sábado, 5 de setembro de 2009

TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO


Água, o “Ouro Azul” do nosso século
Imagem decorativaTransposição do rio São Francisco: um projeto ambicioso e polêmico.

O governo federal deverá iniciar este ano um projeto concebido há mais de um século, o da ligação do Rio São Francisco com outros rios menores da região semi-árida do Nordeste. Esse projeto tem como objetivo garantir água às populações dessa região e também o desenvolvimento agrícola, comercial e industrial.

Imaginado pelo imperador D. Pedro II no final do século XIX e estruturado na virada do século XX para o XXI, o Projeto de Transposição das Águas do Rio São Francisco é cercado de polêmica.
O rio São Francisco é um dos maiores e mais importantes dos rios brasileiros, estende-se por 2.700 quilômetros. Nasce na região Sudeste, cruza a Centro-Oeste e vai até a Nordeste. Após cruzar três estados, ele desemboca no mar na divisa entre Sergipe e Alagoas. Por isso, o rio ostenta o título de Rio da Integração Nacional e é chamado carinhosamente de “Velho Chico”.
Ao longo de sua extensão, o São Francisco recebe a água de 168 rios afluentes, dos quais 90 são perenes, ou seja, permanentes e os 78 restantes podem secar em períodos de estiagem.


Seu fluxo é interrompido por duas barragens para geração de eletricidade, a de Sobradinho, que garante a fluência do rio mesmo no período da seca, e a represa de Itaparica, ambas na divisa entre a Bahia e Pernambuco.

Atualmente, 95% das águas do rio desembocam no mar e apenas 5% são usadas pelas populações beneficiadas, em cidades ou na irrigação. Basicamente, o governo pretende aumentar o uso da água para benefício da população.
O projeto prevê retirar água justamente nas duas represas e levar essa água para duas outras bacias de rios menores, mas também importantes: a do rio Paraíba (a leste) e a dos rios Jaguaribe, Apodi e Piranhas-Açu (ao norte).

Um projeto para 20 anos

O Projeto de Transposição do Rio São Francisco já foi feito e refeito ao longo de várias décadas, mas foi ampliado no atual governo, após um planejamento conjunto entre 12 ministérios.
Basicamente, trata-se da construção de dois imensos canais de ligação do São Francisco com as bacias menores e seus açudes e, depois, a construção de futuras adutoras (por canos).
O projeto da ligação do São Francisco com outros rios menores da região semi-árida do Nordeste foi concebido há mais de um século. Seu início ainda conta com resistência de ambientalistas e da população que temem a morte do “Velho Chico”, o maior e mais importante rio da região. Apesar disso, a transposição do Rio São Francisco tem como objetivo garantir água às populações dessa região e também desenvolvimento agrícola, comercial e industrial.

O prazo previsto é de 20 anos, a um custo final estimado de R$ 4,5 bilhões. Pelo planejado, ele beneficiará diretamente 60 cidades, somando as que já recebiam alguma água e as que não recebiam nenhuma, e uma população de 12 milhões de nordestinos.

Como cada litro de água pesa um quilo, para as adutoras será preciso construir estações de bombeamento e de elevação para vencer montanhas e desníveis de terreno de até 500 metros.
Junto com a interligação de bacias, será também executado um Projeto de Recuperação do Rio São Francisco e seus afluentes, muitos deles assoreados como conseqüência do desmatamento e da agricultura.
A revitalização do rio é uma reivindicação antiga e permanente dos que se preocupam com o rio.
O projeto ameaça o rio e os que dependem dele?
Transpor e interligar as bacias desses rios parece lógico e muito promissor, mas o projeto gerou e ainda gera polêmicas e críticas daqueles que temem danos sociais e ambientais em razão de variáveis não-previstas.



Ambientalistas, geógrafos, biólogos, assistentes sociais e padres se perguntam: qual será o impacto disso para as espécies que hoje vivem nesse rio ou nos rios que receberão a água?

Se houver diminuição das espécies de peixe, o que acontecerá com as populações que dependem deles? A retirada da água pode comprometer a vazão do rio a jusante (ou seja, nas áreas mais próximas da foz)? Se água sumir em áreas onde ela é abundante, o que acontecerá aos que dependem dela?
O ministério da Integração Nacional, que cuida do projeto, diz que sua revisão e detalhamento foi mais cuidadosa, o que garantirá resultados melhores, e que o volume de água a ser usado é inferior a 1% do que o rio despeja no mar.
Apesar de ser uma das prioridades do atual governo, o projeto deveria ter sido iniciado em 2005 mas foi adiado para este ano.


Fontes:
Ministério da Integração Nacional: http://www.integracao.gov.br
Conselho Indigenista Missionário: http:// www.cimi.org.br




Transposição do Rio São Francisco from RX30 Produtora on Vimeo.
ATIVIDADE:
1- Quais são os principais fatores que originam os problemas com a escassez de água nas áreas semi-áridas no Nordeste ?
2-Identifique as principais causas, físicas, naturais, sociais e antrópicas para o processo de desertificação no Nordeste:
3-Quais são os estados brasileiros banhados pelo rio São Fransisco?
4-Qual a diferença entre os rios perenes e intermitentes?
5-Escreva duas vantagens e duas desvantagens sobre a transposição das águas do rio São Francisco ?
6-Qual é o trecho navegável do rio São Francisco ?
7-Quais são as principais usinas hidrelétricas do rio São Franscisco ?
8-Quais os apelidos que esse rio recebe ?

58 comentários:

ademar disse...

Pode-se perceber que a apresentação desce projeto é ousada e nescessario porem ainda é preocupalte.Isso se deve pois ao mesmo tempo que a ligaçao do velho chico com seus com outros afluentes podera favorecer um grande contingente da populaçao noredestina tambem podera causar um grande dano biodivercidade local.
Antes de se autorizar esse projeto tem que se balanciar a situação para posteriormente tomar algum tipo de iniciativa.

Paula Cristina disse...

A transposição do São Francisco parece uma boa idéia, pois como é um projeto baseado em um grande número de pesquisas, tem grandes chances de dar certo e serão grandes os números de beneficiados. Porém acho necessário o desensolvimento de projetos e saídas alternativas para o caso dos resultados não serem alcançados da forma esperada.
Acho que grande parte das chances de sucesso do projeto não depende diretamente do governo e sim da própria população que será afetada pelos resultados, do modo como essa reagirá, aproveitará e conservará o que lhes será proporcionado.

Paula de Menezes Schiefferdecker nº33 série: 3° B disse...

Se esse processo de transposição das águas do rio São Francisco for realmente "seguro", vale a pena. Mas se não for garantido, as consequências podem ser desastrosas, tanto pra fauna e para a flora do território, quanto para nós seres humanos, no caso os habitantes locais. Como esta citado no texto, se a quantidade de peixes diminuir, as pessoas que possuem suas vidas dependentes desta espécie, para o trabalho(pescaria), irão ser prejudicadas.

Existe a preocupação, mas se esta idea der certo, e acabar apenas favorecedo a população local, a população pobre, que precisa realmente de água, é muito bom, até porque a água que será utlizada, não mudará muito no seu percursso, até porque mais ou menos 95 por cento está sedo desembocada no mar, só iremos aproveitar melhor as águas deste rio.

graciany 3º B nº 16 disse...

Com a escassez de água que assola a região nordeste, o projeto de TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO vem ajudar aqueles locais aonde a falta de água é maior.Com a transposição de águas, outros rios ficarão depedentes do São Francisco, espécies de peixes serao ameaçadas as familias que dependem deles tambem. há tambem outro fator: se o rio São Francisco secar, os outros que originaram dele, açudes tambem secam.

é um projeto a ser pensado com calma, e como os principais envolvidos, a população local deveria ser ouvida tambem!!

Jonathan nº23 série: 3ºA disse...

A ligação do Rio São Francisco com outros menores da região, ira beneficiar os lugares que em grande parte do ano o rio permanece seco(os temporários), gerando uma falta de água para a agricultura além do uso doméstico,mas não beneficiara só os lugares que tem rios temporários, pois em certas regiões a falta de água é constante, pois não atende adequadamente toda a população. Porém os que serão beneficiados com esse projeto serão praticamente os "chafões" latifundiários, pois possuirem grande quantidade de terras nesses territórios. E além de tudo isso, as populações que vivem do São Chico pode ser prejudicada, com o aumento de desvios dos rios, talvez aconteça uma "escaçes" de peixes por exemplo, que é a fonte de rende de muitas famílias.

Jady 3ºB disse...

A ligação do Rio São Francisco com outros rios menores da região semi-árida do Nordeste tem uma causa muito nobre, garantir água às populações dessa região. Porém sabe-se que na prática a população não será devidamente beneficiada, e sim grandes latifundiários da região, que possuem produções que atendem principalmente o mercado externo, seria o caso dos açudes que na nessa região que foram "feitos" apenas em propriedades particulares, beneficiando os grandes proprietários.

Jessica Ribeiro 3º A disse...

Referente a situação da Transposição do Rio São Francisco, uma palavra muito utilizada atualmente é: imediatismo. O projeto é tratado por alguns como a "única alternativa" para o problema do abastecimento de agua do nordeste. Penso realmente que talvez seja a unica solução viável para o fim da calamidade nordestina e a oportunidade de plantação, subsistencia e enfim de vida de uma população consideravelmente grande e que faz parte de um contexto excludente da sociedade.

Joao Ricardo disse...

É, seria uma boa ideia, diria mais, uma ótima resulação pra esse problema, e como está sendo pautada em várias pesquisas, passa mais confiança para quem olha, ate porque se encaixa no senso cientifico, que eh uma teoria a base de pesquisas e dados..
Acho que isso poderia amenizar bastante a situação do nordeste, até porque é uma região muito seca em que esses tipos de problema são polêmicos e notícias diarimente..E como se diz, tem as duas possibilidades, se der certo em partes, tem-se que ter o cuidado que foi citado, para que os latifundiários nao saiam por cima da situação e os realmente necessitados não, e caso nao der certo tem que se buscar outras alternativas, quem sabe até mais praticas..
João R. 3ºA

Jéssica Gomes Ferreira 3°A disse...

Essa transposição pretende, segundo o governo, levar água a 12 milhões de pessoas em municípios do Agreste e do Sertão de Penambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíbas. Então se o projeto é de suma importância para as populações que não tem acesso a água frequentemente , porque não conclui-lo?!!

Fernando Piazza 3B disse...

Esse tema é falado a séculos e sempre com muita polêmica. Quem não lembra do caso do padre que fez parar todas as obras porque não achava certo. E do próprio IBAMA que não deixa fazer as obras de vez de cuidar de trafico de animais. O projeto é ousado porém a população nordestina do agreste finalmente ia ter uma vida digna podendo plantar e alimentar sua família como tanto gostariam. Porém como é no Brasil nem tudo é como no papel e de certeza que iria haver dinheiro desviado e também o lagos iriam ficar na mão de poucos porém se for feito com bastante planejamento que já vem sendo feito, é necessário fazer isso o quanto antes para dar melhorias para aquela população que sofre a décadas com o polígono das secas. E esse 1% não afetaria em nada, pelo tamanho do “velho chico”, além de o país crescer com isso podendo aumentar a produção de frutas para a exportação que é muito forte nessa aérea essa região do Nilo brasileiro.

Rock on disse...

Bruno - 3°A - n° o4

Bom...acho que a "ídeia" do projeto em si, é um ótimo tema, pois irrigar a região nordeste e semi-árida do Brasil, é algo que é desejado por muitos que vivem la, devido a grande seca, falta de oportunidades e desenvolvimento.Como todo projeto, creio que este é também muito bem estudado e planejado para tentar garantir a conclusão sem qualquer tipo de problema, se assim for, sem duvida alguma trará resultados muito bons não só para quem depende deste rio para se sustentar, mas para a economia local e para o Brasil.Mas se esta ideia não funcionar como previsto, acho que a busca de novos meios para arrumar o "estrago" será muito grande, pois muitas pessoas que dependentem dele(rio) irão sofrer as consequências, incluindo a biodiversidade em volta do rio.

Taís Peixer 3ºA nº 37 disse...

A transposição do Rio São Francisco tem dois fatores: se todos os cuidados forem tomados com o social e ambiental essa mudança conseguiriam ser feita, mais poucos se beneficiariam desta, porém se deixarem como está o povo continuara vivendo na miséria e terá muita falta de água. O governo deveria montar um projeto onde mais desta água fossem aproveitadas, pois hoje com os problemas ambientais que temos e a falta de água já é comum em algumas regiões, pensar em utilizar no mínimo 10% para agricultura, 10% para as famílias e incentivar a população a cuidar do rio, pois ele nos salvará no futuro. Um investimento deve ser feito mais desde que contribua a um número grande da população. Não discordo das greves de fome do padre e do povo estão pensando um pouco na população e não apenas em política e agricultura.

Ana Maria - 3B - n:03 disse...

O projeto da Transposição das Águas do Rio São Francisco é uma idéia muito boa para a resolução dos problemas da população que vive na região semi-árida do Nordeste, porém existe a questão ambiental, as conseqüências que pode causar em relação a seca do rio e a falta de peixes, prejudicando quem já possui acesso ao rio provocando a morte do “Velho Chico”, mas se tudo ocorrer devidamente como planejado irá simplesmente favorecer a população local não causando nenhum dano ambiental.

Patrícia 3ºA disse...

Na minha opinião a transposição do rio São Francisco pode dar certo,beneficiando milhares de famílias. Sabe-se que o prjeto ainda pode ser repensado um pouco pois há uma probabilidade de prejudicar a fauna e flora da região. Realmente existe essa preocupação, mas para dar certo teria que ter AGILIDADE e precisão nas obras. Como é considerado a única alternativa para a situação precária no nordeste, dveriam realmente ter começado em 2005, mas o governo sempre da um jeitinho de adiar por mas algum tempo obras importantes como essa.

Dudu 3º A disse...

A idéia de transposição do "velho Chico' é uma idéia muito boa, vista pelo lado da irrigação das áreas secas, mais vista pela quantidade de transformações que a terra irá sofrer com essa "reforma" minha principal preocupação é com a mudança do clima, com as grandes mudanças na umidade nos periodos em que os rios afluente ficavam secos, etc... Se a questão de ambientalização dos novos afluentes do São Francisco não causarem tantos problemas como eu acredito que irão causar a idéia de levar abastecimento para a poupulação menos favorecida do semi árido é uma das melhores idéis, neste setor.

Luana Barcelos disse...

O projeto de transposição do Rio São Francisco DEVE ser concluído, pois é um meio de tentar solucionar um problema que vem afetando a população do semi-árido brasileiro. Tanto pela seca, como pelo meio ambiente que está sendo afetado, e assim atingindo um dos rios mais importantes. Mas penso que a solução mesmo é o imediatismo. Deixando de se preocupar com as consequências ao ambiente, porém lutando por uma vida melhor a esse grande povo do Nordeste.

Martina, como vai? disse...

A transposição do São Francisco tende a ser uma idéia interessante, pois é um projeto que envolve muitas pesquisas e assim tem altas chances de se implantado, beneficiando algumas áreas. Não só a população que será beneficiada, mas sim o governo, tem que ter sabedoria da importância dos resultado final, se será bem utilizado e não terá também, conseqüências ruins, como a diminuição da fauna e flora, ou o desvio do curso do rio.
Novamente, muito completo e super interessante, Conceição. Obrigada!

Mariana Feitosa. disse...

Penso que o projeto de transpisição é sim a solução mais plausíel, porém necessita de algumas modificações.
Quem trata dos danos que o projeto pode causar somente como ambientais, não leu nada sobre o assunto. A partir do momento em que o rio for interligado à afluentes intermitentes, seu fluxo diminuirá, prejudicando principalmente o fluxo de água após cada um desses afluentes. Existe também a questão do monopólio dessas águas, a interligação não deve ser feita me locais onde existem grandes latifúndios, pois o crescimento econômico que o nordeste necessita não é o de uma única família.
Certamente este não é um plano "para ontem", mas é algo que deve acontecer. De imediato? Somente sisternas ou caminhão pipa.
Beijo Ceiça

Vincenzo disse...

A transposição do rio São Francisco parece ser uma boa alternativa para a solução do problema das secas no nordeste do país. Porém, por ser um projeto que requer um grande investimento e uma provavel modificação na fauna e flora da região, acho que deveriam ser feitos estudos mais aprofundados nas mudanças que a transposição causaria, e se exitissem meios de previnir, que fossem pensados antes do estrago já estar feito.

Nathalia disse...

nathalia meneses 3A 27

O assunto transposição do rio São Francisco causa polémicas à dezenas de anos e, agora que está para ser feito, não seria diferente. Como qualquer coisa no mundo, possui seu lado bom e ruim, mas creio que seja por isso que foram levados tantos anos para a realização da mesma, estudos e mais estudos para superar ao máximo os aspectos negativos. Se a transposição vai trazer melhoria de vida àqueles que sempre foram desfavorecidos e como afirma o governo não alterar em quase nada o fluxo normal do ria, por que não?

Marjori disse...

Em 1857 surgiram as primeiras propostas de transposição das águas do rio São Francisco, como meio de combate às secas no sertão. Mas como a região não apresentava grande importância econômica para o império, a proposta não foi aceita.
Uma das polêmicas sobre o assunto é o fato de que é uma obra cara e se for concretizada, afetará todo o ecossistema ao redor do rio. Há também o fato de que só privilegiará os grandes latifundiários nordestinos, por passar perto de fazendas...
Apesar de ajudar a região economicamente, ocorrerá uma escassez para o consumo humano, então será que é realmente válido esse projeto? Acredito que parte de uma ótima ideia, mas que precisa ser revista!

Marjori - 23 - 3A

Maria Fernanda disse...

A região onde o projeto será realizado encontra-se na área do Polígono das Secas, sendo que o Nordeste Setentrional é a área que mais sofre os efeitos de secas prolongadas, abrangendo parcialmente os Estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. A transposição do Rio São Francisco, viabilizará o fornecimento de água para vários fins, entre eles o abastecimento humano e a irrigação.

Maria Fernanda, nº 21, 3º A.

Thaís Santos nº38 3ºA disse...

A realidade hídrica, principalmente nos aspectos relacionados à oferta e uso das águas, é tema que, historicamente, tem marcado o debate sobre a região semi-árida. A ideia do projeto iniciou no século XIX, com o objetivo de levar água à população do semi-árido, porém ele foi deixado pra segundo plano nas discussões políticas por não apresentar interesse para o império.O projeto foi retomado no século XXI, pois a transposição do rio São Francisco passou a ser vista como a única alternativa de solução do problema. Essa questão, no entanto, precisa ser tratada com o devido cuidado, pois existem limitações significativas no rio, que já foi alterado por ações antrópicas. Há também a polêmica por ser uma obra cara e que afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Ações revitalizadoras, que assegurem a volta das condições iniciais do rio, são oportunas e necessárias.

Leandro disse...

A transposição do "Velho Chico" é uma questão muito ampla, que atinge sérios problemas sociais e ambientais e precisa ser tratado como algo muito significante no que diz respeito ao lado político. Logicamente, por ser um projeto que lhe dá algumas vertentes de defesa, digamos assim, pode ser levado ao lado de influências entre os poderosos.
Pelo lado positivo, estaria a possibilidade de se levar água à muita gente que não possuem esse recurso em abundancia, contudo, isto resultaria numa mudança muito complexa no ecossistema da região, atingindo diretamente a biodiversidade. Além de atingir o setor hidrelétrico, pela baixa na vazão do rio em tal região, como por exemplo a de sobradinho.
Portanto, é preciso que técnicos capacitados tomem frente ao projeto, e procurem caminhos que possam levar água a quem precise, sem afetar em alto nivel os seres vivos da região.

andri disse...

A questão da transposição do rio são francisco está em discussão desde o império, onde tenta "dimunir" as secas, no chamado "poligno das secas", onde com o abastecimento teriam água suficiente para a agricultura e para o consumo individual.
mais como qualquer projeto sempre há o lado negativo, podento ter consequências para o ecossistema próximo do rio e com a ligação de novos leitos no rio o seu fluxo diminuirá, causando a diminuição consequêntemente do fluxo ao longo do rio.
Acho que as pesquisas deveriam ter os resultados "reais", para que possa que isso leve os beneficios esperados a todos.

Marcel disse...

Olá Conceição, sobre a TRASPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO..... eu não acredito que a transposição das águas do Rio São Francisco venha solucionar o problemas daqueles que mais precisam de água na região. São muitos interesses políticos e econômicos não revelados que estão por trás de tudo isto e certamente só os grandes proprietários de terras serão os grandes beneficiados... E depois, é muito, mas muito dinheiro a ser investido numa obra que ninguém sabe onde vai dar, nem as conseqüências ambientais neste clima de aquecimento global e de catástrofes. Creio que a população ribeirinnha e os sofredores da seca merecem respeito e atitudes políticas que realmente tragam salvação, seja através de cisternas, de barragens...

marcel 29 3ªºB

Isa disse...

Isabela - 3A
Esse é um projeto muito polêmico e que abranje pontos positivos e negativos. Concerteza ajudará a combater a seca do nordeste, crescerá a economia da região e a produção de alimento/gado, mas também afetará um dos rios mais importantes do Brasil, tanto pela sua extensão e na preservação da biodiversidade quanto pela utilização em transportes e abastecimentos. Apóio esse tipo de projeto, pois solucionará um dos problemas( pelo menos temporariamente) do Brasil, mas algumas modificações deverão ser feitas, pois afetará o consumo humano.

joey disse...

Aluno:Iago 3ºB 18
A transposição do rio São Francisco é um tema que desperta a atenção de diversos especialistas quanto a suas consequencias ambientais, porém um projeto visto e revisto, calculado, pensado, concebido a um século atrás só poderá trazer avanços aos que serão afetados. Se é que o volume usado será somente 1%(o que particularmente me parece pouco para a resolução de um problema tão grave como o da falta de água no semi-árido) não haverão problemas como "a morte do Velho Chico", como teme a população. É um risco a se correr, e se nada acontecer de errado, o desenvolvimento se instalará em uma das regiões que mais sofre com secas no país.

Anônimo disse...

Sérgio F. Quadros 3o B - 37
Acho que o projeto, mesmo sendo viável em termos de agressão ao velho chico, não resolve o problema da economia carente do nordeste. É claro que a falta de água é um problema grave, mas é questionável se toda a verba investida neste projeto não daria mais resultado se usada para tentar combater diretamente a pobreza da região, além de que o projeto já parece ter tido problemas na execusão, com o seu adiamento.

Douglas Sanmartin (3ºB) disse...

A transposição do São Francisco tem ainda de ser muito analisada, pois ele precisa ser claramente seguro.
Ao tirar a água de um rio que não seca o ano todo, para adcioná-la a um lugar onde seca, conclui-se que a água só tem passagem de ida! E se ela acabar? Ou talvez não acabe, mas seu nível pode diminuir significativamente, há também a modificação na biodiversidade deste local. A idéia principal, é muito boa, no entanto, a mesma compete a consequências que ainda tem de ser revistas.

Stacy(TT) disse...

stuarte 36 3A
grupos da socidade civil consideram o projeto caro: pequenas obras poderiam resolver o problema. As entidades pedem garantias de que latifundiarios não vão dominar a água e expulsar pequenos agricultores. A necessidade de fazer agora o canal norte tambem é questionada, porque o ceará ja teria açudes suficientes.

Anônimo disse...

aluno:Luís f. N°23 6a
·
Estados: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

· Vegetação: em função do desenvolvimento urbano e agrícola, grande parte da vegetação nativa desapareceu. Destaca-se a Mata Atlântica na região litorânea.

· Rios Principais: rio Tietê, Paraná, São Francisco e Rio Grande.

· Agricultura: destaque para o plantio de cana-de-açúcar, café, algodão e soja.

· Economia: região com intenso desenvolvimento das indústrias de automóveis, metalúrgicas, alimentícia, tecnológica, etc. As áreas de serviço e comércio também se destacam. A região Sudeste é a mais industrializada do Brasil. O principal porto do Brasil localiza-se na cidade de Santos-SP.

· Urbanização: na região Sudeste concentra-se grande parte da população brasileira. As cidades mais populosas do Brasil estão no Sudeste. São elas: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O crescimento desordenado destas cidades gerou, nos últimos anos, sérios problemas urbanos como, por exemplo, desemprego, poluição, trânsito, falta de moradia, violência urbana e desigualdade social.

· Principais Cidades da região Sudeste:

- Estado de São Paulo: São Paulo (capital), Guarulhos, Santo André, São Bernardo do Campo, Santos, Jundiaí, Campinas e São Caetano do Sul.

- Estado do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro (capital), Niterói, Volta Redonda, Campos, Nova Friburgo.

- Estado de Minas Gerais: Belo Horizonte (capital), Uberlândia, Uberaba, Juiz de Fora e Governador Valadares.

- Estado do Espírito Santo: Vitória (capital), Colatina, Cachoeiro do Itapemirim.

Anônimo disse...

1. Quais são os principais fatores que originam os problemas com a escassez de água nas áreas semi-áridas do Nordeste?
A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Isso porque a umidade vinda do oceano encontra as escarpas da região da Zona da Mata e ocorre a precipitação nessa área. A massa de ar passa então para o sertão, agora sem umidade.

2. Identifique as principais causa: físicas, naturais, sociais e antrópicas para o processo de desertificação do Nordeste.
A variabilidade climática, a ausência de chuvas, o uso abusivo do solo, o processo de queima do solo, deixando-o estéril são as principais causas para a desertificação do Nordeste.

3. Quais os estados brasileiros banhados pelo rio São Francisco?
Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco e Alagoas.

4. Qual a diferença entre rios perenes e rios intermitentes?
Rios perenes não secam. Já os rios intermitentes podem secar em períodos de estiagem.

5. Escreva duas vantagens e duas desvantagens sobre a transposição das águas do rio São Francisco.
Vantagens: Aumentar o uso da água para benefício da população. Levará água a 12 milhões de pessoas.
Desvantagens: Terá um custo de 4,5 bilhões de reais. A retirada de água poderá comprometer a vazão do rio a foz.

6. Qual o trecho navegável do rio São Francisco?
O rio São Francisco oferece condições naturais de navegação entre Pirapora-MG e Petrolina-PE/Juazeiro-BA, durante todo o ano.

7. Quais são as principais usinas hidrelétricas do rio São Francisco?
Sobradinho, que garante a fluência do rio mesmo no período da seca e Itaparica, ambas na divisa entre a Bahia e Pernambuco.

8. Quais os apelidos que esse rio recebe?
Velho Chico


Sarah - n39 - 3B

Anônimo disse...

Laura Martendal Rodrigues - 3°A n°: 17
As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não as chuvas tão esperadas. O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.
A degradação das terras secas causa sérios problemas econômicos. Isto se verifica principalmente no setor agrícola, com o comprometimento da produção de alimentos. Além do enorme prejuízo causado pela quebra de safras e diminuição da produção, existe o custo quase incalculável de recuperação da capacidade produtiva de extensas áreas agrícolas e da extinção de espécies nativas, algumas com alto valor econômico e outras que podem vir a ser aproveitadas na agropecuária, inclusive no melhoramento genético, ou em indústrias farmacêuticas, químicas e outras.
No Nordeste, uma área maior do que o estado do Ceará já foi atingida pela desertificação de forma grave ou muito grave. São 180 mil quilômetros quadrados de terras degradadas e, em muitos locais, imprestáveis para a agricultura. Somando-se a área onde a desertificação ocorre ainda de forma moderada, o total de terrenos atingidos pelo fenômeno sobe para 574.362 quilômetros quadrados - cerca de 1/3 de todo o território nordestino. Ceará e Pernambuco são os mais castigados, embora, proporcionalmente, a Paraíba seja o estado com maior extensão de área comprometida: 71% do seu território já sofre com os efeitos da deserfiticação. O Semi-Árido nordestino é o maior e mais populoso do mundo, com quase 18 milhões de habitantes.
O Rio São Francisco banha alguns estados do Brasil, entre eles está a Bahia e Pernambuco (médio São Francisco). Alagoas e Sergipe (baixo São Francisco). Há também uma pequena extensão da Bahia e Alagoas (Municípios de Delmiro Gouveia-AL e Paulo Afonso-BA)
Os rios perenes são alimentados pelas águas das chuvas, derretimento das neves ou geleiras, durante o ano todo. Já os rios intermitentes, são rios de regiões áridas ou semi-áridas, portanto, sujeitos a estiagem e também à seca de seus leitos nesses períodos.
O projeto levaria, na teoria, água a quem tem sede... Essa acaba sendo sua maior vantagem. Também, o projeto prioriza a distribuição da água pelas barragens, o que nenhum projeto contra seca faz. Porém, são encontradas algumas desvantagens em relação a este assunto: “- O Rio São Francisco está sofrendo muita degradação, e com a sua transposição, muita água seria perdida, se evaporaria durante o trajeto; - A energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição; - A pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada; - A água não chegaria aos mais necessitados, mas sim aos grandes fazendeiros, como tem sido até hoje com todos os projetos no nordeste; - Existem outras alternativas mais baratas e viáveis, como o uso de cisternas, aproveitando a água das chuvas...”
O rio São Francisco é navegável em 1.371 km, entre Pirapora e Juazeiro / Petrolina, para a profundidade de projeto de 1,5 m, quando da ocorrência do período crítico de estiagem.
O rio São Francisco possui cinco usinas hidrelétricas, são elas: - Usina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco, 3.162 MW; - Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco, 2.462 MW; - Usina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco, 1.500 MW; - Usina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco, 440 MW; - Usina Hidrelétrica de Três Marias - Rio São Francisco, 396 MW.
Rio São Francisco acabou recebendo alguns apelidos ao passar dos anos: Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro, Rio das Borboletas e Opara, ao qual os índios da região o chamavam.

Anônimo disse...

Larissa Tolentino. nº 42 3 A

1) As secas prolongadas no Sertão Nordestino são oriundas, muitas vezes, da elevação da temperatura das águas do Oceano Pacífico, esse aquecimento é denominado pela classe cientifica de El Niño, nos anos em que esse fenômeno ocorre o Sertão sofre com a intensa seca.
A longa estiagem provoca uma série de prejuízos aos agricultores, como perda de plantações e animais, a falta de produtividade causada pela seca provoca a fome.

2) Clima, má distribuição de chuvas, fenômenos climáticas como o El Niño, localização, ...

3) Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.

4) Rio perene é aquele em que há sempre água fluindo em seu leito, em contraste com os rios intermitentes, nos quais a água desaparece nos períodos de estiagem.

5) 1- Vantagem: Irrigação da região nordeste que é tão maltratada pelas secas. 2- Vantagem: Construção de canais. 1- Desvantagem: afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. 2- Desvantagem: essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados.

6) Trecho navegável: o médio, entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA)/Petrolina (AL) e o baixo, entre Piranhas (AL) e a foz, no Oceano Atlântico.

7) Sobradinho e Itaparica, entre Bahia e Pernambuco.

8) São Chico

Anônimo disse...

Matheus Provesi
28 3A

1-Quais são os principais fatores que originam os problemas com a escassez de água nas áreas semi-áridas no Nordeste ?

R: Os principais fatores são o baixo índice pluviométrico (chuvas) anual,baixa umidade, clima semi árido, solo seco e rachado e a temperatura elevada na maior parte do ano.

2--Identifique as principais causas, físicas, naturais, sociais e antrópicas para o processo de desertificação no Nordeste:

R: Em uma região que já sofre com a seca, qualquer alteração no clima pode ser devastadora. Na previsão mais otimista, o Nordeste brasileiro deve ter nas próximas décadas um aumento de um a três graus na temperatura e uma queda de 15% no volume de chuva.

Isso significa que boa parte da região pode entrar em um processo de desertificação, isto é, passar a ter características semelhantes a dos desertos.

3-Quais são os estados brasileiros banhados pelo rio São Fransisco?

R: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.São mais de 500 municípios banhados pela bacia, onde vivem 14 milhões de habitantes, população maior que a de países como Cuba, Suécia, Chile, Grécia e Paraguai.

4-Qual a diferença entre os rios perenes e intermitentes?

Perentes são rios permanentes, já os rios intermitentes correm o risco de secar.

5-Escreva duas vantagens e duas desvantagens sobre a transposição das águas do rio São Francisco ?

Vantagens: aumentar o uso da água para benefício da população e desenvolvimento agrícola, comercial e industrial.

Desvantagens: O prazo previsto é de 20 anos, a um custo final estimado de R$ 4,5 bilhões.

6-Qual é o trecho navegável do rio São Francisco ?

Apresenta dois estirões navegáveis: o médio, com cerca de 1.371 km de extensão, entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA) / Petrolina (PE) e o baixo, com 208 km, entre Piranhas (AL) e a foz, no Oceano Atlântico.

7-Quais são as principais usinas hidrelétricas do rio São Franscisco ?

R: Usina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco, 3.162 MW
Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco, 2.462 MW
Usina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco, 1.500 MW
Usina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco, 440 MW
Usina Hidrelétrica de Três Marias - Rio São Francisco, 396 MW

8-Quais os apelidos que esse rio recebe ?
R: Velho Chico.

Anônimo disse...

1- A seca, o abuso utilizado pelos agricultores e pelas indústrias, com isso muitas pessoas acabam ficando sem água potável na torneira, para ter devem andar quilômetros até chegar a um poço ou rio, para lavar, cozinha e beber.
2- A secas, o abuso de água como o desperdício humano na agricultura e em casa, com isso traz conseqüência na falta de alimentos (peixes, gados...) e obrigando a imigração para regiões onde os rios não secam.
3- Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Minas Gerais.
4- Rio perene é aquele em que há sempre água fluindo em seu leito, em contraste com os rios intermitentes, nos quais a água desaparece nos períodos de estiagem. Rio intermitente ou temporário é aquele que durante o período das chuvas, normalmente no inverno, apresenta bastante água em seu curso, durante o período de estiagem, normalmente no verão, desaparece temporariamente.
5- Vantagens: Irar levar água para as cidades que sobrem com as secas será visto como uma grande obra na produção de alimentos e transporte marítimo e aumentara a qualidade de vida das pessoas estando ligadas diretamente ou não ao rio. Desvantagem O gasto será muito alto para o governo. Possível mente ira prejudicar algumas famílias que tem plantações, pois não terá uma grande área de água para se aproveitar.
6- O rio São Francisco é navegável em 1.371 km, entre Pirapora e Juazeiro / Petrolina, da Bahia a Minas, com uma profundidade de projeto de 1,5 m, quando da ocorrência do período de estiagem. Em função principalmente das barragens das hidrelétricas, o rio São Francisco tem seu aproveitamento integrado ao sistema rodo-ferroviário da região.
7- A hidroelétrica de Xingo, Esta localizado nos estados de Sergipe e Alagoas. E a hidroelétrica de Paulo Afonso também conhecida como PA IV, é a maior usina do Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso, localizado na cidade de Paulo Afonso na Bahia
8- Velho Chico.
Alan Rizzi (01) 3ªºB

Anônimo disse...

1- Quais são os principais fatores que originam os problemas com a escassez de água nas áreas semi-áridas no Nordeste ?

As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, sendo raras as chuvas.

2-Identifique as principais causas, físicas, naturais, sociais e antrópicas para o processo de desertificação no Nordeste:

A Agenda 21, em seu capítulo 12, definiu desertificação como sendo "a degradação da terra nas regiões áridas, semi-áridas e sub-úmidas secas, resultante de vários fatores, dentre eles as variações climáticas e as atividades humanas". A degradação da terra compreende a degradação dos solos, dos recursos hídricos, da vegetação e a redução da qualidade de vida das populações afetadas.Desertificação, em outras palavras, é a degradação das terras secas, processo este que consiste basicamente na perda da produtividade biológica e econômica das terras agriculturáveis, das pastagens e das áreas de matas nativas devido às variabilidades climáticas e às atividades antrópicas.

3-Quais são os estados brasileiros banhados pelo rio São Fransisco?

O Rio São Francisco mede aproximadamente 2.800 Km, nascendo na Serra da Canastra em Minas Gerais e desembocando no Oceano Atlântico, entre os estados de Alagoas e Sergipe, no pontal do Peba (AL). Corta 6 estados (Minas Gerais, Bahia, Goiás, Pernambuco, Alagoas e Sergipe) e o Distrito Federal.

4-Qual a diferença entre os rios perenes e intermitentes?

Rio perene é aquele em que há sempre água fluindo em seu leito, em contraste com os rios intermitentes, nos quais a água desaparece nos períodos de seca.

5-Escreva duas vantagens e duas desvantagens sobre a transposição das águas do rio São Francisco ?

Vantagens:
Esse projeto garantiria água às populações da região semi-arida e também o desenvolvimento agrícola, comercial e industrial.
Desvantagens:
A retirada da água pode comprometer a vazão do rio a jusante (ou seja, nas áreas mais próximas da foz). Se a agua sumir em areas onde ela é abundante, pode colocar em risco as especies que ali vivem, e aqueles que delas dependem. Impactos ecologicos em geral

6-Qual é o trecho navegável do rio São Francisco ?

O rio São Francisco apresenta dois estirões navegáveis: o médio, com cerca entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA) / Petrolina (PE) e o baixo, entre Piranhas (AL) e a foz, no Oceano Atlântico.

7-Quais são as principais usinas hidrelétricas do rio São Franscisco ?

ºUsina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco, 3.162 MW
ºUsina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco, 2.462 MW
ºUsina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco, 1.500 MW
ºUsina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco, 440 MW
ºUsina Hidrelétrica de Três Marias - Rio São Francisco, 396 MW


8-Quais os apelidos que esse rio recebe ?

Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas. Esses são apenas alguns dos apelidos dados ao Rio São Francisco ao longo de sua história.



Nicolly Andrade Serrão 30
3º ano A - EM

Anônimo disse...

1)São muitas as causas da escassez nordestina, mas as principais por incrível que pareça são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Por isso, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não gerando precipitações pluviométricas (chuvas).
O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino, além de que a pouco água que existe muitas vezes é imprópria para consumo e por muitos e desperdiçada.

2) Esse site é bem legal tem tudo o que a professora pediu e umas curisidades : http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-desertificacao/index.php

O processo de desertificação esgota o solo, que perde sua capacidade de produzir, pois não retém mais a água; a desertificação é um processo natural, mas a ação do homem acelera processo. O desmatamento, o mau uso do solo pode provocar a erosão, o assoreamento, o uso de vegetação que não é adequada para aquela região, retirada de muita água do solo, resseca o solo.
A desertificação afeta a economia ( pessoas param de produzir) e provoca o êxodo rural.

3)Os estados são Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

4) Os rios perenes são alimentados pelas águas das chuvas,derretimento das neves ou geleiras,durante o ano todo.Não secam nem mesmo durante a estiagem, momento em que apresentam uma vazão mínima, ou seja, nunca secam.
Já os rios intermitentes ,são rios de regiões áridas ou semi-áridas sujeitos a estiagem e seus leitos secam nesses períodos.São conhecidos também como rios temporários.

5)POSITIVOS:Gerar empregos (cinco mil empregos durante a construção da obra), sobretudo nas cidades onde serão implantados os canteiros de obras.Água para quem não tem,e o abastecimento rural com água de boa qualidade já que o projeto prevê a construção de chafarizes públicos em 400 localidades urbanas do sertão inseridas na região do projeto que não possuem sistema de abastecimento adequado.
NEGATIVOS: a energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição;redução de espécies nativas e há risco de salinização, pois a água "jogada no mar" é que garante o equilíbrio entre a água doce e a salgada, impedindo que o mar avance. Se essa água for desviada, o equilíbrio pode ser alterado.

6)Os trechos navegaveis do rios apresentam dois estirões: o médio, com cerca de 1.371 km de extensão, entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA) / Petrolina (PE) e o baixo, com 208 km, entre Piranhas (AL) e a foz, no Oceano Atlântico.

7)As principais usinas são: Usina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco, 3.162 MW
*Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco, 2.462 MW
*Usina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco, 1.500 MW
*Usina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco, 440 MW
*Usina Hidrelétrica de Três Marias Rio São Francisco, 396 MW

8)Pelo indigenas é chamado de Opará e também conhecido carinhosamente como Velho Chico, e "Rio dos Currais".

Brenda Bonvini nº03 3ºA EM

Anônimo disse...

Elaine nº:9 série: 3ºA
1 e 2)Estudiosos apontam que as adversidades climáticas no nordeste são cíclicas e não advem das mudanças climáticas do aquecimento global, porém, estas provenientes das ações antrópicas(poluição, emissão de gases que contribuem para o efeito estufa), podem agravar ainda mais o quadro. Por sua localização geográfica, esta distante das Frentes Frias, advindas do Pólo Antártico, e do clima úmido da Amazônia. Tem uma topografia acidentada, cheia de altos e baixos(serras e várzeas), onde as serras, funcionam como barreiras para as massas úmidas das convergências intertropicais. As áreas de Várzeas possuem altas pressões atmosféricas, que em parte dissipam as formações de chuvas, devido à troposfera(camada responsável pela condensação das chuvas), estarem numa altitude mais elevada. E nas áreas de relevo superficial,apresenta na sua formação, solos de rochas cristalinas, ou seja, solos com altos teores de salinidades, inadequados para germinação de vegetação. Com pouca vegetação, também há pouco evapotranspiração, que diminui os índices pluviométricos. Como um fator pode ser considerado também os ventos alísios vindos de semi-atividades de vulcões localizados na América do Ocidental.
3) Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.
4) Rios Perenes são os rios permanentes, que nunca secam, e rios intermitentes são rios temporários, que secam geralmente nas estações mais quentes e secas.
5) Desvantagens:
- o Rio São Francisco está sofrendo muita degradação e com a sua transposição, muita água seria perdida, se evaporaria durante o trajeto;
- a energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição;
Vantagens:
- Além das usinas de usinas de Jirau e Santo Antônio adicionarem ao sistema potência de 6.450 MW, ampliando consideravelmente a oferta nacional de eletricidade, ocorrerá uma ampliação física-geográfica do Sistema Interligado Nacional (SIN) com a construção de novas linhas de transmissão, que ampliarão e melhorarão a distribuição regional e nacional de energia elétrica .
- 1.500 trabalhadores nos meses iniciais, até 4.500 trabalhadores nos 18 meses seguintes. Média de 10.000 trabalhadores durante 2 anos e até 20.000 trabalhadores no pico da obra, ou seja geração de renda para o estado de Rondônia.
6) O rio São Francisco oferece condições naturais de navegação entre Pirapora-MG e Petrolina-PE/Juazeiro-BA, durante todo o ano, com variação de calado segundo o regime de chuvas. É navegável em seus trechos Médio e Baixo, sendo o Médio São Francisco compreendido entre Pirapora-MG e Petrolina-PE / Juazeiro-BA e o Baixo entre Piranhas-AL e a Foz. Devido as diferentes características físicas existentes ao longo da via navegável, subdivide-se o trecho Pirapora-MG a Petrolina-PE/Juazeiro-BA, de acordo com a variação de suas condições.
7) As principais usinas são: O Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso , que é na verdade um conjunto de usinas, localizado na cidade de Paulo Afonso, formado pelas usinas de Paulo Afonso I, II, III, IV e Apolônio Sales (Moxotó), e a Usina Hidrelétrica de Xingó.
8) Ostenta o título de rio da integração nacional e é popularmente conhecido como “Velho Chico”.

Anônimo disse...

Pedro Luiz Maba, 36. 3ºB.


1- Os principais fatores são a baixa pluviosidade e irregularidade das chuvas da região e uma estrutura geológica que não permite acumular satisfatoriamente água no subsolo, o que interfere, até mesmo, no regime dos rios.
2- Dentre as principais causas estão o uso intensivo dos solos tanto na agricultura moderna quanto na tradicional, a pecuária extensiva, desmatamento em áreas com vegetação nativa, áreas de preservação, margens de rios, entre outras.
3- O rio passa pelos estados de Minas Gerais, Sergipe e Alagoas, atravessa o estado da Bahia, fazendo sua divisa ao norte com Pernambuco.
4- A diferença é que Os rios perenes são alimentados principalmente pelas águas das chuvas, durante o ano todo e os rios intermitentes são rios de regiões áridas ou semi-áridas,portanto,sujeitos a estiagem e seus leitos secam nesses períodos.
5- Vantagens: Na teoria irá acabar com o problema da seca em uma parte do nordeste.
Geração de cinco mil empregos durante a construção da obra.
Desvantagens: A pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada. A água não chegaria aos mais necessitados, mas sim aos grandes fazendeiros, como tem sido até hoje com todos os projetos no nordeste.
6- O rio São Francisco é navegável em 1.371 km, entre Pirapora e Juazeiro / Petrolina.
7- As principais hidrelétricas do rio São Francisco são Usina Hidrelétrica de Xingó, Usina Hidrelétrica de Itaparica, Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV, Usina Hidrelétrica de Três Marias, Usina Hidrelétrica de Moxotó.
8- Alguns dos diversos apelidos do rio São Francisco são: Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas.

Matheus Tietjen Slomsky 3ºB 30 disse...

1 - Levando em consideração que apenas 5% da água do Velho Chico é aproveitada, e que a maior parte é distribuida por todo o Brasil, a porcentagem de água doce que chega ao Nordeste é pequena, gerando a seca na maior parte de seu território.
2 - Como o nordeste recebe pouca água, tem infra estrutura precária, poucos investimentos governamentais, e grande parte da água que seria dirigida a seu território acaba sendo direcionada para as regiões sudeste, centro-oeste ou sul.
3 - Minas Gerais, Bahia, Alagoas, Sergipe e Pernambuco.
4 - Os rios perenes são constantes, as água fluem por seu leito o ano todo. O rio intermitente, é o que seca durante períodos de estiada, ou durante grandes secas, ficando vazio durante parte do ano.
5 - Vantagens: Maior aproveitamento da água do Velho Chico, e criação de energia, através de novas hidrelétricas em seu curso.
Desvantagens: alteração do curso natural do rio, que gera riscos ao projeto, e mudança ambiental nas localidades onde serão feitas as novas barragens, obrigando pessoas a se mudarem.
6 - Apenas um pequeno trecho do rio, em Minas Gerais, é navegável apenas nas cheia, já o restante é disponível para esse transporte durante todo o ano.
7 - Existem as barragens de Itaparica e Sobradinho, ao longo do rio.
8 - É conhecido como Velho Chico por parte da população, mas seu nome oficial é Rio São Francisco.

Anônimo disse...

1- As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não gerando precipitações pluviométricas (chuvas). O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.

2- Principais causas: A irrigação inadequada tornou estéreis 30% das áreas irrigadas no Nordeste. Joga-se muita água em solos com baixa capacidade de absorção e não se estudam obras de drenagem.
A pecuária extensiva, praticada na região, também teria sua parcela de responsabilidade. Seriam necessários 20 hectares, no semi-árido nordestino, para alimentar um boi. Mas, na prática, costuma-se colocar sete animais por hectare. Os animais acabam comendo as plantas antes que elas produzam sementes, o que elimina as espécies melhores, empobrece a terra e torna a cobertura vegetal escassa.
O pisoteio dos animais compacta o solo e acelera a degradação. Alguns técnicos discordam dos dados do Núcleo, alegando que o que há no Nordeste são áreas com ecossistemas frágeis que se tornarão desérticas se não tiverem manejo adequado.
Há unanimidade, no entanto, quanto aos efeitos danosos da irrigação inadequada sobre a região, salinizando os solos. O tratamento existe, mas é caro. Pode ser feito a partir da aplicação de uma solução com sulfato de cálcio. Embora sem dados que revelem a dimensão do problema, as práticas de uso do solo não mudaram. As populações empregam técnicas inadequadas e degradam regiões, migram para outras e reempregam as mesmas técnicas. É um ciclo contínuo.

3- O rio São Francisco banha cinco estados: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, mas sua Bacia alcança também Goiás e o Distrito Federal.
4- Os rios perenes são alimentados pelas águas das chuvas,derretimento das neves ou geleiras,durante o ano todo.
Já os rios intermitentes ,são rios de regiões áridas ou semi-áridas,portanto,sujeitos a estiagem e seus leitos secam nesses períodos.
5- Desvantagens: Energia elétrica ficaraia mais cara por causa do grande custo da transposição; A pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada.
Vantagens: Prioriza a distribuição da água pelas barragens, o que nenhum projeto contra a seca faz. Dessa maneira, tentar perenizar pequenos riachos, cujo somatório perenizaria grandes rios, sendo, em maior escala, a distribuição de água.
Uma melhor e mais justa distribuição espacial da água ofertada; aumento da garantia da oferta hídrica; abastecimento de água para 391 municípios da região nordeste.
6- O rio São Francisco oferece condições naturais de navegação entre Pirapora-MG e Petrolina-PE/Juazeiro-BA, durante todo o ano, com variação de calado segundo o regime de chuvas. É navegável em seus trechos Médio e Baixo, sendo o Médio São Francisco compreendido entre Pirapora-MG e Petrolina-PE / Juazeiro-BA e o Baixo entre Piranhas-AL e a Foz.
7- Usina hidrelétrica de Xingó ,usina hidrelétrica Paulo Afonso IV, usina hidrelétrica de Itaparica, usina hidrelétrica de Moxotó , usina hidrelétrica de Três Marias.
8- Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas.
Luciana Voigt, n° 22 3ºA

Anônimo disse...

1.Características da região Nordeste: Baixo índice pluviométrico anual (pouca chuva); Baixa umidade; Clima semi-árido; Solo seco e rachado; Vegetação com presença de arbustos com galhos retorcidos e poucas folhas (caatinga); Temperaturas elevadas em grande parte do ano.Esses são os principais motivos para que a região nordeste possua essa escassez de água, a mesma é causada por motivos naturais, e alguns citados acima, o desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.

2.A desertificação deixa seu rastro de destruição, transformando terras férteis em solos esturricados, onde nem a vegetação rasteira da caatinga sobrevive. A desertificação avança como uma verdadeira praga pelo Nordeste. Com efeitos mais devastadores do que a própria seca. Tira do solo a capacidade de produzir, de gerar riquezas. Um fenômeno influenciado pelo clima seco das regiões semi-áridas, mas provocado, sobretudo, pela ação desastrosa do homem no contato com a terra. A grande mancha de terra morta que se espalha pelo Sertão já corresponde a 18 mil quilômetros quadrados - quase o tamanho do estado de Sergipe. Uma área dez vezes maior segue pelo mesmo caminho. O risco de o Nordeste virar um grande deserto assusta, mas, na realidade, a ameaça é ainda pior.

3.O rio São Francisco é um importante curso de água que percorre 2.830 km no território brasileiro, é popularmente chamado de Velho Chico.
Esse rio brasileiro nasce no Estado de Minas Gerais, na Serra da Canastra; sua nascente está situada a uma altitude de 1.200 metros. Em sua extensão, corta o Estado da Bahia, ao norte do território baiano o rio serve de fronteira natural com Pernambuco, além de estabelecer limites entre os territórios de Sergipe e Alagoas. O rio, em seu percurso, corta áreas influenciadas por diferentes climas, vegetações e relevos, sendo utilizado com fonte hídrica para a geração de energia em cinco usinas hidrelétricas.

4.Rio perene é aquele em que há sempre água correndo, em contraste com o rio intermitente (que desaparece temporariamente).Rio intermitente é aquele que apenas possui água durante o período das chuvas (ou das "cheias"), normalmente no inverno, e durante o período de estiagem (período das "secas"), normalmente no verão, o rio desaparece temporariamente.
A maioria dos rios brasileiros são perenes, como o Amazonas, Paraná, Tocantins, São Francisco e etc.

5.Existe muita polemica no projeto de Transposição do Rio São Francisco, porem entre os pontos benéficos destacam-se a melhoria da qualidade da água; a diminuição do êxodo rural; a redução da exposição a doenças e o aumento da oferta; da garantia hídrica; e dinamização da economia regional. Como pontos negativos, chamam a atenção os seguintes: riscos de acidentes com a população; redução da energia elétrica no rio São Francisco; início ou aceleração de processos de desertificação; especulação imobiliária; e perda de terras cultiváveis.

6.O rio São Francisco oferece condições naturais de navegação entre Pirapora-MG e Petrolina-PE/Juazeiro-BA, durante todo o ano, com variação de calado segundo o regime de chuvas. É navegável em seus trechos Médio e Baixo, sendo o Médio São Francisco compreendido entre Pirapora-MG e Petrolina-PE / Juazeiro-BA e o Baixo entre Piranhas-AL e a Foz.

7.O rio São Francisco possui cinco usinas hidrelétricas, são elas: Usina Hidrelétrica de Xingó; Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV;Usina Hidrelétrica de Itaparica;
Usina Hidrelétrica de Moxotó; Usina Hidrelétrica de Três Marias.

8.Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas. Esses são apenas alguns dos apelidos dados ao Rio São Francisco ao longo de sua história.

Thaysi Imeton
nº38
3ªºA

Anônimo disse...

Amanda Müller 03 3ºB
1- Quais são os principais fatores que originam os problemas com a escassez de água nas áreas semi-áridas no Nordeste ?
O clima,poucas chuvas durante o ano e etc.
2-Identifique as principais causas, físicas, naturais, sociais e antrópicas para o processo de desertificação no Nordeste:As secas,o clima quente e o desmatamento, ajudaram na desertificação, perdendo sua vegetação e aumentando sua temperatura.
3-Quais são os estados brasileiros banhados pelo rio São Fransisco?
''Nasce na região Sudeste, cruza a Centro-Oeste e vai até a Nordeste. Após cruzar três estados, ele desemboca no mar na divisa entre Sergipe e Alagoas. ''
4-Qual a diferença entre os rios perenes e intermitentes?Rios perenes não são temporários, eles permanecem, suas águas não secam. Já os rios intermitentes são os temporários, à estações do ano em que somem, principalmente com o aumento da temperatura.Principalmente, somem na época de pouca precipitação.
5-Escreva duas vantagens e duas desvantagens sobre a transposição das águas do rio São Francisco ? A vantagem é que vai poder produzir energia, através de algumas usinas que serão implantadas no percurso do rio. A outra vantagem é poder levar água a população que sofre com as secas, ajudando-os.
A desvantagem será a perda da biodiversidade, com um habitat novo, muitas espécies irão morrer, muitos lugares serão desmatados.O custo é muito alto, enquanto à outras áreas que poderiam ser ajudadas, como: a melhora na educação
6-Qual é o trecho navegável do rio São Francisco ?
O trecho navegável é a partir de pirapora
7-Quais são as principais usinas hidrelétricas do rio São Franscisco ?Usina Hidrelétrica de Xingó e Paulo Afonso I, II e III
8-Quais os apelidos que esse rio recebe ?Velho chico

Anônimo disse...

1) A falta de água no nordeste vem principalmente por conta da seca. A seca ocorre, pois esta é uma área em que chove poucas vezes durante o ano. A região praticamente não tem influência das massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Por isso, por um longo período permanece, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, que impossibilita a precipitação das chuvas. O desmatamento na Zona da Mata ajuda no aumento da temperatura da área, o que proporciona uma maior evaporação. O que ocorre também são as chuvas orográficas, ou de relevo no Planalto da Borborema no lado barlavento (com umidade). Já no lado do sotavento fica sem umidade.

2) A desertificação no nordeste possui inúmeras causas, das quais podemos citar: seca, desmatamento da caatinga para extração de lenha e argila, uso intensivo dos recursos naturais, sobrepastoreio (superpopulação de animais numa área muito restrita), prática de queimadas, ocupação desordenada do solo, mineração, pecuária extensiva, salinização do solo, etc.

3) Nasce em Minas Gerais, passa pela Bahia, Pernambuco e desemboca na divisa entre Alagoas e Sergipe.

4) Rios perenes são aqueles permanentes. Os intermitentes são os rios temporários, aqueles que secam nas épocas de estiagem.

5) As vantagens em relação a realização da transposição do Rio São Francisco está no abastecimento de água para a população mais carente deste recurso, e no desenvolvimento maior da agricultura, pecuária e indústria, promovendo o desenvolvimento da região. As desvantagens encontram-se no alto custo da obra, nos impactos ambientais que podem ser gerados, bem como na preocupação de que a obra não venha a beneficiar a população mais carente deste recurso e a água venha a ser destinada exclusivamente para a irrigação da agricultura.

6) O trecho navegável do rio São Francisco está dividido em duas partes: o estirão médio que é de 1.371 km, e se encontra entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA)/ Petrolina (PE); e também o estirão baixo, com a extensão de 208 km, entre Piranhas (AL) e a foz no Oceano Atlântico.

7) As principais usinas hidrelétricas do rio São Francisco são: Usina Hidrelétrica de Xingó, Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV, Usina Hidrelétrica de Itaparica, Usina Hidrelétrica de Moxotó e Usina Hidrelétrica de Três Marias.

8) O rio São Francisco na língua indígena é chamado de “Opará”. Recebe também o nome de Velho Chico, Rio da Integração Nacional, Rio Velho Barrento, Nilo Brasileiro e Rio do Currais.

Alessandra Elisa Thomsen Nº 01 3ºA – Ensino Médio

Anônimo disse...

(26) Luiz Henrique R. Almeida - 3º "B"

1 - As regiões do nordeste, classificadas como semi-áridas possuem o problema da escassez da água não pelos mesmos motivos de todo o resto do país, que geralmente consiste em maus cuidados da população, mas sim por causas naturais, onde as chuvas acontecem poucas vezes durante o ano. H há mais influência de massas de ar quente e seca do que frias e úmidas, não deixando que ocorram precipitações.

2 - O processo que mais contribui são os desmatamentos, fazendo com que os solos fiquem cada vez mais inférteis, porém, regiões como essa, que possuem altíssimas temperaturas, dificilmente conseguem evitar áreas desertificadas quando estão em conjunto com o mau uso do solo e a baixa capacidade de regeneração.

3 - Sendo o terceiro maior rio do Brasil o São Francisco passa por cinco estados brasileiros: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

4 - Os rios perenes são aqueles estão sempre com água, mesmo em épocas de estiagem, que é o contrário dos rios intermitentes, onde, durante as épocas de estiagem secam, e só voltam a ter água novamente quando essa época passa. A maioria dos rios são perenes e da pouca parte dos intermitentes, grande parte é encontrada em locais de clima árido e semi-árido como no deserto do Saara e no sertão nordestino brasileiro.

5 - Com a transposição do Rio São Francisco haverá mais água disponível para a população principalmente de cidades pequenas e estará gerando mais empregos já que haverá mais empresas (principalmente empresas que comercializam camarão) que a poderão utilizar. Porém, com as empresas recebendo essas água, se não forem bem instruídas e não houver uma certa supervisão, grande parte da água será contaminada. Ele também poderá se tornar um rio intermitente (temporário) nas áreas vais secas por onde vai passar.

6 - Há duas áreas. Uma entre Pirapora-MG até Juazeiro-BA e Petrolina-PE com extensão de aproximadamente 1400 km e outra com 208 km, que vai de Piranhas-AL até onde desemboca no Oceano Atlântico.

7 - O Rio passa por duas usinas hidrelétricas, a de Sobradinho e a de Itaparica que contribuem para a transformação e armazenamento de energia elétrica para a população.

8 - O rio é chamado de Rio da Integração Nacional por desembocar no mar pelas localidades entre o estado de Sergipe e Alagoas. Também é chamado de “Velho Chico”, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas. Para os indígenas ele se chamava “Opará”.

Anônimo disse...

Gabriel Henrique, Nº 10, 3ºB EM
1 – Os principais fatores que causam o problema de seca na região nordeste brasileira é dada por motivos naturais, onde as chuvas ocorrem poucas vezes ao ano devido a influencia de massas de ar quentes e secas do que massas de ar frias e úmidas, não possibilitando que ocorram precipitações constantemente.
2 – Dentre todos os aspectos causadores, se encontra como o principal o desmatamento, contribuindo para a infertilidade do solo. Além disso, com as altas temperaturas e um relevo mais acentuado a região se torna mais propícia a esse tipo de fenômeno, juntamente com a baixa capacidade de regeneração do solo, que acelera o processo de desertificação.
3 – Devido a sua abrangência, o rio São Francisco passa por 5 estados, sendo esses Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.
4 – Os rios perenes são os que estão sempre “ativos”, com um fluxo contínuo de água, e que mesmo em épocas de seca continuam fluindo. Já os rios intermitentes não, em períodos de estiagem eles secam, voltando a ter fluxo somente quando esse período passa.
5 – A transposição do rio São Francisco irá disponibilizar água para áreas onde atualmente se encontram com problemas em relação a esse recurso vital. Com isso a população de cidades menores terá esse acesso facilitado, além de ter mais empregos gerados nessas regiões a partir da comercialização de camarão, por exemplo, e da prática de outras atividades. Porém uma das desvantagens é o aspecto de provavelmente ele se tornar um rio intermitente em determinadas áreas por onde percorrer, além de ser alvo de poluição caso não ocorra uma fiscalização adequada do seu percurso.
6 – O rio São Francisco dispõe de duas áreas navegáveis, uma entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA) e outra de Petrolina (PE) até Piranhas (AL) onde desemboca no oceano.
7 – O rio São Francisco gera energia em duas usinas hidrelétricas, a de Sobradinho e a de Itaparica, contribuindo de mais uma forma para a população dessa região.
8 – Por ser um rio abrangente e muito importante em muitos aspectos para a população o rio São Francisco acaba fazendo parte do cotidiano de muitas pessoas, que acabam o reconhecendo de diversas formas diferentes. Dentre seus apelidos tem Rio da Integração Nacional, Velho Chico, Rio dos Currais, Rio das Borboletas e Nilo Brasileiro, todos apontando diferentes aspectos proporcionados pelo rio São Francisco no dia a dia de cada um.

Anônimo disse...

1-São muitas as causas , tais como o desflorestamento, temperatura da região, quantidade de chuvas, relevo topográfico e manchas solares.

Ainda, o fenômeno "El Niño", que consiste no aumento da temperatura das águas do Oceano Pacífico, ao largo do litoral do Peru e do

Equador. A ação do homem também tem contribuído para agravar a questão, pois a constante destruição da vegetação natural por meio de

queimadas acarreta a expansão do clima semi-árido para áreas onde anteriormente ele não existia.
2-Os problemas que sucedem as secas resultam de falhas no processo de ocupação e de utilização dos solos e da manutenção de uma

estrutura social profundamente concentradora e injusta. O primeiro fato se manifesta na introdução de culturas de dificil adaptação às

condições climáticas existentes e do uso de técnicas de utilização dos solos não compatíveis com as condições ecológicas da região. O

segundo ocasiona o controle da propriedade da terra e do processo político pelas oligarquias locais. Esses aspectos agravam os resultados

das secas e provocam a destruição da natureza, a poluição dos rios e a exploração por parte os grandes proprietários e altos comerciantes,

dos recursos destinados ao combate à pobreza da região, no que se denomina de "indústria da seca".
3- Os estados banhados pelo rio São Francisco são Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas.
4-Rios perenes: São rios cujas águas não secam, mesmo nos períodos de pouca precipitação (chuva), esses rios são muito importantes em

regiões de climas seco, árido e semiárido, principalmente na agricultura.
Rios temporários ou intermitentes: São rios temporários que secam nos períodos com pouco ou nenhum volume de precipitação.
5- pontos negativos: Perda de emprego e renda nas áreas rurais devido às desapropriações, pois irão em busca de emprego nas áreas onde

as obras do rio são realizadas. Mas ao termino das obras muitas pessoas ficaram desempregadas. Outro ponto são os impactos ecológico

que seriam enormes, pois se mudaria todo o curso do rio, afetando todo o equilíbroio ecológico.
pontos positivos: Abastecimento de até 12,4 milhões de pessoas das cidades, através de sistemas de abastecimento urbano já implantados,

em implantação ou em planejamento pelas autoridades locais.Também a Geração de cinco mil empregos durante a construção da obra, o que

aumentaria a renda desses locais.
6- O Rio São Francisco é navegável a partir de Pirapora – MG até Juazeiro – BA, e Petrolina (PE) e o baixo, com 208 km, entre Piranhas (AL)

e a foz, no Oceano Atlântico.
7- São as usinas Xingó, Paulo Afonso, Itaparica, Moxotó, Sobradinho, Três Marias.
8- Velho Chico, Rio dos Currais, rio da unidade nacional, nilo Brasileiro, rio das borboletas, Opará(indigenas).
Aluna:joyse nogueira foss nº19
3ºB

Anônimo disse...

1-As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não gerando precipitações pluviométricas (chuvas). O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.
2- As principais causas da degradação das zonas áridas são o sobreuso ou uso inapropriado dos recursos da terra, agravados pelas secas. Dentre os usos mais nocivos ao ambiente podemos citar:
• uso intensivo dos solos tanto na agricultura moderna quanto na tradicional
• cultivo em terras inapropriadas tais como pendentes, ecossistemas e matas remanescentes, etc
• pecuária extensiva
• desmatamento em áreas com vegetação nativa, áreas de preservação, margens de rios, etc
• práticas inapropriadas de irrigação, particularmente sem o uso de drenagem
• mineração
3- Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe
4-Os rios perenes são alimentados pelas águas das chuvas,derretimento das neves ou geleiras,durante o ano todo.
Já os rios intermitentes ,são rios de regiões áridas ou semi-áridas,portanto,sujeitos a estiagem e seus leitos secam nesses períodos.
5- Vantagens:
O governo acredita que fazendo a transposição do rio SF, vai acabar com o problema da seca em uma parte do nordeste. Ali, as pessoas terão água para beber e cultivar alimento. Acabaria assim com a sede e fome.
Desvantagens:
- o Rio São Francisco está sofrendo muita degradação e com a sua transposição, muita água seria perdida, se evaporaria durante o trajeto;
- a energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição;
- a pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada;
- a água não chegaria aos mais necessitados, mas sim aos grandes fazendeiros, como tem sido até hoje com todos os projetos no nordeste; entre outras.
6- Ao longo do percurso, o rio São Francisco que banha cinco Estados, se divide em quatro trechos: o Alto São Francisco, que vai de suas cabeceiras até Pirapora, em Minas Gerais; o Médio, de Pirapora, onde começa o TRECHO NAVEGÁVEL, até Remanso, na Bahia; o Submédio, de Remanso até Paulo Afonso, também na Bahia; e o Baixo, de Paulo Afonso até a foz.
7- O rio São Francisco possui cinco usinas hidrelétricas, são elas:

Usina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica de Três Marias - Rio São Francisco
8- Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro, Rio das Borboletas, Rio Piracicaba, Opará, Rio da Integração Nacional

Aluna: ROBERTA QUARESMA
Número: 34 3ºA

Anônimo disse...

01- As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano.Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul.
02- A Desertificação é definida como processo de destruição do potencial produtivo da terra nas regiões de clima árido, semi-árido e sub-úmido seco. O problema vem sendo detectado desde os anos 30, nos Estados Unidos, quando intensos processos de destruição da vegetação e solos ocorreu no Meio Oeste americano.
03- Nasce em Minas Gerais, passa pela Bahia fazendo sua divisa ao norte com Pernambuco, e tambem atinge os estados de Sergipe e Alagoas.
04- A vantagem é que ele levaria na teoria água potável a quem tem sede, mas por outro lado as desvantagem são muitas:
- a energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição;
- a pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada;
- a água não chegaria aos mais necessitados, mas sim aos grandes fazende, e por ai vai...
06- São dos trechos de JUAZEIRO ate PETROLINA os melhores para navegação onde tem um grande circulo de renda para a regiao.
07- O rio São Francisco possui cinco usinas hidrelétricas, são elas:
ºUsina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco, 3.162 MW
ºUsina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco, 2.462 MW
ºUsina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco, 1.500 MW
ºUsina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco, 440 MW
ºUsina Hidrelétrica de Três Marias - Rio São Francisco, 396 MW
08- Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas, são alguns apelidos do rio.

Nome: Leonardo Mez@ n19 Série:3A

Anônimo disse...

Paloma Wiethorn Kochan Nº43

1.As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não gerando precipitações pluviométricas (chuvas). O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.Porém, a falta de distribuição e preocupação do governo em apoiar essas famílias construindo açudes, por exemplo, torna a escassez não mais uma causa natural, mas política.
2. A desertificação é a degradação da terra nas regiões áridas, semiáridas e subúmidas secas, resultante de vários fatores, entre eles as variações climáticas e as atividades humanas, no nordeste brasileiro a agricultura se expande a cada dia com os latifundios, que não se importam com uma agricultura sustentável, mas que apenas se deslocam quando a terra se torna imprópria. Além disso, não há muitas leis sobre a proteção dessa área e a população não recebe apoio do governo na questão de como produzir sem agredir o solo nordestino. O próprio clima ajuda o processo, longos períodos sem chuva , seguidos de períodos chuvosos curtos não permitem que o solo absorva água.
3. Bahia e Pernambuco (médio São Francisco);
Alagoas e Sergipe (baixo São Francisco).
Há uma pequena extensão de Bahia e Alagoas (Municípios de Delmiro Gouveia-AL e Paulo Afonso-BA)
4. Rio perene é aquele em que há sempre água fluindo em seu leito, em contraste com os rios intermitentes, nos quais a água desaparece nos períodos de estiagem, já o Rio intermitente ou temporário é aquele que durante o período das chuvas, normalmente no inverno, apresenta bastante água em seu curso, a qual durante o período de estiagem, normalmente no verão, desaparece temporariamente.
5. O projeto levaria, na teoria, água a quem tem sede e construiria várias hidroelétricas e no meio do processo, fariam uma limpeza do rio, aumentando a área de navegação e melhorando a qualidade de vida marinha, porém o Rio São Francisco está sofrendo muita degradação e com a sua transposição, muita água seria perdida, se evaporaria durante o trajeto:
- a energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição;
- a pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada;
- a água não chegaria aos mais necessitados, mas sim aos grandes fazendeiros, como tem sido até hoje com todos os projetos no nordeste;
- há outras alternativas mais baratas e viáveis, como o uso de cisternas, aproveitando a água das chuvas;
- o problema do nordeste não é a falta de chuva, mas sim a má gestão dos recursos hídricos.
Além disso, com a corrupção brasileira, muito dinheiro seria desviado, levando muito tempo para a conclusão do projeto e muitos latifundiários seriam beneficiados, tomando o direito de populações carentes à água.

Anônimo disse...

Paloma Wiethorn Kochan Nº43
Continuação..

6. O rio São Francisco é navegável em 1.371 km, entre Pirapora e Juazeiro / Petrolina, para a profundidade de projeto de 1,5 m, quando da ocorrência do período crítico de estiagem (agosto a novembro). Sem saída para o Atlântico, em função principalmente das barragens das hidreletricas de Paulo Afonso e Xingó, o rio São Francisco tem seu aproveitamento integrado ao sistema rodo-ferroviário da região.
7. O rio São Francisco possui cinco usinas hidrelétricas, são elas:
* Usina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco, 3.162 MW
*Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco, 2.462 MW
*Usina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco, 1.500 MW
*Usina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco, 440 MW
*Usina Hidrelétrica de Três Marias - Rio São Francisco, 396 MW
8. Velho Chico, rio da unidade nacional, rio dos currais, Nilo Brasileiro e rio das borboletas. esses são apenas alguns dos apelidos , descoberto em 4 de outubro de 1501 durante uma expedição de exploração da costa brasileira comandada por Gaspar Lemos e Américo Vespúcio , obedecendo a uma tradição da época, o rio recebeu o nome do padroeiro , São Francisco de Assis.

Anônimo disse...

Franco nº11 3ºA

1-Quais são os principais fatores que originam os problemas com a escassez de água nas áreas semi-áridas no Nordeste ?

Sua causa está baixa pluviosidade e irregularidade das chuvas da região e uma estrutura geológica que não permite acumular satisfatoriamente água no subsolo, o que interfere, até mesmo, no regime dos rios.

2-Identifique as principais causas, físicas, naturais, sociais e antrópicas para o processo de desertificação no Nordeste:

As principais causas são o desmatamento da vegetação da caatinga, importante para a manutenção dos rios e do ecossistema da região. No aspecto natural, a baixa pluviosidade ajuda na desertificação da região, além do desperdício e da utilização da água por irrigação ser um problema que pode desencadear na seca dos poucos rios que sobrevivem naquela região

3-Quais são os estados brasileiros banhados pelo rio São Fransisco?

Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.

4-Qual a diferença entre os rios perenes e intermitentes?

Perenes são os rios permanentes e intermitentes são os rios que secam no período da estiagem.

5-Escreva duas vantagens e duas desvantagens sobre a transposição das águas do rio São Francisco ?

Vantagens: A água atingirá uma população que até então não recebia água ou não possuía acesso fácil; Promoverá o desenvolvimento agrícola, comercial e industrial da região
Desvantagens: Danos sociais e ambientais; A água pode não chegar às pessoas que realmente necessitam

6-Qual é o trecho navegável do rio São Francisco ?

Entre Pirapora e Juazeiro; Entre Piranhas e a foz.

7-Quais são as principais usinas hidrelétricas do rio São Franscisco ?

Paulo Afonso, Sobradinho, Moxotó, Itaparica e Xingó

8-Quais os apelidos que esse rio recebe ?

Velho Chico, Nilo brasileiro, Integração Nacional, Rio dos Cocais

Carolina Gonçalves n°8 3°B disse...

Carolina 08 3B

1 – Essa área tem como um grande fator problema para a falta de água, o clima. São de características deste bioma, pouco volume pluviométrico e baixa umidade, ou seja, a temperatura é alta, o que torna maior o sofrimento daquele local. Alem disso há uma grande quantidade de rios intermitentes, ou seja, que só tem água em época de chuva. A má utilização do solo e dos recursos naturais agrava ainda mais a situação. Muitos rios pequenos foram desviados para agricultura e acabaram por secar.

2- Um fator coerente para a desertificação é com certeza a ação humana, como o processo de destruição da vegetação e do solo. Além disso esse local é frágil já que não tem potencial para regeneração já que falta pouco para torna-lo assim. O clima propicia a um surgimento de deserto. O uso inadequado do solo, e a má irrigação são fatores de influencia. Os desmatamentos do solo, deixam a terra expostos a erosão, diminui os recursos hídricos, perda de nutrientes, alem de em algumas regiões, existir os escudos cristalinos, o que impede a infiltração de água para a formação de reservas.

3- Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas
4- Rios perenes são aqueles que possuem água independente da estação do ano, e chuvas, ou seja, não secam. Já os rios intermitentes possuem água somente em época de alto índice pluviométrico, pois muitas vezes não possui afluentes.
5- As vantagens são significativas, já que visa a reestruturação das margens dos afluentes do rio São Francisco, esta incluído também o tratamento de esgoto das populações ribeirinhas, além de levar água para os lugares em que pessoas não tem esse recurso disponível. As desvantagens são em relação as espécies dos rios, e o questionamento sobre a alteração da biodiversidade nesses afluentes.
6- O trecho equivale a distância entre Brasília (DF) e Salvador (BA), o que torna uma forma econômica de ligação entre o Centro Sul e o Nordeste.
7- Usina Hidrelétrica Paulo Afonso IV - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica de Xingó - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica de Itaparica - Rio São Francisco –
Usina Hidrelétrica de Sobradinho - Rio São Francisco
Usina Hidrelétrica de Moxotó - Rio São Francisco
8- Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas.

Anônimo disse...

1- O Nordeste está localizado em uma área onde chove muito pouco devido a pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Além do desmatamento que contribui para o aumento da temperatura.

2- As causas para a desertificação do Nordeste são: as mudanças climáticas, desmatamento, uso errado do solo, cultivo em terras inapropriadas, pecuária extensiva, mineração e prática de irrigações inapropriadas.

3- O rio São Francisco banha os estados de Minas Gerais, da Bahia, de Pernambuco, do Sergipe e de Alagoas.

4- Rios perenes são aqueles que nao secam, mesmo nos períodos de estiagem. Enquanto os rios intermitentes são os rios temporários que secam nos períodos de pouca ou nenhuma precipitação.

5- O maior beneficio da transposição do rio São Francisco é o abastecimento de água a locais que sofrem com a escassez. Para muitos especialistas esse projeto traria mais desvantagens do que vantagens. como: dificuldade na reprodução dos peixes, impactos ecológicos devido a mudança no curso do ri...

6- Os trechos navegáveis são: o médio entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA) e o baixo, entre Piranhas (AL) e a foz, no Oceano Atlântico.

7- A principais são:
- Hidrelétrica de Xingó;
- Hidrelétrica Paulo Afonso IV;
- Hidrelétrica de Três Marias;
- Hidrelétrica de Moxotó;
- Hidrelétrica de Itaparica

8- Ao longo da história do rio São Francisco ele recebeu alguns apelidos: Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas.

Sérgio Heusi de Almeida, 36. 3ºA

Anônimo disse...

1-As principais causas da seca do nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não gerando precipitações pluviométricas Além de o abuso utilizado pelos agricultores e pelas indústrias. A pesca em suas águas ainda sustenta comunidades inteiras. Mas o desmatamento para a produção de lenha, a poluição provocada pelo despejo de resíduos domésticos e industriais e, principalmente, a construção das usinas hidrelétricas fez com que muitos pescadores e ribeirinhos fossem obrigados a procurar outras formas de sustento, e a mesma coisa aconteceu com muitos produtores de arroz da região do chamado Baixo São Francisco
O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.
2- As condições climáticas não favorecem e qualquer alteração no clima pode ser devastadora. Nordeste brasileiro deve ter nas próximas décadas um aumento de um a três graus na temperatura e uma queda de 15% no volume de chuva, junto as causas da seca são os principais responsáveis pela desertificação acarretando efeitos na vida social onde o desemprego nesta região também é muito elevado, provocando o êxodo rural Muitas habitantes fogem da seca em busca de melhores condições de vida nas cidades.
Estas regiões ficam na dependência de ações públicas assistencialistas que nem sempre funcionam e, mesmo quando funcionam, não gera condições para um desenvolvimento sustentável da região.
3- Minas Gerais e Bahia, Bahia e Pernambuco e Alagoas e Sergipe.
4- Rio perene é aquele em que há sempre água fluindo em seu leito, em contraste com os rios intermitentes, nos quais a água desaparece nos períodos de estiagem. Rio intermitente ou temporário é aquele que durante o período das chuvas, normalmente no inverno, apresenta bastante água em seu curso, durante o período de estiagem, normalmente no verão, desaparece temporariamente.
5-Desvantagens: transpor um rio se torna um problema ecológico de proporções grandes. Sendo que um rio é mais do que água deslocando-se em uma vala no solo, é ainda um ecossistema de natureza. Existe uma constante busca de equilíbrio entre descarga líquida, erosão, transporte e deposição de sedimentos. As políticas públicas de desenvolvimento regional adotadas e a opção por um modelo de desenvolvimento que prioriza o uso das águas do rio para irrigação e geração de energia, em detrimento dos demais usos, através da implantação de grandes projetos hidrelétricos, têm provocado profundas alterações na bacia do rio São Francisco, rompendo o equilíbrio dinâmico natural do sistema fluvial. outro impacto negativo possível da transposição das águas do rio São Francisco é o assoreamento causando problemas para a navegação, devido ao baixo nível das águas.
Vantagens: Projeto tem seus benefícios sociais e geradores de qualidade de vida, Irar levar água para as cidades que sobrem com as secas será visto como uma grande obra na produção de alimentos e transporte marítimo e aumentara a qualidade de vida das pessoas estando ligadas diretamente ou não ao rio se elaborado e realizado de forma correta, mesmo com seu alto custo.
6- O rio São Francisco é navegável em 1.371 km, entre Pirapora e Juazeiro / Petrolina, da Bahia a Minas, com uma profundidade de projeto de 1,5 m, quando da ocorrência do período de estiagem.
7- Estas são as usinas do Rio Sâo Francisco, excluindo as micro e pequenas centrais hidrelétricas
Usina - Cidade, Estado
Três Marias - Três Marias, MG
Sobradinho - Juazeiro, BA
Itaparica - Glória, BA
Paulo Afonso I - Paulo Afonso, BA
Paulo Afonso II - Delmiro Gouveia, AL
Paulo Afonso III - Delmiro Gouveia, AL
Paulo Afonso IV - Delmiro Gouveia, AL
Moxotó - Delmiro Gouveia, AL
Xingó - Canindé de São Francisco, SE
8- Velho Chico, Rio da Unidade Nacional, Rio dos Currais, Nilo Brasileiro e Rio das Borboletas.
Thiago Sagaz nº40 3ºA

Anônimo disse...

meu deus que monte de comentario muitos com um proposito mto bom