sábado, 15 de março de 2014

UCRÂNIA E A CRISE

Leste Europeu

Ucrânia, um país com um histórico de tragédias

Atuais protestos contra o governo relembram 'Revolução Laranja' de meados dos anos 2000. Inquietações no país, contudo, têm origem muito mais remota

Diego Braga Norte
O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych
O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych (Gleb Garanich/Reuters)
Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas.  A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.
Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola.
Foto 1 / 126
AMPLIAR FOTOS
Soldado da força aérea ucraniana descansa sobre sacos de areia na base militar de Belbelk, na Ucrânia
Soldado da força aérea ucraniana descansa sobre sacos de areia na base militar de Belbelk, na Ucrânia - Viktor Drachev/AFP
Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em seu livro Pós-Guerra, Uma História da Europa desde 1945, o historiador Tony Judt explica que “os ucranianos, em particular depois de 1941, de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética. (...) Ucranianos lutaram ao lado da Wehrmacht, contra a Wehrmacht, contra o Exército Vermelho e entre si, dependendo do momento e do local”.
Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Como todas as empresas eram estatais, o país deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou.  Em 2004, a Kryvorizhstal era uma das maiores usinas de aço do mundo – com 42 mil empregados e lucro bruto anual de 300 milhões de dólares –, e foi posta à venda, tardiamente. Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

Ucrânia

Revolução Laranja – Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich (sim, o mesmo mandatário atual). De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto.
Apenas treze anos após a independência, a pesada mão de Moscou ainda se projetava sobre Kiev e os ucranianos não perdoavam os russos pelas barbáries e arbitrariedades do passado. Também não toleravam a imposição do idioma russo e, é claro, o desastre de Chernobyl. Em 26 de abril de 1986, um dos reatores da usina nuclear de Chernobyl explodiu, liberando na atmosfera uma carga radioativa mais de cem vezes superior à provocada em Hiroshima e Nagasaki, somadas. Além dos trinta operários mortos no local, aproximadamente 30 000 ucranianos viriam a morrer em consequência de problemas causados pela exposição à radiação da usina russa.
Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se – desta vez sem fraude.
Dias atrás, Yanukovich viajou à China e deixou seu país em crise, numa aparente manobra para esperar ‘abaixar a poeira’ em Kiev após sua criticada recusa em assinar o acordo com a UE. Sua manobra parece ter dado resultado, pois o governo, o povo descontente e oposição já estão dialogando. Yanukovich ocupará a presidência até 2015 e até lá os ucranianos têm de aprender a lidar com a democracia recém-adquirida. E sobre a atual situação do país, cabe pegar emprestada uma frase da ucraniana mais famosa do Brasil, a escritora Clarice Lispector: ‘Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar’.
Fonte : Revista Veja

ATIVIDADE:
1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
2- Quais são os principais interesses por parte  da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
3- Explique sobre a Revolução Laranja :
4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.

Identificação completa/ Comentários até 07/04/14. Bom trabalho.

134 comentários:

Nico disse...

Ricardo Nicoluzzi 3C 34
1-A Ucrania registra invasoes a mais de mil anos,ja tendo sido saqueada pelos mongois,pelos lituanos,pelos rutenios pelos poloneses e pelos tartaros tendo uma historia conturbada desdo seu inicio,Durante o seculo XX nao temos uma mudanca disso ja que depois de uma breve independencia ela e invadida pelos russos tornando parte da URSS,sofrendo de fome e sendo palco de difersas batalhas durante a segunda guerra,durante a guerra fria sofreta muito com o desastre de Chernobyl e mesmo tudo isso acabando depois da independencia logo apos a guerra fria,o pais continua problematico ja que a influencia de Moscou esta sempre presente no governo.
2-Diminuir a area de influencia russa alem de aumentar a sua area de influencia.
3-Foi um movimento social contra a primeira eleicao fraudulenta do presidente atual,a cor laranja e porque seu opositor tinha como cor partidaria o laranja.
4-Pois ela possui as bases militares russas no mar negro,sendo uma porta de entreda para esse mar,por sua poupulacao ser de maioria russa,e por ja ter sido parte da russia.
5-Com as revoltas em relacao ao presidente Yanukovich e sua perda do posto de presidente e a UE entrando em acordo com a Ucrania,a Russia agio de forma que nao sai perdendo tanto com essa derrota(a perda de um pais aliado)recuperando parte do pais para si.

Anônimo disse...

Nome: Maria Eduarda Kons Gonçalves - 23 - 3ºB

1- A Ucrânia é um país encontrado na Europa Orienta. No século XIII, a Ucrânia foi invadida, governada e dividida por muitos povos, permaneceu dividida até o século XX quando foi consolidada em uma república soviética. Sua independência foi em 1991. Por suas terras serem bastante férteis ela é considerada "o celeiro da Europa". Já foi considerado o terceiro maior país exportador de grãos do mundo. Além disto possui alto índice de desenvolvimento no setor de manufatura, principalmente em equipamentos industriais e aeronáutica. É uma república no qual deu sistema é semipresidencial, separando os três poderes (legislativo, executivo e judiciário). Possui também o segundo maior exército da Europa.

2- Depois dos anos de 1917 e 1921 (período em que a Ucrânia ganha a independência) a Rússia invadiu o país, desta forma teve que se juntar a URSS. Além, também, de ser invadido por nazistas e servido para ser cenário de grandes batalhas diante a II Guerra Mundial. Após o término da guerra a Ucrânia encontrava-se em situações devastadoras e demoraria um bom tempo até reerguer-se novamente. Foi acompanhada severamente por comunistas durante a Guerra Fria, pois era o país soviético com mais importância. Com o comunismo em crise Leonid Krauchuk foi o primeiro presidente da Ucrânia em 1991. O processo de privatização das empresas ucranianas de grande porte estão sendo administradas por empresários e políticos conectados a Moscou.

3- A Revolucao Laranja foram grandes protestos que aconteceram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, depois das eleições presidenciais. Este nome se deve a cor do "uniforme" que os protestantes usavam, que era laranja. Vistas por entidades locais e internacionais as eleições foram marcadas por fraude, intimidações e irregularidade, por causa disso a população não concordava com a vitória de Viktor Yunukovych, que era um apoiadores da Russi. Os protestos geraram também grande desordem civil e greves. A votação foi anulada depois de uma ordem vinda da Suprema Corte. Viktor yushchenko o outro candidato venceu, dando ao encerramento da revolução.

4- A Crimeia está no centro da disputa ente Rússia e Ucrânia. Isto iniciou-se quando várias pessoas começaram a pressionar o presidente Yanukovish q aceitar um acordo comercial com a União Europeia, pois o que foi feito com a Rússia não deu certo. Como o presidente era russo não aceitou o acordo com a UE, mas sim com Moscou, onde foi prometido uma ajuda financeira em um empréstimo e desconto no preço do gás natural. Os manifestantes não aceitavam estavdecisao reagindo com forte violência. A oposição e o governo assinaram um acordo de paz que não durou muito. O presidente deixou o país e quem assumiu foi o governo pró-UE. A Rússia viu este ato como um golpe de estado e afirmou que as pessoas russas que viviam na Crimeia eram ameaçadas fazendo com que o governo Russo fosse tomando conta da área.

5- Ocorreu entre os anos de 1853 a 1856. De um lado tinha a Rússia e de outro uma coligação formada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (atual Itália) e Império Turco-Otomano (atual Turquia) - tinham o objetivo de conter a expansão da Rússia -. Em 30 de março de 1856 com a assinatura do tratado de Paris a guerra chegou ao fim.

Anônimo disse...

Nome Rafael Dubiel Guimaraes 3B
N 26

1-a história da Ucrânia desde a pré-história, passando pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS.A Ucrania teve sua historia muito conturbada ao longo de todo esse tempo e hoje no periodo atual esta passando pela situaçao de disputa de territorio,o que esta envolvendo o mundo inteiro e que pode gerar uma guerra entre potencias mundiais.


2- Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia.Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia.


3-Ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich.Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso.


4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.


5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.

Anônimo disse...

1) A Ucrânia foi um dos principais países da abolida União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Em 1920, a região passou a ser controlada pelos comunistas que, abusando da produtividade da terra ucraniana, desenvolveram amplos cultivos de cereais. A independência nacional foi anunciada em 16 de julho de 1990, sendo confirmada no dia 24 de agosto do próprio ano. A população nacional exibe grande diversidade cultural. Na porção leste da região, próxima à Rússia, os povos são seguidores da religião cristã ortodoxa, ligado ao patriarcado russo. A população do oeste ucraniano, por sua vez, é majoritariamente católica grega, acolhendo a superioridade do Papa. Ainda existem movimentos separatistas, principalmente na península da Crimeia, na qual a maioria da população é de família russa. O país ficou mundialmente conhecido depois de o desastre nuclear na usina de Chernobyl que é avaliado a maior calamidade com material radioativo da história. Esse acidente gerou a morte de milhares de pessoas, além do desenvolvimento de cânceres depois de décadas do acontecido. Por volta de 135 mil moradores tiveram que abandonar a região onde ficava instalada a usina.
2) Por conta dos locais paradisíacos que o país oferece que aumentariam a economia de quem o possuísse; por conta do idioma (ucranianos falam russo como primeira língua); abriga instalações militares e mísseis do espólio soviético; a Rússia tem um projeto geopolítico ousado – construir a chamada União Eurasiana para competir com a União Europeia; A UE negociou durante anos uma aproximação com seis ex-repúblicas soviéticas; dentre outros.
3) A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção durante a eleição presidencial ucraniana de 2004. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. Enquanto milhões de ucranianos manifestavam diariamente em Kiev, capital da Ucrânia e centro da revolução, onde militantes e simpatizantes de Yushchenko ficaram acampados em tempo integral, a ação foi destacada por uma série de protestos por todo o país, com protestos pacíficos e uma greve geral organizada pela oposição, seguida de disputas pelo resultado das eleições presidenciais. Em grande parte devida aos efeitos do movimento da oposição, os resultados da corrida eleitoral foram anulados e uma segunda eleição foi ordenada pela Suprema Corte da Ucrânia para 26 de dezembro de 2004.
4) Pois a Rússia tem sido o poder dominante na Crimeia na maioria dos últimos 200 anos, desde que anexou à região em 1783. No entanto, a Crimeia passou das mãos de Moscou para as da Ucrânia - então parte da União Soviética - em 1954.
5) A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856 no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa. A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. A Turquia representada por Aali-pachà também conhecido como Meliemet Emin era admitida na comunidade das potências europeias, tendo o sultão assumido o compromisso de tratar seus súditos cristãos de acordo com as leis europeias.
Rafaela nº 35 3ºA

Anônimo disse...

Colegio Salesiano Itajai
Afonso Cesar Neves Neto N:1 T:3b

1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.
2- Com fortes laços com a Rússia, Ucrânia é seduzida pelo bloco europeu - e oscila entre os dois. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.
4- Como consequência da revolução na Ucrânia - na qual ucranianos nacionalistas e a favor do Ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Victor Yanucovich -, surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Russia.Homens armados içaram bandeiras sobre edifícios do governo declarando que 'a Crimeia é a Rússia', enquanto grupos separatistas entraram em confronto nas ruas com grupos pró- Ucrania.

5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas.

Lucas Gato Cunha n°20 3°B-EM disse...

1- A historia da Ucrânia sempre teve ligação com invasões, e desde o século xx, diversas tragédias marcam seu histórico. Após a revolução russa, a Ucrania declarou independência no ano de 1918. Em seguida as forças ucranianas e bolcheviques lutaram pelo poder até 1921. Em 1924 a Ucrania passou a fazer parte da União Soviética. Em 1941 a Alemanha soviética atacou a União Sovietica e dominou a Ucrania, nisso os agricultores fizeram uma guerrilha de resistência. O sistema político mudou após o colapso da União Sovietica, quando a Ucrania declarou sua indepenedncia em relação à essa união. Após isso, a Ucrania foi reconhecida internacionalmente. Atualmente a Ucrania sofre muitos protestos contra o governo, relembrando a Revolução Laranja.

2- O principal motivo de interesse da UE sobre a Ucrania é expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, enquanto esta quer aumentar a sua área de influencia para então confrontar a união Européia, no entanto para isso necessita da Ucrania.

3- A revolução Laranja foi uma revolução ocorrida na Ucrania em 2004, quando ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram poder ao Viktor Yanukovich. No entanto foram as ruas vestidos de laranja, pois era a cor do partido de Yushchenko. Com a quantidade de protestos, foi forçado uma recontagem de votos,e assim Yushchenko venceu.

4- Porque a disputa entre a Russia e a Ucrania iniciou devido à Crimeia, quando durante a crise enxergou a oportunidade de se reintegrar a Russia, alias praticamente toda a Crimeia e habitada por russos. No entanto, Vladimir Putin, presidente russo autorizou a anexação da península à ex Uniao Sovietica, causando polemicas, protestos e interferências.

5- Foi um conflito entre 1853 e 1856, na península da Crimeia, no sul da até então Russia. De um lado lutava a Russia, e do outro a aliança Anglo- Franco- Sarda e o império Turco- Otomano. Teve como objetivo reter a expansão russa. A guerra chegou ao fim com o tratado de Paris de 30 de março de 1856.

Gabriel Moraes, n:15, 3B disse...

Gabriel Moraes, n:15, 3B

1. A Ucrânia declarou Independência da URSS em 1991, durante a década de 90 o país sofreu inúmeras crises como a perda de 60% do seu PIB, as gigantes taxas de inflação, a corrupção e o acidente da usina nuclear de Chernobyl. No século 21 houve a Revolução Laranja em 2004 e a atual crise , essas são as maiores revoluções vividas pela nação ucraniana, por esses motivos A Ucrânia é conhecida como ''O país com um histórico de tragédias''.

2.Tanto Para UE quanto Para a Rússia, o território ucraniano é estratégico, para a Rússia é a porta de entrada para aumentar a sua zona de influência e aproximar-se da Europa Ocidental para confrontá-la, para a UE a Ucrânia é o que mantém a Rússia isolada do resto da Europa dificultando uma invasão.

3. A revolução Laranja (2004-2005) aconteceu pois Viktor Yanukovich cometeu fraude nas eleições de 2004 a seu favor, assim venceu seu concorrente Viktor Yushchenko, porém a população em sua maioria era a favor de Yushchenko, por esse motivo milhares de cidadãos ucranianos protestaram para que acontecesse a recontagem de votos, e Yushchenko venceu as eleições presidências de 2004. A cor laranja vestida pelos protestantes significava liberdade.

4. O conflito está acontecendo na Criméia porque mesmo que o estado pertença a Ucrãnia, a maior parte de sua população é russa, esse é o primeiro passo russo para que domine a Ucrania toda, pois o território ucraniano é muito importante taticamente por localizar-se entre os países da UE e a Rússia.

5. A Crimeia é um estado ucraniano que a maior parte da sua população fala russo, conhecidos também como pró-rússia, no dia 16 de Março desse ano houve uma votação para decidir se a população da Crimeia prefere continuar sendo propriedade da Ucrânia ou a anexação russa, mais de 95% da população votou pela anexação à Rússia, porém a UE e os EUA não reconhecerão a anexação a Russia.

Anônimo disse...

Nome: Isadora Número: 17 3 ano C
1- O território ucraniano foi habitado h á cerca de 44 mil anos, Já na Idade M édia, tornou-se um polo de cultura dos eslavos do leste, o qual se denominava Estado Principado de Kiev. Após isso, se fragmentou e foi invadido por mongois, lituanos, tutênios, poloneses e tártaros, Em b1919, sofreu a incorporação na URSS, o que promoveu a fome e mortes em massa,Participou da 2 Guerra e em 1986, ocorreu o pior acidente nuclear da história em Chernobyl. Só em 1991. o colapso da URSS permitiu a proclamação da independência ucraniana,
2-Os europeus desejam expandir suas fronteiras para o Leste, confirmar acordos comerciais, com o isolamento da Rússia. Já a Rússia deseja aumentar sua área de influência, o que caracteriza um certo imperialismo, e ao mesmo tempo, aproximar-se da UE para um confronto, disputa de poderes, O país é porta de entrada do Oriente para a UE e porta de saída para o Ocidente.
3- A Revolução Laranja foram protestos que ocorreram na Ucrânia, em 2004. As pessoas eram contra as eleições fraudadas que deram como vencedor Viktor Yanukovich. Elas queriam que um outro político, favorável a aproximação com o Ocidente, fosse vitorioso. Eles disseram que o serviço secreto russo havia fraudado as eleições e foram às ruas vestidos de laranja, a cor do partido de oposiçao. Uma nova recontagem foi feita e o oposicionista foi eleito.
4- A Crimeia éo epicentro da disputa porque é uma área de forte influência russa, a maioria da população é de origem russa. Além disso, é uma cidade importante com escoamento para o mar Negro e caracteriza-se por ser um lugar paradisíaco. Por isso, a Rússia influenciou na realização de um referendo que tornou essa região independente da Ucrânia e sobre o domínio russo. Enquanto, a UE realiza uma série de sanções para impedir que essas e outras regiões sejam perdidas para a Rússia. A Crimeia foi o primeiro alvo.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que ocorreu de 1853 a 1856, na península da Crimeia, no sul da Ucrânia. Envolveu a Rússia contra o Reino Unido, França, Itália e a atual Turquia, O objetivo era conter o avanço russo na região. os turcos começaram a guerra contra a Rússia, foram derrotados, receberam apoio do Ocidente, e em troca, deram o aval para a entrada de capital na região. Em 1854, os russos foram expulsos e a cidade foi dominada em 1856. A guerra terminou com a assinatura do Tratado de Paris, no qual os russos devolveram alguns territórios para a atual Turquia e eram proibidos de manter bases ou forças navais no Mar Negro.

Anônimo disse...

henrique dias n-16 3CEM
1Segundo maior país do continente europeu, atrás somente da Rússia, a Ucrânia, cujo nome na língua eslava significa “Fronteira”, foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas . Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano . A independência nacional foi proclamada em de julho de 1990.Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes– grupo formado pela Rússia e as antigas repúblicas soviéticas.Com a desagregação da União Soviética, a economia ucraniana sofreu grande declínio, pois a Rússia, responsável pela aplicação de recursos financeiros no setor industrial, também teve a economia extremamente afetada, refletindo diretamente nas relações comerciais entre as duas nações. Desde 1990, a Ucrânia, visando alavancar o setor econômico, tem proporcionado incentivos para a entrada de capitais estrangeiros..A população nacional apresenta grande diversidade cultural.. Também existem movimentos separatistas, sobretudo na península da Crimeia, na qual a maioria da população é de origem russa.O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl, que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história.A Ucrania ,que possui uma historia totalmente afetada ,por grandes conflitos, um passado cheio de tragédias , ,atualmente passa por umas de suas maiores crises ,tanto civil como econômica .
2- Independente desde 1991, com a desintegração da União Soviética, a Ucrânia ficou no meio do caminho entre a zona de influência da Rússia e a do Ocidente (União Europeia e Estados Unidos). A Ucrânia tenta se aproximar do Ocidente, mas a Rússia ainda tende a ver o país, assim como a [vizinha] Geórgia, como regiões dependentes de Moscou. Em 2002 o país assinou uma aliança com a Otan (pacto militar do Ocidente, anti-Rússia no período da Guerra Fria), o que irritou Moscou. A União Europeia sofre pressão dos EUA para se aproximar da Ucrânia, na tentativa de diminuir a influência russa na Europa. Mas os europeus são cautelosos, já que são dependente do gás russo.A Rússia é contra o violento golpe, que foi idealizado principalmente pelos americanos, cujo objetivo é levar a Ucrânia para a Otan .A Rússia considera isso uma ameaça à sua existência e fará o que for necessário para impedir que aconteça.
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005.O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.
Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude.A série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko.A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.Na segunda votação, Yushchenko ,E o ato marcou o fim da Revolução Laranja.
4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - a maioria da população se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
No entanto, a Crimeia passou das mãos de Moscou para as da Ucrânia. Como consequência da revolução na Ucrânia , surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Rússia.
5- Já houve muitas disputas pela Crimeia ao longo da história.
A mais famosa é a Guerra da Crimeia, que ocorreu entre 1853 e 1856. A guerra foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.
ACHEI POUCO ESPAÇO


Anônimo disse...

Nome: Lucas Waltrick - nº:18-3B EM

1- Durante a Segunda Guerra Mundial, Hitler e Stalin viram a Ucrânia como um obstáculo a seus planos e objetivos. Enquanto Hitler queria o país como uma Lebensraum Alemã (espaço físico que possui vastos recursos naturais necessários para que um Estado-nação possa ser uma potência), Stalin temia que o nacionalismo ucraniano destruísse o império russo soviético. Ele conseguiu “esconder” o genocídio de ucranianos, enquanto os crimes de Hitler foram mais conhecidos. Essas barbáries incluíam a ordem para executar 100 ucranianos inocentes para cada soldado alemão morto, a rejeição da autonomia da Ucrânia, e perdas demográficas incomparáveis com as de outros países envolvidos na guerra. Foram 14 milhões de pessoas entre mortos, vítimas de campos de concentração, deportados, evacuados, e exilados com nazistas. Aproximadamente 44% das perdas totais. 720 cidades ucranianas, 16 500 empresas industriais, e 33 000 escolas foram destruídas. E mesmo com a independência atual da Ucrânia, ainda se descobrem sepulturas de assassinatos em massa em cidades do subúrbio.
2- A Europa possui o interesse de expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, enquanto Moscou deseja aumentar sua zona de influência e aproximar-se da União Europeia para confrontá-la. A Ucrânia é a porta de entrada para o Oriente, na visão européia, e ao mesmo tempo é a porta de saída para o ocidente na visão russa. Enquanto a Europa quer abrir a porta, a Rússia mantém uma pressão no pequeno país, para que não permita essa ligação e continue em sua sombra.

3- A revolução laranja aconteceu no final de 2004, quando ucranianos foram às ruas protestar contra eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko fosse o vitorioso, pois ele era favorável a aproximação com o ocidente. Os ucranianos não perdoavam os russos pelas barbaridades do passado, nem a imposição do idioma russo e o desastre de Chernobyl. Tinham a ideia de que os russos foram responsáveis pela fraude eleitoral, foram às ruas vestidos de laranja, que era a cor do partido de Yushchenko. Ele acabou vencendo pois foi feita a recontagem dos votos.

4-A Crimeia não integra legalmente a Rússia atualmente, mas já integrou no passado. Moscou tem interesse na Crimeia há centenas de anos por conta de suas ricas terras agricultáveis e acesso ao Mar Negro. A Rússia entregou a Crimeia à Ucrânia em 1954, quando os dois países já eram parte da União Soviética. Após o colapso da URSS em 1991, houve certo desejo local de que a Crimeia deixasse a Ucrânia e se tornasse parte novamente da Rússia, mas legisladores da Ucrânia e da Crimeia decidiram não autorizar o movimento. Muitos russos ainda vivem na Criméia, e a parte dos tártaros que habita o centro da península, é totalmente contra a anexação pela Rússia por causa das antigas repressões soviéticas no passado.

5-Guerra da Crimeia: Aconteceu entre 1853 e 1856, envolveu de um lado a Rússia, e do outro uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, região que atualmente é a Itália, formada com o objetivo de conter a expansão russa. Iniciou com as incursões russas nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Russia, que os derrotou facilmente na Ucrânia. Os ingleses temiam que a base naval russa na Crimeia era uma ameaça futura, por isso se juntaram aos franceses e dominaram a cidade em 1856. A guerra acabou com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

yasmin castilho disse...


1- Ucrânia tornou-se o centro de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, a Rus Kievana, o que estabeleceu a base das identidades nacionais ucraniana e das demais nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. A capital do principado era Kiev, conquistada aos cazares por Askold e Dir por volta de 860. Conforme asCrônicas Nestorianas, a elite do principado era inicialmente formada por varegues provenientes da Escandinávia que foram mais tarde assimilados à população local de modo a formar adinastia Rurik. O Principado de Kiev era formado por diversos domínios governados por príncipes ruríkidas aparentados. Kiev, o mais influente de todos os domínios, era cobiçado pelos diversos membros da dinastia, o que levava a enfrentamentos frequentes e sangrentos.
2- 2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
Por causa do Gaz.. Opaís é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. A Ucrânia é a terceira maior exportadora de trigo e milho do mundo, e a Rússia supre um quarto das necessidades. A Ucrânia significa muito. O país foi a joia da coroa do império soviético e , anteriormente, ajudou a consolidar o império russo
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "Так! Ющенко!" ("Sim! Yushchenko!").
4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Rússia.A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia
Foi um conflito travado entre os turcos e os russos. Isso porque os russos quiseram interferir nos problemas internos. Alegaram defender a religião cristã nos balcans que era dominio dos turcos. Inicia então a guerra, sendo que os turcos são apoiados pelos ingleses e franceses, que temiam a expansão dos russos, prejudicando o comercio destes com o Oriente.
YASMIN CASTILHO 3ºB

yasmin castilho disse...

1- Ucrânia tornou-se o centro de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, a Rus Kievana, o que estabeleceu a base das identidades nacionais ucraniana e das demais nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. A capital do principado era Kiev, conquistada aos cazares por Askold e Dir por volta de 860. Conforme asCrônicas Nestorianas, a elite do principado era inicialmente formada por varegues provenientes da Escandinávia que foram mais tarde assimilados à população local de modo a formar adinastia Rurik. O Principado de Kiev era formado por diversos domínios governados por príncipes ruríkidas aparentados. Kiev, o mais influente de todos os domínios, era cobiçado pelos diversos membros da dinastia, o que levava a enfrentamentos frequentes e sangrentos.
2- 2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
Por causa do Gaz.. Opaís é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. A Ucrânia é a terceira maior exportadora de trigo e milho do mundo, e a Rússia supre um quarto das necessidades. A Ucrânia significa muito. O país foi a joia da coroa do império soviético e , anteriormente, ajudou a consolidar o império russo
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "Так! Ющенко!" ("Sim! Yushchenko!").
4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Rússia.A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia
Foi um conflito travado entre os turcos e os russos. Isso porque os russos quiseram interferir nos problemas internos. Alegaram defender a religião cristã nos balcans que era dominio dos turcos. Inicia então a guerra, sendo que os turcos são apoiados pelos ingleses e franceses, que temiam a expansão dos russos, prejudicando o comercio destes com o Oriente.
YASMIN CASTILHO 3ºB

Anônimo disse...

1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2- Com fortes laços com a Rússia, Ucrânia é seduzida pelo bloco europeu - e oscila entre os dois. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4- Como consequência da revolução na Ucrânia - na qual ucranianos nacionalistas e a favor do Ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Victor Yanucovich -, surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Russia.Homens armados içaram bandeiras sobre edifícios do governo declarando que "a Crimeia é a Rússia", enquanto grupos separatistas entraram em confronto nas ruas com grupos pró- Ucrania.

5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Beatriz Corrêa Darós, 04. 3ºB.

Anônimo disse...

1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2- Com fortes laços com a Rússia, Ucrânia é seduzida pelo bloco europeu - e oscila entre os dois. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4- Como consequência da revolução na Ucrânia - na qual ucranianos nacionalistas e a favor do Ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Victor Yanucovich -, surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Russia.Homens armados içaram bandeiras sobre edifícios do governo declarando que "a Crimeia é a Rússia", enquanto grupos separatistas entraram em confronto nas ruas com grupos pró- Ucrania.

5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Beatriz Corrêa Darós, 04. 3ºB

Anônimo disse...

1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2- Com fortes laços com a Rússia, Ucrânia é seduzida pelo bloco europeu - e oscila entre os dois. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4- Como consequência da revolução na Ucrânia - na qual ucranianos nacionalistas e a favor do Ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Victor Yanucovich -, surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Russia.Homens armados içaram bandeiras sobre edifícios do governo declarando que "a Crimeia é a Rússia", enquanto grupos separatistas entraram em confronto nas ruas com grupos pró- Ucrania.

5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Beatriz C. Darós, 04. 3ºB.

Anônimo disse...

1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2- Com fortes laços com a Rússia, Ucrânia é seduzida pelo bloco europeu - e oscila entre os dois. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4- Como consequência da revolução na Ucrânia - na qual ucranianos nacionalistas e a favor do Ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Victor Yanucovich -, surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Russia.Homens armados içaram bandeiras sobre edifícios do governo declarando que "a Crimeia é a Rússia", enquanto grupos separatistas entraram em confronto nas ruas com grupos pró- Ucrania.

5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.
Beatriz C. Darós, 04. 3ºB.

Anônimo disse...

Gabriel Anderson Waltrick Nº 11 3ªC
1- Durante a Segunda Guerra Mundial, Hitler e Stalin viram a Ucrânia como um obstáculo a seus planos e objetivos. Enquanto Hitler queria o país como uma Lebensraum Alemã (espaço físico que possui vastos recursos naturais necessários para que um Estado-nação possa ser uma potência), Stalin temia que o nacionalismo ucraniano destruísse o império russo soviético. Ele conseguiu “esconder” o genocídio de ucranianos, enquanto os crimes de Hitler foram mais conhecidos. Essas barbáries incluíam a ordem para executar 100 ucranianos inocentes para cada soldado alemão morto, a rejeição da autonomia da Ucrânia, e perdas demográficas incomparáveis com as de outros países envolvidos na guerra. Foram 14 milhões de pessoas entre mortos, vítimas de campos de concentração, deportados, evacuados, e exilados com nazistas. Aproximadamente 44% das perdas totais. 720 cidades ucranianas, 16 500 empresas industriais, e 33 000 escolas foram destruídas. E mesmo com a independência atual da Ucrânia, ainda se descobrem sepulturas de assassinatos em massa em cidades do subúrbio.
2- A Europa possui o interesse de expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, enquanto Moscou deseja aumentar sua zona de influência e aproximar-se da União Europeia para confrontá-la. A Ucrânia é a porta de entrada para o Oriente, na visão européia, e ao mesmo tempo é a porta de saída para o ocidente na visão russa. Enquanto a Europa quer abrir a porta, a Rússia mantém uma pressão no pequeno país, para que não permita essa ligação e continue em sua sombra.

3- A revolução laranja aconteceu no final de 2004, quando ucranianos foram às ruas protestar contra eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko fosse o vitorioso, pois ele era favorável a aproximação com o ocidente. Os ucranianos não perdoavam os russos pelas barbaridades do passado, nem a imposição do idioma russo e o desastre de Chernobyl. Tinham a ideia de que os russos foram responsáveis pela fraude eleitoral, foram às ruas vestidos de laranja, que era a cor do partido de Yushchenko. Ele acabou vencendo pois foi feita a recontagem dos votos.

4-A Crimeia não integra legalmente a Rússia atualmente, mas já integrou no passado. Moscou tem interesse na Crimeia há centenas de anos por conta de suas ricas terras agricultáveis e acesso ao Mar Negro. A Rússia entregou a Crimeia à Ucrânia em 1954, quando os dois países já eram parte da União Soviética. Após o colapso da URSS em 1991, houve certo desejo local de que a Crimeia deixasse a Ucrânia e se tornasse parte novamente da Rússia, mas legisladores da Ucrânia e da Crimeia decidiram não autorizar o movimento. Muitos russos ainda vivem na Criméia, e a parte dos tártaros que habita o centro da península, é totalmente contra a anexação pela Rússia por causa das antigas repressões soviéticas no passado.

5-Guerra da Crimeia: Aconteceu entre 1853 e 1856, envolveu de um lado a Rússia, e do outro uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, região que atualmente é a Itália, formada com o objetivo de conter a expansão russa. Iniciou com as incursões russas nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Russia, que os derrotou facilmente na Ucrânia. Os ingleses temiam que a base naval russa na Crimeia era uma ameaça futura, por isso se juntaram aos franceses e dominaram a cidade em 1856. A guerra acabou com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Anônimo disse...

Beatris Letzov nº3 3ºB

1-Durante a Segunda Guerra Mundial, Hitler e Stalin viram a Ucrânia como um obstáculo a seus planos e objetivos. Enquanto Hitler queria o país como uma Lebensraum Alemã (espaço físico que possui vastos recursos naturais necessários para que um Estado-nação possa ser uma potência), Stalin temia que o nacionalismo ucraniano destruísse o império russo soviético. Alguns dos problemas que a Ucrânia enfrentou: rejeição de sua autonomia, perdas demográficas incomparáveis com as de outros países envolvidos na guerra. Foram 14 milhões de pessoas entre mortos, vítimas de campos de concentração, deportados, evacuados, e exilados com nazistas. Aproximadamente 44% das perdas totais.

2-A Europa possui o interesse de expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, enquanto Moscou deseja aumentar sua zona de influência e aproximar-se da União Europeia para confrontá-la. A Ucrânia é a porta de entrada para o Oriente, na visão européia, e ao mesmo tempo é a porta de saída para o ocidente na visão russa. Enquanto a Europa quer abrir a porta, a Rússia mantém uma pressão no pequeno país, para que não permita essa ligação e continue em sua sombra.A Ucrânia tem fortes laços econômicos com a Rússia e depende do gás russo. Boa parte das exportações do país também tem a Rússia como destino. Viktor Yanukovych, eleito para presidente da Ucrânia democraticamente em 2010, tem sua base no leste da Ucrânia. Dos dois lados da fronteira, os laços com a Rússia são considerados cruciais. O anúncio abrupto de que o acordo com a União Europeia não seria assinado veio logo após os russos ameaçarem impor sanções à Ucrânia.

3-A revolução laranja aconteceu no final de 2004, quando ucranianos foram às ruas protestar contra eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko fosse o vitorioso, pois ele era favorável a aproximação com o ocidente. Os ucranianos não perdoavam os russos pelas barbaridades do passado, nem a imposição do idioma russo e o desastre de Chernobyl. Tinham a ideia de que os russos foram responsáveis pela fraude eleitoral, foram às ruas vestidos de laranja, que era a cor do partido de Yushchenko. Ele acabou vencendo pois foi feita a recontagem dos votos.

4-A Crimeia já integrou a Rússia no passado. Moscou tem interesse na Crimeia há centenas de anos por conta de suas ricas terras agricultáveis e acesso ao Mar Negro. A Rússia entregou a Crimeia à Ucrânia em 1954, quando os dois países já eram parte da União Soviética. Após o colapso da URSS em 1991, houve certo desejo local de que a Crimeia deixasse a Ucrânia e se tornasse parte novamente da Rússia, mas legisladores da Ucrânia e da Crimeia decidiram não autorizar o movimento.A marinha russa tem uma base na cidade crimeia de Sebastopol, no Mar Negro, há 230 anos. Navios e submarinos baseados lá estão a norte da Turquia e podem alcançar o Mediterrâneo com facilidade para chegar ao Oriente Médio e aos Bálcãs. No entanto, analistas afirmam que a importância da Frota do Mar Negro pode ser superestimada. É a menor das quatro frotas russas, e a Rússia tem sua própria faixa de costa no Mar Negro.Ainda assim, Sebastopol claramente segue significante para a Rússia.

5-Guerra da Crimeia: Aconteceu entre 1853 e 1856, envolveu de um lado a Rússia, e do outro uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, região que atualmente é a Itália, formada com o objetivo de conter a expansão russa.Os turcos abriram guerra à Russia, que os derrotou facilmente na Ucrânia. Os ingleses temiam que a base naval russa na Crimeia era uma ameaça futura, por isso se juntaram aos franceses e dominaram a cidade em 1856. A guerra acabou com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Anônimo disse...

Bruno P. Vicente
N: 11 turma 3B
1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2-Com fortes laços com a Rússia, Ucrânia é seduzida pelo bloco europeu - e oscila entre os dois. Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

3-foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4-Como consequência da revolução na Ucrânia - na qual ucranianos nacionalistas e a favor do Ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Victor Yanucovich -, surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do país, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais à Ucrânia e aquelas leais à Russia.Homens armados içaram bandeiras sobre edifícios do governo declarando que \"a Crimeia é a Rússia\", enquanto grupos separatistas entraram em confronto nas ruas com grupos pró- Ucrania.



5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas.

Anônimo disse...

Victor Gonzalez Marques nº32 3ºB

1)A Ucrânia é um país com histórico de muitas tragedias. A historia da Ucrânia durante mais de mil anos registrou invasões. Mongóis foram sucedidos por lituanos e seguidos por poloneses, rutênios e tártaros. Depois houve a briga com os russos, veio o comunismo e a fome e opressão, isso tudo durou décadas.

2)Os principais interesses do União Europeia era expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Russia, e também o país era a entrada da UE para o oriente. E para a Russia os principais interesses eram aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la e a Ucrânia era a porta de saída para o ocidente.

3)A revolução laranja, foi uma revolução que deu-se inicio em dezembro de 2004, quando o ucranianos foram para as ruas protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. A eleição fraudada foi mantida devido aos resultados oficiais da eleição presidencial de outubro de 2004. A cor laranja foi escolhida pelo fato de que era a cor utilizada na campanha do candidato da oposição.

4)Porque mesmo a Crimeia sendo da Ucrânia, os Tártaros ainda predominavam como se o país fosse da Russia, surgindo assim uma disputa.

5)A guerra da Crimeia foi um conflito entre os anos de 1853 e 1856. A guerra ocorreu entre os países Russia, França, Reino Unido, Piemonte-Sardenha. A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da ValáquiaOs turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.

Anônimo disse...

Juliana Philipps. Nº17. 3ºB

1- Durante os séculos X e XI, o território da Ucrânia tornou-se o centro de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, o Principado de Kiev, o que estabeleceu a base das identidades nacionais ucranianas e das demais nações orientais nos séculos subsequentes. Os cossacos em sua origem eram servos fugitivos de origem russa ou polonesa que se estabeleceram na Ilha de Hortitsa (ou Khortytsia) no Rio Dniepre, que entravam em constantes conflitos com as autoridades polonesas. Durante a Segunda Guerra Mundial, alguns membros do subterrâneo nacionalista ucraniano lutaram contra nazistas e soviéticos, indistintamente, enquanto que outros colaboravam com ambos os lados. Em 1941, os invasores alemães e seus aliados do Eixo avançaram contra um desesperado Exército Vermelho. No cerco de Kiev, a cidade foi designada pelos soviéticos como "Cidade Heróica" pela feroz resistência do Exército Vermelho e da população local. Mais de 660 000 soldados soviéticos foram capturados ali. Em 24 de agosto de 1991 foi aprovada a Declaração de Independência e foi convocado um plebiscito para ratificá-la, que ocorreu em dezembro de 1991, no qual 90% dos votos foram favoráveis à ratificação, no mesmo dia, foi eleito presidente com 60% dos votos.

2- Depois de um breve período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola.
3- Revolução Laranja – Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko e elegeu-se – desta vez sem fraude.
4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.

A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália).

A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.

A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

Anônimo disse...

Laila Dutra da Rocha nº23 3ºano C

1. O território da Ucrânia foi invadido por bárbaros (como os Hunos), por mongóis durante o Principado de Kiev, pertenceu à Lituânia e à Polônia, foi anexada à Áustria, Prússia e Rússia após a revolta dos cossacos (servos fugitivos que defendiam a Igreja Ortodoxa). Com a Revolução Russa de 1917, o país conquistou a sua independência, porém foi incorporado à URSS em 1922. Nos anos 30, com a rápida industrialização imposta pelo governo soviético, houve a coletivização da agricultura, para atender as maiores demandas de alimentos. Com a resistência por parte dos camponeses, as autoridades bloquearam o acesso aos cereais e grãos, consequentemente, a fome se espalhou pelo país, causando a morte de boa parte da população. Durante a Segunda Guerra Mundial, alguns ucranianos apoiavam os soviéticos, e outros viam os alemães como libertadores (ideia revogada ao perceberem a política de genocídio da Alemanha). Em 1953 anexou a Crimeia a seu território (antes pertencente à República Soviética da Rússia). Em 1986, houve o acidente nuclear de Chernobyl. Com o fim da URSS em 1991, a Ucrânia obteve autonomia, tornando-se um sistema parlamentar democrático.

2. Por parte da Rússia, expandiria seu território para o Ocidente, ficando mais próximo dos países da UE, facilitando o confronto entre os dois. Além de a Ucrânia ter instalações militares e mísseis, e de estar presente na história russa, tendo sido um forte colaborador econômico na época da URSS. Já para União Europeia, significaria a entrada para o Oriente, isolando a Rússia, e eles teriam acesso à economia ucraniana (a tecnologia bélica e aeroespacial, a extração de minério e a produção de aço).

3. A população ucraniana, em 2004, protestou contra o resultado das eleições daquele ano. Alegavam que o serviço secreto russo havia fraudado a eleição, divulgando a vitória de Viktor Yanukovich (de origem russa). Os manifestantes foram às ruas vestidos de laranja, que era a cor do partido de Viktor Yushchenko, o candidato adversário de Yanukovich, que era a favor da aproximação do país com o Ocidente. Houve a recontagem de votos, confirmando a fraude, concedendo a posse a Yushchenko.

4. Após a queda do presidente ucraniano Viktor Yanukovytch, decorrente das manifestações sucedidas no país (com a recusa do presidente em unir-se à UE), a população ucraniana se dividiu em a favor e contra a Rússia. A Crimeia é uma república autônoma que fica no sul da Ucrânia, maior parte da sua população é de etnia russa, falantes da língua russa. Com isso, iniciou um movimento separatista, tropas russas ocuparam a região, causando tensão entre a Rússia e a Ucrânia. A Crimeia se encontra em um ponto estratégico (entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Morto), o que desperta o interesse da Rússia, em relação à base militar e a extensão de seus gasodutos.

5. A Guerra da Crimeia ocorreu de 1853 a 1856 na península da Crimeia, no sul da Rússia e nos Bálcãs (região sudeste da Europa). Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, o Império Otomano (atual Turquia), que recebeu apoio da França, do Reino Unido e do Reino da Sardenha, que temiam a expansão russa. Alegando que iria proteger Jerusalém, as tropas russas invadiram principados otomanos, fazendo com que os turcos declarassem guerra à Rússia. A guerra só chegou ao fim em 1856, com a assinatura do Tratado de Paris.

Anônimo disse...

1-A Ucrânia é um país da Europa localizada no Oriente e faz fronteira com a Rússia e a Bielorrússia, é o maior país europeu. Ela começou a ser habitada há cerca de 40 mil anos. Foi invadida, governada e dividida por diversos povos. Ucrânia possui 24 oblasts (províncias), republica autônoma (Criméia), Kiev (capital) e Sevastapol são cidades com estatuto especial. Tornou-se independente em 1991 formando um estado-nação. Possui grandes exportações de grãos e uma safra acima da média, possui manufatura desenvolvida nas aeronáuticas e equipamentos industriais. Com o segundo maior exército depois da Rússia, a religião é cristianismo. Kiev a capital foi dominada e cobiçada pela dinastia, é dessa forma que se davam enfrentamentos. A invasão mongol no século XIII soltou o golpe de misericórdia, fome, comunismo e opressão do qual nunca se recuperaria.
2-Ucrânia foi invadida em 1922 pela Rússia que é ligada pelas questões econômicas, culturais e históricas, a população prefere os benefícios do Ocidente, como a democracia, contra o autoritarismo russo, menor corrupção e mais direitos humanos. O país é auto-suficiente em relação à energia elétrica e nuclear, maior exportador de aço e depende da Rússia pela exportação de gás. A união européia sofre pressão dos EUA para se aproximar da Ucrânia, com o objetivo de diminuir a influencia russa na Europa, porém a maioria da Europa é dependente do gás russo. Durante a 2°guerra mundial, na Ucrânia houve muitas batalhas e foi invadida por nazistas. Em 1946 depois da guerra, Ucrânia estava acabada, safras deficientes e todos passariam fome até o país se recuperar, na guerra fria Ucrânia foi o país soviético mais importante, depois da Rússia, que era conduzida pelos comunistas, que em 1991 houve um colapso e Leonid Kravchuk se tornou o primeiro presidente da Ucrânia.
3-A Revolução Laranja (manifestantes se vestiram de laranja) foi gerada por muitos protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições de 2004 na Ucrânia, nelas concorriam para presidente o Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. Yanukovych estava muito a frente do outro candidato por apoiar a Rússia, mas as eleições foram alvo de fraude. Os protestos se deram através das greves e desobediência civil. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada e que tivesse o segundo turno, ganhando então Yushchenko com 52% dos votos e Yanukovych com 44%.
4-As manifestações na Ucrânia começaram em novembro, quando o presidente Viktor Yanukovych decidiu não assinar um acordo de cooperação com a União Européia. A Ucrânia está dividida entre grupos que querem proximidade com a União Européia e outros com a Rússia. Em fevereiro, Yanukovych foi deposto e a Criméia que é uma região autônoma da Ucrânia tem a preocupação de se tornar um campo de batalha entre o povo Ucraniano e Russo. Declararam que a “Criméia é a Rússia”. A Criméia é o sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo, a maioria da população é russa. Na eleição de 2010 acredita-se que Yanukovych foi alvo de um golpe, o que levou a separação e pressão ao parlamento da Criméia para que ela se separasse da Ucrânia.
5- Já houve a guerra da Criméia entre 1853 a 1856, o resultado dessa guerra foi à ambição imperialista, quando o Reino Unido e a França, suspeitas da Rússia na região dos Balcãs (depois da queda do Império Otomano), enviaram tropas à Criméia, assim a Rússia foi derrotada.

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2014/02/27/por-que-a-crimeia-se-transformou-no-foco-da-tensao-na-ucrania.htm http://noticias.uol.com.br/internacional/listas/10-links-para-entender-a-crise-na-ucrania-e-suas-possiveis-consequencias.htm



Victoria Viana nº34 3ºB

Anônimo disse...

1- Depois de um breve período de independência, o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de 7 milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditados Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia a comida em represália a resistência dos ucranianos em aderir sua proposta da coletivizacao agrícola. Depois, durante a Segunda Guerra Mundial, o pais foi invadido por nazistas, após o fim da Guerra(1946),o pais estava destroçado e passaria por outro período de fomos. Durante a guerra fria, a Ucrânia era o pais mais importante dos países soviéticos. Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk, ativo membro da burocracia comunista, se tornou o primeiro presidente da Ucrânia independente. Como todas as empresas eram estatais, o pais deu início a um período de privatizaçao. A Ucrânia é um pais com histórico de tragédias.
2- Europeus- tem interesse em expandir suas fronteiras para o oeste e isolar a Rússia. A Ucrânia é a porta de entrada da UE para o Oriente.
Russos- querem aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confronta-la.
3-Em 2004, ucranianos foram as ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitoria de Viktor yanukovich.
4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no pais, o que pode levar ao separatismo. A maioria dos habitantes se identificam como russos e falam o idioma. Isso da maior poder a Rússia, tendo a aprovação do povo.
5- Foi um conflito entre a Rússia(de um lado) e do outro, reino unido, frança e Itália. A coligação desses países foi formada com o objetivo de conter a expansão russa. A guerra terminou com a assinatura do tratado de Paris. A Rússia renúncia qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficaria proibido de manter ou forças no mar negro.
Nome: Sabrina Kressin N°: 36 ano: 3 A

Anônimo disse...

Bianca Carolina nº 06 3B

1.A história da Ucrânia foi marcada por uma sucessão de tragédias. Foi um país palco de muitas guerras violentas. Em 1922 foi invadida pela Rússia para formar a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Durante toda a Guerra Fria a Ucrânia foi considerada um dos mais importantes países soviéticos, depois da Rússia. Em 1991 o ex-secretário Leonid Kravchuk do partido da Ucrânia fez uma leitura rápida sobre o colapso do comunismo e declarou por final declarou a Ucrânia independente, tornando-se presidente da mesma. Atualmente a Ucrânia tem como presidente Viktor Yanukovych.

2. O principal objetivo da Rússia em relação a Ucrânia é que o país é uma porta de entrada para o ocidente. Já para a UE é a porta de entrada para o oriente.Questões históricas, culturais e econômicas ligam a Ucrânia ao país de Vladimir Putin, mas a população que tem protestado nas ruas vê motivos mais fortes para se inclinar para o outro lado. Os manifestantes apreciam os benefícios oferecidos pelo Ocidente, principalmente os jovens, estudantes.

3. A Revolução Laranja foi um série e protestos e evento políticos, que ocorreram entre 2004 e 2005 onde a população alegou que houve fraude e corrupção nas eleições. Os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. Os manifestantes, por sua vez, queriam que Viktor Yushchenko fosse eleito devido ser um político favorável a aproximação com o ocidente e era reformador.

4.A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A população toda votou em peso em Yanukovich na eleição presidencial de 2010, e muitos acreditam que ele é vítima de um golpe, e assim levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia

5.A guerra da Crimeia, que ocorreu entre 1853 e 1856, foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

Verena Maia, 3º EM B, nº 31 disse...

1. A Ucrânia é o segundo maior país do continente europeu, atrás somente da Rússia. Foi um dos principais países da extinta URSS. Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano, desenvolveram grandes plantações de cereais. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI). Com a desagregação da União Soviética, a economia ucraniana sofreu grande declínio, pois a Rússia, principal importadora dos seus produtos agrícolas e responsável pela aplicação de recursos financeiros no setor industrial, também teve a economia extremamente afetada, refletindo diretamente nas relações comerciais entre as duas nações. O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história. Esse desastre provocou a morte de milhares de pessoas, além do desenvolvimento de cânceres após décadas do ocorrido.
2. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev. Para Putin, a Ucrânia significa muito. O país foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo. Imagine lugares paradisíacos como a Criméia e cidades poderosas como Kiev. A Rússia não quer abrir mão disso.
3. A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
4. A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A região votou em peso em Yanukovich na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5. A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.

Anônimo disse...

1- País da Europa Oriental. Situado no Sudeste da Europa, é o segundo maior país do continente, depois da Rússia, com uma área de 603 700 km2. A Ucrânia Ocidental é formada pelo fértil planalto da Volínia, enquanto no Norte dominam as bacias dos rios Dniepre e Donetz, com boas terras agrícolas e pântanos; é aqui que se situa a capital. As planícies situadas a ocidente de Kirovograd têm um solo negro designado chernozem; as da parte oriental, embora menos férteis, sustentam muitas comunidades rurais. Estes solos foram em grande parte contaminados por radioatividade, após o acidente da central nuclear de Chernobyl, em 1986. No extremo Sul da Ucrânia, situam-se as planícies secas das costas dos mares de Azov e Negro. A Crimeia é uma das mais afamadas regiões turísticas do país e situa-se mais a sul. Os principais produtos mineiros e energéticos do país são o ferro, o carvão, o manganês, o petróleo e o gás natural. A produção agrícola inclui trigo, cevada, centeio, milho, beterraba açucareira, semente de girassol, algodão, batatas e legumes. Na indústria, merecem referência os ramos alimentar, de produtos metálicos, de construções mecânicas e químico. Os principais parceiros comerciais da Ucrânia são a Rússia, a Alemanha e a China.
2-Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola.
Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em seu livro Pós-Guerra, Uma História da Europa desde 1945, o historiador Tony Judt explica que “os ucranianos, em particular depois de 1941, de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética. (...) Ucranianos lutaram ao lado da Wehrmacht, contra a Wehrmacht, contra o Exército Vermelho e entre si, dependendo do momento e do local”.
Em 1946, logo após do


3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.
Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.
Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.
Bruna Fantini 08 3b

Anônimo disse...

4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.
A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.
Bruna fantini 08 3b

Anônimo disse...

Rodrigo Veloso nº30

1-Segundo maior país do continente europeu, atrás somente da Rússia. A Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), desenvolveram grandes plantações de cereais. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – grupo formado pela Rússia e as antigas repúblicas soviéticas.A população nacional apresenta grande diversidade cultural.O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história.

2-Os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia.

3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5-Crise da Crimeia de 2014 é uma crise político-institucional ocorrida na sequência da revolução ucraniana de 2014, em que o governo do presidente Viktor Yanukovych foi deposto. Trata-se de protestos de grupos russos étnicos que se opuseram aos eventos em Kiev e reivindicam laços estreitos ou a integração com a Rússia, além de autonomia expandida ou possível independência da Crimeia. Outros grupos, incluindo os tártaros da Crimeia, têm protestado em apoio a revolução.
Adversários armados das novas autoridades de Kiev tomaram uma série de edifícios importantes na Crimeia, incluindo o edifício do parlamento e dois aeroportos. Kiev acusou a Rússia de intervir nos assuntos internos da Ucrânia, enquanto o lado russo negou oficialmente tais alegações. Sob cerco, o Conselho Supremo da Crimeia indeferiu o governo da república autônoma e substituiu o presidente do Conselho de Ministros da Crimeia, Anatolii Mohyliov por Sergey Aksyonov.
As tropas russas estacionadas na Crimeia em acordo bilateral foram reforçadas e dois navios da Frota do Báltico da Rússia violaram as águas ucranianas.
Em 1 de março, o parlamento russo concedeu ao presidente Vladimir Putin a autoridade para usar a força militar na Ucrânia, na sequência de um pedido de ajuda não-oficial do líder pró-Moscou, Sergey Aksyonov. Os Estados Unidos e seus aliados condenaram uma intervenção russa na Crimeia, incentivando a Rússia a retirar-se.

Anônimo disse...

RODRIGO DUBIEL - NUMERO 29 - 3B

1 - Situado no Sudeste da Europa , A Ucrânia é o segundo maior país do continente, depois da Rússia, com uma área de 603 700 km2. Faz fronteira com a Bielorrússia e a Rússia, a norte, com a Moldávia e a Romênia, a sul, a Hungria a sudoeste, e a Eslováquia e a Polônia, a oeste. Possui um clima temperado continental com invernos rigorosos.
A planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2- Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola.
Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas.
Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas , com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk ( ativo membro da burocracia ucraniana ) fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou seu trabalho para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Como todas as empresas eram estatais, o país deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou e por isso o grande interesse pela Ucrânia.

3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich (o mesmo mandatário atual). De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso.
Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra) e elegeu-se desta vez sem fraude.

4- A Criméia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.

5-A Rússia tem sido o poder dominante na Criméia na maioria dos últimos 200 anos, desde que anexou a região em 1783. No entanto, a Criméia passou das mãos de Moscou para as da Ucrânia - então parte da União Soviética - em 1954. Grupos étnicos russos que vivem na região consideram isso um erro histórico.
Mesmo assim, uma outra minoria importante, os tártaros muçulmanos da Criméia dizem que eles já foram maioria na Ucrânia, e foram deportados em massa pelo líder da União Soviética Joseph Stalin em 1944 sob a acusação de colaborarem com a invasão nazista durante a Segunda Guerra Mundial.
Os membros de grupos étnicos ucranianos compõem 24% da população da Criméia, segundo o censo de 2001, em comparação com 58% de russos e 12% de tártaros.
Os tártaros vêm retornando à região desde o colapso da União Soviética em 1991, o que causa uma tensão contínua com os russos sobre o direito destas terras.

Anônimo disse...

1-A Ucrânia se tornou independente em em 1917 e por um pequeno período ficou assim, até que em 1921 foi invadida pela Rússia para a formação da URSS. A industrialização começou no final dos anos 1920. Na década de 1930 o ditador Josef Stalin estabeleceu um plano para a coletivização da agricultura, isso fez com que mais de sete milhões de pessoas morressem de fome. Durante a segunda guerra mundia o país foi invadido pelos nazistas, os ucranianos fizeram de tudo para se beneficiar disso pra obter a independência , muitas guerras civis ocorreram. Após a segunda guerra o país estava acabado e passou por um longo período de fome. Foi o segundo país mais importante na guerra fria. Em 1986 ocorreu o pior desastre nuclear já visto, no qual um reator da usina nuclear de chernobyl explodiu provocando a morte por exposição à radioatividade em mais de 30 mil pessoas. Em 1991 com o colapso da URSS o país voltou a se tornar independente. Mas todas a empresas do país eram estatais isso beneficiou a antiga oligarquia comunista dominante (Russia). Em dezembro de 2004 aconteceu a revolução laranja na qual ucranianos foram às ruas protestar contra as eleições fraudadas, os eles acreditavam que a fraude foi causada pelos serviço secreto russo e foram protestar vestidos de laranja.

2- Por parte da União Européia, ela quer expandir suas fronteiras, ter um porta de entrada para o oriente e isolar a Russia. Já a Russia quer aumentar sua zona de influência e usar a Ucrânia para confrontar diretamente com o União Européia.

3- Um 2004 Viktor Yanukovich foi eleito como presidente, os ucranianos achavam que essa eleição foi fraudada e quem estava por trás era o serviço secreto russo, por isso a população foi as ruas vestida de laranja, pois era a cor do partido de Yushchenko que perdeu as eleições, exigindo um recontagem de votos, fazendo com que ele ganhasse.

4- Pois é na Criméia que estão os habitante a favor da Russia, a maioria se identifica muito com a Russia, isso faz com que aquela população não queira que a Ucrânia não se junte com a União Européia.

5- Uma grande discussão atualmente é para saber se Ucrânia se junta com a União Européia, o país esta dividido, parte é a favor e outra é contra, querendo que eles fiquem com a Russia, a criméia se tornou um local de discussões pois é la que a está quem é contra a união.

Vitor Mees Vicente 35 3ºB

Anônimo disse...

Nicoly 3ºB nº25
1-Após um breve período de independência (1917-1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome por causa de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola. Na II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em 1946, no fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia, por isso, era acompanhada pelos comunistas dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos. Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia fez uma leitura rápida e, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.Todas as empresas eram estatais, o país deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou. Em 2004, a Kryvorizhstal era uma das maiores usinas de aço do mundo com 42 mil empregados e lucro bruto anual de 300 milhões de dólares, e foi posta à venda, tardiamente. Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma, um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.
2- O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Concebido em 2008, o acordo propõe vantagens econômicas e comerciais para os países do leste, que abririam seu mercado consumidor para os produtos e serviços da UE. Os europeus, por sua vez, também teriam acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço (o principal produto de exportação de Kiev). Em contrapartida, o bloco oferece apoio técnico para a consolidação de "valores comuns como a democracia, o Estado de Direito e o respeito pelos direitos humanos, assim como os princípios da economia de mercado, o desenvolvimento sustentável e a boa governança”, como diz o texto fundador da Parceria Oriental. Os russos tem muito interesse na Ucrania, porque existem laços históricos desde cultural, idiomas e costumes, e o país é ainda um dos clientes mais importantes de Moscou e também abriga instalações militares e mísseis do espólio soviético.
3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso, um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto.

4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia na Ucrânia, o que pode levar ao separatismo. A região, uma península na costa ucraniana no Mar Negro, tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo, e uma grande base naval russa se encontra na Crimeia.
5- A Guerra da Crimeia, que ocorreu entre 1853 e 1856. Foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

Anônimo disse...

Rodrigo Veloso nº30 3°B

1-Segundo maior país do continente europeu, atrás somente da Rússia. A Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), desenvolveram grandes plantações de cereais. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – grupo formado pela Rússia e as antigas repúblicas soviéticas. O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história. A população nacional apresenta grande diversidade cultural.

2- Os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia.

3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.

4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5-A onda de manifestações na Ucrânia teve início depois que o governo do presidente Viktor Yanukovich desistiu de assinar, em 21 de novembro de 2013, um acordo de livre-comércio e associação política com a União Europeia (UE), alegando que decidiu buscar relações comerciais mais próximas com a Rússia, seu principal aliado.
O conflito reflete uma divisão interna do país, que se tornou independente de Moscou com o colapso da União Soviética, em 1991. No leste e no sul do país, o russo ainda é o idioma mais usado diariamente, e também há maior dependência econômica da Rússia. No norte e no oeste, o idioma mais falado é o ucraniano, e essas regiões servem como base para a oposição – e é onde se concentraram os principais protestos, incluisive na capital, Kiev.

Brunno Simão disse...

Nome: Brunno Simão n:9

1- Desde a pré-história, passando pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS. Diferentes partes da Ucrânia foram ocupadas antes da era de Cristo. No primeiro milénio depois de Cristo, este territóriotambém não escapou às invasões. Godos, Hunos, Búlgaros e Magiares foram alguns dos povos que invadiram esta região.O povo que mais contribuiu para o seu desenvolvimento, neste período, foi o ucraniano (Rutenos), eslavos orientais, nosséculos V e VI.

2- Concebido em 2008, o acordo propõe vantagens econômicas e comerciais para os países do leste, que abririam seu mercado consumidor para os produtos e serviços da UE. Os europeus, por sua vez, também teriam acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço (o principal produto de exportação de Kiev). Em contrapartida, o bloco oferece apoio técnico para a consolidação de "valores comuns como a democracia, o Estado de Direito e o respeito pelos direitos humanos, assim como os princípios da economia de mercado, o desenvolvimento sustentável e a boa governança”, como diz o texto fundador da Parceria Oriental.

3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich (sim, o mesmo mandatário atual). De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu .

4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.


5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, oReino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas. A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.

Anônimo disse...

Nome: Eduardo de Souza da Costa
Numero: 14
3ºB do EM

1-A ucrânia é um país da Europa Oriental que faz fronteira com a Federação Russa, Bielorússia, Polônia, Eslováquia, Hungria, Romênia, Moldávia, Mar Negro e por fim Mar de Azov. O país ucraniano possui uma vasta área que o torna o maior país totalmente no continente europeu. Considerada por muitos o celeiro da Europa por suas terras férteis.Possui um governo republicano com o poder concentrado no presidente Oleksandr Turchynov.

2- Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia.
3-A revolução laranja foi um acontecimento em 2004 no mês de dezembro. A população da Ucrânia foi as ruas para protestar contra a fraude eleitoral que ocorreu ao eleger o atual presidente. Esse acontecimento repudiou muito na ucrânia e causou muitas discussões

4- Pela instabilidade política recente e pela vasta ocupação da população militar russa na atual Crimeia

5-A guerra da Crimeia ocorreu entre 1853 à 1856, na península da Crimeia. De um lado tinha-se o Império Russo e de outro Reino Unido, França e Reino da Sardenha. Nessa guerra, foi importante o papel da marinha de corso, pela França e Reino Unido.

Anônimo disse...

Nome:João Paulo Bortoli Scarton, Nº: 22, Serie: 3ºA

1.A Ucrânia desde a pré-história, passa pelo surgimento do primeiro estado eslavo oriental, onde hoje é a Ucrânia. De 1917 a 1921 acontece um periodo de independencia. Após a revolucao Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela união soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixafas aenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS.

2.Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras

3.A revolução laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.

4. A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5.A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas

Anônimo disse...

1- Em 1990, o parlamento da Ucrânia proclamou a soberania da república e em 91, os presidentes da Ucrânia, da Federação Russa e da Bielorrúsia declararam o fim da URSS. Foi aprovada a Declaração de Independência e foi convocado um plebiscito para ratificá-la, que ocorreu em dezembro de 1991, no qual 90% dos votos foram favoráveis à ratificação e Leonid Kravchuk foi eleito presidente.
Em novembro de 2004, a Comissão Eleitoral Central da Ucrânia declarou que o candidato pró- russo Viktor Yanukovich teria vencido as eleições presidenciais por 49,6% dos votos, mas ocorreu a denúncia irregularidades no processo eleitoral. Em decorrência de protestos em massa de partidários de Yushchenko, em 3 de dezembro daquele ano, a Suprema Corte declarou inválidos os resultados do segundo turno e determinou uma nova votação em 26 de dezembro de, que foi vencida por Viktor Yushchenko. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovich elegeu-se, desta vez sem fraude
Dias atrás, yanukovich recusou assinar acordo com a UE e isso tem sido responsável pela nova crise vivida pela Ucrânia.

2- Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio disto está a Ucrânia. Com históricas tendências imperialistas, a Rússia tem o projeto geopolítico de construir a chamada União Eurasiana para competir com a União Europeia. O objetivo final de ambos é o mesmo, a formação de uma zona de livre comércio que se estenderia de Dublin a Vladivostok.
Ao se unir à Ucrânia a UE teria acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço.
Além de boa parte da população ucraniana ter laços de sangue com a Rússia, o país é ainda um dos clientes mais importantes de Moscou e abriga instalações militares e mísseis do espólio soviético.

3- A revolução Laranja foi uma revolta populacional que ocorreu por conta da denuncia de fraude nas eleições de 2004.Foi promovida pela massa de partidários de Yushchenko (quem havia sido declarado vencedor era Yanukovich), e culminou com a invalidez dos resultados do segundo turno e a ocorrência de uma nova eleição.

4- Além de ser um importante pólo industrial, a Criméia foi cedida a Ucrânia em 54 e 58% de sua população é russa, principal motivo pelo qual foi escolhido em plebiscito no dia 16 de março sua a anexação a Rússia.

5- A Guerra da Crimeia aconteceu de 1853 a 1856, na península da Crimeia, no sul da Rússia e nos Bálcãs. De um lado estava a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenhaque formavam a Aliança Anglo-Franco-Sarda e o Império Turco-Otomano. Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
A guerra teve seu início com as incursões russas nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia) e chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de em 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro. Já a Turquia representada era admitida na comunidade das potências europeias, e o sultão assumia o compromisso de tratar seus súditos cristãos de acordo com as leis europeias.

Ana Maria Brandt, nº 2, 3º C

Anônimo disse...

Daniel 3ºB nº: 12
RESPOSTAS:
1-A história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros.Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola.Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Os ucranianos, em particular depois de 1941, de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética.Ucranianos lutaram ao lado da Wehrmacht, contra a Wehrmacht, contra o Exército Vermelho e entre si, dependendo do momento e do local.
Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente. Após isso é dado o início de um processo de privatização das empresas.
2-Uma república de mais de 44 milhões de pessoas, com uma economia fragilizada, mas com enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia.

Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

Anônimo disse...

Daniel 3ºB nº: 12
CONTINUAÇAO:
3-Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.
A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "Так! Ющенко!" ("Sim! Yushchenko!").
Enquanto milhões de ucranianos manifestavam diariamente em Kiev, capital da Ucrânia e centro da revolução, onde militantes e simpatizantes de Yushchenko ficaram acampados em tempo integral, a ação foi destacada por uma série de protestos por todo o país, com protestos pacíficos e uma greve geral organizada pela oposição, seguida de disputas pelo resultado das eleições presidenciais.
Em grande parte devidos aos efeitos do movimento da oposição, os resultados da corrida eleitoral foram anulados e uma segunda eleição foi ordenada pela Suprema Corte da Ucrânia para 26 de dezembro de 2004. Sob uma intensa fiscalização na contagem de votos, a segunda votação foi aceita por observadores locais e internacionais como livre de problemas. Os resultados finais mostraram uma clara vitória de Yushchenko, que recebeu 52% dos votos, enquanto Yanukovych recebeu cerca de 44%. Yushchenko foi declarado o vencedor oficial e, com sua posse em 23 de janeiro de 2005, em Kiev, a Revolução Laranja obteve pleno êxito.
4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Anônimo disse...

Lucas Provesi nº19 3anoB

1-A Ucrânia Foi um país de muitas guerras violentas. Em 1922 foi invadida pela Rússia para formar a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), durante toda a Guerra Fria.O ex-secretário Leonid Kravchuk fez uma leitura sobre o colapso comunista e declarou a Ucrânia independente, tornando-se presidente desta. Viktor Yanukovych hoje em dia é presidente da Ucrânia.

2-O principal objetivo é que a Ucrânia possui portas de entradas para os dois lados, ocidente e oriente. Vladimir Putin é extremamente ligado a Ucrânia, através de fatos culturais. Porém a grande parte da população protesta com motivos mais fortes para se inclinar para o outro lado, porque eles vêem motivos e melhores benefícios cedidos pelo Ocidente.

3-Foram protestos e eventos políticos ocorridos em 2004. Grande parte da população alegou que houve corrupção nas eleições entre os candidatos Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych (atual presidente), onde os votos foram manipulados a favor do segundo candidato. A população queria que Viktor Yushchenko fosse eleito, por ser um político que visava a aproximação com o Ocidente.

4-A Crimeia é considerada o epicentro pois pode levar ao separatismo, devido o sentimento pró-rússia no país. Durante as eleições a maioria da população votou em Viktor Yanukovich, e muitos dos mesmos acreditam que ele foi vítima de um golpe certeiro, levando assim os separatistas tentarem pressionar o parlamento para votarem se a região da Crimeia deveria se separar da Ucrânia.

5-Quando o Reino Unido se uniu a França, ocorreu como resultado ambições imperialistas. Tiveram suspeitas sobre as ambições russas na região dos Bálcãs, por isso a união. Depois da queda do império otomano, os países enviarem várias tropas para região da Crimeia, levando a Rússia para a derrota.

Anônimo disse...

Leonardo Antônio de Souza, n24 - 3A


1-Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em seu livro Pós-Guerra, Uma História da Europa desde 1945, o historiador Tony Judt explica que “os ucranianos, em particular depois de 1941, de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética. (...) Ucranianos lutaram ao lado da Wehrmacht, contra a Wehrmacht, contra o Exército Vermelho e entre si, dependendo do momento e do local”

2- Pelo fato de todas as empresas serem estatais, a Ucrania deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou. Em 2004, a Kryvorizhstal era uma das maiores usinas de aço do mundo – com 42 mil empregados e lucro bruto anual de 300 milhões de dólares –, e foi posta à venda, tardiamente. Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3-Revolução Laranja – Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich (sim, o mesmo mandatário atual). De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto.

4- Porque a Crimeia é um território que foi cedido pela Russia durante o periodo da URSS, passando a ser propriedade ucraniana. Neste Local encontram-se principalmente características da cultura russa no país Ucraniano, causando desta forma grande polêmica sobre a influência da Russia sobre a Ucrania.

5- A guerra da Crimeia acontece após protestos do povo ucraniano pelo fato da interferência russa na politica local. Desta forma, o presidente ucraniano foi retirado do poder e os habitantes de regiões próximas a Crimeia que possuem cultura primordial russa decidem pedir ajuda a Putin (presidente russo).

Anônimo disse...

Leonardo Antônio de Souza, n24 - 3A


1-Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em seu livro Pós-Guerra, Uma História da Europa desde 1945, o historiador Tony Judt explica que “os ucranianos, em particular depois de 1941, de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética. (...) Ucranianos lutaram ao lado da Wehrmacht, contra a Wehrmacht, contra o Exército Vermelho e entre si, dependendo do momento e do local”

2- Pelo fato de todas as empresas serem estatais, a Ucrania deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou. Em 2004, a Kryvorizhstal era uma das maiores usinas de aço do mundo – com 42 mil empregados e lucro bruto anual de 300 milhões de dólares –, e foi posta à venda, tardiamente. Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3-Revolução Laranja – Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich (sim, o mesmo mandatário atual). De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto.

4- Porque a Crimeia é um território que foi cedido pela Russia durante o periodo da URSS, passando a ser propriedade ucraniana. Neste Local encontram-se principalmente características da cultura russa no país Ucraniano, causando desta forma grande polêmica sobre a influência da Russia sobre a Ucrania.

5- A guerra da Crimeia acontece após protestos do povo ucraniano pelo fato da interferência russa na politica local. Desta forma, o presidente ucraniano foi retirado do poder e os habitantes de regiões próximas a Crimeia que possuem cultura primordial russa decidem pedir ajuda a Putin (presidente russo).

Anônimo disse...

1- A Ucrânia um país da Europa Oriental que faz fronteira com a Federação Russa. A história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. No século XIII, o país foi invadido, governado e dividido por povos, permaneceu assim até o século XX, quando foi consolidada em uma república soviética. Sua independência foi em 1991. Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em 1946, logo após do fim da guerra, a Ucrânia estava destroçada e, com safras deficientes,. Durante a Guerra Fria, o país era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas.
2- Após os períodos de 1917 e 1921, a Rússia invadiu a Ucrânia, deste modo, teve que se juntar com a URSS. Além da invasão por nazistas e servida para ser cenário de grandes batalhas em plena II Guerra Mundial. Depois o término da Guerra, a Ucrânia encontrava-se em situações devastadoras e demoraria a se reerguer novamente. Foi então acompanhada severamente por comunistas durante o período da Guerra Fria, pois era o país soviético de maior importância. Com o comunismo em crise, Leonid Krauchuk foi então, o primeiro presidente da Ucrânia, no ano de 1991. O processo de privatização das empresas ucranianas cujo tem grande porte estão sendo administradas por empresários e políticos ligados a Moscou.
3- A Revolução Laranja, foi um período de grandes protestos que aconteceram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, logo após as eleições presidenciais. Leva esse nome, devido a cor do uniforme que os protestantes usavam (laranja). Vistas por entidades locais e internacionais, as eleições foram marcadas por fraude, intimidações e irregularidade, devido a isso, a população não era de acordo com a vitória de Viktor Yunukovych, que era um apoiador da Rússia. Os protestos geraram grande desordem civil e greves. A votação foi anulada após uma ordem vinda da Suprema Corte. Viktor Yushchenko, o outro candidato acabou vencendo e dando ao encerramento da polêmica revolução.
4- A crimeira está no centro da disputa entre Ucrânia e Rússia. Isso começou quando várias pessoas começaram a pressionar o presidente Yanukovish a aceitar um acordo comercial com a União Europeia, pois o que foi feito com a Rússia não deu certo. Como o presidente era russo, negou o acordo com a EU, mas sim com Moscou, onde foi prometido uma ajuda financeira em um empréstimo e desconto no preço do gás natural. Os manifestantes não aceitavam esta decisão, reagindo com forte violência. A oposição e o governo assinaram um acordo de paz, que não durou muito. O presidente deixou o país e quem assumiu foi o governo pró-EU. A Rússia viu este ato como um golpe de estado e afirmou que a população russa que vivia na Crimeira era ameaçada fazendo com que o governo russo fosse tomando conta da área.
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito no período entre 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Tinham como objetivo , conter a expansão da Rússia, em 30 de março de 1856 com a assinatura do tratado de Paris, a guerra acabou.
Nome: Bruna Carolina n°7 3°B

Anônimo disse...

1- A Ucrânia um país da Europa Oriental que faz fronteira com a Federação Russa. A história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. No século XIII, o país foi invadido, governado e dividido por povos, permaneceu assim até o século XX, quando foi consolidada em uma república soviética. Sua independência foi em 1991. Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas. Em 1946, logo após do fim da guerra, a Ucrânia estava destroçada e, com safras deficientes,. Durante a Guerra Fria, o país era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas.
2- Após os períodos de 1917 e 1921, a Rússia invadiu a Ucrânia, deste modo, teve que se juntar com a URSS. Além da invasão por nazistas e servida para ser cenário de grandes batalhas em plena II Guerra Mundial. Depois o término da Guerra, a Ucrânia encontrava-se em situações devastadoras e demoraria a se reerguer novamente. Foi então acompanhada severamente por comunistas durante o período da Guerra Fria, pois era o país soviético de maior importância. Com o comunismo em crise, Leonid Krauchuk foi então, o primeiro presidente da Ucrânia, no ano de 1991. O processo de privatização das empresas ucranianas cujo tem grande porte estão sendo administradas por empresários e políticos ligados a Moscou.
3- A Revolução Laranja, foi um período de grandes protestos que aconteceram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, logo após as eleições presidenciais. Leva esse nome, devido a cor do uniforme que os protestantes usavam (laranja). Vistas por entidades locais e internacionais, as eleições foram marcadas por fraude, intimidações e irregularidade, devido a isso, a população não era de acordo com a vitória de Viktor Yunukovych, que era um apoiador da Rússia. Os protestos geraram grande desordem civil e greves. A votação foi anulada após uma ordem vinda da Suprema Corte. Viktor Yushchenko, o outro candidato acabou vencendo e dando ao encerramento da polêmica revolução.
4- A crimeira está no centro da disputa entre Ucrânia e Rússia. Isso começou quando várias pessoas começaram a pressionar o presidente Yanukovish a aceitar um acordo comercial com a União Europeia, pois o que foi feito com a Rússia não deu certo. Como o presidente era russo, negou o acordo com a EU, mas sim com Moscou, onde foi prometido uma ajuda financeira em um empréstimo e desconto no preço do gás natural. Os manifestantes não aceitavam esta decisão, reagindo com forte violência. A oposição e o governo assinaram um acordo de paz, que não durou muito. O presidente deixou o país e quem assumiu foi o governo pró-EU. A Rússia viu este ato como um golpe de estado e afirmou que a população russa que vivia na Crimeira era ameaçada fazendo com que o governo russo fosse tomando conta da área.
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito no período entre 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Tinham como objetivo , conter a expansão da Rússia, em 30 de março de 1856 com a assinatura do tratado de Paris, a guerra acabou.
Nome: Bruna Carolina n°7 3°B

Bruno G. Vieira | nº10 | 3°B disse...

1 - * O país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS.
* Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida.
* Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas.
* Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar.
* Em 26 de abril de 1986, um dos reatores da usina nuclear de Chernobyl explodiu, liberando na atmosfera uma carga radioativa mais de cem vezes superior à provocada em Hiroshima e Nagasaki, somadas.
* Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
* Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich na chamada Revolução Laranja.
* Em 2014, a Crimeia tornou-se Estado independente.

2 - A UE tem interesse em assinar o acordo com a Ucrânia; que foi recusado por Yanukovich, ato que lhe rendou inúmeras críticas. A Rússia tinha interesse na anexação da Criméia, após estar ter sido declarada Estado independente da Ucrânia.

3 - "Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que

deram a vitória a Viktor Yanukovich." "Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político

reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso." "Os ucranianos

sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às

ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de

votos e Yushchenko venceu."

4 - "Pois a Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país." "A região tem 2,3 milhões de

habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo."

5 - A Guerra da Crimeia ocorreu na península da Crimeia, no sul da Rússia e nos Bálcãs, durante

1853 e 1856. O conflito teve, de um lado, A Rússia, e do outro, a coligação entre Reino Unido,

França e Piemonte-Sardenha. A coligação foi formada com objetivo de conter a expansão russa. A

aliança conseguiu expulsar as tropas russas da região da Moldávia e da Valáquia. Entretanto, os

ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura.

Assim, os ingleses e os francesas investiram contra a cidade, até a dominar em 1856. A guerra

chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

fontes: http://geoconceicao.blogspot.com.br/2014/03/ucrania-e-crise.html
http://www.sohistoria.com.br/ef2/crimeia/
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/02/140227_crimeia_foco_tensao_rb.shtml

Bruno G. Vieira | nº10 | 3°B disse...

1 - * O país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS.
* Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida.
* Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas.
* Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar.
* Em 26 de abril de 1986, um dos reatores da usina nuclear de Chernobyl explodiu, liberando na atmosfera uma carga radioativa mais de cem vezes superior à provocada em Hiroshima e Nagasaki, somadas.
* Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
* Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich na chamada Revolução Laranja.
* Em 2014, a Crimeia tornou-se Estado independente.

2 - A UE tem interesse em assinar o acordo com a Ucrânia; que foi recusado por Yanukovich, ato que lhe rendou inúmeras críticas. A Rússia tinha interesse na anexação da Criméia, após estar ter sido declarada Estado independente da Ucrânia.

3 - "Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que

deram a vitória a Viktor Yanukovich." "Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político

reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso." "Os ucranianos

sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às

ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de

votos e Yushchenko venceu."

4 - "Pois a Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país." "A região tem 2,3 milhões de

habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo."

5 - A Guerra da Crimeia ocorreu na península da Crimeia, no sul da Rússia e nos Bálcãs, durante

1853 e 1856. O conflito teve, de um lado, A Rússia, e do outro, a coligação entre Reino Unido,

França e Piemonte-Sardenha. A coligação foi formada com objetivo de conter a expansão russa. A

aliança conseguiu expulsar as tropas russas da região da Moldávia e da Valáquia. Entretanto, os

ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura.

Assim, os ingleses e os francesas investiram contra a cidade, até a dominar em 1856. A guerra

chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

fontes: http://geoconceicao.blogspot.com.br/2014/03/ucrania-e-crise.html
http://www.sohistoria.com.br/ef2/crimeia/
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/02/140227_crimeia_foco_tensao_rb.shtml

Alexandre Volpi disse...

1-Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS, durante a Revolução Bolchevique. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola (comunista). Durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas, a exemplo de Stalingrado. Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos. Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk fez uma leitura rápida da situação e abandonou o comunismo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.Todas as empresas eram estatais, o país deu início a um processo de privatização, com isso, grande parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou.
2- O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Concebido em 2008, o acordo propõe vantagens econômicas e comerciais para os países do leste, que abririam seu mercado consumidor para os produtos e serviços da UE. Os europeus, por sua vez, também teriam acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço. Em contrapartida, o bloco oferece apoio técnico para a consolidação de "valores comuns como a democracia, o Estado de Direito e o respeito pelos direitos humanos, assim como os princípios da economia de mercado, o desenvolvimento sustentável e a boa governança”, como diz o texto fundador da Parceria Oriental. Os russos tem muito interesse na Ucrania, porque existem laços históricos desde cultural, idiomas e costumes, e o país é ainda um dos clientes mais importantes de Moscou e também abriga instalações militares.
3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, atual presidente. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto.

4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia na Ucrânia, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo, e uma grande base naval russa se encontra na Crimeia. Ela divide os dois países.
5- A Guerra da Crimeia, que ocorreu entre 1853 e 1856. A guerra foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.
Alexandre, 02, 3°B.

Anônimo disse...

Nome: Luís Trentin 3°B 1- Os ucranianos, em conjunto com russos moscovitas e bielorrussos, tornaram-se líderes da Europa Oriental.Os séculos XII e XIII viram o declínio de Kiev. O Sul do país foi governado pela Horda de Ouro. Depois da União de Lublin em 1569, a Ucrânia foi transferida da Lituânia para a Polónia. Após a Revolução Russa, em 1918, a Ucrânia proclamou a independência. De seguida as forças ucranianas e bolcheviques lutaram pelo controle do país até 1921, altura em que o governo soviético se consagrou vitorioso. Em 1924 a República Socialista Soviética da Ucrânia passou a fazer parte das repúblicas da União Soviética. Nos anos trinta o governo soviético empreendeu uma política de rápida industrialização e coletivização da agricultura na República da Ucrânia. O Tratado de Não Agressão germano-soviético (1939) fez com que os territórios que ainda se encontravam sob o domínio polaco passassem para as mãos da República Soviética da Ucrânia. A Alemanha nazi atacou a União Soviética em 1941 quebrando assim o tratado, e rapidamente conquistou a Ucrânia. Inicialmente encontrou algum apoio, mas depressa os agricultores ucranianos se deram conta de que estavam a ser explorados e formaram uma guerrilha de resistência. Depois da derrota dos alemães em 1945, as terras que tinham feito parte da Polónia, Roménia e Checoslováquia entre as duas Grandes Guerras passaram a fazer parte da República Socialista da Ucrânia.Só com o líder soviético Mikhail Gorbachev e a introdução das reformas da glasnost e da perestroika na política nacional nos anos oitenta, os nacionalistas ucranianos despertaram. O sistema político ucraniano mudou no início dos anos noventa quando o país obteve a independência, após o colapso da União Soviética em 1991.. A partir da independência, no início dos anos noventa, a Ucrânia foi reconhecida internacionalmente.
2- Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou queraumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. A Ucrânia independente tem apenas 23 anos ,o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3- Ocorreu em em dezembro de 2004, vários ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Guiados por ódio, devido a atrocidades que os russos cometeram, como impor seu idioma e até mesmo o acidente de Chernobyl.Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. 4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.

Anônimo disse...

1. Acredita-se que o território ucraniano iniciou a cerca de 44 mil anos. A região é de famílias cuja língua é indo-europeia, e esse território que conhecemos hoje como Ucrânia foi considerado o lar da domesticação do cavalo. Na Idade Média, a nação se tornou um polo da cultura dos eslavos do leste, conhecido como o poderoso Estado Principado de Kiev. Após a sua fragmentação no século XIII, a Ucrânia foi invadida, governada e dividida por uma variedade de povos. Uma república cossaca surgiu e prosperou durante os séculos XVII e XVIII, mas a nação permaneceu dividida até sua consolidação em uma república soviética no século XX. Tornou-se um Estado-nação independente apenas em 1991.
2. A Rússia quer expandir seu território para se aproximar da UE, enquanto que a UE, deseja o contrário expandir suas fronteiras para o leste isolando a Rússia. O problema disso tudo é que bem no meio dessa zona existe a Ucrânia. O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.
3. Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "Так! Ющенко!" ("Sim! Yushchenko!").Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se – desta vez sem fraude.
4. A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5. Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia. Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março. A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Nícolas - n:24 - 3B


Anônimo disse...

1. Acredita-se que o território ucraniano iniciou a cerca de 44 mil anos. A região é de famílias cuja língua é indo-europeia, e esse território que conhecemos hoje como Ucrânia foi considerado o lar da domesticação do cavalo. Na Idade Média, a nação se tornou um polo da cultura dos eslavos do leste, conhecido como o poderoso Estado Principado de Kiev. Após a sua fragmentação no século XIII, a Ucrânia foi invadida, governada e dividida por uma variedade de povos. Uma república cossaca surgiu e prosperou durante os séculos XVII e XVIII, mas a nação permaneceu dividida até sua consolidação em uma república soviética no século XX. Tornou-se um Estado-nação independente apenas em 1991.
2. A Rússia quer expandir seu território para se aproximar da UE, enquanto que a UE, deseja o contrário expandir suas fronteiras para o leste isolando a Rússia. O problema disso tudo é que bem no meio dessa zona existe a Ucrânia. O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.
3. Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "Так! Ющенко!" ("Sim! Yushchenko!").Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se – desta vez sem fraude.
4. A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5. Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia. Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março. A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Nícolas - n:24 - 3B

Anônimo disse...

1. Acredita-se que o território ucraniano iniciou a cerca de 44 mil anos. A região é de famílias cuja língua é indo-europeia, e esse território que conhecemos hoje como Ucrânia foi considerado o lar da domesticação do cavalo. Na Idade Média, a nação se tornou um polo da cultura dos eslavos do leste, conhecido como o poderoso Estado Principado de Kiev. Após a sua fragmentação no século XIII, a Ucrânia foi invadida, governada e dividida por uma variedade de povos. Uma república cossaca surgiu e prosperou durante os séculos XVII e XVIII, mas a nação permaneceu dividida até sua consolidação em uma república soviética no século XX. Tornou-se um Estado-nação independente apenas em 1991.
2. A Rússia quer expandir seu território para se aproximar da UE, enquanto que a UE, deseja o contrário expandir suas fronteiras para o leste isolando a Rússia. O problema disso tudo é que bem no meio dessa zona existe a Ucrânia. O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.
3. Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "Так! Ющенко!" ("Sim! Yushchenko!").Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se – desta vez sem fraude.
4. A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5. Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia. Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março. A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Nícolas - n:24 - 3B

Anônimo disse...

1- Esta é a história da Ucrânia desde a pré-história, passando pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS.
2- Um país com um enorme potencial e um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia) está sendo alvo de uma queda de braço entre UE e Rússia. Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia.

Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos de fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004. Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos. A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira
4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coalizão, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Rafaella Azarias N°27
3ºB

Anônimo disse...

Nome: Victor Theodoro Montibeller Pereira
Nº: 33
Ano: 3ºB

1- Após quatro anos de independência, a Ucrânia foi invadida em 1922 e anexada a União das Republicas Socialistas Soviéticas. Na Segunda Guerra Mundial, o país foi invadido pelos alemães e foi o campo de batalha entre nazistas e soviéticos. Em 1991, a Ucrânia possuiu seu primeiro presidente. Com a maioria das empresas estatais, iniciou um processo de privatização, sendo geralmente de nacionalidade russa os donos das empresas privadas.

2- A Ucrânia é para os europeus a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. A tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço (de grande exportação em Kiev) é o principal interesse da União Européia. Outro interesse de ambas as partes, são as conexões de gás natural ucranianas que se ligam as russas, uma vez que elas abastecem o restante da Europa.

3- A Revolução Laranja aconteceu em dezembro de 2004, na Ucrânia, quando um grupo de manifestantes ucranianos protestaram contra eleições fraudadas que elegeram Viktor Yanukovich. O laranja era a cor do partido daquele que deveria ter vencido, segundo os manifestantes, Viktor Yushchenko. Houve uma recontagem de votos e Yushchenko realmente venceu, assumindo a presidência ucraniana.


4- A parte oriental ucraniana é a base industrial do país e esta região sofre grande influência russa, na península da Criméia cerca de 70% da população é de origem russa. Além de obter maior território, a Rússia pretende com essa anexação melhor contato comercial com outros países, a localização geográfica ucraniana é o principal interesse russo. Caso aja separação, a Ucrânia irá perder a grande concentração industrial do país podendo levar à uma possível crise. A Rússia é quem abastece 70% do petróleo e 90% do gás natural consumidos na Ucrânia, e faz ameaças de deixá-los sem energia.

5- A Guerra da Criméia aconteceu de 1853 à 1856, na península da Criméia. A guerra envolveu o Império Russo contra uma coligação do Reino da Sardenha e os Impérios Otomano, Britânico e Francês. Os russos queriam aumentar sua influência na região entre o mar negro e o mar mediterrâneo, na atual Criméia, e para conter os avanços estava a coligação. O desfecho da guerra se deu com o tratado de Paris em 30 de março de 1856, onde o líder russo renunciava expandir os limites territoriais de seu país, nem utilizar o mar negro para fins bélicos.

Anônimo disse...

1 - A Ucrânia sempre foi palco de invasões durante sua existência. Após 5 anos de independência (1917-1921), foi invadida pela Rússia e anexada à URSS, mesmo período em que Stalin bloqueou o acesso de alimentos ao país por causa da resistência. Durante Segunda Guerra Mundial, foi invadido pela Alemanha e foi palco de batalhas. Finalmente, no começo da década de 90, com o fim da URSS, consegue sua independência e governo presidencial.

2 - Pela parte da UE, existe o interesse na Ucrânia pois eles teriam acesso a tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço. Pelo lado da Rússia, a Ucrânia possui cidades importantes como Kiev, entre outras localidades como a Crimeia, que hospeda uma base militar russa.

3 - Em 2004, após eleições presidenciais, o povo ucraniano foi às ruas em protesto contra as eleições que acabavam de acontecer, alegando fraude na contagem de votos. Com os protestos, o presidente eleito com fraude, Viktor Yanukovich, saiu do poder e deu seu lugar ao real vencedor, Viktor Yushchenko, que foi eleito legitimamente. A cor do partido de Yushchenko é o laranja, que da nome à revolta.

4 - Pois a Crimeia, desde Stalin, foi um ambiente majoritariamente russo, onde praticamente nao haviam cidadãos de outra nacionalidade (inclusive ucranianos). A Rússia também possui bases militares na Crimeia, o que acaba tornando a área mais russa do que ucraniana.

5 - A Guerra da Crimeia aconteceu entre 1853 e 1856, e foi travada entre o Império Russo e uma aliança entre o Reino Unido, França, Reino da Sardenha e o Império Otomano. Ela tomou lugar no Mar Negro, sul da Ucrânia. O Império Russo queria expandir seus domínios e a aliança foi criada para conter o avanço russo.

Pedro T. P. Merico - nº 33 - 3ºA

Anônimo disse...

Gustavo Luiz Reis Pontes/ Ano: 3ºC/ N°14

Ucrânia e crise

1. Começa desde os homo sapiens, onde depois, se mistura a cultura asiática com a européia.
Está marcada com o colapso do Império Russo, quando foi criado, logo após, o Estado ucraniano. Desde 1922 a Ucrânia torna-se parte da União Soviética. Proclama-se Independente em 1991 e cria-se uma nova era que se vive atualmente.

2. Com uma economia fragilizada mas com enorme potencial e uma grande território, a Ucrânia sofre com países da UE e Russia. Enquanto a UE tem interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Russia, Moscou quer aumentar sua zona de influencia e aproximar-se da UE para confronta-la.

3. Foi uma série de protestos e eventos políticos, que tinha como principal ideia a resposta as alegações de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral. Ocorreu em 2004 na Ucrânia.
Laranja era a cor do principal candidato da oposição.

4. Pois os ucranianos nacionalistas a favor do Ocidente, tomaram o poder depois da queda do presidente Viktor Y., então, surgiu o medo de que a Criméia possa se tornar um campo de batalha, entre forças leais da Ucrânia e da Rússia.

5. "A Guerra da Crimeia, que ocorreu entre 1853 e 1856. A guerra foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada."

Anônimo disse...

Arthur Gustavo Rufino
Nº03 3ºA

1-Diferentes partes da Ucrânia foram ocupadas antes da era de Cristo. No primeiro milênio depois de Cristo, este território também não escapou às invasões. Godos, Hunos, Búlgaros e Magiares foram alguns dos povos que invadiram esta região.Os séculos XII e XIII viram o declínio de Kiev. O poder de Kievan Rus foi destruído pela invasão mongol no século XIII, embora o principado de Galicia, no Oeste da Ucrânia, que surgiu em 1200, tenha continuado a existir até ao século XIV.Durante o século XIX e até aos primeiros anos do século XX, houve um rápido desenvolvimento econômico e urbanístico.Após a Revolução Russa, em 1918, a Ucrânia proclamou a independência. Só com o líder soviético Mikhail Gorbachev e a introdução das reformas da glasnost e da perestroika na política nacional nos anos oitenta, os nacionalistas ucranianos despertaram. O sistema político ucraniano mudou no início dos anos noventa quando o país obteve a independência, após o colapso da União Soviética em 1991.

2-A Ucrânia deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou, um dos interesses por parte da rússia. Em 2004, a Kryvorizhstal era uma das maiores usinas de aço do mundo – com 42 mil empregados e lucro bruto anual de 300 milhões de dólares –, e foi posta à venda, tardiamente. Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.

4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.

Anônimo disse...

Victor Gabriel da Silva Pahl nº38 3ºA

1- A Ucrânia é o segundo maior país da Europa, dentro da história da Ucrânia aconteceram várias invasões, dentro dessas os saqueadores mongóis sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios poloneses e tártaros, em seguida vieram os russos com o comunismo gerando a fome e a opressão durante décadas. Ao longo do século XX há uma sucessão de tragédias no país.

2- A União Européia e a Rússia se interessavam, pois a Ucrânia era criada por esses dois países, e os soviéticos construíam várias fabricar no leste ucraniano, além da grande população russa que fortalece a economia do país.

3- A revolução laranja foi um ato que levou as pessoas a irem ás ruas protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória para Viktor Yanukovic, que era o homem de confiança do presidente Kuchma.

4- A Crimeia fica na Ucrânia e faz divisa com a Rússia, quer que a Crimeia volte a ser dela, isso se deve muito a localização dela, pois fica entre Mar Mediterrâneo e o Mar Morto, ou seja, é uma localização estratégica.

5- A Guerra da Crimeia foi um conflito envolvendo de um lado o império russo e do outro uma coligação integrada pelo Reino Unido, França e Reino da Sardenha. Nicolau I, sob defendia as terras sagradas e temia a expansão de seu território, assim invadiu as províncias turcas do Danúbio, após isso foi reivindicado a invasão e foi declamado guerra à Rússia, que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto Sinope, no Mar Negro

Anônimo disse...

1- 1- A Ucrânia tem um histórico repleto de invasões e tragédias a muito tempo, o século XX foi cheia delas, após 4 anos de independência, foram invadidos pela Rússia em 1922, e se tornou parte da URSS, quando tentaram resistir á imposições socialistas, mais de 7 milhões morreram de fome pois ficaram sem comida, após inúmeras batalhas entre soviéticos e nazistas o país saiu arrasado da II guerra, foi uma das nações soviéticas mais importantes na guerra fria, mais de 2 milhões de ucranianos morreram em campos de concentração comunistas, além de varias outras barbáries, como Chernobyl, se tornou novamente independente depois da queda da URSS em 1991, por um plebiscito, em 2004 o povo foi as ruas á favor de Yushchenko, devido a uma eleição fraudada possivelmente pelo serviço secreto russo que elegeu Yanukovich ao poder, conseguiram o que queriam após uma recontagem, Yanukovich foi eleito em 2010 democraticamente, mas recentemente abandonou seu país em meio a uma grande crise.
2- 2- Simplesmente a União Européia quer isolar a Rússia, expandindo para o leste a UE há muito tempo quer juntar as ex-republicas socialistas soviéticas do leste Europeu ao seu bloco, para distanciá-las da Rússia, dentre esses países o mais forte é a Ucrânia, apesar de recusar todas as seduções da EU, o país oscila entre Europa e Rússia, devido aos fortes laços com a URSS no passado, a Rússia em oposição tenta se juntar novamente á Ucrânia com o objetivo de confrontar o espaço Europeu.
3- 3- A revolução laranja ocorreu em 2004, o povo Ucraniano saiu às ruas para protestar contra as eleições daquele ano, eleições fraudadas, segundo eles, pelo serviço secreto Russo, que elegeu Viktor Yanukovich, embora a maior parte da população fosse a favor de Viktor Yushchenko, o povo saiu vestido de laranja, a cor do partido de Yushchenko, devido a pressão popular houve uma recontagem e Yushchenko foi eleito como o povo o queria.
4- 4- A disputa pela Criméia entre Europa e Rússia já é muito antiga, muito mais antiga do que a URSS, a Criméia é uma região quase independente do resto da Ucrânia, onde a maior parte da população é russa e a favor da conexão, apesar disso, a Rússia esta sendo censurada na Província, o idioma Russo esta sendo banido e canais russos serão retirados do ar e a preferência do povo é abafada pela mídia ocidental.
5- 5- A guerra da Criméia ocorreu entre 1853 e 1856, aconteceu, pois o Império Russo da época queria ampliar sua influencia nos Bálcãs, entre o mar negro e mediterrâneo, onde fica a península da Criméia ao sul da Ucrânia, a disputa foi entre o Império Russo e a aliança Anglo-Franco-Sarda (Inglaterra, França e Reino de Sardenha) que temeu perder Constantinopla para os Russos, e teve o apoio do Império Austríaco e Império Otomano (Turquia), o conflito foi efetivado em 1854, na Criméia, não demorou muito para expulsar os invasores, terminou com a assinatura do tratado de Paris em 1856, a Rússia teve que devolver parte da Bessarábia e do rio Danúbio para os Otomanos e Moldávia, renunciava as pretensões sobre os Bálcãs e retirava as bases e forças navais Russas no mar Negro.

Lukas Thadeus Gaspar de Oliveira
3°A, n° 29

Anônimo disse...

Nome: Jacquelyne Spricigo n*:21
3*A

1 - As manifestações começaram em novembro, depois que o então presidente Viktor Yanukovich anunciou sua decisão de não assinar um acordo de cooperação com a União Europeia, que poderia, no futuro, ter a Ucrânia como um de seus membros.

A questão, no entanto, é mais complexa e tem raízes na história recente do país, nascido após a desintegração da ex-União Soviética.

O país está no meio de uma disputa de forças entre grupos que querem mais proximidade com a União Europeia e outros que têm mais afinidade com a Rússia. Yanukovich foi deposto em fevereiro, e novas eleições foram convocadas.

As atenções agora se viraram para a Crimeia, região autônoma da Ucrânia cuja maioria é alinhada à Rússia, que convocou um referendo sobre sua soberania.
2 –O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. A Ucrânia possui fortes laços com a Rússia, mas é “seduzida” pela União Europeia e, então, oscila entre os dois.

3 – A revolução laranja ocorreu pela manifestação em massa da população ucraniana protestando contra a eleição de Viktor Yanukovich. Ele havia tentado roubar o cargo de presidência, mas Viktor Yushchenko e Yulia Tymoshenko assumiram o poder (em 2004). Ficou conhecida como laranja, pois os protestantes iam às ruas vestidos com a cor laranja, que era a cor do partido que estavam defendendo.
4 – A Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia por estar localizada no centro da atual disputa. Ela resume a divisão política e cultural de toda a Ucrânia; onde parte da população fala russo e é considerada russa.
5 – Aconteceu nos anos de 1853 a 1856... A Rússia era governada por Nicolau I que tinha como objetivo a expansão do território. Era a Rússia contra Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano;Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
O povo russo e turcos entraram em conflito, onde a Rússia saiu vencedora e passou a conrolar o porto de Sinopse, no Mar Negro (Ucrânia). Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa que estava na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.
A Rússia percebeu que não iria ganhar e então, assinou o tratado de Paris – 30 de março de 1856.

Anônimo disse...

Aluno: José Gabriel Tomazelli Silva N°:23. 3ºA

1-Depois de um brevíssimo período de independência (1917 - 1921), o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas.Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Como todas as empresas eram estatais, o país deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou. Em 2004, a Kryvorizhstal era uma das maiores usinas de aço do mundo – com 42 mil empregados e lucro bruto anual de 300 milhões de dólares –, e foi posta à venda, tardiamente. Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

2- A Ucrânia era o segundo país mais importante da URSS (a Russia era a mais importante) por isso ela era vigiada de perto pela URSS, mesmo apó a sua independencia,a Ucrânia continuou a ser acompanhada pela Russia pois muitos politicos e empresarios russos eram donos de empresas ucranianas e também pela usina nuclear de Chernobyl.

3- Os ucranianos suspeitavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.

4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.
A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

Anônimo disse...

Victor Hugo D'Avila Nº35 3ºC
1- A Ucrânia foi criação da liderança soviética nas décadas de 20 e 30. As fronteiras foram estabelecidas, e a idéia era de juntar em algumas unidades administrativas, indivíduos que pudessem ser identificados em termos de idioma, cultura, etc. A Ucrânia era uma sociedade agrária mas os soviéticos construí varias fabricas no leste para servir a Moscou mudando a economia ucraniana, tanto que hoje o leste ucraniano continua sendo o coração industrial do país. 2- Para a União Europeia, ter controle não só sobre a Ucrânia, mas sobre todas ex-repúblicas soviéticas é uma maneira de criar um ambiente mais seguro no Oriente sem ter que admitir alguns desses Estados como membros efetivos. Já para a Rússia, além das ligações históricas e culturais,o país é um dos clientes mais importantes de Moscou e também abriga instalações militares e mísseis do espólio soviético. Ela é situada bem no meio das rotas de acesso da Rússia para o mar Negro e também a Europa Central, nos últimos anos da União Soviética, a Ucrânia continha 60% das reservas nacionais de carvão e a maior proporção de titânio da URSS, o solo ucraniano, extremamente rico, era responsável por mais de 40% da produção agrícola soviética e somente Kiev Paga anuais 16 bilhões para o governo russo. 3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas vestidos da cor laranja, a cor do partido do então candidato a presidência Viktor Yushchenko, para protestar contra as eleições fraudadas deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. 4- A saída para o Mar Negro, onde a Rússia tem o único porto, é o que lhe dá relevância comercial e militar, seja para entrada e saída de cargas como para ter controle do canal que liga o Mar Negro ao Mar de Arzov. De acordo com o Memorando de Budapeste, de 1994, EUA, Rússia, Ucrânia e a Grã-Bretanha concordaram em não ameaçar ou usar força contra a integridade territorial ou independência política da Ucrânia, ou pressionar o país economicamente. A Rússia, no entanto, afirma que o envio de soldados à Ucrânia visa a proteção dos cidadãos russos. Mas os Estados Unidos insistem que não há base legal para o envio de soldados e acusa o governo russo de violar seu compromisso com a soberania ucraniana. 5- A Guerra da Criméia, que ocorreu de 1853 a 1856, na península da Criméia, no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e do outro Aliança Anglo-Franco-Sarda, e o Império Turco-Otomano, tal coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa. Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. Os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856. A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

Victor Hugo D'Avila disse...

Professora, na hora de enviar meu comentário, o blog havia mostrado uma mensagem avisando que o comentário original que eu havia escrito estava muito grande e não poderia ser enviado, caso o que enviei não pareça completo, posso pegar o original e leva-lo
impresso para a sala de aula

Grato,
Victor Hugo D'Avila Nº35 3ºC

Anônimo disse...

Guilherme Inã Ferreira. Número 13. Terceiro ano C.

1 - O território ucraniano tem sido alvo de disputas desde a era pré-cristã. No milênio que sucedeu o nascimento de Jesus, continuou sendo ocupada, principalmente por Godos, Hunos, Búlgaros, Magiares e Rutenos, este último grupo sendo o que mais contribuiu para seu desenvolvimento pré-medieval. Seu histórico de subordinação à Rússia começa no século XVIII, quando o Império Russo obtém a zona oeste do Dniepre. O movimento nacionalista por parte da população da Ucrânia se intensifica no século XIX. Contudo, sofre represálias dos russos descontentes com o fato de os ucranianos resistirem à apropriação da língua russa. Conseguem declarar independência em 1918, logo após a Revolução Russa, mas são anexados à extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas em 1924, três anos depois do antigo bloco socialista se consolidar. Nos anos 30 do século XX, cerca de cinco milhões de pessoas morrem de fome na Ucrânia, fruto de um confisco de cereais entre outros alimentos por parte dos rusoss que não aceitavam a recusa ucraniana à coletivização da agricultura. Num período que se estendeu de 1941 a 1945, esteve sob domínio nazi-alemão, até voltar a ser soviética. A Ucrânia só desperteu para a democracia em 1991, com a implementação de medidas político-econômicas (Glasnost e Perestroika) de Mikhail Gorbachev e a conseqüente queda da URSS.

2 – A Ucrânia, por sua localização estratégica entre ocidente e oriente, Europa e Rússia, é cobiçada por ambas as partes. Enquanto a União Europeia quer expandir-se através dessa porta para o oeste, o governo de Vladimir Putin quer impedir que isso aconteça. A UE oferece e pede em troca regalias econômicas para os países do leste, caracterizando um acordo bilateral, além de garantirem plena democracia e respeito aos direitos humanos. Para a Rússia, os sentimentos são um pouco mais baseados na história intimamente conectada dos dois países. Os russos não querem abrir mão de uma região como a Criméia, pois pensam que seus atributos naturais os tornaria ainda mais completos.

3 – Revolução Laranja é o nome dado a uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia, na qual concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych. No entanto, as eleições foram fraudadas, gerando as manifestações em que os participantes usavam roupas alaranjadas. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno, quando Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4 – Pois, mesmo tendo sido parte da Ucrânia até
18/03/2014, é composta, em sua maioria, por descendentes e falantes da língua russa, além dos motivos descritos no item 2.

5 - A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856 entre a Rússia, a Aliança Anglo-Franco-Sarda, composta pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) e o Império Turco-Otomano (atual Turquia), com o intuito de conter a expansão russa.
A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856. A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.





Anônimo disse...

1-Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), desenvolveram grandes plantações de cereais. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – grupo formado pela Rússia e as antigas repúblicas soviéticas. Com a desagregação da União Soviética, a economia ucraniana sofreu grande declínio, pois a Rússia, principal importadora dos seus produtos agrícolas (beterraba, trigo, batata, milho, soja, etc.) e responsável pela aplicação de recursos financeiros no setor industrial, também teve a economia extremamente afetada, refletindo diretamente nas relações comerciais entre as duas nações. Desde 1990, a Ucrânia, visando alavancar o setor econômico, tem proporcionado incentivos para a entrada de capitais estrangeiros, atraindo filiais de empresas transnacionais. Outro destaque são as grandes reservas de carvão, ferro e manganês.

2-Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
Os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, enquanto Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la.

3-Explique sobre a Revolução Laranja :
A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais. A série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil.

4-Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
Além de ser uma província semi-autônoma da Ucrânia, ou seja, com maior independência do que um simples estado ou província, a Crimeia tem uma população que defende, majoritariamente, a anexação à Rússia. A Crimeia tem 71% de sua população de etnia Russa, ou seja, a grande maioria da população. Ela históriamente sempre foi ligada à Rússia, porém em 1954 ela foi dada de presente à Ucrânia por Nikita Khrushchov, então presidente da URSS, para celebrar os 30 anos de unificação russo-ucraniana. Os Ucranianos junto com os Tártaros não correspondem nem 30% da população, mesmo com os tártaros detestando os russos pela URSS ter impedido as religiões (tártaros são islâmicos Sunitas), eles não são força o bastante para lutarem contra os russos da Criméia.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.
Guerra da Crimei ocorreu entre 1853 e 1856 e foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa. A Rússia foi derrotada e A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Izabella no 20 3 A

Anônimo disse...

1- Foi habitada pelos mongóis, lituanos,rutênios, poloneses e tártaros. Foi independente por 4 anos e, após, anexado à URSS, seguida da fome e opressão. Nazistas invadiram-na na Segunda Grande Guerra e, depois desta, mais fome apareceu, devido às safras deficientes de um país destroçado. Após o fim da URSS, Leonid Kravchuk foi o primeiro presidente da Ucrânia independente.
2- Para os europeus teriam acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço. Os russos tem seus interesses e esperanças na Ucrânia, porém através de uma questão histórica, porque foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo.
3- Em dezembro de 2004, ucranianos protestavam contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. De origem russa, era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os ucranianos culpavam o serviço secreto russo como responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja, a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.
4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles são russos. A região votou em peso em Yanukovych na eleições de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar a separação da Ucrânia. Além disso, a Rússia mantém grande parte de sua frota naval no porto de Sevastopol, o que causa desconfiança nos ucranianos sobre Putin querer entrar em ação.
5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, declarou guerra à Rússia, que destruiu a frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro. Em 1854, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta, temendo a entrada da Áustria no conflito, deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, na Criméia. Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março. A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.
Nome: Atair Derner Neto, número 04, Ano: 3o A

Felipe Proença, nº 9, 3º C disse...

1. Durante um período entre 1917 e 1921, a Ucrânia foi independente, com a economia principal a agrícola. Porém foi tomada pela União Soviética em 1922 e desde a segunda guerra mundial, a Ucrânia esteve sofrendo com mortes na guerra e campos de concentrações, sofrendo crise pós-guerra, radiação de Chernobyl em 89, tudo em decorrência do controle e influencia russa sobre o país.
2. Ligação da Ucrânia entre Rússia (Gazprom) e Europa Ocidental, poder e influência politica da Rússia à União Europeia ou da UE à Rússia.
3. Revolução Laranja foi uma revolução do povo em 2004 contra a eleição de Viktor Yanukivich (russo) fraudada. O laranja representa a cor do partido oposto, pelo candidato pró-ocidente, Viktor Yashchenko, que acabo sendo eleito com a recontagem dos votos.
4. Pois a Criméia possui sua a maior parte da população russa, mas é do domínio ucraniano, podendo ser usado como motivo para invasão.
5. Rússia quer manter a Ucrânia sob controle e sua influência, mas o povo, que é pró-ocidente, realizou protesto pela crise que se instaura e a inibição russa. Então a Rússia envia tropas pra Criméia, região insular “russa” na Ucrânia como forma de impedir a influência capitalista aos russos que vivem nessa região, em maioria.

Anônimo disse...

Nome: Luiza
N°:31
3° ano C
1- Este território não escapou às invasões. Godos, Hunos, Búlgaros e Magiares foram alguns dos povos que invadiram esta região. Os ucranianos, em conjunto com russos moscovitas e bielorrussos, tornaram-se líderes da Europa Oriental. O movimento nacionalista ucraniano desenvolveu-se no século XIX, mas foi alvo de repressão e de restrições, por parte dos russos, devido ao fato de os nacionalistas continuarem a usar a língua ucraniana. Durante este século e até aos primeiros anos do século XX, houve um rápido desenvolvimento econômico e urbanístico. Após a Revolução Russa, em 1918, a Ucrânia proclamou a independência. Em 1924 a República Socialista Soviética da Ucrânia passou a fazer parte das repúblicas da União Soviética. O Tratado de Não Agressão germano-soviético (1939) fez com que os territórios que ainda se encontravam sob o domínio polaco passassem para as mãos da República Soviética da Ucrânia. A Alemanha nazista atacou a União Soviética em 1941 quebrando assim o tratado, e rapidamente conquistou a Ucrânia. O sistema político ucraniano mudou no início dos anos noventa quando o país obteve a independência, após o colapso da União Soviética em 1991.

2- Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tinha uma Ucrânia. O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais. A série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.
Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Ocorreu entre 1853 e 1856. A guerra foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

Ariel Rodrigues disse...

1-A Ucrânia sempre foi palco de seguidas invasões por diversos grupos étnicos, Antepostos por alguns breves períodos de independência e liberdade. Durante seu período Soviético, a URSS, iniciou um processo de intensa industrialização, principalmente ao leste do país, transformando a então economia agrária ucraniana. Mesmo após a queda da URSS, as crises políticas da Ucrânia continuaram, dividindo opiniões ideológicas da população, fruto das incertezas da ainda recente guerra fria, que por fim, desencadeou nesta nova crise em que houve intervenção Russa.

2- A UE tem interesse na Ucrânia devido esta, ser uma grande porta de entrada para o oriente, como mais uma tentativa de pressionar e assim persuadir a influencia Russa na região, ou seja expandir cada vez mais as influencias europeias pelo mundo. De mesma forma a Rússia vê a Ucrânia, como uma importante porta de contensão da expansão Europeia e Avanço da influencia Russa. A Ucrânia é tida como área chave, pois possui território consideravelmente grande (maior que o da França, que é o maior da UE), além, claro, de toda a parte econômica que envolve a Ucrânia, relacionada a movimentação portuária e passagem de gasodutos.

3- Foi uma movimentação popular ocorrida em 2004, na Ucrânia, causada pela forte possibilidade de fraude eleitoral que elegeu o presidente Viktor Yanukovych, os protestos exigiam uma recontagem dos votos, que assim confirmaram a fraude, elegendo então à presidência Viktor Yushchenko.

4- Por esta, ser uma região autônoma da Ucrânia. Por esta, já ter pertencido a Federação Russa, e por isso possuir uma população majoritariamente de origem deste país. A região desperta interesses tanto a Rússia, mas principalmente a Ucrânia, por estar repleta de portos, além do mais após a decisão Russa o governo interino da Ucrânia não gostaria de ser desmoralizado, tendo que dar o braço a torcer.

5- Foi uma Guerra ocorrida em 1853, em que parte das batalhas foi travada sobre territórios Crimeanos, em que opôs o Império Russo, de um lado, e de outro o Império Otomano, Reino da Sardenha, Reino Unido, França e ainda o Império Austríaco. A guerra começou devido aos direitos alegados pela Rússia de proteger os cristãos Ortodoxos sob o domínio Otomano, assim com a guerra declarada entre os dois Impérios, outros reinos sentiram-se ameaçados estrategicamente com o avanço Russo sobre os otomanos, e assim aderiram à guerra. As batalhas travadas na Península da Crimeia causaram sérios danos ao local físico e socialmente, que repercutem de um modo ou de outro no cenário atual.


Ariel Rodrigues 3ºA Nº02

Anônimo disse...

Letícia Hering Pedroso, nº26 3ºA

1- Após a Revolução Russa, em 1918, a Ucrânia proclamou a independência. De seguida as forças ucranianas e bolcheviques lutaram pelo controlo do país até 1921, altura em que o governo soviético se consagrou vitorioso. Em 1924 a República Socialista Soviética da Ucrânia passou a fazer parte das repúblicas da União Soviética. Nos anos trinta o governo soviético empreendeu uma política de rápida industrialização e coletivização da agricultura na República da Ucrânia. O processo de coletivização encontrou resistência por parte dos agricultores. As autoridades soviéticas confiscaram cereais e como resultado o povo passou fome, levando à morte cinco milhões de pessoas. O regime soviético passou a controlar totalmente a vida cultural do país e todas as manifestações foram suprimidas. O Tratado de Não Agressão germano-soviético fez com que os territórios que ainda se encontravam sob o domínio polaco passassem para as mãos da República Soviética da Ucrânia
2-A Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais. A série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno. Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.
4-Por que a Crimeia se tornou o foco da tensão? A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa. A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia).

Lucas Andrade Telles disse...

Lucas Andrade Telles nº 26
3ºC

1- A Ucrânia sempre foi uma região constituida de forma agrária, mas isso começou a mudar após a guerra entre o governo soviético e seus inimigos internos e externos, com o fracasso polonês na Ofensiva de Kiev (1920), ato final da Guerra Polaco-Soviética, em março de 1921, foi celebrada a Paz de Riga, entre a Polônia e os bolcheviques, que voltou a dividir a Ucrânia: a porção ocidental foi incorporada à nova Segunda República Polonesa e a parte maior, no centro e no leste, transformou-se na República Socialista Soviética Ucraniana, posteriormente unida à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, quando esta foi criada, em dezembro de 1922. Após isso, com o anexo da ucrania a URSS, começou-se a criação de usinas e fabricas no leste ucraniano, onde este começava a servir à Moscou, mudando assim a economia.
Nos anos 20 uma das regiões ucranianas eram dominadas pelos povos tártaros, mas issso mudou quando em 1942-1943 estes povos foram removidos da Criméia e enviados para a Ásia Central, no lugar destas pessoas vieram generais russos e suas familias, tornando assim, uma região de maioria russa, até que em 1954, durante um jantar, a Criméia foi dada de presente para a Ucrania. Mesmo após o fim da URSS,a Criméia se tornou um estado autonomo, enfrentando agora o problema dessa anexação com a Russia.

2- Na UE o interesse na Ucrania se da pela expansão territórial, pois esta (Ucrania) tem um território de mais de 600 000 quilômetros quadrados (área maior que a da França, o maior país da União Europeia), ou seja, sendo também uma porta para "isolar" a Russia. Já a Russia, quer a região para aumentar sua zona e influência e assim poder se aproximar da UE e confronta-la.
3- A Revolução Laranja foi uma revolta feita pelo povo, que acusava a eleição que levou ao poder Viktor Yanukovich, como uma fraude, pois estes (Os manifestantes) queriam Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente. E assim foram as ruas vestidos de laranja (cor do partido de Yushchenko, os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.

4- A criméia é uma região que durante as decadas de 40 foram "colonizadas" pelos generais russos e suas familias, ou seja, seu território se transformou com a população de maioria Russa, tal região foi dada de presente a Ucrania. E como sendo de maioria russa sendo assim os mais favoráveis a se anexar na russia.

5- A Guerra da Criméia foi um conflito que ocorreu de 1853 a 1856, na península da Crimeia, no sul da Rússia e nos Bálcãs. Tal conflito se deu por causa da grande expansão russa, que tentou ser impedido pela Aliança do Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia).
A guerra começou com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra contra os russos, mas foram facilmente derrotados, assim os Turcos formaram uma Aliança com alguns paises ocidentais, e em troca, os turcos teriam que permitir a entrada do capital ocidental em suas terras, assim feito, a Aliança conseguiu impedir o avanço russo, mas mesmo assim, viam o perigo na base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, assim sendo, franceses e ingleses investiram contra essa area e a domiram em 1856.
A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Anônimo disse...

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
R: A ucrânia, na idade média, se denominava de principado de Kiev, um dos mais influentes reinos da Europa.E foi assim até quando a Ucrânia foi anexada ao Império Russo e mais tarde com a Revolução de 1917 se tornou um estado da União Soviética. Após o fim da União Soviética, a Ucrânia se torna independente em 1991.
2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?R: A ucrânia é a porta de entrada e saída por ambas as partes(Rússia e UE)de Gás Natural para a Europa. Também na criméia há a cidade de Sabastapol que concentra um frota naval da Marinha Russa e instalações militares russas.
3- Explique sobre a Revolução Laranja :Foi uma onda de protestos que aconteceram nos anos de 2004 e 2005, em resposta as denúncias de corrupção, fraudes eleitorais durante as eleições de 2004.
4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?R: Pois a população da Criméia é de sua Maior parte ucrâniana, e querem que o governo ucraniano tenha maiores relações com moscou do que com a Europa.
5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.R: foi uma guerra que aconteceu na península da Criméia, que teve participação da Inglaterra, França,Reino da Sardenha e o império Otomano (Turquia) contra o Império Russo. E terminou com a assinatura do Tratado de Paris em 1856.
José Miguel Grabowski nº20 3ºC EM

Anônimo disse...

Colégio Salesiano Itajaí, 3A n01 André Victor C. Bernardi 1. Durante sua existência, os confrontos e crises sempre a acompanharam, por sua vez, em seu território há uma história de tragédias consecutivas. 2.Há uma disputa já duradoura por tal território, sendo visado a Rússia ou a UE, sendo que a Rússia quer continuar com seu bloco econômico junto a Ucrânia, e a UE quer encorporá-la no seu. 3.Foi o protesto por parte da população ucraniana para derrubar o presidente do qual fora eleito de forma fraudulenta. 4.A Criméia foi um território dado de presente à Ucrânia, porém em suma maioria, é composta por russos, então, a fim de manter a nação aliada à Russia, estes estão dominando essa área. 5.A principal questão é, caso a Ucrânia queira sair do bloco econômico russo, este território será adquirido pela Rússia e o gás (vendido da Rússia) terá um custo maior.

Anônimo disse...

Juliana Paula Meirinho - 3ºC EM - 21
1-Esta é a história da Ucrânia desde a pré-história, passando pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS.
2-Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.
Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.
Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.
4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. No entanto, os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.
A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.
Beeeeijos :))

Matheus S Lanfranchi n33 2ºC disse...

Matheus S. Lanfranchi nº33 2ºC
1-É o segundo maior país da Europa.Durante os séculos X e XI foi o centro do Principiado de Kiev. No século XVII foi partilhada com a Polônia e a Rússia, sendo uma das principais fontes de trigo para o Império Russo. Em 1783 o Canato da Crimeia foi anexado pela Rússia. Com o final da 2ª Guerra seu território aumentou e em 1954 anexaram a Crimeia.Em 1986 acontece o acidente de Chernobyl e em 1991 ganham a independência.
2-A UE quer expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, além da Ucrânia ser a porta de entrada do Oriente.Eles também tem interesse em sua tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço. Já para a Rússia, além das ligações históricas e culturais, a Ucrânia é um dos principais clientes de Moscou e abriga instalações militares e mísseis do espólio soviético.
3-Aconteceu em 2004 com a suspeita de fraude nas eleições que levaram a vitória de Viktor Yanukovich, que tinha ligações com a Rússia. Houve também o episódio de envenenamento do opositor Viktor Yushchenko. O povo saiu nas ruas vestidos de laranja, a cor do partido de Yushchenko.
4-Pois ela é o centro do sentimento pró-Rússia na Ucrânia, grande parte de sua população é de origem russa e fala russo. Além disso há também tártaros, o que causa uma tensão contínua com os russos sobre o direito da terra.
5-Foi uma guerra entre o Império Russo e a Aliança Anglo-Franco-Sarda e o Império Otomano, que aconteceu entre 1853 e 1856. Foi uma reação às pretensões expansionistas russas.A paz foi acordada no Tratado de Paris, de 30 de março de 1856. Neste tratado ficou estipulado que a Rússia devolveria a Bessarábia do Sul e a Boca do Danúbio ao Império Otomano e a Moldávia, a Valáquia e a Sérvia passaram a estar sob proteção internacional.

Anônimo disse...

1-A Ucrânia sempre foi palco de conflitos, desde invasões dos mongóis lituanos poloneses entre outros, seguidos pelos russos, abalando novamente esta, que por muitas décadas sofreu com a fome e a miséria.
2-a união européia e a Rússia tinham interesses na Ucrânia pois ela era um dos principais países desta região sendo um bom aliado para se ter.
3-a revolução laranja foi um movimento em que os ucranianos protestaram nas ruas contra a fraude eleitoral ocorrida no ano de 2004, que havia elegido Viktor yanukovish, e então os revoltados saíram às ruas vestidos de laranja(cor do partido oposto),o que levou a uma recontagem dos votos o que fez com que Viktor yanukovish fosse substituido por Yushchenko seu adversário.
4-a Criméia é considerada o epicentro de toda essa disputa, pois ela mudou de domínio sendo Rússia até o fim da segunda guerra, o que causou um grande choque pois foi anexada à Ucrânia, se fechando para a Rússia.
5- a guerra da Criméia foi um conflito que perdurou de 1853 a 1856, de um lado estava a Rússia e do outro vários países como Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia), que tinham o objetivo de conter a expansão russa, essa guerra teve fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.
Aluno: Adalberto José n°1.3°C

Anônimo disse...

1-A Ucrânia sempre foi palco de conflitos, desde invasões dos mongóis lituanos poloneses entre outros, seguidos pelos russos, abalando novamente esta, que por muitas décadas sofreu com a fome e a miséria.
2-a união européia e a Rússia tinham interesses na Ucrânia pois ela era um dos principais países desta região sendo um bom aliado para se ter.
3-a revolução laranja foi um movimento em que os ucranianos protestaram nas ruas contra a fraude eleitoral ocorrida no ano de 2004, que havia elegido Viktor yanukovish, e então os revoltados saíram às ruas vestidos de laranja(cor do partido oposto),o que levou a uma recontagem dos votos o que fez com que Viktor yanukovish fosse substituido por Yushchenko seu adversário.
4-a Criméia é considerada o epicentro de toda essa disputa, pois ela mudou de domínio sendo Rússia até o fim da segunda guerra, o que causou um grande choque pois foi anexada à Ucrânia, se fechando para a Rússia.
5- a guerra da Criméia foi um conflito que perdurou de 1853 a 1856, de um lado estava a Rússia e do outro vários países como Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia), que tinham o objetivo de conter a expansão russa, essa guerra teve fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.
Aluno: Adalberto José n°1.3°C

Anônimo disse...

1-A Ucrânia sempre foi palco de conflitos, desde invasões dos mongóis lituanos poloneses entre outros, seguidos pelos russos, abalando novamente esta, que por muitas décadas sofreu com a fome e a miséria.
2-a união européia e a Rússia tinham interesses na Ucrânia pois ela era um dos principais países desta região sendo um bom aliado para se ter.
3-a revolução laranja foi um movimento em que os ucranianos protestaram nas ruas contra a fraude eleitoral ocorrida no ano de 2004, que havia elegido Viktor yanukovish, e então os revoltados saíram às ruas vestidos de laranja(cor do partido oposto),o que levou a uma recontagem dos votos o que fez com que Viktor yanukovish fosse substituido por Yushchenko seu adversário.
4-a Criméia é considerada o epicentro de toda essa disputa, pois ela mudou de domínio sendo Rússia até o fim da segunda guerra, o que causou um grande choque pois foi anexada à Ucrânia, se fechando para a Rússia.
5- a guerra da Criméia foi um conflito que perdurou de 1853 a 1856, de um lado estava a Rússia e do outro vários países como Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia), que tinham o objetivo de conter a expansão russa, essa guerra teve fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.
Aluno: Adalberto José n°1.3°C

Anônimo disse...

Nome: Heloise Texeira Lemos nº:15
3º ANO C - EM

1-Ao longo da história a Ucrânia apresentou uma série de invasões . No inicio foi invadida por saqueadores mongóis que foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos para anexá-la a URSS, e implantar o comunismo, durante a 2ª Guerra Mundial pelos nazistas o que gerou um conflito entre os antinazistas e os antissoviética. Com o final da 2ª Guerra o país ficou destroçado, passou fome por um longo período. Com o fim do comunismo a Ucrânia deu inicio ao processo de privatização, em 2004 aconteceu a Revolução Laranja e atualmente vive a crise da Crimeia.
2-A Ucrânia tem posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus e dos russos. Os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia. Para a EU ela é a porta de entrada do Oriente, querem ter acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como a tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço. Já Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. Para a Rússia a Ucrânia é a porta de saída para o Ocidente.
3-Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestas contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que o Viktor Yushchenko fosse declarado vitorioso.Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral por isso foram as ruas vestidos de laranja(cor do partido do Yushchenko).Os protestos forçaram uma recontagem de vetos e Yushchenko venceu.
4-Pois mesmo fazendo parte do território da Ucrânia, a Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, ela tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. Isso ocorreu porque nos anos 20 o grupo dominante da Crimeia os tártaros foram expulsos para que os russos ocupassem a região. Sendo assim a Rússia quer que essa região se anexe a ela, mas a Ucrânia não quer permitir isso.
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda ) e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
Quando Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro. Em 1854, um anos após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e está temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol na Crimeia. No mesmo ano, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Russia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris. Com isso ela foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e foi impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

equilibrio disse...

1- Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.

2- o país é para a União Europeia a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial.

3- A Revolução Laranja foram protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Yulia Tymoshenko, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno. Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O anuncio do vencedor marcou o fim da revolução.

4 - A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.

5 - A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano. Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.
Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. Mas os ingleses acreditavam que a base naval russa em Sabastopol, na Crimeia, era uma ameaça futura. Para impedir novos conflitos, ingleses e franceses investiram contra a cidade, dominando-a em 1856.

A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Vinicius disse...

Nome: Vinicius Adriano
3-C numero : 36
1- Durante a Segunda Guerra Mundial, Hitler e Stalin viram a Ucrânia como um obstáculo a seus planos e objetivos. Enquanto Hitler queria o país como uma Lebensraum Alemã (espaço físico que possui vastos recursos naturais necessários para que um Estado-nação possa ser uma potência), Stalin temia que o nacionalismo ucraniano destruísse o império russo soviético. Ele conseguiu “esconder” o genocídio de ucranianos, enquanto os crimes de Hitler foram mais conhecidos. Essas barbáries incluíam a ordem para executar 100 ucranianos inocentes para cada soldado alemão morto, a rejeição da autonomia da Ucrânia, e perdas demográficas incomparáveis com as de outros países envolvidos na guerra. Foram 14 milhões de pessoas entre mortos, vítimas de campos de concentração, deportados, evacuados, e exilados com nazistas. Aproximadamente 44% das perdas totais. 720 cidades ucranianas, 16 500 empresas industriais, e 33 000 escolas foram destruídas. E mesmo com a independência atual da Ucrânia, ainda se descobrem sepulturas de assassinatos em massa em cidades do subúrbio.
2- A Europa possui o interesse de expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, enquanto Moscou deseja aumentar sua zona de influência e aproximar-se da União Europeia para confrontá-la. A Ucrânia é a porta de entrada para o Oriente, na visão européia, e ao mesmo tempo é a porta de saída para o ocidente na visão russa. Enquanto a Europa quer abrir a porta, a Rússia mantém uma pressão no pequeno país, para que não permita essa ligação e continue em sua sombra.
3-Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich (sim, o mesmo mandatário atual). De origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto.A cor laranja foi adotada pelos protestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. O símbolo da solidariedade com o movimento de Yushchenko na Ucrânia foi uma fita laranja ou uma bandeira portando o slogan "???! ??????!" ("Sim! Yushchenko!").

4-A Crimeia não integra legalmente a Rússia atualmente, mas já integrou no passado. Moscou tem interesse na Crimeia há centenas de anos por conta de suas ricas terras agricultáveis e acesso ao Mar Negro. A Rússia entregou a Crimeia à Ucrânia em 1954, quando os dois países já eram parte da União Soviética. Após o colapso da URSS em 1991, houve certo desejo local de que a Crimeia deixasse a Ucrânia e se tornasse parte novamente da Rússia, mas legisladores da Ucrânia e da Crimeia decidiram não autorizar o movimento. Muitos russos ainda vivem na Criméia, e a parte dos tártaros que habita o centro da península, é totalmente contra a anexação pela Rússia por causa das antigas repressões soviéticas no passado.

5-Guerra da Crimeia: Aconteceu entre 1853 e 1856, envolveu de um lado a Rússia, e do outro uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, região que atualmente é a Itália, formada com o objetivo de conter a expansão russa. Iniciou com as incursões russas nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Russia, que os derrotou facilmente na Ucrânia. Os ingleses temiam que a base naval russa na Crimeia era uma ameaça futura, por isso se juntaram aos franceses e dominaram a cidade em 1856. A guerra acabou com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856. Pelos seus termos, o novo Czar, Alexandre II da Rússia, restituía o sul da Bessarábia e a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e a Moldávia, abdicava a qualquer pretensão sobre os Bálcãs e ficava impedido de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Anônimo disse...

Gabriel Bernardes de Almeida, numero 12, 3C

1- Primeiro estado eslavo oriental, teve um período de independência (1917-1921). Depois da revolução russa, a Ucrânia foi absorvida pela URSS. Suas fronteiras atuais foram formadas em 1954, e recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS.

2-Um dos principais objetivos da UE em obter a Ucrânia, é de expandir o território ao leste, para poder isolar a Rússia. Já a Rússia quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para poder confrontá-la.

3- Revolução Laranja foi um protesto feito por ucranianos contra às eleições fraudadas em 2004. Ucranianos se vestiram de laranja (cor do partido de Yuschenko), pedindo uma nova contagem dos votos. E como consequência, tiveram a troca do presidente para Yuschenko.

4-É o epicentro por possuir maior parte da população russa. Essa população votou em peso em Yanukovych na eleição em 2010, e por muitos acreditarem que ele foi vítima de um golpe, os separatistas creem que a Crimeia deveria se separar da Ucrânia.

5-Foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856 na Crimeia (mar negro, sul da Ucrânia). De um lado estava o Império Russo e do outro, a Aliança Anglo-Franco-Sarda e o Império Otomano. Essa guerra ocorreu devido ao expansionismo russo, e a reação dos outros impérios.

Anônimo disse...

Colégio Salesiano Itajaí.
Nome: Lucas Herrera.
Turma: 3º A.

________________________
1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.

Invadido pelos Russos em 1922, anexado à URSS, neste período. Sete milhões de Ucrânianos morreram de fome por causa do ditatdor soviético Josef Stalin. Invasão da Ucrânica por parte da Alemanha, diversos conflitos e guerras internas. Mais de dez milhões de Ucrânianos foram conduzidos à morte nos Gulags siberianos, durante a Guerra Fria.Com o colapso do comunismo, Leonid Kravchuk abandonou a foice e o martelo para se tornar o primeiro presidente de uma Ucrânia independente. Processo de privatização da Ucrânia se segui, o que beneficiou muitos oligarcas rússos.

2- Quais são os principais interesses por parte da UE e da Rússia em relação a Ucrânia?

Até então, o presidente deposto da Ucrânica apoiava e mantinha laços econômicos com a Rússia, conferindo-lhes acesso a Península da Criméia e ao porto de Sevastopol. Com a queda do presidente, a parte ocidental da Ucrânia, principalmente Kiev, mobilizou-se para mover a Ucrânia para o bloco econômico europeu - o que ameaçou os interesses político-econômicos da Rússia.

3- Explique sobre a Revolução Laranja:

Tem este nome dada a cor que os manifestantes adotaram, o laranja. As manifestestações se deram em decorrência das eleições entre Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych terem sido marcadas por fraudes, intimidações e irregularidades a favor do Yanukovych, que apoiava a Rússia. O povo queria uma eleição democrática transparente.

4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia?

A população da Criméia votou em peso em Yanukovych nas eleições de 2010, e como ele foi deposto, acreditam que ele é vítima de um golpe, o que fez com que separatistas tentassem pressionar o parlamento da Criméia a votar se a região deveria se separar da Ucrânica. Muitos deles se identificam como russos étnicos e portanto a Rússia mobilizou suas tropas para defendê-la.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia:

Foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Criméia, entre a Rússia de um lado, e do outro uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha e o Império Turco-Otomano. O objetivo era conter a expansão Rússia, na época, O grande império Czar.

Unknown disse...

1-Durante os séculos X e XI, o território da Ucrânia tornou-se o centro de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, a Rus Kievana, o que estabeleceu a base das identidades nacionais ucraniana e das demais nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. O colapso do Império Russo e do Império Áustro-Húngaro após a Primeira Guerra Mundial, bem como a Revolução Russa de 1917, permitiram o ressurgimento do movimento nacional ucraniano em prol da auto-determinação. Entre 1917 e 1920, diversos estados ucranianos se declararam independentes.
2-2Como todas as empresas eram estatais, o país deu início a um processo de privatização e, assim como aconteceu em outros ex-membros da URSS, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou.
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.
4-4A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
5-A Guerra da Crimeia (1853-1856), opôs o Império Russo, de um lado, e a França, o Reino Unido, o Império Otomano e o Reino da Sardenha no outro. A Rússia e o Império Otomano entraram em guerra em outubro de 1853 pelos direitos alegados pelos russos de proteger os cristãos ortodoxos sob o domínio otomano. Ianca Hass Reinert 3°A 18

Daniela Diniz n°07 disse...

Daniela Diniz n°07
3° ano C - EM

Respostas referentes a " Ucrânia e a Crise" :

1 - A Ucrânia era uma das 15 repúblicas que integravam a antiga União Soviética (1922-1991), tornando-se independente após a sua dissolução.
A região era habitada desde o neolítico por povos eslavos. No fim do século IX, os principados de Kiev e Novgorod uniram-se, formando-se um poderoso reino eslavo, com sede em Kiev, o mais antigo de toda a Rússia.
No século XIII, ocorreu a degradação. Os Mongóis conquistam-no, em seguida, a conquista dos lusitano e por fim, quando passou para o domínio dos polacos, mas também dos russos.
Em 1654, foi realizado um acordo (Rada), que levou à adesão de parte significativa do território atual da Ucrânia à Russia.
Enquanto as partes central e oriental da Ucrânia iam sendo integradas no Império Russo, recebendo o nome de Pequena Rússia, a parte ocidental era dividida entre países vizinhos a Ocidente como a Hungria, a Polónia e a Áustria.
Ucrânia apresentou uma curta independência, ocorrente no final da 1º. Guerra Mundial, em 1917, deflagra uma guerra entre ucranianos e nacionalistas. Logo após a queda dos império russo e austríaco, a Ucrânia torna-se num Estado independente.
O dirigente comunista soviético Nikita Khrutchov, um ucraniano, decidiu tirar a Península da Crimeia à Rússia e oferecê-la ao seu país de origem, estabelecendo desta forma as suas fronteiras atuais. As regiões orientais e centrais do país, transformaram-se em grandes centros mineiros e industriais, enquanto a parte ocidental permaneceu mais rural e pouco desenvolvida.
A Ucrânia proclamou a sua independência que foi retificada por referendo a 1 de Dezembro de 1991. Ainda em Dezembro de 1991 adere à Comunidade de Estados Independentes (CEI).
Após a independência e desintegração da URSS, as indústrias mineira, pesada e militar ucranianas entraram em crise, obrigando milhões de ucranianos a emigrar para a Europa e Estados Unidos.
No meio de grandes conflitos sociais, a 28 de Junho de 1996, o parlamento aprovou a nova Constituição, instituindo um poder presidencial muito forte.


2- Interesses da União Europeia : A UE negociou durante anos uma aproximação com seis ex-repúblicas soviéticas, objetivando distancia-las da Rússia, porém teve as expectativas frustradas devido a não adesão ao acordo dos principais países, chamado de Parceria Oriental, o que não fez a EU abandonar “projeto”. Concebido em 2008, o acordo propõe vantagens econômicas e comerciais para os países do leste, que abririam seu mercado consumidor para os produtos e serviços da UE. Em contrapartida, o bloco oferece apoio técnico para a consolidação de "valores comuns como a democracia, o Estado de Direito e o respeito pelos direitos humanos, assim como os princípios da economia de mercado, o desenvolvimento sustentável e a boa governança”, como diz o texto fundador da Parceria Oriental. O acordo foi uma maneira de formar um ambiente mais seguro no Oriente, sem ter que admitir alguns desses Estados como membros efetivos. Seria um forma de garantia que os países do Oriente teriam garantias de Estado de Direito, respeito aos direitos humanos e democracia.
Interesses Rússia : Para Rússia, a Ucrânia significa muito, afinal o país foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo. Então a Rússia não quer abrir mão das maravilhas encontradas na Ucrânia como a Criméia e cidades de poder como Kiev.
Ressaltando também que parte dessa importância vista pelos russos é devido aos ex-presidentes da URSS, Nikita Kruschev e Leonid Brejnev serem russos nascido em que as origens estavam no leste da Ucrânia.

continua....

Daniela Diniz n°07 disse...

Daniela Diniz n°07
3° ano C - EM

Continuação respostas referentes a "Ucrânia e a Crise" :

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos ocorridos entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.
Na votação, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych eram os concorrentes. O resultado foi favorável para o apoiador da Rússia, Yanukovych. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A série de protestos, resultou também a greves gerais e atos de desobediência civil. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou que a votação fosse e estabeleceu um segundo turno. Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Foi um conflito travado entre os turcos e os russos, com duração de 3 anos (1853 a 1856) na Península da Criméia. Isso porque os russos quiseram interferir nos problemas internos. Alegaram defender a religião cristã nos Balcãs que era domínio dos turcos. Inicia então a guerra, sendo que os turcos são apoiados pelos ingleses e franceses, que temiam a expansão dos russos, prejudicando o comercio destes com o Oriente.

Anônimo disse...

Brenda Habby Morais, nº: 06
3º ano A (LiBeRa o 4º).

1-Diferentes partes da Ucrânia foram ocupadas antes da era de Cristo. No primeiro milênio depois de Cristo, este território também não escapou às invasões. País da Europa Oriental. Situado no Sudeste da Europa, é o segundo maior país do continente, com uma área de 603 700 km2, capital é Kiev. O inverno é rigoroso, pois o clima é temperado continental. Os principais parceiros no comercio são a Rússia, a Alemanha e a China e os principais produtos mineiros e energéticos do país são o ferro, o carvão, o manganês, o petróleo e o gás natural. A produção agrícola inclui trigo, cevada, centeio, milho, beterraba açucareira, semente de girassol, algodão, batatas e legumes. Na indústria, merecem referência os ramos alimentar, de produtos metálicos, de construções mecânicas e químicas.


2- Rússia tem também interesses no que ao futuro da Ucrânia diz respeito. Resultam de um conjunto de fatores que têm a ver com a própria composição nacional do povo ucraniano. Resultam da presença da esquadra russa no mar Negro e regulado com os Governos anteriores. Os interesses ocidentais coincidem com o novo poder em Kiev e com ele estão totalmente solidários. “Para a UE, o acordo é uma maneira de criar um ambiente mais seguro no Oriente sem ter que admitir alguns desses Estados como membros efetivos”. Os países do Oriente ganhariam garantias de Estado de Direito, respeito aos direitos humanos e democracia.

3- Vários protestos e eventos políticos, entre 2004 e 2005 em diversos lugares da Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição de 2004.

4- Tornou-se o epicentro das tensões na Ucrânia depois que o presidente pró-Rússia Viktor Yanukovych fugiu no mês passado após meses de protestos e casos de banho de sangue.

5- Conflito de 1853 a 1856, na península da Crimeia (mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Atual Itália, formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda, esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa. A assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856 deu fim à guerra.

Anônimo disse...

Gustavo Ribeiro nº 17 3ºA
1- A história da Ucrânia registra diversas invasões durante o período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutenios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão, que durou décadas. Depois de seu breve período de independência, o país foi invadido pela Rússia, e anexado para formar a URSS. Nos anos que se seguiram, milhares de pessoas morreram em decorrência do ditador soviético Stalin. Depois da II guerra mundial, o pais foi invadido por nazistas, sendo palco de muitas batalhas violentas. Após o fim da guerra, o pais passou por outro período de fome. Durante a guerra fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia, sendo acompanhada atentamente pelos russos. Depois do colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchukse torna o primeiro presidente da Ucrânia independente. Em 2004 acontece a revolução laranja, por conta da corrupção e fraude nas eleições. Depois de tudo, o povo se "acalmou" e o povo continuou seguindo, até os acontecimentos recentes.
2- UE tem interesse em 6 exs repúblicas soviéticas, Ucrânia, Bielo Rússia, Azerbaijão, Armênia, Geórgia e Moldávia. Sua intenção era atrair o sexteto, para distância-lo da Rússia, porém a Rússia não quer permitir por querer expandir sua zona de influência e se aproximar da UE, para confronta-la
3- Em 2004, os ucranianos foram as ruas pra protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Russo e de confiança do presidente Kuchma. O desejo dos manifestantes era que Viktor Yushchenko fosse vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral e foram as ruas vestidos de laranja, cor do partido de Yushchenko, forçando uma recontagem, e então vence Yushchenko.
4- Porque a Crimeia visa a separação da Ucrânia, e a junção à Federação Russa
5- Foi um conflito na península da Crimeia. De um lado, o Império russo e, de outro, Reino Unido, Franca, Reino da Sardenha e o Império Otomano, e todos se opuseram às pretensões expansionistas russas

Anônimo disse...

Gustavo Ribeiro nº 17 3ºA
1- A história da Ucrânia registra diversas invasões durante o período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutenios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão, que durou décadas. Depois de seu breve período de independência, o país foi invadido pela Rússia, e anexado para formar a URSS. Nos anos que se seguiram, milhares de pessoas morreram em decorrência do ditador soviético Stalin. Depois da II guerra mundial, o pais foi invadido por nazistas, sendo palco de muitas batalhas violentas. Após o fim da guerra, o pais passou por outro período de fome. Durante a guerra fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia, sendo acompanhada atentamente pelos russos. Depois do colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchukse torna o primeiro presidente da Ucrânia independente. Em 2004 acontece a revolução laranja, por conta da corrupção e fraude nas eleições. Depois de tudo, o povo se "acalmou" e o povo continuou seguindo, até os acontecimentos recentes.
2- UE tem interesse em 6 exs repúblicas soviéticas, Ucrânia, Bielo Rússia, Azerbaijão, Armênia, Geórgia e Moldávia. Sua intenção era atrair o sexteto, para distância-lo da Rússia, porém a Rússia não quer permitir por querer expandir sua zona de influência e se aproximar da UE, para confronta-la
3- Em 2004, os ucranianos foram as ruas pra protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Russo e de confiança do presidente Kuchma. O desejo dos manifestantes era que Viktor Yushchenko fosse vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral e foram as ruas vestidos de laranja, cor do partido de Yushchenko, forçando uma recontagem, e então vence Yushchenko.
4- Porque a Crimeia visa a separação da Ucrânia, e a junção à Federação Russa
5- Foi um conflito na península da Crimeia. De um lado, o Império russo e, de outro, Reino Unido, Franca, Reino da Sardenha e o Império Otomano, e todos se opuseram às pretensões expansionistas russas

Anônimo disse...

1- A Ucrânia tem um grande histórico de tragedias , um lugar não tão pacato, registro de invasões durante um longo período, saqueadores, comunismo, fome, opressão.
2-O país é para a UE a porta de entrada do Oriente e para a Russia a porta de saída para o Ocidente, varias manifestações vem sendo feitas para a Ucrânia se inclinar para o lado da UE porem Russia ainda tem relações umbilicais com Kiev.
3- foi uma manifestação dos ucranianos pelo fato de ter ocorrido uma fraude eleitoral onde foi elegido Viktor, assim o povo saiu na rua vestidos de laranja cor do partido de Yushchenko, queriam uma recontagem, onde foi feita e yushchenko se elegeu.
4-Como consequência da revolução na Ucrânia, na qual ucranianos nacionalistas e a favor do ocidente tomaram o poder depois da queda do presidente Viktor yanukovych surgiu o medo de que a região da Crimeia, no sul do pais, possa se tornar um campo de batalha entre as forças leais a Ucrânia e aquelas a Russia
5-Disputa entre Russia e a coligação da frança, ataque das forças aliadas sobre o centro de frota russa na Crimeia em 1854, Russia recusou o acordo de paz mesmo depois de muitos mortos e perdas, só apos 1856 assinou o tratado de paris, onde Russia foi obrigada a se retirar das províncias Danúbio.

3A Isabela Ferreira Roza n:19


Anônimo disse...

Aluna:Carolina Menezes. Nº 04.3ºC.
1- Após a independência a Ucrânia foi invadida pela Rússia e anexada para formar a URSS (1922). Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola. No contexto durante a segunda guerra Ucrânia (1941), fez de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética.Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk deixou de ser um ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia para se tornar o primeiro presidente da Ucrânia independente. Nesse período, com o processo de privatização em andamento, a antiga oligarquia comunista dominante foi beneficiada. Com isso, boa parte das grandes empresas ucranianas estava nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou, manipulados por seus governantes com a permissão de Viktor Pinchuk e do presidente da Ucrânica, como a Kryvorizhstal (uma das maiores usinas de aço do mundo), posta à venda em 2004. Havia também a imposição do idioma russo sobre Kiev e, é claro, o desastre de Chernobyl. Em 26 de abril de 1986, um dos reatores da usina nuclear de Chernobyl explodiu, liberando na atmosfera uma carga radioativa mais de cem vezes superior à provocada em Hiroshima e Nagasaki, somadas. Além dos trinta operários mortos no local, aproximadamente 30 000 ucranianos viriam a morrer em consequência de problemas causados pela exposição à radiação da usina russa. Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovic, de origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu. Depois dele, em 2010, Viktor Yanukovch disputou um apertadíssimo segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se, desta vez sem fraude.

Anônimo disse...

Aluna:Carolina Menezes. Nº 04.3ºC.
2- Concebido em 2008, o acordo chamado Parceria Oriental propõe vantagens econômicas e comerciais para os países do leste, que abririam seu mercado consumidor para os produtos e serviços da UE. Os europeus, por sua vez, também teriam acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço (o principal produto de exportação de Kiev). Em contrapartida, o bloco oferece apoio técnico para a consolidação de "valores comuns como a democracia, o Estado de Direito e o respeito pelos direitos humanos, assim como os princípios da economia de mercado, o desenvolvimento sustentável e a boa governança”, como diz o texto fundador da Parceria Oriental.“Para a UE, o acordo é uma maneira de criar um ambiente mais seguro no Oriente sem ter que admitir alguns desses Estados como membros efetivos. Os países do Oriente ganhariam garantias de Estado de Direito, respeito aos direitos humanos e democracia. Nada mal para alguns deles, que vivem ‘quase ditaduras’ sob o imperialismo russo e com crescimento econômico limitado” explica Vedung.Para Evert Vedung, especialista em União Europeia e professor emérito de ciência política da Universidade de Uppsala, na Suécia, a Ucrânia está numa encruzilhada e o povo ucraniano é refém da Rússia. “Para Putin [Vladimir Putin, presidente da Rússia] a Ucrânia significa muito. O país foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo. Imagine lugares paradisíacos como a Criméia e cidades poderosas como Kiev. A Rússia não quer abrir mão disso”.Vedung refere-se ao Rus de Kiev, reino do século XIII com sede na capital ucraniana e que se estendia desde os Cárpatos até o rio Volga, ao leste de Moscou. Por muito tempo, o reino foi a população eslava dominante no leste europeu e, posteriormente, formou a atual Ucrânia, a Bielo-Rússia e a própria Rússia. Para ressaltar a importância da Ucrânia para a Rússia, o historiador britânico Tony Judt relembra em seu livro Pós-Guerra, Uma História da Europa desde 1945, que “tanto Nikita Kruschev quanto Leonid Brejnev [ambos ex-presidentes da URSS] eram russos nascido cujas origens estavam no leste da Ucrânia — sendo que Kruschev voltou para lá na década de 1930 como primeiro-secretário do Partido Comunista da Ucrânia”.
3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, de origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja, a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.

Anônimo disse...

Aluna: Carolina Menezes. Nº04. 3ºC.
4-Há sobretudo uma importância geopolítica. Além disso, para a Rússia o acesso naval às águas quentes do Mar Negro é essencial a sua ideia de segurança nacional e projeção de poder. Isso faz do litoral da Crimeia peça-chave na geoestratégia formulada no Kremlin.
5- Crise da Crimeia de 2014 é uma crise político-institucional ocorrida na sequência da revolução ucraniana de 2014, em que o governo do presidente Viktor Yanukovych foi deposto. Trata-se de protestos de milhares de pessoas russas étnicas que se opuseram aos eventos em Kiev e reivindicam laços estreitos ou a integração com a Rússia, além de autonomia expandida ou possível independência da Crimeia. Outros grupos, incluindo os tártaros da Crimeia, têm protestado em apoio à revolução.Adversários armados das novas autoridades de Kiev tomaram uma série de edifícios importantes na Crimeia, incluindo o edifício do parlamento e dois aeroportos. Kiev acusou a Rússia de intervir nos assuntos internos da Ucrânia, enquanto o lado russo negou oficialmente tais alegações. Sob cerco, o Conselho Supremo da Crimeia indeferiu o governo da república autônoma e substituiu o presidente do Conselho de Ministros da Crimeia, Anatolii Mohyliov por Sergey Aksyonov.As tropas russas estacionadas na Crimeia em acordo bilateral foram reforçadas e dois navios da Frota do Báltico da Rússia violaram as águas ucranianas.Em 1 de março, o parlamento russo concedeu ao presidente Vladimir Putin a autoridade para usar a força militar na Ucrânia, na sequência de um pedido de ajuda não-oficial do líder pró-Moscou, Sergey Aksyonov. Os Estados Unidos e seus aliados condenaram uma intervenção russa na Crimeia, incentivando a Rússia a retirar-se.Múltiplos interesses estão direcionados na invasão da Crimeia, sendo elas por parte da Rússia pela extensão de gasodutos e a base militar da Crimeia, cujo sua localização entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Morto é estratégica.

Anônimo disse...

Bruno Rosa, 7 3A
1) depois de conquistar sua independencia a Crimeia o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS depois, durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas e palco de muitas batalhas violentas, apos as invasoes o pais sofreu diversas crises economicas.

2)o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3)a revolucao laranja foi protestos contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich.
4)Porque e um territorio Ucraniano que tem a maior parte da sua populacao russa e faz fronteira com a Russia.
5)A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa.

Anônimo disse...

Paulo César – Número 32 - 3° A
1 - Depois de um breve período de independência, o país foi invadido em 1922 pela Rússia e anexado para formar a URSS. Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência do bloqueio ao acesso na Ucrânia à comida. Durante a II Guerra Mundial, o país foi invadido por nazistas. Em 1946, o país estava destroçado e passaria por outro período de fome. Na Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da Rússia. Em 1991, Leonid Kravchuk se transformou no primeiro presidente da Ucrânia. O país iniciou um processo de privatização. Então, boa parte das grandes empresas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou.

2 - Enquanto os europeus têm interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar sua zona de influência e aproximar-se da UE para confrontá-la. E no meio do caminho tem a Ucrânia. A Ucrânia é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. A Parceria Oriental, para a UE, o acordo é uma maneira de criar um ambiente mais seguro no Oriente. Para Putin a Ucrânia significa muito. Anteriormente, ajudou a consolidar o império russo. Laços de Sangue, as províncias do leste ucraniano possuem como maioria falantes de russo. O atual presidente, Viktor Yanukovich, foi alfabetizado em russo e aprendeu ucraniano para poder entrar na política. Laços comerciais e a ameaça da União Eurasiana.
3 -A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada e estabeleceu um segundo turno. Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%.

4 - A região tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo. A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia. A Rússia tem sido o poder dominante na Crimeia na maioria dos últimos 200 anos. No entanto, a Crimeia passou das mãos de Moscou para as da Ucrânia. Mesmo assim, uma outra minoria importante, os tártaros muçulmanos da Crimeia dizem que eles já foram maioria na Ucrânia, e foram deportados em massa pelo líder da União Soviética Joseph Stalin em 1944 sob a acusação de colaborarem com a invasão nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

5 - A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Formadas com o objetivo de conter a expansão russa. A guerra teve seu início com as incursões russas comandadas pelo czar Nicolau I nos principados otomanos da Moldávia e da Valáquia (hoje Romênia). Os turcos abriram guerra à Rússia, que os derrotou facilmente em Sinope, Ucrânia. Temendo a expansão russa, a aliança foi formada. Em troca de apoio, os turcos consentiam a entrada de capital ocidental na região. Em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

Anônimo disse...

Luís Henrique Tiegs 28 3C

1 - Na Ucrânia se formou um dos principais principados Eslavos, em Kiev. É uma nação de muita importância para o oeste Europeu e de certo nacionalismo e patriotismo, que foi uma das dificuldades que a URSS encontrou antes de incorporá-la. Desde a incorporação a União Soviética os conflitos ideológicos no país são constantes, e depois de conquistada a sua independência está divida entre sua metade pró-Rússia e pró Europa.

2 – A UE quer expandir seus territórios a leste, e a Ucrânia é uma porta para o Oriente, além de um território imenso, e potencial energético e econômico (se auxiliada), a Ucrânia pertencendo a UE isolaria os Russos e frearia seu crescimento comandado pro Putin. A Rússia por sua vez tenta se aproximar da Europa, que já tem como dependente e aumentar seus poderes a oeste, o rompimento do cordão umbilical entre Kiev e Moscou é oq a Rússia pretende evitar.
3 – Em um cenário de disputa eleitoral são levantadas denuncias contra o eleito presidente e pró Russo Yanukovick, alegando fraudes e a manipulação dos votos. Apontando o presidente recém eleito como ilegítimo e corrupto, o povo tomou as ruas, em Kiev e pro todo o país em protesto, no geral pacíficos, pela anulação da eleição. Como resultado a eleição aconteceu novamente, e como leve vantagem deu vitória a Yushchenko, o principal opositor que tinha laranja como a cor de sua campanha e dos protestos.

4 – A Criméia é de importância bélica, histórica e simbólica para os Russos, Russos chama sua capital, Sebastopol da “Cidade da Gloria Russa” onde Stalin recebeu o primeiro ministro Inglês e o presidente estadunidense após a Segunda guerra. Desde o séc. XVIII a península serve a frota russa como base no Mar Negro, e por lá controla o Mar, faz guerras e se defende de investidas europeias. Além de ser uma região autônoma, muito diferente de nosso estado, lá os criméios falam Russo e se sentem russos, além de terem a própria constituição.

5 – Em um momento de grande crescimento russo e investidas europeias sobre a Ucrânia, a Russia tenta ainda controlar aquilo que já lhe pertenceu. A ligação entre Crimeia e Rússia é muito simbólica, e ver isso perdido não era o maior desejo por parte da Russia, os crimeios que já não se sentem Ucranianos, viram o presidente que os representava mais deposto após negar acordos com a UE. O país se dividiu entre pró Russos e pró Europeus, e parte de seu território preferia pertencer a Federação Russa.

Anônimo disse...

Gustavo Leal nº16 3ºA

1- A Ucrânia foi um dos principais países da extinta URSS. Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Agora faz parte da Comunidade dos Estados Independentes.
2- A Ucrânia é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. A Ucrânia ainda tem fortes laços históricos, culturais e econômicos com a Rússia, mas o povo quer que a Ucrânia se ligue com a Europa.
3- Foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004. A cor laranja foi adotada pelos manisfestantes como a cor oficial do movimento por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko.
4- A Rússia domina a região da Crimeia na maioria dos ultimos 200 anos, no entanto, em 1954, ela passou a ser da Ucrania. A maior parte da população ainda se diz russa, e acha isso um "erro histórico", além de o idioma falado na Crimeia ser o russo. Legalmente a Crimeia ainda é da Ucrânia, mas tem muita gente querendo mudar isso.
5- Foi uma guerra ocorrida na sequência da revolução ucraniana de 2014, em que o governo do presidente Viktor Yanukovychcoco foi deposto. Trata-se de protestos de milhares de pessoas russas étnicas que se opuseram aos eventos em Kiev e reivindicam laços estreitos ou a integração com a Rússia, além de autonomia expandida ou possível independência da Crimeia. Outros grupos, incluindo os tártaros da Crimeia, têm protestado em apoio a revolução.

Anônimo disse...

André Victor C.Bernardi n01 3A Segue as respostas de acordo com o proposto (contextualizando a Ucrânia de antigamente) 4. A Criméia tem seu território localizado na Ucrânia, porém sua população é de maioria russa, ou seja, em seu histórico a ideia separatista é dominante. 5. Em decorrência do estopim de uma guerra criada pelo governo russo a fim de expandir seu território, por intermédio à uma invasão pela Turquia, em apoio por parte da França e do Reino Unido a Turquia passa a controlar o principal porto do Mar Negro, e juntamente com seus aliados o exército turco passa a dominar a Criméia.

Anônimo disse...

Luiz Henrique Siemann. Nº: 30. Ano: 3ºC. 07/04/2014

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
R: História moderna está marcada com colapso do império Russo, quando por breve foi criado o Estado ucraniano. Desde 1922 a Ucrânia (URSS) torna-se uma parte da União Soviética (CCCP). Proclamação da Independência, em 1991, criou uma nova era na história da Ucrânia – o presente.

A Ucrânia independente A 24 de Agosto de 1991, o Conselho Supremo, declarou a independência da Ucrânia, confirmada por um referendo nacional de 1 de Dezembro de 1991. Formou-se um sistema político-democrático, consagrada na Constituição de 1996. Reformas inconsistentes nos 90 conduziram até à crise profunda na economia do país, que complicou a situação política. A transição para uma economia de mercado levou ao agravamento da situação económica e social. Foi decidido realizar eleições presidenciais e parlamentares precoces. Em 1994 houve eleições para o Conselho Supremo. Foram eleitos 338 deputados, metade dos quais eram membros de partidos políticos. Os esquerdistas ocuparam a maioria no parlamento. O processo de alteração do poder político na Ucrânia concluiu eleições presidenciais realizadas em Junho e Julho de 1994. Na segunda volta das eleições ganhou Leonid Kuchma. Eleições livres em 1994 mostraram que a Ucrânia está no caminho do desenvolvimento democrático. Foi realizada uma transformação do mercado, mas continuava o declínio da produção. O rendimento nacional para 1991-1994 foi reduzida mais de metade (56%), o rublo sofreu uma hiper- inflação. No dia 28 de Junho de 1996 foi aprovada a Constituição da Ucrânia, que assegurou a obtenção da soberania da Ucrânia, confirmou o direito à segurança, à saúde e à auto-determinação do seu próprio país. Além disso, o documento tinha que tratar das questões de competência legislativa, executiva e das autoridades judiciárias. Em Setembro do mesmo ano, o Banco Nacional, que chefiou Viktor Yushchenko, produziu a moeda nacional hryvnia. A estabilização da área financeira foi uma das condições prévias para a recuperação económica.

2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
R: Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o segundo país mais importante da URSS, atrás somente da Rússia. Por isso o interesse comunista e capitalista, perdendo a Ucrânia, a URSS perde um de seus mais fortes membros.

3- Explique sobre a Revolução Laranja :
R: Protestos dos ucranianos em revolta as eleições fraudadas que elegeram um russo (Viktor Yanukovich). Os manifestantes queriam a eleição de seu candidato, Viktor Yushchenko, seia uma “prova” da real independência ucraniana, mostrando que seu país não era mais comandado pelos russos, que eles ainda perdoavam (pela imposição do idioma russo, Chernobyl, etc.)

4- Por que a Criméia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
R: A Criméia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Criméia
R: A Guerra da Criméia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Criméia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Anônimo disse...

Luiz Henrique Siemann. Nº: 30. Ano: 3ºC

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
R: História moderna está marcada com colapso do império Russo, quando por breve foi criado o Estado ucraniano. Desde 1922 a Ucrânia (URSS) torna-se uma parte da União Soviética (CCCP). Proclamação da Independência, em 1991, criou uma nova era na história da Ucrânia – o presente.

A Ucrânia independente A 24 de Agosto de 1991, o Conselho Supremo, declarou a independência da Ucrânia, confirmada por um referendo nacional de 1 de Dezembro de 1991. Formou-se um sistema político-democrático, consagrada na Constituição de 1996. Reformas inconsistentes nos 90 conduziram até à crise profunda na economia do país, que complicou a situação política. A transição para uma economia de mercado levou ao agravamento da situação económica e social. Foi decidido realizar eleições presidenciais e parlamentares precoces. Em 1994 houve eleições para o Conselho Supremo. Foram eleitos 338 deputados, metade dos quais eram membros de partidos políticos. Os esquerdistas ocuparam a maioria no parlamento. O processo de alteração do poder político na Ucrânia concluiu eleições presidenciais realizadas em Junho e Julho de 1994. Na segunda volta das eleições ganhou Leonid Kuchma. Eleições livres em 1994 mostraram que a Ucrânia está no caminho do desenvolvimento democrático. Foi realizada uma transformação do mercado, mas continuava o declínio da produção. O rendimento nacional para 1991-1994 foi reduzida mais de metade (56%), o rublo sofreu uma hiper- inflação. No dia 28 de Junho de 1996 foi aprovada a Constituição da Ucrânia, que assegurou a obtenção da soberania da Ucrânia, confirmou o direito à segurança, à saúde e à auto-determinação do seu próprio país. Além disso, o documento tinha que tratar das questões de competência legislativa, executiva e das autoridades judiciárias. Em Setembro do mesmo ano, o Banco Nacional, que chefiou Viktor Yushchenko, produziu a moeda nacional hryvnia. A estabilização da área financeira foi uma das condições prévias para a recuperação económica.

2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
R: Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o segundo país mais importante da URSS, atrás somente da Rússia. Por isso o interesse comunista e capitalista, perdendo a Ucrânia, a URSS perde um de seus mais fortes membros.

3- Explique sobre a Revolução Laranja :
R: Protestos dos ucranianos em revolta as eleições fraudadas que elegeram um russo (Viktor Yanukovich). Os manifestantes queriam a eleição de seu candidato, Viktor Yushchenko, seia uma “prova” da real independência ucraniana, mostrando que seu país não era mais comandado pelos russos, que eles ainda perdoavam (pela imposição do idioma russo, Chernobyl, etc.)

4- Por que a Criméia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
R: A Criméia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Criméia
R: A Guerra da Criméia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Criméia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Anônimo disse...

João Marcos N° 18 3°C
1-País da Europa Oriental. Situado no Sudeste da Europa, é o segundo maior país do continente, depois da Rússia, com uma área de 603 700 km2. Faz fronteira com a Bielorrússia e a Rússia, a norte, com a Moldávia e a Romênia, a sul, a Hungria, a sudoeste, e a Eslováquia e a Polônia, a oeste, sendo banhado, a sul,pelos mares Negro e de Azov.As principais cidades da Ucrânia são Kiev, a capital, com 2 598 000 habitantes(2004), Kharkov (1 420 100 hab.), Dnipropetrovsk (1 009 100 hab.), Odessa (1012 600 hab.) e Donetsk (969 800 hab.).
2-Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.
4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5-Ficou conhecida pelo nome de Guerra da Criméia o conflito ocorrido entre outubro de 1853 e fevereiro de 1856, envolvendo de um lado o Império Russo e do outro o Império Otomano (atual Turquia), Grã-Bretanha, França, e o reino da Sardenha. Esta guerra é na verdade parte de uma série de disputas por territórios do então decadente império Turco-Otomano, e seu nome deve-se ao fato de que boa parte das batalhas ocorreram na península da Criméia, hoje parte do território ucraniano.O cerco de Sebastopol (pintura de Franz Roubaud - 1904), uma das principais batalhas da Guerra da Criméia.Após o Congresso de Viena, em 1815, as grandes potências européias iriam experimentar três décadas de paz, sendo que as pressões políticas, econômicas, sociais e nacionalistas eram ao mesmo tempo contidas. Finalmente o sistema de Viena começou a ruir, e um dos primeiros problemas à vista era a fraqueza política demonstrada pelo império turco-otomano, e a possibilidade de fragmentação de seus domínios. Os europeus enxergaram nesse quadro a necessidade de evitar tal fragmentação, e evitar a expansão russa na região.

Anônimo disse...

João Marcos N°18 3°C
1-País da Europa Oriental. Situado no Sudeste da Europa, é o segundo maior país do continente, depois da Rússia, com uma área de 603 700 km2. Faz fronteira com a Bielorrússia e a Rússia, a norte, com a Moldávia e a Romênia, a sul, a Hungria, a sudoeste, e a Eslováquia e a Polônia, a oeste, sendo banhado, a sul,pelos mares Negro e de Azov.As principais cidades da Ucrânia são Kiev, a capital, com 2 598 000 habitantes(2004), Kharkov (1 420 100 hab.), Dnipropetrovsk (1 009 100 hab.), Odessa (1012 600 hab.) e Donetsk (969 800 hab.).
2-Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.Os protestos foram instigados por dados numéricos de observadores locais e estrangeiros, e de amplo conhecimento público, de que os resultados da votação de 21 de novembro de 2004 entre os principais candidatos, Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych, foram manipulados em favor do segundo. A eleição foi mantida pela lei ucraniana devido aos resultados oficiais da eleição presidencial ocorridas em 31 de outubro de 2004, na qual não houve candidato que obtivesse mais de 50% dos votos totais. O vencedor das eleições se tornou o terceiro presidente da Ucrânia desde sua independência, em 1991, após a queda da União Soviética.
4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5-Ficou conhecida pelo nome de Guerra da Criméia o conflito ocorrido entre outubro de 1853 e fevereiro de 1856, envolvendo de um lado o Império Russo e do outro o Império Otomano (atual Turquia), Grã-Bretanha, França, e o reino da Sardenha. Esta guerra é na verdade parte de uma série de disputas por territórios do então decadente império Turco-Otomano, e seu nome deve-se ao fato de que boa parte das batalhas ocorreram na península da Criméia, hoje parte do território ucraniano.O cerco de Sebastopol (pintura de Franz Roubaud - 1904), uma das principais batalhas da Guerra da Criméia.Após o Congresso de Viena, em 1815, as grandes potências européias iriam experimentar três décadas de paz, sendo que as pressões políticas, econômicas, sociais e nacionalistas eram ao mesmo tempo contidas. Finalmente o sistema de Viena começou a ruir, e um dos primeiros problemas à vista era a fraqueza política demonstrada pelo império turco-otomano, e a possibilidade de fragmentação de seus domínios. Os europeus enxergaram nesse quadro a necessidade de evitar tal fragmentação, e evitar a expansão russa na região.

Anônimo disse...

Nome: Luan Barcelos Herrera
Série: 3ºC
Número: 25

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.

A Ucrânia é um país da Europa Oriental, que faz fronteira com a Federação Russa, com a Bielorrússia, Polônia, Eslováquia, Hungria, Romênia, Moldávia Mar Negro e Mar de Azov. Na Idade Média, a nação se tornou um polo da cultura dos eslavos do leste, e eram conhecidos como o poderoso Estado Principado de Kiev. Se fragmentaram no século XIII, e foram invadidas e governadas por variados povos. No século XX, aconteceu uma consolidação desses povos, em uma república Soviética. Tornou-se um estado independente apenas em 1991. Sua história foi marcada por muito sangue e morte, desde a luta contra o união soviética (resultando na morte de milhares de ucranianos, pelo bloqueio de alimento feito pela URSS), como pela segunda guerra, na época do nazismo. Atualmente é o lar de 44,6 milhões de pessoas, 77,8% são ucranianos étnicos, com minorias de russos, bielorrussos e romenos.

2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
A Ucrânia é um país com área territorial gigantesca.
A União Européia teria acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta. Extração de minério de ferro e produção de aço. Também aumentariam suas forças em relação a Rússia. Já a Rússia, tem interesse de manter a influência sobre a Ucrânia, porque a mesma ajudou a consolidar o império Russo. Os laços de sangue também são muito fortes, já que 20% da população fala Russo como primeira língua, e milhões se veem como Russos.
A Ucrânia também é um dos mais importantes clientes de Moscou, e também possuí armamento Russo em sua região. Só em gás, a Ucrânia gasta 16 bilhões de dólares com a Rússia.

3- Explique sobre a Revolução Laranja:
Uma série de protestos e eventos políticos, entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares da Ucrânia, em resposta as alegações de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
A cor laranja foi escolhida como cor oficial do movimento, por ter sido a cor da campanha eleitoral do principal candidato da oposição, Viktor Yushchenko. Em resultado, a corrida eleitoral foi anulada, e uma segunda eleição foi ordenada, em 26 de dezembro de 2004. Com uma intensa fiscalização na contagem de votos, a segunda votação foi aceita, por observadores locais e internacionais, como livre de problemas. Yushchenko recebeu 52% dos votos, e foi declarado o vencedor oficial.

4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia?
Porque a Crimeia é o epicentro do sentimento pró-rússia na Ucrânia. Existem 2,3 habitantes na região, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.
A guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856. na península da Crimeia. Envolveu, de um lado a Rússia, e de outro, a coligação integrada pelo Reino Unido, França e Piemonte-Sardenha. Tinham como objetivo conter a expansão Russa.
Os Turcos abriram guerra a Rússia, e perderam, na região da Ucrânia, essa aliança, temendo a expansão, foi formada. Os turcos abriram seu território
para as tropas, e em setembro de 1854, os russos já haviam sido expulsos da região. A aliança também investiu contra a base naval russa em Sebastopol, na Crimeia, temendo futuras ameaças.
A guerra teve fim em 30 de março de 1856, com a assinatura em um tratado, em Paris, abdicando qualquer pretensão sobre os Bálcãs, e se impedia de manter bases ou forças navais no mar Negro.

Anônimo disse...

Matheus Weber 3A 1-historia moderna está marcada com colapso do império Russo, quando por breve foi criado o Estado ucraniano. Desde 1922 a Ucrânia (URSS) torna-se uma parte da União Soviética (CCCP). Proclamação da Independência, em 1991, criou uma nova era na história da Ucrânia – o presente.
2- o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
4-Pois a Criméia pertencia a Rússia e foi dada pra a Ucrânia
5- foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas.

Anônimo disse...

Aluna: Thamires Bráz n°37 ano: 3anoA


1-A Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser dominado pelos comunistas, devido a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), e desenvolveram grandes plantações de cereais. Sua independência foi proclamada em 16 de julho de 1990, e foi aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – grupo formado pela Rússia e as antigas repúblicas soviéticas. A população de modo geral apresenta grande diversidade cultural. O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história. Esse desastre provocou a morte de milhares de pessoas, além do desenvolvimento de cânceres após décadas do ocorrido. Por volta de 135 mil habitantes tiveram que abandonar a região onde estava instalada a usina.


2-República com mais de 44 milhões de pessoas, com economia fragilizada, mas com grande potencial. Com uma área maior que a da França, está sendo alvo da disputa entre União Européia e Rússia. Enquanto os europeus tem interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar uma zona de influencia e aproximar-se da União Européia para confrontá-la . E no meio do caminho tinha a Ucrânia. Além de ser um país com apenas 23 anos de independência, é considerado pela União Européia a porta de entrada do Oriente e para a Rússia a porta de saída para o ocidente. Enquanto a União européia tenta abrir a porta, para a Rússia é importante fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.



3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. Tendo como suposto eleito Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. Porém, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais. Essa série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno. Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.


4-A Criméia é o epicentro do sentimento pró - Rússia no país, o que pode levar ao separatismo, a região tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos Russos e fala russo. Toda essa região votou em peso em Yonukovych na eleição presidencial em 2010 e muitos acreditam que ele é vitima de um golpe, o que levou os separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Criméia a voltar se a região deveria se separar da Ucrânia.



5-A guerra da Criméia foi um conflito que aconteceu em 1853 a 1856 na península da Criméia. Que envolveu de u m lado a Rússia e de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) – formando a aliança Anglo-Franco-Sarda – e o império turco Olomano (atual Turquia). Essa junção tinha o objetivo de conter a expansão Russa. O grande fator base conflito foi a questão do levante, levantado com o declínio do império Otomano, que acabou profundamente a estrutura do continente europeu.

Anônimo disse...

Aluna: Thamires Bráz n°37 ano: 3anoA
1-A Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser dominado pelos comunistas, devido a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), e desenvolveram grandes plantações de cereais. Sua independência foi proclamada em 16 de julho de 1990, e foi aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano. Desde então, a nação passou a integrar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – grupo formado pela Rússia e as antigas repúblicas soviéticas. A população de modo geral apresenta grande diversidade cultural. O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história. Esse desastre provocou a morte de milhares de pessoas, além do desenvolvimento de cânceres após décadas do ocorrido. Por volta de 135 mil habitantes tiveram que abandonar a região onde estava instalada a usina.

2-República com mais de 44 milhões de pessoas, com economia fragilizada, mas com grande potencial. Com uma área maior que a da França, está sendo alvo da disputa entre União Européia e Rússia. Enquanto os europeus tem interesse em expandir suas fronteiras para o leste e isolar a Rússia, Moscou quer aumentar uma zona de influencia e aproximar-se da União Européia para confrontá-la . E no meio do caminho tinha a Ucrânia. Além de ser um país com apenas 23 anos de independência, é considerado pela União Européia a porta de entrada do Oriente e para a Rússia a porta de saída para o ocidente. Enquanto a União européia tenta abrir a porta, para a Rússia é importante fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.


3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. Tendo como suposto eleito Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. Porém, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais. Essa série de protestos também levou a greves gerais e atos de desobediência civil. Yulia Tymoshenko, uma especialista em gás e petróleo, foi uma das líderes do movimento, com o Bloco Yulia Tymoshenko. A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno. Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4-A Criméia é o epicentro do sentimento pró - Rússia no país, o que pode levar ao separatismo, a região tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos Russos e fala russo. Toda essa região votou em peso em Yonukovych na eleição presidencial em 2010 e muitos acreditam que ele é vitima de um golpe, o que levou os separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Criméia a voltar se a região deveria se separar da Ucrânia.


5-A guerra da Criméia foi um conflito que aconteceu em 1853 a 1856 na península da Criméia. Que envolveu de u m lado a Rússia e de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) – formando a aliança Anglo-Franco-Sarda – e o império turco Olomano (atual Turquia). Essa junção tinha o objetivo de conter a expansão Russa. O grande fator base conflito foi a questão do levante, levantado com o declínio do império Otomano, que acabou profundamente a estrutura do continente europeu.

Anônimo disse...

Nome: Emanuelle Vieira de Souza; nº 08; 3º ano C.

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
Sua história moderna está marcada com o colapso do império Russo, quando por breve foi criado o Estado ucraniano. Desde 1922 a Ucrânia (URSS) torna-se uma parte da União Soviética (CCCP). A proclamação da Independência, em 1991, criou uma nova era na história da Ucrânia – o presente. Formou-se um sistema político-democrático, consagrada na Constituição de 1996. Reformas inconsistentes nos 90 conduziram até à crise profunda na economia do país, que complicou a situação política. A transição para uma economia de mercado levou ao agravamento da situação económica e social. O processo de alteração do poder político na Ucrânia concluiu eleições presidenciais realizadas em Junho e Julho de 1994. Estas eleições livres mostraram que a Ucrânia está no caminho do desenvolvimento democrático.
No dia 28 de Junho de 1996 foi aprovada a Constituição da Ucrânia, que assegurou a obtenção da soberania da Ucrânia, confirmou o direito à segurança, à saúde e à autodeterminação do seu próprio país. Além disso, o documento tinha que tratar das questões de competência legislativa, executiva e das autoridades judiciárias. Em Setembro do mesmo ano, o Banco Nacional, que chefiou Viktor Yushchenko, produziu a moeda nacional hryvnia. A estabilização da área financeira foi uma das condições prévias para a recuperação económica.

2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
A União Europeia tenta uma aproximação com algumas ex-repúblicas soviéticas, por meio do acordo ‘Parceria Oriental’. Este distancia tais países da Rússia assim como beneficia tanto eles como os europeus por meio de seu acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço.
A Ucrânia significa muito para os russos, ou melhor, para seu presidente Vladimir Putin. O país foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo. A Rússia não quer abrir mão de lugares paradisíacos como a Criméia e de cidades poderosas como Kiev, capital ucraniana; por isso mantém o povo daquele país sob seu poder, encurralado.

3- Explique sobre a Revolução Laranja:
As eleições em 2004 na Ucrânia foram fraudadas e a vitória foi dada a Viktor Yanukovich. Protestos foram organizados contra este resultado e a favor de Viktor Yushchenko, político muito mais favorável à aproximação com a União Europeia, que daria bom resultados à economia ucraniana. Tais manifestações foram organizadas de forma que os protestantes se vestiram de roupa laranja, que era a cor do partido de Viktor Yushchenko, e terminou com uma recontagem dos votos onde este foi o vencedor. Apesar de tudo, Viktor Yanukovich foi eleito em 2010 e ocupará a presidência até 2015.

4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia?
Porque tal região concentra grande parte do sentimento pró-Rússia dentro da Ucrânia, sendo que a maioria de seus habitantes se identifica como russo e fala esta língua. A Criméia é legalmente ucraniana, e a Rússia assinou um acordo em 1994 que garantia aos Estados Unidos, o Reino Unido e a França que não iria interferir neste território. O desejo da Rússia e da Criméia (que praticamente tem um governo próprio englobado dentro do ucraniano) de se unirem tem relação direta com o compromisso feito com três países fortes e desenvolvidos, por isso continua a gerar conflito.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.
Ocorreu entre 1853 e 1856 e foi o resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs (sudeste da europa) depois da queda do Império Otomano (Estado turco que existiu entre 1299 e 1922), enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

Anônimo disse...

Nome: Emanuelle Vieira de Souza; nº 08; 3º ano C.

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
Sua história moderna está marcada com o colapso do império Russo, quando por breve foi criado o Estado ucraniano. Desde 1922 a Ucrânia (URSS) torna-se uma parte da União Soviética (CCCP). A proclamação da Independência, em 1991, criou uma nova era na história da Ucrânia – o presente. Formou-se um sistema político-democrático, consagrada na Constituição de 1996. Reformas inconsistentes nos 90 conduziram até à crise profunda na economia do país, que complicou a situação política. A transição para uma economia de mercado levou ao agravamento da situação económica e social. O processo de alteração do poder político na Ucrânia concluiu eleições presidenciais realizadas em Junho e Julho de 1994. Estas eleições livres mostraram que a Ucrânia está no caminho do desenvolvimento democrático.
No dia 28 de Junho de 1996 foi aprovada a Constituição da Ucrânia, que assegurou a obtenção da soberania da Ucrânia, confirmou o direito à segurança, à saúde e à autodeterminação do seu próprio país. Além disso, o documento tinha que tratar das questões de competência legislativa, executiva e das autoridades judiciárias. Em Setembro do mesmo ano, o Banco Nacional, que chefiou Viktor Yushchenko, produziu a moeda nacional hryvnia. A estabilização da área financeira foi uma das condições prévias para a recuperação económica.

2- Quais são os principais interesses por parte da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
A União Europeia tenta uma aproximação com algumas ex-repúblicas soviéticas, por meio do acordo ‘Parceria Oriental’. Este distancia tais países da Rússia assim como beneficia tanto eles como os europeus por meio de seu acesso a setores estratégicos da economia ucraniana, como tecnologia bélica e aeroespacial de ponta, extração de minério de ferro e produção de aço.
A Ucrânia significa muito para os russos, ou melhor, para seu presidente Vladimir Putin. O país foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo. A Rússia não quer abrir mão de lugares paradisíacos como a Criméia e de cidades poderosas como Kiev, capital ucraniana; por isso mantém o povo daquele país sob seu poder, encurralado.

3- Explique sobre a Revolução Laranja:
As eleições em 2004 na Ucrânia foram fraudadas e a vitória foi dada a Viktor Yanukovich. Protestos foram organizados contra este resultado e a favor de Viktor Yushchenko, político muito mais favorável à aproximação com a União Europeia, que daria bom resultados à economia ucraniana. Tais manifestações foram organizadas de forma que os protestantes se vestiram de roupa laranja, que era a cor do partido de Viktor Yushchenko, e terminou com uma recontagem dos votos onde este foi o vencedor. Apesar de tudo, Viktor Yanukovich foi eleito em 2010 e ocupará a presidência até 2015.

4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia?
Porque tal região concentra grande parte do sentimento pró-Rússia dentro da Ucrânia, sendo que a maioria de seus habitantes se identifica como russo e fala esta língua. A Criméia é legalmente ucraniana, e a Rússia assinou um acordo em 1994 que garantia aos Estados Unidos, o Reino Unido e a França que não iria interferir neste território. O desejo da Rússia e da Criméia (que praticamente tem um governo próprio englobado dentro do ucraniano) de se unirem tem relação direta com o compromisso feito com três países fortes e desenvolvidos, por isso continua a gerar conflito.

5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.
Ocorreu entre 1853 e 1856 e foi o resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs (sudeste da europa) depois da queda do Império Otomano (Estado turco que existiu entre 1299 e 1922), enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

Anônimo disse...

1-Sua planície outrora coberta por florestas não é o que se pode chamar de local pacato, e a história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.
2- A Ucrânia por sua localização estratégica entre ocidente e oriente, Europa e Rússia, é cobiçada por ambas as partes. Enquanto a União Europeia quer expandir-se, através dessa porta para o oeste, o governo de Vladimir quer impedir que isso aconteça. A EU oferece e pede em troca regalias econômicas para os países do leste, caracterizando um acordo bilateral, além de garantirem plena democracia e respeito aos direitos humanos. Os russos não podem abrir mão de uma região como a da Criméia, pois pensam que seus atributos naturais os tomaria ainda mais completos.
3- As elites interpretaram a independência como um direito de saquear o país sem ter de compartilhar os lucros com ninguém.Para agravar o problema, o país é profundamente dividido entre o leste industrializado e a Criméia. As sementes da crise atual foram plantadas pelo próprio presidente Yanukovich. Em 2004, ele tentou roubar a eleição presidencial, mas foi impedido por protestos em massa que alçaram seus adversários, Viktor Yushchenko e Yulia Tymoshenko, ao poder. Aquela onda de protestos, mais conhecida como a Revolução Laranja, terminou de forma pacífica quando o antecessor e apoiador de Yanukovych, Leonid Kuchma, recusou-se a usar a força contra os manifestantes.
4- A Criméia é o epicentro do sentido pró-Rússia no país, a maioria de seus habitantes se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo também. A Rússia quer que essa região se anexe a ela, mas a Ucrânia não quer.
5-Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro. Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia. Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março. A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.
Beatriz, 03 3EMC

Anônimo disse...

Fernanda Fantoni Nº:13 3ºA
1- O histórico de subordinação à Russia começa no século XIX. Conseguem declarar a independência em 1918, logo após a Revolução Russa. Num período que se estendeu de 1941 a 1945, esteve sob domínio nazi-alemão, até voltar a ser soviética.
2- Enquanto a UE quer se expandir atravez de sua localização estratégica para o oeste, o governo de Vladimir Putin quer impedir que isso aconteça. A UE pede em troca e oferece regalias econômicas para os países do leste.
3- Revolução Laranja é o nome dado a vários protestos que ocorreram em 2004 e 2005. As eleições de 2004 na Ucrania foram fraudadas gerando uma manifestação em que os participantes usavam roupas laranjas. A votação foi anulada e se estabeleceu um segundo turno em que o vencedor foi Yushchenko marcando o fim da revolução laranja.
4- Em sua maioria é composta por descendentes e falantes da língua russa.
5- Foi um conflito de 1853 a 1856 com o intuito de conter a expansão russa. Envolveu de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda- e o Império Otomano (actual Turquia). AS guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856.

Anônimo disse...

Priscíla Lopes Nascimento, nº 34, 3º ano A.
1. Situado no Sudeste da Europa, é o segundo maior país do continente, depois da Rússia, com uma área de 603 700 km2. Faz fronteira com a Bielorrússia e a Rússia, a norte, com a Moldávia e a Roménia, a sul, a Hungria, a sudoeste, e a Eslováquia e a Polónia, a oeste, sendo banhado, a sul, pelos mares Negro e de Azov. Os principais produtos mineiros e energéticos do país são o ferro, o carvão, o manganês, o petróleo e o gás natural. A produção agrícola inclui trigo, cevada, centeio, milho, beterraba açucareira, semente de girassol, algodão, batatas e legumes. Na indústria, merecem referência os ramos alimentar, de produtos metálicos, de construções mecânicas e químico. Os principais parceiros comerciais da Ucrânia são a Rússia, a Alemanha e a China.
Durante os séculos X e XI, o território da Ucrânia tornou-se o centro de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, o Principado de Kiev, o que estabeleceu a base das identidades nacionais ucraniana e das demais nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. O colapso dos Impérios Russo e Austríaco após a Primeira Guerra Mundial, bem como a Revolução Russa de 1917, permitiram o ressurgimento do movimento nacional ucraniano em prol da auto-determinação em boa parte da Ucrânia.
(fontes: http://www.infopedia.pt/$ucrania;jsessionid=03b4f8uSs2nLRmJ44uZnnw__
e http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Ucr%C3%A2nia)
2. Por ser considerada “O Pivô Geográfico da História”, a gigantesca massa de continentes formada por Europa, Ásia e África como sendo a "Ilha-Mundo", cujo "Heartland" (literalmente “coração da terra”) tem epicentro na Europa Oriental. Além disso, para a Rússia o acesso naval às águas quentes do Mar Negro é essencial a sua ideia de segurança nacional e projeção de poder. Isso faz do litoral da Crimeia peça-chave na geoestratégia formulada no Kremlin.

3. A Revolução Laranja ocorreu quando ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto. O movimento englobou greves e manifestações, alimentadas pela percepção generalizada de parte significativa da população de que o país não mudara suas instituições após a queda da URSS, além de não conseguir desenvolver-se economicamente.
4. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.
5. A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas. Nessa guerra, foi importante o papel da marinha de corso, pela França e Reino Unido.

Anônimo disse...

Priscíla Lopes Nascimento, nº 34, 3º ano A.
1. Situado no Sudeste da Europa, é o segundo maior país do continente, depois da Rússia, com uma área de 603 700 km2. Faz fronteira com a Bielorrússia e a Rússia, a norte, com a Moldávia e a Roménia, a sul, a Hungria, a sudoeste, e a Eslováquia e a Polónia, a oeste, sendo banhado, a sul, pelos mares Negro e de Azov. Os principais produtos mineiros e energéticos do país são o ferro, o carvão, o manganês, o petróleo e o gás natural. A produção agrícola inclui trigo, cevada, centeio, milho, beterraba açucareira, semente de girassol, algodão, batatas e legumes. Na indústria, merecem referência os ramos alimentar, de produtos metálicos, de construções mecânicas e químico. Os principais parceiros comerciais da Ucrânia são a Rússia, a Alemanha e a China.
Durante os séculos X e XI, o território da Ucrânia tornou-se o centro de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, o Principado de Kiev, o que estabeleceu a base das identidades nacionais ucraniana e das demais nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. O colapso dos Impérios Russo e Austríaco após a Primeira Guerra Mundial, bem como a Revolução Russa de 1917, permitiram o ressurgimento do movimento nacional ucraniano em prol da auto-determinação em boa parte da Ucrânia.
(fontes: http://www.infopedia.pt/$ucrania;jsessionid=03b4f8uSs2nLRmJ44uZnnw__
e http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Ucr%C3%A2nia)

2. Por ser considerada “O Pivô Geográfico da História”, a gigantesca massa de continentes formada por Europa, Ásia e África como sendo a "Ilha-Mundo", cujo "Heartland" (literalmente “coração da terra”) tem epicentro na Europa Oriental. Além disso, para a Rússia o acesso naval às águas quentes do Mar Negro é essencial a sua ideia de segurança nacional e projeção de poder. Isso faz do litoral da Crimeia peça-chave na geoestratégia formulada no Kremlin.

3. A Revolução Laranja ocorreu quando ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso – um episódio de sua campanha ficou bastante conhecido: o envenenamento por uma substância chamada dioxina, que lhe causou sérios problemas de saúde e lhe desfigurou o rosto. O movimento englobou greves e manifestações, alimentadas pela percepção generalizada de parte significativa da população de que o país não mudara suas instituições após a queda da URSS, além de não conseguir desenvolver-se economicamente.

4. Muito novo – a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev.

5. A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas. Nessa guerra, foi importante o papel da marinha de corso, pela França e Reino Unido.

Leticia dos Santos disse...

Aluna: Letícia dos Santos N° 25 3°A EM
Respostas:
1-A Ucrânia desde a pré-história, passando pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS. A história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.
2- Tinham interesses de expandir suas fronteiras e entrar em guerra, porem a Ucrânia estava no meio do conflito.
3- A Revolução Laranja foi uma maneira dos ucranianos se manifestarem para protestar contra eleições fraudadasque deram a vitória à Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.
4- Pois a Criméia toma decisões para a Ucrânia, por isso ela é o epicentro entre Rússia e Ucrânia .
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actualTurquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Leticia dos Santos disse...

Aluna: Letícia dos Santos N°25 3°A EM
Respostas:
1-A Ucrânia desde a pré-história, passando pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS. A história da Ucrânia registra invasões durante um período de mais de mil anos. Saqueadores mongóis foram sucedidos por lituanos, seguidos por rutênios, poloneses e tártaros. Depois vieram os russos, o comunismo, a fome e a opressão que durou décadas. A história da Ucrânia ao longo do século XX é uma sucessão de tragédias.
2- Tinham interesses de expandir suas fronteiras e entrar em guerra, porem a Ucrânia estava no meio do conflito.
3- A Revolução Laranja foi uma maneira dos ucranianos se manifestarem para protestar contra eleições fraudadasque deram a vitória à Viktor Yanukovich. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja – a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.
4- Pois a Criméia toma decisões para a Ucrânia, por isso ela é o epicentro entre Rússia e Ucrânia .
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actualTurquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.

Anônimo disse...

1-A Ucrânia passou pelo surgimento do primeiro Estado eslavo oriental na região correspondente ao atual território ucraniano. Há um breve período de independência (1917-1921). Após a Revolução Russa, seguiu-se a absorção da Ucrânia pela União Soviética em 1922. As atuais fronteiras foram fixadas apenas em 1954. Recuperou sua independência em 1991, com a desintegração da URSS.
2-O país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia.
3- A revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.
4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.
5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (atual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reação às pretensões expansionistas russas.
Camilla Vieira Nº09 3 ano A

Anônimo disse...

Colégio Salesiano Itajaí
Aluno: Luiz Felippe Schlickmann
Nº:29
Ano: 3ºC

1- A Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), desenvolveram grandes plantações de cereais. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano.
Com a desagregação da União Soviética, a economia ucraniana sofreu grande declínio, pois a Rússia, principal importadora dos seus produtos agrícolas e responsável pela aplicação de recursos financeiros no setor industrial, também teve a economia extremamente afetada.
Desde 1990, a Ucrânia, visando alavancar o setor econômico, tem proporcionado incentivos para a entrada de capitais estrangeiros, atraindo filiais de empresas transnacionais. Outro destaque são as grandes reservas de carvão, ferro e manganês. O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história.

2- A Ucrânia é um ponto muito estratégico geograficamente.A região da Crimeia representa uma saída importante para o Mar Negro, que é o único porto de águas quentes da Rússia. Isso significa que essa zona possui relevância tanto em nível comercial quanto no plano militar para os russos, por facilitar a movimentação de cargas e por garantir o controle do canal que liga esse mar ao Mar de Arzov. Assim, o interesse por este controle comercial e militar vem por outro lado da parte da União Européia, tanto para próprio benefício, quanto para impossibilitar o benefício dos russos. Boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou, assim como as redes de gás o dutos (principalmente no leste ucraniano). Na época da União Soviética, várias indústrias foram construídas no leste da Ucrânia, para servirem a Moscou. No caso da Crimeia, um fator que faz com que os Russos se permitam se impor pelo território, é o fato de ele ter sido habitado principalmente por veteranos do exército soviético (a maioria deles, russos). Putin acredita que a Ucrânia é a república fraternal da Rússia, já a Ucrânia enxerga a Rússia como sua vizinha.

3- No ano de 2004, houve uma fraude eleitoral que deu a vitória do mandato Ucraniano a Viktor Yanukovich (o mesmo mandatário atual)e origem russa, que era o homem de confiança do presidente Kuchma. Assim, suspeitando que o serviço secreto russo era responsável por esta fraude, a população saiu as ruas vestida da cor laranja (a cor do partido de Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente).Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.Em 2010, Viktor Yanukovich disputou um segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se – desta vez sem fraude. Yanukovich ocupará a presidência até 2015 e até lá os ucranianos têm de aprender a lidar com a democracia recém-adquirida.

4-Pois a Crimeia é habitada em sua maioria por russos, dos quais votaram (nas eleições de 2010), em sua maioria, em Yanukovich (pois é de origem russa. E Yanukovich é odiado pelo resto da população ucraniana (uma prova disso é a própria Revolução Laranja)

5-A Crimeia é habitada em sua maioria por russos. Assim, esta população russa, logicamente, seguirá os interesses da Rússia. Foi feita uma votação na Crimeia para saber se a vontade da população era de que a região voltasse a pertencer a Rússia, e a maioria (russos) votou a favor. Assim a Rússia se sentiu no direito de tomar a região, porém, a União Européia, também com interesses pelo território, não reconheceu esta posse russa. Tudo isso acontece pois tanto a União Européia quanto a Rússia se interessam pela região, principalmente pela sua importância estratégica (tanto militar quanto comercial, com o acesso marítimo por exemplo).

Anônimo disse...

Colégio Salesiano Itajaí
Aluno: Luiz Felippe Schlickmann
Nº:29
Ano: 3ºC

1- A Ucrânia foi um dos principais países da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Em 1920, seu território passou a ser controlado pelos comunistas que, aproveitando a fertilidade do solo ucraniano (“terra negra”), desenvolveram grandes plantações de cereais. A independência nacional foi proclamada em 16 de julho de 1990, sendo aprovada no dia 24 de agosto do mesmo ano.
Com a desagregação da União Soviética, a economia ucraniana sofreu grande declínio, pois a Rússia, principal importadora dos seus produtos agrícolas e responsável pela aplicação de recursos financeiros no setor industrial, também teve a economia extremamente afetada.
Desde 1990, a Ucrânia, visando alavancar o setor econômico, tem proporcionado incentivos para a entrada de capitais estrangeiros, atraindo filiais de empresas transnacionais. Outro destaque são as grandes reservas de carvão, ferro e manganês. O país ficou mundialmente conhecido após o acidente nuclear na usina de Chernobyl (em abril de 1986), que é considerado a maior catástrofe com material radioativo da história.

2- A Ucrânia é um ponto muito estratégico geograficamente.A região da Crimeia representa uma saída importante para o Mar Negro, que é o único porto de águas quentes da Rússia. Isso significa que essa zona possui relevância tanto em nível comercial quanto no plano militar para os russos, por facilitar a movimentação de cargas e por garantir o controle do canal que liga esse mar ao Mar de Arzov. Assim, o interesse por este controle comercial e militar vem por outro lado da parte da União Européia, tanto para próprio benefício, quanto para impossibilitar o benefício dos russos. Boa parte das grandes empresas ucranianas está nas mãos de ex-políticos e empresários ligados a Moscou, assim como as redes de gás o dutos (principalmente no leste ucraniano). Na época da União Soviética, várias indústrias foram construídas no leste da Ucrânia, para servirem a Moscou. No caso da Crimeia, um fator que faz com que os Russos se permitam se impor pelo território, é o fato de ele ter sido habitado principalmente por veteranos do exército soviético (a maioria deles, russos). Putin acredita que a Ucrânia é a república fraternal da Rússia, já a Ucrânia enxerga a Rússia como sua vizinha.

3- No ano de 2004, houve uma fraude eleitoral que deu a vitória do mandato Ucraniano a Viktor Yanukovich (o mesmo mandatário atual)e origem russa, que era o homem de confiança do presidente Kuchma. Assim, suspeitando que o serviço secreto russo era responsável por esta fraude, a população saiu as ruas vestida da cor laranja (a cor do partido de Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente).Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.Em 2010, Viktor Yanukovich disputou um segundo turno com Yulia Tymoshenko (ex-primeira-ministra, a das tranças) e elegeu-se – desta vez sem fraude. Yanukovich ocupará a presidência até 2015 e até lá os ucranianos têm de aprender a lidar com a democracia recém-adquirida.

4-Pois a Crimeia é habitada em sua maioria por russos, dos quais votaram (nas eleições de 2010), em sua maioria, em Yanukovich (pois é de origem russa. E Yanukovich é odiado pelo resto da população ucraniana (uma prova disso é a própria Revolução Laranja)

5-A Crimeia é habitada em sua maioria por russos. Assim, esta população russa, logicamente, seguirá os interesses da Rússia. Foi feita uma votação na Crimeia para saber se a vontade da população era de que a região voltasse a pertencer a Rússia, e a maioria (russos) votou a favor. Assim a Rússia se sentiu no direito de tomar a região, porém, a União Européia, também com interesses pelo território, não reconheceu esta posse russa. Tudo isso acontece pois tanto a União Européia quanto a Rússia se interessam pela região, principalmente pela sua importância estratégica (tanto militar quanto comercial, com o acesso marítimo por exemplo).

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Gabryel Barros - 14 - 3ºA

1- Já expirou o prazo do suposto ultimato russo. Aparentemente, está tudo tranquilo em Criméia e nada de anormal tem acontecido;

Os Estados Unidos "suspenderam todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono nesta segunda-feira.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira no Conselho de Segurança da ONU que o deposto presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, pediu a intervenção para estabilizar a situação no país, que se encontra "à beira da guerra civil".

A Grã-Bretanha se opõe a sanções comerciais contra a Rússia e não quer fechar o capital financeiro de Londres ao país em represália à intervenção na Ucrânia, informou a BBC, citando um documento que foi inadvertidamente mostrado.

A Otan terá uma nova reunião de emergência sobre a Ucrânia, nesta terça-feira, a pedido da Polônia, que solicitou o encontro amparando-se no artigo 4º da organização.

Forças russas tomaram controle de um posto de verificação no lado ucraniano de uma travessia de balsa entre a Rússia e a Crimeia e começaram a receber caminhões com tropas na noite desta segunda-feira, afirmaram guardas de fronteira ucranianos.


2- Durante a Guerra Fria, a Ucrânia era o mais importante dos países soviéticos depois da própria Rússia e, por isso, era acompanhada atentamente pelos comunistas – dos mais de 10 milhões de pessoas conduzidas para morte nos Gulags siberianos (campos de concentração comunista), mais de 20% eram ucranianos.
Com o colapso do comunismo em 1991, Leonid Kravchuk — ativo membro da burocracia comunista e ex-secretário de ‘Questões Ideológicas’ do partido na Ucrânia – fez uma leitura rápida da situação e, num passe de mágica, abandonou a foice e o martelo para se transformar no primeiro presidente da Ucrânia independente.
Ninguém em Kiev se surpreendeu com a notícia de que o comprador era Viktor Pinchuk, um dos empresários mais ricos do país e genro do então presidente da Ucrânia, o também comunista convertido Leonid Kuchma – um títere acusado de corrupção e comandado pelos russos.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram.

Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. No entanto, as eleições foram marcadas por ampla fraude, intimidações e irregularidades observadas por entidades locais e internacionais.
A Suprema Corte da Ucrânia ordenou então que a votação fosse anulada em 26 de dezembro de 2004 e estabeleceu um segundo turno.

Na segunda votação, Yushchenko venceu com 52% dos votos e Yanukovych ficou com 44%. O vencedor foi anunciado em 23 de janeiro de 2005 em Kiev e o ato marcou o fim da Revolução Laranja.

4- A região votou em peso em Yanukovych na eleição presidencial de 2010, e muitas pessoas acreditam que ele é vítima de um golpe, o que levou separatistas a tentarem pressionar o parlamento da Crimeia a votar se a região deveria se separar da Ucrânia.

5- Nicolau I, sob o pretexto de defender as terras sagradas e o intuito de expandir seu território, invadiu as províncias turcas do Danúbio. A Turquia, apoiada pela França e Reino Unido, reivindicou a invasão declarando guerra à Rússia que destruiu a pequena frota turca e passou a controlar também o porto de Sinope, no Mar Negro.

Em 1854, um ano após a invasão, as aliadas da Turquia declararam guerra à Rússia e esta temendo a entrada da Áustria no conflito deixou rapidamente as províncias. Os aliados turcos cercam Sevastopol, em Criméia.

Em 1854, ocorreu um novo conflito que resultou em inúmeros russos mortos. Em 1856, a Rússia percebe que seus inimigos estão sobressaindo aos seus ataques e resolve assinar o Tratado de Paris, em 30 de março.

A Rússia foi obrigada a se retirar das províncias do Danúbio e impedida de manter bases e forças navais em Sinope.

Anônimo disse...

Aluna: Beatriz Coutinho n:05 Série:3A

1- O território Ucraniano tem sido alvo de disputas desde da era pré-cristã, depois do nascimento de Jesus continuou sendo ocupada por Godos, Bulgaros, Hunos, Magiares e Rutenos. O histórico de subordinação a Rússia começa no séc. XVIII, quando é obtido pelo império russo a zona oeste de Dniepre. O movimento nacionalista da população ucraniana se intensificou no séc. XIX, contudo sofre represálias dos russos descontentes com o fato dos ucranianos resistirem à apropriação da lingua russa. A Ucrânia se despertou para a democracia em 1991, com a implementação de medidas político-econômicas e a consequente queda da URSS.

2- A Ucrânia, por sua localização estratégica entre o oriente e ocidente, Rússia e Europa, por ambas partes é cobiçada. Enquanto a União Europeia que expandir atraves dessa porta para o oeste, o governo de Putin quer impedir que isso aconteça. Os russos não querem abrir mão de uma região como a Criméia, pois pensam que seus tributos naturais possuem muitos valores.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana.

Anônimo disse...

Aluna: Beatriz Coutinho n:05 Série:3A

1- O território Ucraniano tem sido alvo de disputas desde da era pré-cristã, depois do nascimento de Jesus continuou sendo ocupada por Godos, Bulgaros, Hunos, Magiares e Rutenos. O histórico de subordinação a Rússia começa no séc. XVIII, quando é obtido pelo império russo a zona oeste de Dniepre. O movimento nacionalista da população ucraniana se intensificou no séc. XIX, contudo sofre represálias dos russos descontentes com o fato dos ucranianos resistirem à apropriação da lingua russa. A Ucrânia se despertou para a democracia em 1991, com a implementação de medidas político-econômicas e a consequente queda da URSS.

2- A Ucrânia, por sua localização estratégica entre o oriente e ocidente, Rússia e Europa, por ambas partes é cobiçada. Enquanto a União Europeia que expandir atraves dessa porta para o oeste, o governo de Putin quer impedir que isso aconteça. Os russos não querem abrir mão de uma região como a Criméia, pois pensam que seus tributos naturais possuem muitos valores.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana.

Anônimo disse...

Aluna: Beatriz Coutinho n:05 Série:3A

1- O território Ucraniano tem sido alvo de disputas desde da era pré-cristã, depois do nascimento de Jesus continuou sendo ocupada por Godos, Bulgaros, Hunos, Magiares e Rutenos. O histórico de subordinação a Rússia começa no séc. XVIII, quando é obtido pelo império russo a zona oeste de Dniepre. O movimento nacionalista da população ucraniana se intensificou no séc. XIX, contudo sofre represálias dos russos descontentes com o fato dos ucranianos resistirem à apropriação da lingua russa. A Ucrânia se despertou para a democracia em 1991, com a implementação de medidas político-econômicas e a consequente queda da URSS.

2- A Ucrânia, por sua localização estratégica entre o oriente e ocidente, Rússia e Europa, por ambas partes é cobiçada. Enquanto a União Europeia que expandir atraves dessa porta para o oeste, o governo de Putin quer impedir que isso aconteça. Os russos não querem abrir mão de uma região como a Criméia, pois pensam que seus tributos naturais possuem muitos valores.

3- A Revolução Laranja foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana.

Anônimo disse...

Aluna:Carolina Menezes.Nº04 3ºC
1-Após a independência a Ucrânia foi invadida pela Rússia e anexada para formar a URSS (1922). Nos anos 30, mais de sete milhões de pessoas morreram de fome em decorrência de uma medida do ditador soviético Josef Stalin, que bloqueou o acesso da Ucrânia à comida em represália à resistência dos ucranianos em aderir à sua proposta de coletivização agrícola. No contexto durante a segunda guerra Ucrânia (1941), fez de tudo fizeram para se beneficiar da ocupação alemã, na busca da tão esperada independência, e as regiões do leste da Galícia e do oeste da Ucrânia registraram sangrento conflito civil entre ucranianos e poloneses, tanto sob o patrocínio da guerrilha antinazista quanto da antissoviética. Em 1946, logo após do fim da guerra, o país estava destroçado e, com safras deficientes, passaria por outro longo período de fome até se recuperar. Depois disso num contexto de Guerra Fria, a Ucrânia era manipulada pelos governantes de Moscou com a permissão de Viktor Pinchuk e do presidente da Ucrânia o que vem sendo refletido até hoje.
2- Para a União Europeia, o acordo “Parceria Oriental” criado entre os países do leste, incluindo a Ucrânia, é uma maneira de criar um ambiente mais seguro no Oriente sem ter que admitir alguns desses Estados como membros efetivos. Os países do Oriente ganhariam garantias de Estado de Direito, respeito aos direitos humanos e democracia. De acordo com Vedung, para Putin a Ucrânia significa muito. O país foi a joia da coroa do império soviético e, anteriormente, ajudou a consolidar o império russo que não quer abrir mão disso (referindo-se ao Rus de Kiev, reino do século XIII com sede na capital ucraniana e que se estendia desde os Cárpatos até o rio Volga, ao leste de Moscou). Por muito tempo, o reino foi à população eslava dominante no leste europeu e, posteriormente, formou a atual Ucrânia, a Bielo-Rússia e a própria Rússia.
3- Em dezembro de 2004, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, de origem russa, ele era o homem de confiança do presidente Kuchma. Os manifestantes queriam que Viktor Yushchenko, um político reformador e favorável à aproximação com o Ocidente, fosse declarado vitorioso. Os ucranianos sustentavam que o serviço secreto russo era responsável pela fraude eleitoral de 2004 e foram às ruas vestidos de laranja, a cor do partido de Yushchenko. Os protestos forçaram uma recontagem de votos e Yushchenko venceu.
4-Há, sobretudo uma importância geopolítica. Além disso, para a Rússia o acesso naval às águas quentes do Mar Negro é essencial a sua ideia de segurança nacional e projeção de poder. Isso faz do litoral da Crimeia peça-chave na geoestratégia formulada no Kremlin.
5- A Guerra da Crimeia foi um conflito que se desdobrou de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Turco-Otomano (atual Turquia). Esta coligação foi formada com o objetivo de conter a expansão russa, o que obteve sucesso, porém com o dever de seguir as leis europeias em relação aos súditos cristãs vindos de outras terras para lá.

Anônimo disse...

Frank / Número 10 / 3o C
1 - De 1917 a 1921, no período breve onde a Ucrânia foi independente, tentou-se criar uma sociedade sem estado anárquica, numa área no sul da Ucrânia que concentrava as maiores cidades, conhecida como Território Livre. Em 1922, a URSS invade e a Ucrânia torna-se parte da mesma. Com o fim da Guerra Fria e a queda da URSS em 1991, a Ucrânia se torna novamente independente e democrático.

2 - A Ucrânia é um dos países que separa a União Europeia e a Rússia. O desejo desses dois países na Ucrânia, então, está relacionado à suas esferas de influência: a UE quer se aproximar pois assim pode isolar a Rússia e ter acesso ao mercado consumidor da Ucrânia e a sua tecnologia aeroespacial de ponta e também a extração de minério e de ferro. A Rússia por sua vez pode aumentar a sua influência na Europa através da exportação de gás e na Crimeia ter acesso a uma base naval importante.

3 - A revolução laranja foi uma série de protestos que ocorreram em 2004. O povo protestou contra as eleições fraudadas de Yanukovich (o presidente que desejava manter boas relações com a Rússia) e queriam que Yushchenko fosse o presidente, já que era favorável à aproximação com a UE e assim com o Ocidente. Assim, a eleição foi anulada e houve um segundo turno, esta tendo vitória de Yushchenko.

4 - Pois a Crimeia é o centro do sentimento pró-Rússia na Ucrânia. Grande parte da população é de etnia russa e tem como idioma o russo. Além disso, a Rússia possui uma grande base naval na Crimeia, que dá acesso ao mediterrâneo e é muito importante estrategicamente.

5 - Ocorreu entre 1853 e 1856. A guerra foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

lucca barbieri disse...

1- Pesquise e escreva um breve histórico sobre a Ucrânia.
2- Quais são os principais interesses por parte  da União Europeia e da Rússia em relação a Ucrânia?
3- Explique sobre a Revolução Laranja :
4- Por que a Crimeia é considerada como o epicentro da disputa entre a Rússia e a Ucrânia ?
5- Resumidamente explique sobre a Guerra da Crimeia.

a Ucrânia e uma pais novo com apenas 28 anos de idade, antes pertencia a antiga urss. É uma país com uma encomia com potencial e terras muito férteis alem de possuir uma localização estratégica
1- a crise na Ucrânia e uma disputa sócio-política entre a UE que deseja uma ligação com o oriente e a russia por considerar a Ucrânia uma posição estratégica de ligação com o oceano e uma ligação com o ocidente,isso se deu após revoltas populares por atitudes do ex presidente ucraniano expondo o pais a uma fragilidade

2-a Ucrânia independente tem apenas 23 anos – o país é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Enquanto a UE tenta abrir a porta, para a Rússia o importante é fechá-la. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia – que tem ligações umbilicais com Kiev

3- foi uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia, em resposta às alegações maciças de corrupção, intimidação por votos e fraude eleitoral direta, durante a eleição presidencial ucraniana de 2004.

4-A Crimeia é o epicentro do sentimento pró-Rússia no país, o que pode levar ao separatismo. A região - uma península na costa ucraniana no Mar Negro - tem 2,3 milhões de habitantes, e a maioria deles se identifica como parte de grupos étnicos russos e fala russo.



5-A Guerra da Crimeia foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia (no mar Negro, ao sul da atual Ucrânia), no sul da Rússia e nos Bálcãs. Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano (actual Turquia). Esta coligação, que contou ainda com o apoio do Império Austríaco, foi formada como reacção às pretensões expansionistas russas.

Lucca Barbieri 3oano C / numero 27

Anônimo disse...

Aluno: Marcos Felipe Número: 32
Turma: 3C

1- A Ucrânia é um país muito disputado e chaio de tragédias, sendo dominado por godos, hunos e bulgários e entre outros vários povos até serem dominados pela Rússia e aderido ao território. Apesar de haver conquistado a independência em 1918 foi aderido novamente ao território russo pela URSS, onde depois de decadas conseguiram finalmente conquistar de novo em 1991 sua independencia. A Ucrânia se encontra em processo similar ao Brasil, sendo também novo para a Democracia.

2-a Ucrânia é altamente desputada por ser a porta de entrada do oriente para a UE e uma boa adição ao governo russo além de poder confrontar a UE de frente

3- A revolução laranja fou um protesto popular contra a fraude eleitoral, ocorride em 2004 e 2005. A população se vestiu da cor do partido que deveria ganhar mas foi fraudado.

4- Ela tem sido pelo fato de terem muitos russos residentes

5- De 1853 a 1856 aconteceu a Guerra da Crimea. Foi uma guerra contra a Russia e seus objetivos expancionistas pelA França, Reino Unido e o império Otomano ( turquia)

Anônimo disse...

Felipe Iaquinto 3A 12
1- No primeiro milênio depois de Cristo, o território ucraniano não escapou às invasões de Godos, Hunos, Búlgaros e Magiares. A Ucrânia foi o berço do Estado medieval de Kievan Rus, que emergiu no século IX. Os ucranianos, em conjunto com russos moscovitas e bielorrussos, tornaram-se líderes da Europa Oriental. Os séculos XII e XIII viram o declínio de Kiev. Em meados do século XIV a Lituânia anexou grande parte das terras da Ucrânia e o principado da Galicia passou para o reino da Polónia. Depois da União de Lublin em 1569, a Ucrânia foi transferida da Lituânia para a Polónia. O movimento nacionalista ucraniano desenvolveu-se no século XIX mas foi alvo de repressão e de restrições,por parte dos russos, devido ao fato dos nacionalistas continuarem a usar a língua ucraniana. Durante este século e até aos primeiros anos do século XX, houve um rápido desenvolvimento económico e urbanístico. Após a Revolução Russa, em 1918, a Ucrânia proclamou a independência. De seguida as forças ucranianas lutaram pelo controle do país até 1921, altura em que o governo soviético se consagrou vitorioso. Em 1924 a República Socialista Soviética da Ucrânia passou a fazer parte das repúblicas da União Soviética. Nos anos trinta o governo soviético empreendeu uma política de rápida industrialização e coletivização da agricultura na República da Ucrânia. Ainda nesta década o regime soviético passou a controlar totalmente a vida cultural do país e todas as manifestações foram suprimidas. A Alemanha nazista atacou a União Soviética em 1941 e rapidamente conquistou a Ucrânia. Depois da derrota dos alemães em 1945, as terras que tinham feito parte da Polónia, Roménia e Checoslováquia entre as duas Grandes Guerras passaram a fazer parte da República Socialista da Ucrânia. Só com o líder soviético Mikhail Gorbachev e a introdução das reformas da glasnost e da perestroika na política nacional nos anos oitenta, os nacionalistas ucranianos despertaram. O sistema político ucraniano mudou no início dos anos noventa quando o país obteve a independência, após o colapso da União Soviética em 1991. Depois de obter autonomia, a legislação do Supremo Soviético foi convertida num sistema parlamentar democrático, cujos membros são eleitos por quatro anos em eleições livres e multipartidárias, uma decisão tomada por referendo
2-A Ucrânia é para a UE a porta de entrada do Oriente, e para a Rússia, a porta de saída para o Ocidente. Por sua posição estratégica, tamanho e potencial, o país é alvo de cobiça dos europeus, mas ainda vive sob a sombra da Rússia que tem ligações históricas com Kiev.
3-A Revolução Laranja foi uma série de protestos que ocorreram entre novembro de 2004 e janeiro de 2005, após as eleições presidenciais de 2004 na Ucrânia. O nome "laranja" vem da cor que os manifestantes do movimento adotaram. Na votação, concorriam Viktor Yushchenko e Viktor Yanukovych. O resultado foi favorável para Yanukovych, visto como apoiador da Rússia. As eleições foram marcadas por ampla fraude e na segunda votação, Yushchenko venceu.
4-A Rússia tem sido o poder dominante na Crimeia na maioria dos últimos 200 anos, desde que anexou a região em 1783. No entanto, a Crimeia passou das mãos de Moscou para as da Ucrânia - então parte da União Soviética - em 1954. Grupos étnicos russos que vivem na região consideram isso um erro histórico. A Rússia mantém uma grande base naval da cidade de Sevastopol, na Crimeia, onde está baseada sua frota do Mar Negro. Assim, ao mesmo tempo que a Rússia, mediante interesses de valor histórico, econômico e também militar, busca a anexação da Crimeia ao seu território, a Ucrânia, bem como a UE e os EUA vêm tias atitudes como ilegais, as quais podem desencadear desde sanções até conflitos armados.
5-A guerra foi resultado de ambições imperialistas, quando o Reino Unido e a França, em razão de suspeitas sobre as ambições russas na região dos Balcãs depois da queda do Império Otomano, enviaram tropas à Crimeia. A Rússia foi derrotada.

Anônimo disse...

Matheus Grazziotin - 3oA - n 30

1 - A Ucrânia é um país da Europa Oriental, O território ucraniano começou a ser habitado há cerca de 44 mil anos e acredita-se que a região seja o lar dadomesticação do cavalo e da família de línguas indo-europeias. A Ucrânia é considerada o "celeiro da Europa" devido à fertilidade de suas terras. A Ucrania registra invasoes a mais de mil anos,ja tendo sido saqueada pelos mongois,pelos lituanos,pelos rutenios pelos poloneses e pelos tartaros tendo uma historia conturbada desdo seu inicio
2- Aumentar sua própria área de influencia e diminuir a área de influencia da russia.
3- Na revolução laranja, ucranianos foram às ruas para protestar contra as eleições fraudadas que deram a vitória a Viktor Yanukovich, o que gerou uma série de protestos e eventos políticos, ocorridos entre 2004 e 2005, que tomou diversos lugares de toda a Ucrânia
4- Pois possui no mar negro, bases militares russas, por sua população ser russa( grande maioria) e por já ter feito parte da russia.
5- foi um conflito que se estendeu de 1853 a 1856, na península da Crimeia(mar negro) Envolveu, de um lado o Império Russo e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, a França, o Reino da Sardenha - formando a Aliança Anglo-Franco-Sarda - e o Império Otomano