um cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar que tira a estabilidade dos funcionários públicos do país.

2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime? Cidadãos tiveram seus direitos políticos e institucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar. Foi modificado o modo deorganização do governo, só dois partidos tinham o direito de atuar: O MDB e o ARENA. Em 1967, o general Arthur da Costa e Silva assume a presidência após ser eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo
foi marcado por protestos e anifestações sociais. A UNE foi criada (União Nacional dos Estudantes) e protestavam, assim como greves
de operários aconteciam, paralisando fábricas, contra o regime militar. Jovens idealistas de esquerda assaltavam bancos e seuqestra-
vam embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada. Por causa desta loucura toda, o governo decreta o
Ato Institucional número 5 (AI-5), aposentando juízes, cassando mandatos, acabando com as garantias do habeas-corpus e aumentando
a repressão militar e policial.

3- O que foi os anos de chumbo ?
Foram os anos mais duros e repressivos da ditadura militar. Foi durante a presidência do general Emílio Garrastazu Medici.
Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e variadas outras formas de expressão foram censuradas. Muitos professores,
políticos, músicos, artistas e escritores foram investigados, presos, torturados ou exilados do país. A letra da música "Cálice" de Chico
Buarque, refere-se a ditadura militar em seus anos de chumbo. A palavra cálice da música, na verdade, quer dizer cále-se, do verbo calar,
representando a censura da época.

4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. A inflação era instável, todos os dias, todas
as mercadorias tinham seus preços alterados. Estes investimentos geraram milhões de empregos, mas mesmo assim seu preço foi alto,
pois fora feito muito empréstimo do exterior, onde a conta deveria ser paga no futuro, mas era muito elevada para os padrões econômicos
do Brasil.

5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares, para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
Pessoas sofrendo, geralmente. Slogans que mostram claramete como a hierarquia deveria ser. Indicam meio que, organização, ou seja,
que a ditadura organiza e coloca o povo no eixo.

6- Escreva sobre o AI-5:
No dia 13 de Dezembro de 1968, o governo do general Arthur da Costa e Silva, decreta o Ato Institucional número 5 (AI-5). Este foi o ato
mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão
militar e policial.

Anônimo disse...

VIVIAN nº 31 2ºA
Jango tinha pensamentos e ideias de esquerda, e queria favorecer a classe de base, pois cria que os "trabalhadores" tinham que ter benefícios. Porém, os poderes conservadores e dominantes do capital, temeram que esse movimento se transformasse num socialismo, então para impedir futuras balbúrdias, tomaram as ruas, fazendo João Goulart recuar, e então obtiveram o poder.
Aqueles que não concordavam e se opunham ao novo regime, eram investigados, perseguidos, presos, torturados, e até exilados. Não tinham direito à vida social e eram frequentemente vigiados, para que não houvesse mais problemas.
Os anos de chumbo aconteceram no fim da década de 60, e início de 70, quando Médici assumiu o poder e implantou um militarismo ainda mais autoritário, onde professores, estudantes, escritores, músicos, e artistas começaram a "entrar na mira" do governo e a ser vigiados.
O Milagre econômico ocorreu nessa mesma época com o mesmo governo. Aconteceu que de maneira abrupta, o PIB começou a aumentar rapidamente, e as relações internacionais estavam estreitas a ponto de bons empréstimos e negociações, sem contar o fato dos grandes investimentos governamentais. Inclusive obras antes inviáveis foram assinadas. O problema, é que Médici saiu do poder,e sequencialmente aconteceram crises petrolíferas e recessões econômicas, o que acabou com os empréstimos internacionais.
A opressão ocorria de uma forma que, para manter o povo em ordem, criavam-se slogans como:
“Pague seus impostos” (Castelo Branco). “A ordem do Brasil é o progresso. Marche conosco” (Costa e Silva). “Você está convidado a participar das duzentas milhas” (Médici). “O Brasil é o trabalho e participação de todos” (Geisel).
Houve também um fator chamado AI-5 (Ato institucional, número 5). Que caracterizou o mais duro governo, pois aposentou juízes, cassou mandatos e fortaleceu a opressão.

Anônimo disse...

ATIVIDADE:
1- João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média.


2- A falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.


3- O governo do general Emílio Garrastazu Medici é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo ".

4- No governo do presidente Médici foi implantado no Brasil uma medida de crescimento econômico, o principal idealizador dessa medida foi o ministro da fazenda, que atuava desde o governo Costa e Silva, Antonio Delfim Netto, esse projeto tinha como princípio o crescimento rápido. O que ocorreu para provocar esse chamado “milagre” foi o imenso capital estrangeiro no país. Foi nesse período que o Brasil, de forma concreta, entrou no processo de industrialização, mais de certo modo foi um processo sem planejamento social e que agravou mais ainda as desigualdades.

5- DIRETAS JÁ! Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Diretas Já foi um dos movimentos de maior participação popular, da história do Brasil. Teve início em 1983, no governo de João Batista Figueiredo e propunha eleições diretas para o cargo de Presidente da República. A campanha ganhou o apoio dos partidos PMDB e PDS, e em pouco tempo, a simpatia da população, que foi às ruas para pedir a volta das eleições diretas.

6- O AI-5 (Ato Institucional número 5) foi o quinto decreto emitido pelo governo militar brasileiro (1964-1985). É considerado o mais duro golpe na democracia e deu poderes quase absolutos ao regime militar. Redigido pelo ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva, o AI-5 entrou em vigor em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva.
O AI-5 foi um represália ao discurso do deputado Márcio Moreira Alves, que pediu ao povo brasileiro que boicotasse as festividades de 7 de setembro de 1968, protestando assim contra o governo militar. A Câmara dos Deputados negou a licença para que o deputado fosse processado por este ato.

Catarina, n˚05 - 2˚ EM B (Salesiano Itajaí)

Anônimo disse...

1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram um golpe militar?
R: O período em que João Goulart governou o Brasil, foi marcado pelas organizações sociais, o que gerou preocupação das classes conservadoras, por isso a maioria deles temiam a queda do Brasil para o lado socialista. Então, esse conservadores se juntaram e organizaram uma manifestação contra João Goulart e assim os militares ganham o poder.
2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime?
R: Agora as eleições eram indiretas, não existiam mais partidos políticos e vários políticos tiveram seus mandatos cassados. Cidadãos perderam seus poderes políticos, e houve intervenção do governo militar sobre os sindicatos.
3- O que foi anos de chumbo?
R: O general Medici governou o país durante o regime militar, sendo o seu governo conhecido como 'os anos de chumbo da ditadura', devido à violentíssima repressão promovida à oposição durante seu governo. Prisões, torturas e grupos de extermínio foram fatos comuns em seu governo, que lhe deram o apelido de "Carrasco Azul", devido ao seu sobrenome, Garrastazu. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.
4- O que foi o chamado: “Milagre Econômico”, quais as principais conseqüências para a população brasileira?
R: Foi o período que vai de 1969 a 1973. O PIB brasileiro crescia 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Obras grandiosas foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi. Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares, para convencerem a população a aceitar o regime militar?
R: Maior crescimento econômico, milagres, aliado a política ufanista, tudo criado deveria ser o maior, Slogan: Brasil ame-o ou deixe-o, ninguém mais segura este país.
6- Escreva sobre o AI-5:
R: No dia 13 de dezembro de 1968, o governo Costa e Silva, decreta o Ato Institucional Número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Victor dos Santos nº:31 2ºB

Anônimo disse...

Sara Werner n º32, 2º ano A
1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
Pois o Brasil estava em um período de instabilidade política e social, que foi agravado com a renúncia do presidente Jânio Quadros em 1961 e posse de seu vice João Goulart. O atual presidente do país estava dando espaço para organizações sociais, trazendo insatisfação para as classes conservadoras, pois tinham receio de que o governo brasileiro aderisse o socialismo. Em 1964, João Goulart expõe mudanças que seriam feitas por ele, como, reforma agrária e investimento na educação este fato então, leva a realização do Golpe Militar.


2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
Durante o regime militar, houve um fortalecimento do poder central, especialmente do poder Executivo. As pessoas que não aceitavam tal regime, como muitos estudantes e políticos , eram censurados, mortos ou exilados do país.A liberdade de expressão e de organização era quase inexistente. Os meios de comunicação e as manifestações artísticas foram submetidos à censura.


3- O que foi os anos de chumbo ?
Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente: o general Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo ". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.


4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
Com a estabilidade política e econômica que estava ocorrendo no Brasil, graças aos militares, os recursos voltaram ao Brasil, de forma muito rápida e em grande volume,e neste período o Brasil entrou no processo de industrialização, mais de certo modo foi um processo sem planejamento social e que agravou mais ainda as desigualdades.Tudo isto gerou muitos empregos para o país e muitas obras importantes foram feitas. Este é o chamado "milagre econômico". Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5- -Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
Brasil, ame-o ou deixe-o”.
“Chegou a hora de crescer sem inflação” (Castelo Branco). “Confiamos no Brasil” (Costa e Silva). “Ninguém segura o Brasil” (Médici). “Este é um país que vai pra frente” (Geisel). “O Brasil encontrou a saída. Vamos todos crescer” (Figueiredo).

6- Escreva sobre o AI-5: O movimento militar de 1964 encerrou um período de liberdade política como nunca havia existido no Brasil até então. Nos anos que se seguiram, as liberdades públicas foram eliminadas progressivamente até que, em dezembro de 1968, o Executivo decretou o AI-5 ( Ato Institucional Nº5 ) que foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar brasileiro o qual passou a concentrar poderes excepcionais, transformando o regime político praticamente numa ditadura, cuja fase mais violenta e repressiva estendeu-se até 1974. E como primeira conseqüência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano e no decorrer do período, surgiram várias formas de resistência à ação repressora do regime nos planos político, sindical e cultural.

Anônimo disse...

MARCELO DE MACEDO (33) 2B 2011

1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
3- O que foi os anos de chumbo ?
4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
6- Escreva sobre o AI-5:

RESPOSTAS...

1- O Brasil vivia uma crise desde a renuncia de Jânio Quadros em 1961. João Goulart (vice) queria discutir melhorias para o Brasil e para isso em 1964 abriu portas para organizações sociais. Os capitalistas brasileiros ficaram com medo do Brasil virar um país socialista, pois nesse período ocorria a Guerra Fria. Jango tentou realizar seus planos com um comício na Central do Brasil (RJ) discutindo mudanças agrárias, econômicas e educacionais mas após a Marcha da Família com Deus pela Liberdade e a "quase" guerra civil em MG e SP, Jango foge para o Uruguai e os militares tomam posse do governo brasileiro, criando como proteção no dia 9 de Abril de 1964 o AI-1 que cassaria todos contra o regime e tiraria a estabilidade dos funcionários públicos.

2- Inicialmente apenas com Atos Institucionais, políticos foram cassados, juizes aposentados, e o habeas-corpus excluido, além da repressão militar e policial. Em 1969 com a Lei de Segurança Nacional, professores, músicos, artistas, jornalistas, escritores, políticos e líderes são investigados, presos, torturados, exilados ou mortos.

3- teve início em 30 de Outubro de 1969, com a posse de Emílio Medici à presidência. Uma censura absurda foi aplicada em jornais, rádios, televisão e por toda a cidade, impedindo a revolta de se espalhar por propagandas, músicas, charges e outros meios. Além disso o DOI-CODI investiga, prende, tortura, mata ou exila todos que tenham influência na revolta da oposição oposição.

4- O Milagre Econômico foi o período de 1969 a 1973, onde o PIB do Brasil cresceu quase 12% ao ano. O país avançou com tecnologia e industrialização, milhões de empregos foram criados, e grandes construções foram realizadas, mas para isso grandes emprestimos foram criados e geraram imensas dívidas com outros países. As taxas aumentaram e isso trouxe a insatisfação do povo.

5- "Brasil, ame-o ou deixe-o" uma propaganda ameaçadora, de repressão, com a idéia de "aceitar a ditadura, ou desonrar a pátria e sofrer as consequências", nas quais seriam prisão, tortura e exílio.

6- o AI-5 foi criado em 13 de Dezembro de 1968 com finalidade de controlar a oposição. Foi considerado o mais forte dos Atos Institucionais pois aposentou vários juizes, cassou mandatos de políticos, acabou com o habeas-corpus e aumentou a repressão de militares e policiais na população.

Giuliana Cesário n°08 (2°A) disse...

1. Há 41 anos o Brasil ficou nas mãos dos militares, vivendo sob um regime ditatorial. No dia 31 de março de 1964 o Brasil sofreu um Golpe de Estado. Desde a renúncia de Jânio Quadros, em 1961, o país veio se arrastando numa crise política, onde caracterizou pela pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão agravada com a posse de João Goulart na Presidência da República. Os três anos do governo de Goulart foram marcados pelos movimentos de organizações sociais de esquerda, que ganharam cada vez mais espaço, e com a reação imediata de insatisfação dos conservadores da direita. 2. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras, assim como os empresários, militares, Igreja Católica e classe média, temendo o domínio do socialismo com um golpe comunista (na época o mundo estava vivendo a Guerra Fria) começaram a se articular para derrubar o populista João Goulart e suas Reformas de Base. Assim, os conservadores organizaram a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo. Para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai. Os militares tomam o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos. 3. Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente: o general Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. 4. Milagre Econômico, foi o estouro de crescimento econômico, ocorrido entre 1968 e 1973, ficou conhecido como "Milagre Econômico". Mas, ao lado da euforia da classe média, que teve seu poder aquisitivo ampliado naquele momento, existia um outro país, que não era atingido por esse milagre. No governo do presidente Médici foi implantado no Brasil uma medida de crescimento econômico, que tinha como princípio o crescimento rápido. O que ocorreu para provocar esse chamado “milagre” foi o imenso capital estrangeiro no país. Durante vários anos o Brasil não recebia investimentos estrangeiros, por causa da instabilidade econômica, da inflação, resultados políticos do Governo de Jânio Quadros, e do tumultuado governo de esquerda de João Goulart. 5. Lemas e frases do tipo "Brasil: Ame-o ou deixe-o!", era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis. "Brasil:AME-O", muitas empresas de transportes de valores utilizavam-na ostentada em seus veículos. "Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".
Foram as mais usadas na época em que os governos militares tentaram convencer a população à aceitar o regime militar.
6. No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Anônimo disse...

1João Goulart defendia os menos favorecidos, e com medo que ele obtivesse sucesso e conseguisse beneficios aos pobres a parte comandante como os empresários,militares, a igreja tambem... enfim os poderosos daquela época, o enfrentaram antes que ele obtivesse vitória.
2 Quem fosse contra o regime seria perseguido e maltratado.

Aluna: Amanda Régis nº 02 2°A EM
3 Foi a criação de militarismo ainda mais rigido, implantado por Medici, onde artistas, professores, musicos... começaram a ser vigiados tbm.
4 O PIB começou a aumentar rapidamente, e as relações internacionais estavam estreitas a ponto de bons empréstimos e negociações, sem contar o fato dos grandes investimentos governamentais. Inclusive obras antes inviáveis foram assinadas. O problema, é que Médici saiu do poder,e aconteceram crises o que acabou com os empréstimos internacionais
5 “Chegou a hora de crescer sem inflação” (Castelo Branco). “Confiamos no Brasil” (Costa e Silva). “Ninguém segura o Brasil” (Médici). “Este é um país que vai pra frente” (Geisel). “O Brasil encontrou a saída. Vamos todos crescer” (Figueiredo).
6 AI-5 ou ato institucional, número 5. O mais duro governo, pois aposentou juízes, cassou mandatos e fortaleceu a opressão.

Anônimo disse...

1- Pois os militares se sentiram ameaçados pelos EUA caso o Brasil virasse socialista, ja que os americanos apoiavam a ideia do capitalismo e os militares brasileiros eram fortemente ligados aos EUA, no caso tudo ocorreu por conta de os militares quererem evitar uma grande revolução socialista liderada por Jango.

2- Os que eram contra o regime novo implantado, ou fugiam e sobreviviam em países na america do sul, caso de muitos compositores e políticos na época. Ja os que eram contra e ficavam para protestar, na sua maioria jovens, acabavam sendo capturados e submetidos a fortes torturas, em alguns casos, morriam.

3- Foram os anos mais duros da ditadura militar no país, essa época ficou marcada pelo desaparecimento de muita gente no Brasil, em alguns casos pessoas influentes como políticos. Considerada uma época de mais censura sofrida na história do país.

4- Foi um acontecimento que ocorreu mais ou menos entre 1969 e 1973, o Brasil passou a evoluir impressionantemente a sua renda, gerando uma ideia de Brasil potência que acaba se evidenciando quando o país conquista a copa do mundo de futebol em 1970, fazendo com que os militares mostrassem para o povo o que eles queriam ver. Isso tudo acabou quando a renda do país começou a cair por conta da crise do petróleo em 1974.
5- ''Brasil, ame ou deixe-o''. '' Este é um país que vai prá frente".
"Terra de gigantes".

Ou ainda uma frase que simboliza bem esse período que foi dita por Elio Gaspari:
-''O Milagre Brasileiro e os Anos de Chumbo foram simultâneos. Ambos reais, co-existiam negando-se. Passados mais de trinta anos, continuam negando-se. Quem acha que houve um, não acredita (ou não gosta de admitir) que houve o outro''.

6- O AI-5 foi um ato institucional que permitiu que os militares tomassem total posse do país, dando liberdade a eles mandarem e desmandarem a hora que bem entendessem. O plano dava muito poder ao presidente da república, na época um militar.


Guilherme Tamanini - 5 - 2C

Anônimo disse...

1- Jânio Quadros renunciousse ao cargo de presidente, deixando não só o posto para João Goulart como as crises políticas e econômicas. O golpe militar que atingiu o Brasil, foi devido aos medos que aflingiam os poderosos, como igrejas, bancos, empresas, etc, eles tinham medo de que o governo com uma política até então capitalista virasse comunista, já que a voz do povo, dos trabalhadores tinham direito
no setor politico. Estados Unidos também ficou com medo de perder uma nação capitalista para o comunismo, já que estavam disputando poderes e áreas durante guerra fria. O medo então era o poder comunista tomar conta do país.
2 - Com a junta militar no poder governamental, foram assinados atos institucionais, leis, e outros fatos que beneficiavam apenas as necessidades próprias, atingindo a todos da sociedade brasileira. Os políticos deviam participar do bipartidarismo, onde apenas dois partidos tinham direitos de exercer a função presidencial, os que nao aceitavam tal acordo, eram alvos detorturas, seus mandatos cassados e até mesmo exilados do país, os estudantes, e toda a sociedade tinham suas consequências, como perderam o direito de votar, onde apenas membros da junta militar tinham a opção de voto, e o mesmo acontecia com pessoas comuns que eram contra o novo regime,torturados exilados, muitos cantores famosos também sofreram com os atos institucionais, onde as manifestações artisticas eram levadas como censuradas ao governo militar.
3- Os anos de chumbo, foi o período em que Emílio Garrastazu Medici foi escolhido para ser o novo presidente (1969-1974). Período no qual foi marcado por ser considerado o governo mais duro e repressivo. Onde inúmeras censuras são impostas, incluindo jornais, revistas, livros, peças de teatros, filmes e outras formas de expressão artística. Porém a atuação do General, não teve apenas consequências ruins, pelo contrario, trouxe um aumento de 12% no PIB do Brasil por ano.Com vários investimentos internos e empréstimos externos, gerou muitos empregos para os brasileiros. Porém com tantos empréstimos, o país ficou com uma grande dívida.
4 - O Milagre Econômico foi no período de 1969 a 1973, onde a área econômica do país cresceu rapidamente. Consequências: Grande crescimento da econômia; Inflação Moderada; Modernização da Indústria de Base, de bens de consumo duráveis, das telecomunicações, da produção de energia; Ampliação e criação de empresas estatais em mineração, petróleo e petroquímica, aço, eletricidade, comunicações; Investimentos estrangeiros (multinacionais); Arrocho salarial; Concentração de renda; Obras estatais faraônicas; Aumento da dívida externa;
5 - Brasil: Ame-o ou Deixe-o!
6- O AI - 5, ato institucional de número cinco, assinado pelo governo militar sobre o poder de Costa e Silva, onde tal ato dava possibilidades de cassar mandatos, aposentar juízes e outros poderes da câmara, acabou com a garantia do habeas corpus, e expansionou ainda mais a repressão dos militares sobre os civis. O AI-5, foi cancelado no ano de 1978, pelo presidente Geisel, que com tal cancelamento, prometia ao Brasil a volta da democracia.

Aluna: Karine Abdo Leal
Número: 12
Série: 2ºC

Anônimo disse...

Maria Fernanda Espíndola- 21 2°A
1-O governo de Goulart foi marcado pelos movimentos de organizações sociais de esquerda. Empresários, militares, Igreja Católica e classe média, temendo o domínio do socialismo com um golpe comunista (nesse período o mundo estava na Guerra Fria) começaram a se articular para derrubar o populista João Goulart e suas Reformas de Base. Assim, os conservadores organizaram a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, em São Paulo. O processo de crise politica aumentava, com tropas saindo às ruas e com isso, temendo uma guerra civil, Goulart foi embora para o Uruguai.

2-Houve perseguições politica e repressão aos que eram contra o regime militar.

3- Ocorreu no governo Medici (1969-1974),pois, a repressão a luta armada cresceu e houve uma severa censura nos jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística foram censuradas

4-Quando o PIB começou a crescer, com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infraestrutura. Esse período foi muito importante, pois gerou milhões de empregos pelo país e foram executadas algumas obras.

5-“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada... É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina.” (CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)
“Dormia. A nossa Pátria mãe tão distraída Sem perceber que era subtraída Em tenebrosas transações.” (CHICO BUARQUE DE HOLLANDA)
6-Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Anônimo disse...

1- João Goulart sofreu o golpe devido a investimentos à organizações sociais e um novo espaço para estudantes, trabalhadores e organizações populares, causando preocupação nos banqueiros, militares, empresários e de classe media.
2- Os politicos tiveram seus mandados cassados, cidadoes seus direito políticos, a oposição ganhava novos terrenos com surgimento de novos partidos
3- Uma severa politica de censura é colocada em execução. Revistas, jornais, filmes, peças de teatro são censuradas. Professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. O DOI-Codi, atua como centro de investigação e repressão do governo militar.
4- Crescimento na economia na área do pais rapidamente, o PIB brasileiro crescia uma taxa de 12% ao ano. Teve uma base de estrutura com investimento de países externos. Como beneficio para os brasileiros traz empregos.
5 Brasil: Ame-o ou deixe-o!", era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis.
"Brasil:AME-O", muitas empresas de transportes de valores utilizavam-na ostentada em seus veículos.
"Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".
6- Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

Helena Feiler 2ºC 07

Anônimo disse...

1-Pois todos estavam temendo que o Brasil virasse do lado socialista e assim fizeram o golpe militar

2- Os cidadoes ganharam seus direitos político e com os políticos tendo seus mandatos casados, a oposição ganhando mais espaços.

3- Foi a era que jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas e muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. O governo que esteve nesses anos e o mais duro foi o governo de Emílio Garrastazu Medici.

4-Foi o crecimento economico que ocorreu na época dos “anos de chumbo”, apesar dos anos de chumbo forem ruins para a população, já para a economia era muito bom e assim cresceu a economia do pais.

5- "Ninguém segura este país", “Brasil: Ame-o ou deixe-o!" , "Brasil:AME-O", “Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".

6- O Ato Institucional Nº5 ou AI-5 foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar brasileiro nos anos seguintes ao Golpe Militar de 1964 no Brasil.

Matheus Costa 21. 2ºC

Anônimo disse...

Camila Garcia 02 - 2C
1- Por que João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar ?
João Goulart já assumiu o governo do Brasil num estado adverso e acabou tornando o pais cada vez mais socialista, um risco que EUA e a classe alta do Brasil não queria correr. Sendo assim Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária. O governo militar impõe uma nova Constituição para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.


2- O que aconteceu com políticos, estudantes e opositores ao novo regime ?
Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar.


3- O que foi os anos de chumbo ?
Em 1969 o general Emílio Garrastazu Medici começa seu governo que foi considerado um dos mais duros e repressivos do período, conhecido tambem com ‘’anos de chumbo’’.
A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução por todos os meios possíveis.


4- O que foi o chamado :"Milagre Econômico", quais as principais consequências para a população brasilleira?
Este período foi de 1969 a 1973 tambem chamado como a época do Milagre Econômico. Foi caracterizado pelo rápido almento do PIB brasileiro, onde crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país, favorecendo assim ainda mais os brasileiros. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.


5- Quais os principais slogans usados pelos governos militares ,para convencerem a população brasileira a aceitar o regime militar ?
*“integrar para não entregar”.
* “Brasil Grande Potência”.
* ‘’Manifesto Comunista’’


6- Escreva sobre o AI-5:
Mais abrangente e autoritário que todos os outros atos institucionais, o AI-5, na prática, revoga os dispositivos da Constituição de 1967. Reforça os poderes discricionários do regime.
O governo pode censurar os meios de comunicação, eliminar garantias de estabilidade do Poder Judiciário e suspender a aplicação do habeas-corpus em caso de crimes políticos.
Depois do AI-5 não havia mais qualquer possibilidade de oposição legal ao governo. Nessa época, alguns grupos de esquerda decidiram (estudantes, intelectuais e alguns militares) iniciar uma luta armada contra o regime militar, num movimento que ficou conhecido como guerrilha urbana.

Sérgio n26 2c disse...

1- Pois ele fez varias promeças que iriam mudar pra melhor o setor agrario no Brasil, mas essas promeças não foram realizadas, então os agricultores e outras pessoas fizeram varias manifestações. Onde varias pessoas sofreram, muitos morreram,
2- Muitos morreram, foram mutilados e maltratados, entre eles professores e estudantes, todos que se posicionaram contra o regime sofreram e pagaram de alguma forma, artistas e cantores utilizavam algumas estratégias para se manifestar, como Chico Buarque que dava diferentes nomes a ditadura militar.
3-Foi o governo do general Emilio Garrastazu Medici que foi do ano de 1969 a 1974. Foi o governo considerado mais repressivo e rígido de todo o regime militar, por isso o nome “anos de chumbo”. Onde os militares mataram muitas pessoas que se posicionaram contra a ditadura militar,
4-Foi de 1969 a 1973, foi o período em que o governo brasileiro fez investimentos internos e recebeu muitos empréstimos do exterior, aumentando sua infra-estrutura e gerando milhares de empregos no pais.
5-“Brasil: ame-o ou deixe-o”. Eram slogans que tinham a idéia de convencer de certa forma a população brasileiro a aceitar a ditadura, dando a ideia de que do jeito que estava era bom
6- O Ato Institucional nº 5, que foi iniciado no dia 13 dezembro de 1968 no governo Costa, foi concretizado até dezembro de 1978 e ele foi o momento mais duro do regime militar, o AI-5 dava aos governantes o poder de punir do jeito que eles achassem certo quem agisse contra a ditadura militar. Mutilação, morte, massacre, entre outras formas.
Sérgio nº26 2ºC

Anônimo disse...

1- Com a crise politica no Brasil vinha desde quando Jânio renunciou o poder, quem assumiu foi seu vice João Goulart, o Jango, os protestos começaram a ganhar forças nas ruas, a população se uniu, preocupando as classes mais altas, pois querim votos diretos, temendo um futuro socialismo. Jango, faz um comicio, propondo mudanças radicais, no que gerava economia no pais. A população descontente, sai as ruas, como modo de inibir essa ideia, mais tarde os militares também tomam as ruas, gerando medo na politica, fazendo com que Jango saisse do pais, e fosse de refugiar no Uruguai, com isso o pais, fica sem governo e quem assume são os militares.

2- Com o decreto feito, os mitirares queriam a cassa de quem fosse contra eles, quase não existia direitos pessoais, as pessoas não podiam mais ter suas próprias opiniões. A policia assumiu um modo de tortura contra os cidadãos comuns para extrair confissões de suspeitos, em quaisquer atividades políticas de oposição ao regime, era considerado crime.

3- Aconteceu no final de 1968, foi o governo de Medici, se destaca pelo combate entre a extrema-esquerda, aparelho repressivo policial-militar, paramilitares e grandes empresas.Foi nesse ano que morreram e desapareceram milhares de políticos e estudantes de esquerda, além de militares, policiais e civis condenados pelos tribunais revolucionários da extrema-esquerda e em ações terroristas. A liberdade de imprensa, de expressão e manifestação foram cerceadas.

4- Foi marcado pelo grande crescimento econômico, o PIB do Brasil cresceu acima de 10% em média ao ano, apesar da inflação e da grande concentração de renda, teve diminuição no salario médio, e aumento da pobreza.

Al-5 Foram ato Institucional, feitos Artur da Costa e Silva um ditador, foi esse ato que deu mais poder para os militares, uma conseqüência, foi o fechamento do senado por um tempo indeterminado.


Nathalia Vieira - 22 - 2ºC

Anônimo disse...

Jéssica Cabral - 10 - 2ºC

1) João Goulart e o Brasil sofreram o golpe militar porque Jango assumiu a presidencia sem a eleição da população, e prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país. Com isso a população os conservadores organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo. O clima de crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia, e para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai.

2) Quando Jango deixa o país os militares assumem o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos.

3) Anos de chumbo era conhecido como o governo de Emílio Garrastazu Medici, era considerado como o mais duro e regressivo período.

4)No período entre 1969 e 1973, o crescimento econômico no Brasil alcançou níveis excepcionais, e por isso ficou conhecido como “Milagre Econômico”. As consequencias foram que o PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Mas todo esse crescimento teve um custo muito alto. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

5) - "Brasil: Ame-o ou deixe-o!", era usada por adultos e crianças, ostentada em objetos e nas janelas dos automóveis.
- "Brasil:AME-O", muitas empresas de transportes de valores utilizavam-na ostentada em seus veículos.
- "Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".

6) O AI-5 foi o quinto Ato Institucional decretado pela ditadura militar que se instalou no Brasil em março de 1964. Decretado pelo presidente ditador Artur da Costa e Silva, foi uma resposta a um discurso do deputado Márcio Moreira Alves que pedia boicote aos desfiles de 7 de setembro e que as brasileiras não namorassem militares. Entre as ordens do AI-5 estava o fechamento do Congresso Nacional por tempo indeterminado, proibição de qualquer reunião de caráter político, estabelecimento de censura prévia e suspensão de habeas corpus para presos políticos. O AI-5, que provocou o surgimento de grupos de luta armada contra o regime militar, foi revogado em 1978 pelo presidente ditador Ernesto Geisel, que iniciou o lento processo de abertura política e redemocratização, consolidado em 1985.

Anônimo disse...

Adorei a postagem sobre a ditadura militar Conceição!

Parabéns,
Camila Silveira Medeiros - 08 - 2º ano A.

Anônimo disse...

Nome: Allyson Paulo
nº: 02 2ºC
1- O Golpe Militar de 1964 designa o conjunto de eventos ocorridos em 31 de março de 1964 no Brasil, e que culminaram no dia 1 de abril de 1964, com um golpe de estado que encerrou o governo do presidente João Belchior Marques Goulart, também conhecido como Jango.Jango havia sido democraticamente eleito vice-presidente pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) – na mesma eleição que conduziu Jânio da Silva Quadros do Partido Trabalhista Nacional (PTN) à presidência, apoiado pela União Democrática Nacional (UDN).
2-As pessoas que combateram o regime militar instalado no Brasil em 1964, perderam seus direitos civis e políticos, tornando-se proscritos, perseguidos, torturados e, eventualmente, mortos ou desaparecidos.
3- E expressão 'anos de chumbo' refere-se a um período da ditadura militar brasileira (1964-1985), inaugurada com o golpe militar que derrubou o governo democrático de João Goulart; foram o período mais repressivo da ditadura militar no Brasil, estendendo-se basicamente do fim de 1968, com a edição do AI-5 (dezembro), até o final do governo Médici, em março de 1974.
4-O "milagre econômico" é a denominação dada à época de excepcional crescimento econômico ocorrido durante a ditadura militar, ou anos de chumbo, especialmente entre 1969 e 1973, no governo Médici. Nesse período áureo do desenvolvimento brasileiro em que, paradoxalmente, houve aumento da concentração de renda e da pobreza, instaurou-se um pensamento ufanista de "Brasil potência", que se evidencia com a conquista da terceira Copa do Mundo de Futebol em 1970 no México, e a criação do mote de significado dúbio: "Brasil, ame-o ou deixe-o".
5- BRASIL, AME-O OU DEIXE-O; "Brasil:AME-O"; "Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil".
6- O Ato Institucional Nº5 ou AI-5 foi o quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar brasileiro nos anos seguintes ao Golpe militar de 1964 no Brasil.[1]
O AI-5 sobrepondo-se à Constituição de 24 de janeiro de 1967, bem como às constituições estaduais, dava poderes extraordinários ao Presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais.
Redigido pelo ministro da justiça Luís Antônio da Gama e Silva em 13 de dezembro de 1968, entrou em vigor durante o governo do então presidente Artur da Costa e Silva, o ato veio em represália à decisão da Câmara dos Deputados, que se negara a conceder licença para que o deputado Márcio Moreira Alves fosse processado por um discurso onde questionava até quando o Exército abrigaria torturadores ("Quando não será o Exército um valhacouto de torturadores?"[2]) e pedindo ao povo brasileiro que boicotasse as festividades do dia 7 de setembro.
Mas o decreto também vinha na esteira de ações e declarações pelas quais a classe política fortaleceu a chamada linha dura do regime militar. O Ato Institucional Número Cinco, ou AI-5, foi o instrumento que deu ao regime poderes absolutos e cuja primeira conseqüência foi o fechamento do Congresso Nacional por quase um ano.

Anônimo disse...

Sem os militares, hoje seríamos uma "Cuba" da vida ou passaríamos pelo que a Rússia passou.
O futuro, que o hoje é o presente, mostrou que a decisão foi correta mas se prolongou por 21 anos de forma equivocada.