domingo, 1 de janeiro de 2012

PROVAS E GABARITOS SOBRE A GUERRA FRIA.

VESTIBULAR 2013

(UENP) A charge do cartunista Henfil representa uma crítica ao período da “Ditadura Civil-Militar”, especialmente ao seu caráter autoritário.


Sobre esse período, assinale a alternativa INCORRETA.

a) Para legitimar as ações do regime, que eram inconstitucionais, foram editados decretos denominados Atos Institucionais.
b) Foi um período de intensa censura e repressão aos meios de comunicação, artes e manifestações
contrárias ao regime. O mais opressivo ato do regime foi o Ato Institucional no 5 (AI-5) que, entre outros, suspendeu o habeas corpus em casos de crimes políticos, bem como instituiu a censura para os meios de comunicação.
c) Houve movimentos de contestação e práticas de resistência ao autoritarismo do regime. Podemos destacar, dentre eles, o movimento dos estudantes organizados na União Nacional dos Estudantes (UNE), as músicas e peças de protesto e o movimento Tropicalista.
d) O Brasil passou nesse período por um desenvolvimento industrial e econômico igualitário, que possibilitou a distribuição de renda em todo o território nacional. Esse fenômeno é denominado de “Milagre Econômico”.
e) Faz parte do processo de redemocratização no final dos anos de 1970 a reabertura política, a anistia dos exilados e presos políticos e o multipartidarismo, que permitia a criação de outros partidos políticos além dos dois existentes durante quase todo o período militar: ARENA e MDB.

(UFSJ) Observe a imagem.

Fonte: http://www.educacional.com.br/ziraldo

A fala do personagem da charge faz referência ao

a) período histórico da Ditadura Militar no Brasil(1964-1984).
b) desvio de recursos públicos e à corrupção no Brasil atual.
c) problema da crise econômica atual e das indenizações trabalhistas.
d) período histórico do Estado Novo (1937-1945).

(FUVEST) O que acontece quando a gente se vê duplicado na televisão? (...) Aprendemos não só durante os anos de formação mas também na prática a lidar com nós mesmos com esse “eu” duplo. E, mais tarde, (...) em 1974, ainda detido para averiguação na penitenciária de Colônia-Ossendorf, quando me foi atendida, sem problemas, a solicitação de um aparelho de televisão na cela, apenas durante o período da Copa do Mundo, os acontecimentos na tela me dividiram em vários sentidos. Não quando os poloneses jogaram uma partida fantástica sob uma chuva torrencial, não quando a partida contra a Austrália foi vitoriosa e houve um empate contra o Chile, aconteceu quando a Alemanha jogou contra a Alemanha. Torcer para quem? Eu ou eu torci para quem? Para que lado vibrar? Qual Alemanha venceu?

Gunter Grass. Meu século. Rio de Janeiro: Record, 2000, p. 237. Adaptado.

O trecho acima, extraído de uma obra literária, alude a um acontecimento diretamente relacionado
a) à política nazista de fomento aos esportes considerados “arianos” na Alemanha.
b) ao aumento da criminalidade na Alemanha, com o fim da Segunda Guerra Mundial.
c) à Guerra Fria e à divisão política da Alemanha em duas partes, a “ocidental” e a “oriental”.
d) ao recente aumento da população de imigrantes na Alemanha e reforço de sentimentos xenófobos.
e) ao caráter despolitizado dos esportes em um contexto de capitalismo globalizado.

(CEFET-MG) Analise os seguintes fragmentos.

TEXTO 1
A Conferência de Bandung, de 1955, debateu o problema da paz e da cooperação mundial e levantou uma profunda preocupação com o estado de tensão internacional da época. A Conferência defendeu uma política baseada na autodeterminação dos povos e no respeito à soberania e integridade territorial de todas as nações.

TEXTO 2
A crise econômica, desencadeada em meados da década de 1970, levou muitos países a adotar um modelo de Estado capaz de garantir o controle monetário e de romper o poder dos sindicatos. Assim, a estabilidade financeira, por meio de uma disciplina orçamentária e da contenção dos gastos sociais, passou a ser a tônica de vários governos.

Os contextos históricos (1) e (2) acima descritos referem-se, respectivamente,
a) ao socialismo real e à perestroika.
b) à glasnost e ao regime democrático.
c) à descolonização e ao neoliberalismo.
d) ao imperialismo e ao capitalismo mercantil.
e) ao facismo e ao estado de bem-estar-social.

(CEFET-MG) Leia o trecho.

Jamais a face do globo e a vida humana foram tão dramaticamente transformadas quanto na era que começou sob as nu- vens em cogumelo de Hiroxima e Nagasaki. [...]. E de qualquer modo, a primeira contingência que se teve de enfrentar foi o imediato colapso da grande aliança antifascista.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX - 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 177.

São momentos marcantes da nova era assinalada pelo historiador, EXCETO
a) o exercício de força praticado por Kruschev, em 1962, colocando mísseis soviéticos em Cuba.
b) a Doutrina Truman, de 1947, perpetuando as rivalidades e conflitos entre os grandes impérios europeus.
c) o prolongamento da Guerra do Vietnã, de 1965 a 1975, dividindo a opinião pública da nação norte-americana.
d) a construção do Muro de Berlim, em 1961, fechando a última fronteira indefinida entre o Oriente e o Ocidente na Europa.
e) a intervenção dos EUA e seus aliados na Coréia, em 1950, impedindo a instalação do regime comunista no sul do país asiático.

(UCB)
Disponível em: (com adaptações).

Os quadrinhos fazem uma crítica com relação ao período da Guerra Fria, quando a bipolaridade Estados Unidos X União Soviética; e capitalismo X socialismo foi predominante no cenário geopolítico internacional. Acerca desse momento histórico, julgue os itens a seguir, assinalando (V) para os verdadeiros e (F) para os falsos.

0. (    ) A Segunda Guerra Mundial trouxe a hegemonia do império americano no campo econômico, no militar e no político, uma vez que o dólar passou a ser a moeda universal e os Estados Unidos o grande credor do mundo ocidental.
1. (    ) Ao impedir o avanço do comunismo no mundo durante a Guerra Fria, os Estados Unidos atuaram sempre no sentido da frase expressa nos quadrinhos: “Eu serei o destemido americano defensor da liberdade e da democracia”.
2. (    ) O expansionismo dos Estados Unidos é anterior à Guerra Fria. A conquista de territórios na porção ocidental das iniciais treze colônias, após a independência da coroa britânica, é um exemplo desse fato.
3. (    ) A criação do estado de Israel amenizou os conflitos durante o período da Guerra Fria, uma vez que, finalmente, o povo judeu passou a ter o seu território, vendo o seu país constituído internacionalmente.
4. (    ) Após a queda do muro de Berlim, o mundo assiste ao final da Guerra Fria e, com ele, à paz entre os diferentes povos, o que, na atualidade, é um fato marcante.

Resposta: V F V F F

(UECE) O Conselho de Segurança é um dos seis principais órgãos da ONU. É composto por cinco membros permanentes e 10 países não permanentes. Sobre as atribuições desta entidade, analise as afirmações a seguir.

I. O Conselho de Segurança da ONU pode investigar qualquer questão que possa vir a se transformar em um conflito internacional.
 II. Em determinadas situações, o Conselho de Segurança poderá recomendar à Assembleia Geral da ONU a eleição de um novo Secretário-Geral.
 III. O Conselho de Segurança não poderá, em nenhuma hipótese, solicitar aos países da ONU que apliquem sanções econômicas a outros países para deter alguma agressão.

É INCORRETO o que se afirma somente em
a) I e II.
b) II.
c) III.
d) II e III.

(ESPM) Em julho de 1944 ocorreu a Conferência de Bretton Woods, no MountWashington Hotel, em New Hampshire, nos EUA. Nela participaram 730 delegados de 44 nações que de- liberaram sobre:

a) a criação da Organização das Nações Unidas, a ONU;
b) a criação da Organização Mundial de Comércio, a OMC;
c) a criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte, a OTAN;
d) a confirmação do padrão ouro como referência para o Sistema Monetário Internacional;
e) a criação do Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento, o (BIRD), e o Fundo Monetário Internacional, o (FMI).

(PUC-RIO)




A foto acima registra os representantes da China (Zhou Enlai) e da Índia (J. Nehru) na conferência de países “não alinha- dos”, realizada em Bandung, na Indonésia, em abril de 1955. Considerando a importância desse encontro político, faça o que se pede.

a) Cite e explique um dos objetivos da reunião em Bandung.
b) Explique o princípio do “não alinhamento” que marcou essa conferência.

Respostas:

a) Pode-se citar como um dos objetivos da Conferência de Bandung: 
a) a defesa dos movimentos de independência nacional ocorridos nos países africanos e asiáticos;
b) o combate à pobreza e à exploração econômica; 
c) o combate ao colonialismo. A Conferência de Bandung esteve relacionada com o processo de descolonização vivido pelos continentes asiático e africano. O principal tema da Conferência tratou das lutas nacionais pela independência, o objetivo geral era evitar uma nova guerra mundial e reduzir as tensões entre americanos e soviéticos durante a Guerra Fria.

b) Realizada em plena Guerra Fria a conferência desenvolveu o conceito de Terceiro Mundo, e apresentou os princípios básicos do não-alinhamento, que pode ser entendido como uma posição diplomática geopolítica de equidistância das duas super-potências. Nessa Conferência, foram enunciados os princípios que deveriam orientar as relações entre as nações grandes e pequenas. Tais princípios foram adotados posteriormente como os principais fins e objetivos da política de não-alinhamento e os critérios centrais para pertencer ao Movimento. Dentre eles o candidato pode citar: a) o respeito aos direitos humanos e aos princípios da Carta das Nações Unidas; b) o respeito à soberania e integridade territorial de todas as nações; c) o reconhecimento da igualdade entre todas as nações, grandes e pequenas. d) a condenação á interferência nos assuntos internos de outro país; e) a condenação de todo país que exerça pressão, política ou militar, sobre outros países. f) a busca de solução pacífica para todos os conflitos internacionais, em conformidade com a Carta da ONU.

(UNICAMP) Em discurso proferido no dia 12/03/1947, o presidente dos EUA, Harry Truman, afirmou: “O governo grego tem operado numa atmosfera de caos e extremismo. A extensão da ajuda a esse país não quer dizer que os Estados Unidos estão de acordo com tudo o que o seu governo tem feito ou fará. No momento atual da história do mundo quase todas as nações se veem na contingência de escolher entre modos alternativos de vida. E a escolha, frequentes vezes, não é livre.”
(Harold C. Syrett (org.), Documentos Históricos dos Estados Unidos. São Paulo:Cultrix, 1980, p. 316-317.)
Considerando o discurso do presidente Truman, bem como os processos históricos do pós-Segunda Guerra Mundial, é correto afirmar que:
a) A “contingência de escolher entre modos alternativos de vida” se referia à escolha entre o fascismo alemão e a democracia liberal.
b) O caos do governo grego era uma referência aos problemas da Grécia com o Mercado Comum Europeu e a necessidade de ajuda ao governo de Atenas.
c) O discurso nasceu do declínio do auxílio britânico na região da Grécia e da ascensão norte-americana no contexto da Guerra Fria.
d) O discurso é uma resposta ao Plano Marshall, que o governo de Londres tentava impor à Grécia, por meio do Banco Central Europeu.

(UNICAMP) Na América Latina, África, Ásia e Europa, a violência deixou uma marca de sofrimento e luto no contexto de regimes ditatoriais, guerras civis ou invasões ao longo do século XX. Passados os conflitos, as próprias sociedades têm buscado estabelecer a verdade sobre os crimes ocorridos. Neste contexto, mais de 30 países do mundo criaram Comissões da Verdade, que são organismos de investigação não judiciais.

(Adaptado de Museo de la Memória y los Derechos Humanos, em http://www.museodelamemoria.cl/el-museo/sobre-el- museo/comisiones-de-verdad/. Acessado em 20/08/2012.)

As Comissões da Verdade
a) surgiram em países que tiveram experiências traumáticas, como as ditaduras no Chile e Brasil, e foram organizadas durante as lutas de resistência aos regimes ditatoriais.
b) sustentam que o conhecimento do passado interessa às vítimas e seus familiares, devendo ficar restrito a esse universo privado.
c) constituem instrumento político que tem como objetivo o estabelecimento de sentenças judiciais aos culpados e o pagamento de indenizações às vítimas.
d) existem em vários países, o que indica que as práticas autoritárias não foram um fenômeno de uma só nação, nem se restringiram a uma única forma de conflito.

VESTIBULAR 2012
(UDESC) Leia o trecho abaixo:
“Os 45 anos que vão do lançamento das bombas atômicas até o fim da União Soviética não formam um período homogêneo único na História do Mundo. Apesar disso, a História desse período foi reunida sob um padrão único pela situação internacional peculiar que dominou até a queda da URSS: o constante confronto das duas superpotências que emergiram da Segunda Guerra Mundial na chamada ‘Guerra Fria’.”
HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Cia das Letras, 1995, p. 223.
Sobre o exposto pelo historiador Eric Hobsbawm, é correto afirmar:
a) A URSS citada pelo historiador foi um dos polos do mundo bipolarizado, e o seu adversário no campo político e ideológico, no período, foram os Estados Unidos.
b) Durante o período citado, ocorreram conflitos significativos, como a Guerra da Coreia e a Queda da Bastilha.
c) A Guerra Fria ainda é uma realidade, pois a Rússia se recusa a entrar para a OTAN e ainda há o perigo crescente de uma guerra entre russos e americanos.
d) O Atentado contra as torres gêmeas em Nova York, em setembro de 2001, pôs fim à Guerra Fria.
e) Uma das duas potências que emergiram como resultado da Segunda Guerra, como cita Hobsbawm, foi a Alemanha.
(PUCPR) A foto a seguir diz respeito ao incidente que aconteceu no período da Guerra Fria, precisamente em 1962. Considerado por muitos como o confronto mais assustador entre as superpotências (EUA e URSS), resultou num recuo da manobra do governante russo Nikita Kruschev ao atender às exigências do presidente norte-americano John Kennedy:
Kruschev e Kennedy reunidos em 1961. Disponível em: http://veja.abril.com.br/historia/crise-dos-misseis/especial-capa-eua-urss.shtml. Acesso em 13/09/2010.
A) Glasnost.
B) Plano Marshall.
C) Criação da OT AN.
D) Criação da Détente.
e) crise dos mísseis em Cuba
(UNIFENAS)
Alemanha relembra 50 anos da construção do Muro de Berlim
A Alemanha comemorou ontem os 50 anos desde a construção do Muro de Berlim, quando o lado leste (comunista) fechou suas fronteiras, dividindo a cidade em dois durante 28 anos e partindo famílias ao meio. A divisão acabou em novembro de 1989 depois que a Alemanha Oriental abriu o muro em meio a uma maciça pressão de manifestantes e à abertura política na União Soviética.
(O Tempo, 14/08/2011, p.15)
A construção do Muro de Berlim, em 1961 visava:
a) impedir um ataque militar das potências capitalistas contra a zona de ocupação soviética.
b) reafirmar a divisão da Alemanha ocorrida após a Segunda Guerra Mundial.
c) impedir o fluxo de pessoas para a Alemanha Ocidental capitalista.
d) incentivar o fluxo de pessoas para a Alemanha Oriental comunista.
e) encerrar a polarização ideológica entre capitalismo e comunismo na Alemanha.
(UFES)
“Nos anos oitenta do século passado, em plena Guerra Fria, após a queda de um avião no mar, um grupo de cadetes militares americanos se vê isolado em uma ilha deserta. Percebendo que as chances de resgate são mínimas, os jovens se aproximam pelo medo e desespero. À medida que vão tomando conta da ilha, a competição pelo poder começa a dividi-los em dois grupos. Ralph lidera um grupo e prega a engenhosidade civilizada e cooperação, mas Jack não quer saber nada disso e constrói uma facção de caçadores impiedosos. Essa poderosa mudança de consciência transforma garotos normais em assassinos primitivos, iniciando uma batalha devastadora do bem contra o mal e trazendo à baila a perturbadora metáfora do selvagem que há dentro de todos nós.”
(LOPES, José de Sousa Miguel. O senhor das Moscas: os labirintos do poder. In: A diversidade cultural vai ao cinema. TEIXEIRA, Ines Castro; LOPES, José de Sousa Miguel (orgs.). Belo Horizonte: Atlântica, 2006, p. 65).
Explique
a) o que foi a Guerra Fria;
b) o que é civilização e o que é barbárie.
Resolução oficial:
a) - Foi a tensão entre o mundo capitalista e o socialista, iniciada logo após a Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945) e que não se limitou ao confronto ideológico e às ações de caráter bélico.
- O confronto denominado Guerra Fria manifestou-se de diversas formas: na corrida espacial, nos modelos de desenvolvimento econômico e social e no acesso da população a bens de consumo.
- Durante a Guerra Fria, em ambos os lados, houve perseguição política a artistas e intelectuais que questionavam ou eram suspeitos de criticar os governos de seus países.
- No imaginário do Ocidente, os EUA se projetavam como tendo o padrão de consumo desejado, sedutoramente apresentado ao mundo através dos filmes de Hollywood. Além disso, ostentavam enorme poderio econômico e bélico, expresso em seu papel de agente financiador da reconstrução e do desenvolvimento do mundo capitalista e no avanço da esquisa e produção de artefatos atômicos. Já a URSS, que teve de fazer um enorme esforço de reconstrução pós guerra, destacava-se por apresentar políticas de pleno emprego, ampliação de programas sociais e um projeto de sociedade igualitária.
- Essa rivalidade entre as potências resultou em incidentes diplomáticos e militares, colocando o mundo em situação de alerta e temor. O ponto culminante foi quando, em 1962, o governo de Cuba autorizou a instalação de mísseis soviéticos em seu território. Após um período dramático da negociação, em que os dois países fizeram concessões mútuas, a URSS desmantelou suas bases em Cuba.
- Essa rivalidade entre a duas potências se transformou em outros tipos de tensões após a queda do muro de Berlim e da implosão do mundo soviético no início da década de 90 do século passado.
b) POSSIBILIDADE 1 - Atualmente, não há atividade intelectual-história, literatura, moral, política, ciência social, estética – que não se pergunte o que é ser civilizado, e, em consequência o que é barbárie.
POSSIBILIDADE 2 - De fato, se no passado a tradição cientificista européia e anglosaxâ embasada em um discurso da razão, civilidade e urbanização como elementos julgadores e hierarquizados do real designava civilização como o conjunto de caracteres em oposição à barbárie – rudeza, ferocidade, selvageria dos estranhos e inferiores povos latino-americanos, africanos, asiáticos – hoje após as invasões e bombardeios no Iraque e Afeganistão e também os ataques terroristas é necessário relativizar a condição de civilizado e ponderar que o equilíbrio entre a civilização e a barbárie é tão frágil, que por vezes, esses dois extremos trocam de lugar.
(PUCGO) Apesar do acúmulo de riqueza durante o século XX, o problema da pobreza e da forme no mundo continua atingindo milhões de pessoas. Especialmente no período após a Segunda Guerra Mundial, ao invés de se atenuarem as contradições econômicas entre os países, elas ficaram mais acentuadas, dividindo-os entre os ricos do norte e os pobres do sul. Acerca desse processo, assinale a alternativa correta:
a) O plano Marshall, realizado pelos Estados Unidos da América para ajudar a Europa ocidental do pós-guerra, tinha por meta principal torná-la novamente uma potência econômica mundial, auxiliando o governo norte-americano na administração dos países subdesenvolvidos.
b) O investimento global no setor militar, no período pós-guerra, continuou alto, contrapondo-se ao pequeno orçamento dos países ricos destinado a erradicar a pobreza no mundo.
c) A Guerra Fria foi criada, no período pós-guerra, com o intuito de “esfriar” a situação revolucionária e a instabilidade social que se irradiava pelos países do Terceiro Mundo.
d) organização Internacional do Trabalho (OIT) surgiu no período pós-guerra, para ajudar a erradicar o desemprego e combater a pobreza em países africanos, latino e asiáticos.
(UERJ)
Phan Thi Kim Phuc: um símbolo da Guerra do Vietnã
erj2012-2-his-09
http://blogs.estadao.com.br

O destino da menina que foi a cara de uma guerra

Ela se transformou no símbolo da Guerra do Vietnã (1959-1975). Hoje, Phan Thi Kim Phuc ainda carrega as marcas do bombardeio, mas se esforça para superar o trauma. A bomba foi lançada sobre seu vilarejo, quando tinha 9 anos, por soldados do Vietnã do Sul contra tropas norte-vietnamitas. A operação foi coordenada por militares americanos.
No regime comunista, Phan obteve a autorização para estudar medicina em Cuba, onde conheceu seu marido. Na viagem de lua de mel, o avião fez uma escala no Canadá, de onde o casal nunca mais saiu. Nos anos 1990, a vietnamita passou a atuar como ativista de direitos humanos, tornou-se embaixadora da Unesco e criou uma fundação.
Até hoje, Phan se lembra dos comentários do então presidente americano Richard Nixon, que duvidava da autenticidade da foto que correu o mundo, na qual ela foge nua após o ataque com bomba de napalm.

Adaptado de: www.estadao.com.br, 13 dez. 2009.

A Guerra do Vietnã, no sudeste asiático, foi um dos conflitos mais sangrentos do século XX, estando diretamente relacionado às tensões do contexto internacional, nas décadas de 1960 e 1970.

Identifique um fator que caracteriza a Guerra do Vietnã como um conflito típico da Guerra Fria. Apresente, também, duas consequências desse conflito para esse país.
Resolução:

Um dos fatores:
• bipolaridade das relações internacionais da época
• intervenção das grandes potências estrangeiras no conflito
• polarização ideológica entre o Vietnã do Norte e o Vietnã do Sul

Duas das consequências:
• unificação territorial
• devastação da produção agrícola
• unificação política sob o regime socialista
• elevado número de mortes da população civil, especialmente de camponeses
(UEL) Leia os textos a seguir.
Se a bomba fugir ao controle, se não aprendermos a conviver, para que a ciência venha a trabalhar para nós e não contra nós, nosso futuro é certo. As cidades dos homens irão desaparecer da face da terra.

(MORRISON, Philip. Se a bomba fugir ao controle. 1946. In: MARSTERS, Dexter; WAY, Katharine (Orgs.). Um mundo ou nenhum: um relatório ao público sobre o pleno significado da bomba atômica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008. p.37.)
É de se esperar que conflitos de interesse entre as grandes potências venham a surgir no futuro da mesma forma como surgiram no passado, e não existe no mundo uma autoridade com o poder de adjudicar esses conflitos [...] As negociações têm lugar à sombra do poderio militar que as grandes potências conseguem reunir; [....]. enquanto esse estado de coisas vigorar, o perigo de guerra estará presente. Contra esse cenário, a existência das bombas atômicas aumenta ainda mais o risco de guerras virem a ocorrer. Se dois países – usemos como exemplo os dois mais poderosos, os Estados Unidos e a Rússia – acumularem grandes estoques de bombas atômicas, é provável que uma guerra venha a eclodir mesmo que nenhum deles deseje lutar.

(SZILARD, Leo. Seria possível evitar uma corrida armamentista por meio de um sistema de inspeções? 1946. In: MARSTERS, Dexter; WAY, Katharine (Orgs.). Um mundo ou nenhum: um relatório ao público sobre o pleno significado da bomba atômica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008. p.181-182.)
a) Com base nos textos e nos conhecimentos sobre o tema, discorra sobre a chamada “Guerra Fria” ocorrida após a Segunda Guerra Mundial.
b) A partir dos textos, analise as relações entre desenvolvimento científico, tecnologia e poder no mundo contemporâneo.
Resolução:
a) Esta questão pode ser analisada sob diferentes óticas: uma delas, mais tradicional, na qual se expõem as características do período: a divisão do mundo em áreas de influência, comunista e capitalista, a corrida armamentista, a corrida espacial e o terror nuclear. Estas questões, devem ser necessariamente tocadas; há versões mais recentes que procuram “revisar” a idéia de “Guerra Fria” ou ao menos relativizá-la, pois além de se considerar as nuances que, de certo modo, contrariam aquela de um mundo em preto e branco (por exemplo nunca cessaram relações comerciais entre EUA e URSS) também consideram-na uma perspectiva etnocêntrica, pois considera apenas a ausência de “guerras quentes” entre os países centrais, quando na periferia estas continuam a ocorrer inclusive sob a influência das duas potências nucleares. Aqui o candidato pode optar por uma ou outra visão, mas cuidando para manter a fundamentação e a coerência da argumentação desenvolvida.
b) A resposta pode ser articulada em torno da questão das relações entre revolução industrial – desenvolvimento científico produzindo tecnologias. A distinção entre ciência (conhecimento) e a tecnologia (produção de artefatos) é fundamental. No que toca à questão do poder, a ascensão da burguesia como novo ator social no mundo contemporâneo, mas também é fundamental destacar as transformações ocorridas no equilíbrio de poder mundial a partir do desenvolvimento científico e técnico, no caso em tela, e mesmo como, caso limite, o domínio do conhecimento sobre a energia nuclear criou o mundo contemporâneo, diferente de tudo o que havia antes.
(PUCRJ) Após a Segunda Guerra Mundial, quando os movimentos de descolonização nos continentes africano e asiático se intensificaram, observou-se um significativo influxo de imigrantes dessas áreas para a Europa. Durante as décadas de 1950 e 1960, muitos habitantes das ilhas das Índias Ocidentais e do subcontinente indiano migraram para o Reino Unido e inúmeros argelinos, em busca de trabalho, foram para a França. Nas décadas de 1960 e 1970 – tempos de crescimento econômico –, países como a Alemanha Ocidental também receberam de braços abertos grandes contingentes de trabalhadores gregos e turcos para a execução dos trabalhos considerados desprezíveis ou de baixa qualificação, que a população nativa não queria para si. Mas, já no final dos anos 1970 e inícios dos anos 1980, tais imigrantes se tornaram crescentemente impopulares nos países receptores. Com a crise do desemprego se aprofundando nesses mesmos países, severas restrições à imigração passaram a vigorar, e os preconceitos racial, étnico e religioso se viram intensificados em relação a esses antigos conhecidos.
a) Cite dois exemplos de manifestações políticas contemporâneas, que expressem a mudança de comportamento das autoridades e populações europeias em relação aos imigrantes.
b) Identifique em qual dos exemplos por você citados aparece a intolerância ao “outro”, ou ao que é visto como diferente. Apresente os motivos alegados pelos agressores para a manutenção de tal discriminação.
Resolução:

a)
O objetivo dessa questão é aferir informações mínimas do candidato a respeito de alguns acontecimentos políticos importantes do mundo contemporâneo. O tema da migração global – intensificada desde a segunda metade do século XX e continuada no século XXI – é o que está sendo privilegiado para isso. Os emigrantes das áreas mais pobres buscam melhores condições de vida nos países mais ricos. Mas não levam consigo apenas a capacidade de trabalho. Carregam também uma bagagem de valores, modos de vida e costumes, que nem sempre são bem aceitos nas sociedades que os recebem. Em tempos de crise econômica, especialmente, acirram-se as animosidades e a intolerância ao “outro”, a dificuldade de lidar com a alteridade, ganha proporções por vezes trágicas.

b)

Entre os acontecimentos mais recentes na Europa associados à intolerância em relação a esses imigrantes e suas culturas, o candidato poderá citar, por exemplo:

- a rígida política do governo francês em relação aos árabes e aos franceses de ascendência árabe (da proibição do uso do chadô ou véu islâmico e demais símbolos religiosos nas escolas públicas, iniciada em 2006, com a aprovação pelo Senado, em 2010, da proibição do uso do véu integral – a burca ou o niqab – em todos os espaços públicos da França);

- o recente massacre resultante dos ataques do extremista de direita norueguês a uma colônia de férias de jovens ligados ao Partido Trabalhista, no poder, na ilha de Utoeya, próxima a Oslo, deixando um saldo de 87 mortos, em julho de 2011;

- o maior controle dos imigrantes clandestinos, desde 2008, nos principais portos de entrada de países como a Espanha e a Itália, levando a uma drástica redução do seu número, redução esta observada também na França, no Reino Unido e na Irlanda;

- o significativo decréscimo do número de imigrantes legais tradicionais, como os turcos na Alemanha, onde desde 2006 mais saem do que entram no país;

- o aumento considerável da propaganda direitista, com conotações racistas implícitas ou explícitas, contra os migrantes na Europa – especialmente emigrantes do antigo Terceiro Mundo, mas também as minorias originárias de países mais pobres da Europa (como os ciganos da Romênia); e

- a ascensão de partidos políticos xenófobos de direita , como ocorreu nas últimas eleições da Suécia, onde uma direita populista ironicamente chamada de “Democratas da Suécia”, obteve 5,7% dos votos e 20 das 349 cadeiras do Parlamento, e tornou-se o fiel da balança num Legislativo dividido quase ao meio entre conservadores e social-democratas, com ligeira vantagem para os primeiros.
b) Para os exemplos citados no item a, podem ser mencionados como explicações às atitudes perpetradas pelos agressores:

- a discriminação ao islamismo difundido entre os imigrantes árabes e seus descendentes na França;

- a busca de uma suposta “pureza étnica” e/ou “racial”, reprimindo por isso as simpatias e a aceitação dos noruegueses em relação a outros povos;

- a competição por postos de trabalho e limitação dos benefícios sociais aos nacionais nos países europeus mais desenvolvidos;

- a restrição do grande afluxo das populações da Europa do Leste em direção aos países desenvolvidos do Ocidente, após o final da década de 1990;

- o recente crescimento do apoio aos partidos de direita em alguns países europeus.
(PUCGO) Apesar do acúmulo de riqueza durante o século XX, o problema da pobreza e da forme no mundo continua atingindo milhões de pessoas. Especialmente no período após a Segunda Guerra Mundial, ao invés de se atenuarem as contradições econômicas entre os países, elas ficaram mais acentuadas, dividindo-os entre os ricos do norte e os pobres do sul. Acerca desse processo, assinale a alternativa correta:
a) O plano Marshall, realizado pelos Estados Unidos
da América para ajudar a Europa ocidental do pós-guerra, tinha por meta principal torná-la novamente uma potência econômica mundial, auxiliando o governo norte-americano na administração dos países subdesenvolvidos.
b) O investimento global no setor militar, no período pós-guerra, continuou alto, contrapondo-se ao pequeno orçamento dos países ricos destinado a erradicar a pobreza no mundo.
c) A Guerra Fria foi criada, no período pós-guerra, com o intuito de “esfriar” a situação revolucionária e a instabilidade social que se irradiava pelos países do Terceiro Mundo.
d) A organização Internacional do Trabalho (OIT) surgiu no período pós-guerra, para ajudar a erradicar o desemprego e combater a pobreza em países africanos, latino e asiáticos.
(UFRN) O mapa político da Europa passou por mudanças de fronteiras e surgimento de novos países, a partir da reunificação da Alemanha, da dissolução da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e da fragmentação da Iugoslávia e Tchecoslováquia. Essas alterações nas fronteiras desses países ocorreram
a) no período de encerramento da II Guerra Mundial.
b) na fase entre a I e a II Guerras Mundiais.
c) na fase da bipolarização entre EUA e URSS.
d) no período de encerramento da Guerra Fria.
(UFRN) Em 1989, foi derrubado o Muro de Berlim após quase três décadas de existência. Nesse momento, ocorreram comemorações em diversas partes do Planeta por se acreditar que uma Era de Paz Mundial estava se iniciando. Entretanto, verifica-se que, atualmente, situações de conflitos persistem e muros continuam a existir, por exemplo, o muro na fronteira entre EUA e México. Observe as imagens a seguir.

a) O Muro de Berlim foi construído durante o período da Guerra Fria. Mencione e explique uma característica desse período da geopolítica mundial.
b) Descreva o contexto político-econômico em que os EUA construíram o muro na fronteira com o México.
Resposta:
a)
·Bipolarização do poder mundial – significou a divisão de poder, em escala mundial, entre as duas superpotências, EUA e URSS, a partir da qual o mundo foi dividido em dois blocos econômicos – capitalista e socialista – os quais buscavam ampliar suas respectivas zonas de influência.
· Conflito leste-oeste – conflito expresso pelo antagonismo geopolítico-militar e ideológico- propagandístico entre os blocos (ou sistemas econômicos) capitalista e socialista, liderados, respectivamente, pelas duas superpotências: EUA e URSS.
· Rivalidade geopolítica entre EUA e URSS – significou uma confrontação entre o ideal de uma sociedade baseada na economia de mercado e o de uma sociedade baseada na planificação econômica estatal.
·Bipartição da Europa em dois blocos econômicos – a Europa foi dividida em duas áreas de influência: a Europa Ocidental capitalista, sob a influência dos EUA, e a Europa Oriental socialista, sob a influência da URSS.
· Divisão da Alemanha – divisão do território alemão entre os países vencedores da II Guerra, de modo que a porção ocidental ficou sob a influência do capitalismo, liderado pelos EUA, e a porção oriental sob a influência do socialismo, liderado pela URSS.
· Construção do Muro de Berlim – dividiu a Cidade de Berlim em duas partes, efetivando a separação física entre Berlim Ocidental capitalista e Berlim Oriental socialista, sendo considerado um símbolo da bipolarização mundial.
· Corrida armamentista – significou a busca pelo desenvolvimento de armas nucleares que foi empreendida pelos EUA e URSS visando, cada uma dessas superpotências, a conquista da supremacia bélica, gerando o que se chamou de “equilíbrio do terror”.
· “Equilíbrio do terror” – significou o equilíbrio entre as superpotências que se expressava pela capacidade de aniquilação global de ambas em razão do arsenal nuclear que possuíam, o que dissuadiu a deflagração de uma guerra geral; isso justificou a expressão “Guerra Fria, paz impossível, guerra improvável”.
·“Cordão sanitário” – refere-se à estratégia adotada pelos EUA para estabelecer um cinturão de isolamento em torno da superpotência rival, a URSS, a partir da criação de alianças militares na Europa Ocidental (OTAN), no Sudeste Asiático (Otase – Organização do Tratado do sudeste da Ásia) e no Oriente Médio (Pacto de Bagdá), além de acordos bilaterais com alguns países como Japão e a Coreia do Sul.
·Corrida espacial – foi deflagrada em um contexto em que o domínio tecnológico e científico espacial poderia definir a supremacia de uma ou de outra superpotência, levando a conquistas como a criação de satélites artificiais, naves tripuladas, sondas de exploração que possibilitaram à humanidade conhecimentos sobre a Lua, o Sistema Solar e o Universo.
· Conflitos locais ou regionais – ocorreram em diferentes regiões do planeta, envolvendo países como Coreia, Vietnã, Cuba, Hungria, entre outros, e foram deflagrados em função das disputas econômicas e ideológicas entre as duas superpotências, EUA e URSS, as quais se envolveram direta ou indiretamente nesses conflitos.
· Cortina de ferro – designação usada durante a Guerra Fria para evidenciar a separação entre a Europa Ocidental capitalista e a Europa Oriental socialista, remetendo-se ao regime extremamente fechado adotado pelos soviéticos.
· Formação das alianças ou organizações militares OTAN e Pacto de Varsóvia – foram organizações militares que tinham como objetivo impedir ou conter o avanço do capitalismo e do socialismo, respectivamente. A OTAN reuniu aliados dos EUA, e o Pacto de Varsóvia envolveu aliados da URSS.
·Contribuição dos EUA à recuperação econômica da Europa Ocidental (ou adoção do Plano Marshall) – essa contribuição ocorreu por meio do Plano Marshall, que se constituiu um plano de financiamento e de investimentos formulados pelos EUA para reconstrução da Europa no pós-guerra.
·Formulação da Doutrina Trumam – doutrina formulada pelos EUA para conter o avanço do socialismo na Europa Ocidental mediante o compromisso de proteger os seus aliados.
b)
O contexto político-econômico em que os EUA, uma grande potência mundial, construíram o muro na fronteira com o México corresponde ao da formação do bloco econômico NAFTA, uma zona de livre comércio entre EUA, Canadá e México, a qual permite a livre circulação de mercadorias (eliminação de barreiras tarifárias e não tarifárias), mas impede a livre circulação de pessoas.
(UNICAMP) No dia 14 de dezembro de 1968, os leitores mais atentos do Jornal do Brasil puderam perceber que o jornal apresentava mudanças. Apesar do sol de dezembro, por exemplo, a previsão meteorológica anunciava no alto da primeira página, à esquerda: “Tempo negro. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está sendo varrido por fortes ventos”. Pela primeira vez, no lugar dos editoriais, eram publicadas fotos: na maior, um lutador de judô, gigante, dominando um garoto. O título da foto: “Força hercúlea”.
(Adaptado de Zuenir Ventura,1968: o ano que não terminou. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988, p. 288-289.)
a) Por que o Jornal do Brasil apresentava alterações no dia seguinte à edição do Ato Institucional 5 (AI-5), de 13/12/1968?
b) Que relação o jornal quis estabelecer entre o contexto político e a foto do lutador e o garoto?
Respostas:
a) As alterações na edição do jornal eram uma forma codificada de comunicar aos leitores a situação política instaurada a partir do AI-5, marcada pelo endurecimento do regime militar, o estabelecimento da censura, a suspensão de direitos políticos, dentre outros.
b) A principal relação estabelecida é a disparidade de forças entre o lutador e a criança, representando, respectivamente, o regime instaurado (forte) e a sociedade civil (frágil).
(FEI) A Guerra Fria é o período histórico do século vinte em que duas superpotências da época, EUA e URSS, rivalizavam-se na busca da hegemonia planetária, porém, evitavam o confronto direto, na medida em que este poderia provocar um conflito nuclear. Entre os episódios mais marcantes na disputa pela hegemonia política, ideológica e militar que marcaram este período, assinale a alternativa incorreta:
a) a crise dos mísseis em Cuba em 1962.
b) criação da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) em1949 e do Pacto de Varsóvia em 1955.
c) construção do Muro de Berlim por decisão do governo da URSS e da Alemanha Oriental em 1961.
d) corrida armamentista com a formação de grande arsenal de armas nucleares e de sistemas de defesa, destacando-se o programa "Guerra nas Estrelas” lançado pelo presidente Ronald Reagan.
e) elaboração de estratégias políticas e econômicas da Perestroika e da Glasnost pela União Soviética.
(FGV-SP) A OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) foi estabelecida em Washington, em 4 de abril de 1949. Sua criação está relacionada:
a) Ao contexto de aproximação das potências vencedoras da Segunda Guerra Mundial.
b) Ao processo de liberalização da economia mundial que lançaria as bases da globalização.
c) Ao processo de descolonização nos continentes africano e asiático.
d) Ao contexto de polarização político-militar entre os países capitalistas e socialistas.
e) Ao contexto de endividamento dos países europeus com as instituições financeiras internacionais.

VESTIBULAR 2011

1-(UEPB) Observe com atenção o mapa da Europa


Nele está representado (a)
a) a nova ordem mundial, multipolar, que não tem apenas os Estados nacionais como agentes organizadores do cenário nacional, mas também as grandes corporações multinacionais.
b) o mundo bipolar da Guerra Fria, que se delineou logo após a Segunda Guerra Mundial e perdurou até 1989 com a queda do muro de Berlim, o que simbolizou o fim da divisão leste/oeste entre as duas potências militares.

c) a nova divisão internacional do trabalho, na qual os países do leste europeu deixam de comercializar prioritariamente com a Rússia e ampliam suas exportações com a Europa Ocidental.

d) a regionalização do mundo entre países ricos representados pelo Norte industrializado e os países pobres como sinônimos de Sul subdesenvolvido.

e) a União Europeia, que teve início em 1951 com a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço, da qual faziam parte seis países, e entrou oficialmente em vigor em 1992 com doze países membros.

2-(PUCPR) A foto a seguir diz respeito ao incidente que aconteceu no período da Guerra Fria, precisamente em 1962. Considerado por muitos como o confronto mais assustador entre as superpotências (EUA e URSS), resultou num recuo da manobra do governante russo Nikita Kruschev ao atender às exigências do presidente norte-americano John Kennedy:


Kruschev e Kennedy reunidos em 1961. Disponível em: http://veja.abril.com.br/historia/crise-dos-misseis/especial-capa-eua-urss.shtml.
a) Glasnost


b) Plano Marshall.
c) Criação da OTAN.

d) Criação da Détente.

e) Crise dos mísseis em Cuba.

3-(UFSC)


Imagem disponível em: Acesso em: 25 set. 2010.
Sobre o contexto da Guerra Fria, é CORRETO afirmar que:
a) na década de 1950, o Vietnã dividiu-se em duas porções: norte e sul. Coube aos Estados Unidos, na década de 1960, a reunificação do Vietnã.
b) a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), comandada pela União Soviética, um dos blocos militares surgidos no contexto da Guerra Fria, defendia militarmente os países socialistas.

c) a falta de democracia, o atraso econômico e a crise nas repúblicas soviéticas acabaram por acelerar a crise do socialismo no final da década de 1980.

d) a definição para a expressão Guerra Fria é atribuída a um conflito que aconteceu apenas no campo ideológico na Coreia, na China, em Cuba e no Vietnã, pois não houve conflito bélico entre as partes envolvidas.

e) na década de 1970, os Estados Unidos retiraram suas tropas militares de Seul, capital da Coreia do Sul, o que levou ao término da Guerra Fria e à reunificação do país sob o regime comunista.

4-(UNEP) A propósito do conceito de Guerra Fria, aplicado às relações internacionais após a Segunda Guerra Mundial, assinale a alternativa correta.

a) Trata da rivalidade entre blocos capitalistas e comunistas liderados, respectivamente, pelos EUA e pela URSS.
b) Indica as lutas travadas pelo povo iraniano contra a dinastia Pahlevi.

c) Aplica-se ao contexto de guerras pela independência nacional, ocorridas na Ásia e na África.

d) Explica o desenvolvimento de blocos econômicos em disputa, a saber: o Comecon e o MCE.

e) Contempla as disputas diplomáticas entre árabes e israelenses pela posse da península do Sinai.

5-(MACK)



As imagens em destaque evidenciam as condições do espaço geográfico do pós 2ª Guerra Mundial em diversos países. Frente a tantos efeitos nefastos, o mundo assumia o preço da reconstrução da Europa e da Ásia, além de se preocupar em evitar que outra guerra com essas proporções pudesse ocorrer novamente. Neste sentido, surge a ONU (Organização das Nações Unidas), oficializada em 24 de outubro de 1945 em substituição à antiga Liga das Nações. Mesmo em guerra, o bloco capitalista já desenvolvia planos e projetos de restauração, como ocorreu na Conferência de Bretton Woods que reuniu 44 países aliados em Junho de 1944.

A respeito dos fatos citados no texto, considere as afirmações I, II e III abaixo.
I. A ONU tem como objetivo manter a paz, defender os direitos humanos e as liberdades fundamentais e promover o desenvolvimento dos países. Atualmente, discute-se a necessidade de reformas na Organização, que reflita a realidade do pós-guerra e da Guerra Fria, cenários já superados.
II. Pelo acordo de Bretton Woods, foram criadas instituições financeiras como o FMI (Fundo Monetário Internacional) e o World Bank (Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento).

III. Decorridos mais de 60 anos do acordo de Bretton Woods, verifica-se que os objetivos e as intenções originais diluíram-se ao longo do tempo. As instabilidades econômicas continuam existindo, principalmente nos países pobres, e os países ricos não precisam mais das condições e dos recursos oferecidos pelo FMI.

Dessa forma,
a) apenas I está correta.

b) apenas I e II estão corretas.

c) apenas II está correta.

d) apenas II e III estão corretas.

e) todas estão corretas.

6-(PUCGO) As duas grandes marcas do século XX foram as guerras mundiais e o socialismo, ocasiões que geraram um terceiro grande fenômeno: a Guerra Fria, em que a moldura de uma ordem mundial bipolar se baseava na rivalidade entre os EUA e a União Soviética. Analise as proposições seguintes sobre as grandes transformações do século XX:
I - A partir de 1945, o mundo esteve dividido, predominantemente, em blocos de países sob influência dos EUA e da União Soviética, que entraram em confronto de forma direta, o que levou o mundo a temer o deflagrar de uma guerra nuclear iminente.
II - No Plano Marshall encontra-se a origem da Guerra Fria. Esse Plano representou a resposta americana à crise europeia, por meio do financiamento americano da reconstrução da Europa.

III - O zênite da Guerra Fria aconteceu no momento em que duas graves crises colocaram à prova a resolução das duas superpotências e comprovaram o perigo de uma guerra total. Trata-se da crise de Berlim, em 1961, e a crise dos mísseis em Cuba, em 1962.

IV - Por consequência do fim da Guerra Fria e da queda o muro de Berlim, o socialismo definitivamente deixou de existir e de orientar a política de diversos países.
V - Pode-se concluir que, para o quadro histórico do final do século XX e início deste século, tanto o socialismo quanto o capitalismo conseguiram consolidar diretrizes para os graves problemas socioeconômicos e políticos que afligem a humanidade.

Após a análise das proposições, assinale a alternativa verdadeira:
a ) Apenas o item III é correto.
b) Os itens II e III estão errados.

c) Apenas o item V é correto.

d) Os itens II e III estão corretos.

7-(UNEAL) Esse era um dos cenários do mundo no pós-guerra: uma bipolarização maniqueísta entre Estados Unidos e União Soviética, que definiria a guerra fria. (Flavio de Campos e Renan G. Miranda, Oficina de história: história integrada)
Sobre o processo apresentado, é correto afirmar que
a) a Alemanha e a Inglaterra, com suas armas nucleares, dividiram o mundo em dois blocos: o capitalista e o socialista, sendo inevitável o confronto bélico entre os blocos.
b) os Estados Unidos e a União Soviética tinham a tecnologia da bomba atômica, condição que transformou completamente as relações bélicas entre as duas potências.

c) o clima de guerra fria não contaminou todas as relações internacionais, pois parte da Europa ocidental não se envolveu com as superpotências e manteve-se neutra.

d) os Estados Unidos, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, ajudaram a Alemanha a destruir o muro de Berlim, na tentativa de tornar o país um aliado político.

e) embora o clima de guerra fria tenha amenizado nos últimos vinte anos, esse sistema ainda explica a hegemonia política do Leste Europeu.

8-(UCP) Ao longo das Idades Moderna e Contemporânea, a África sofreu a colonização e o imperialismo europeu. Apesar da resistência permanente, os povos africanos só conseguiram derrotar o colonialismo e o racismo com revoluções após a Segunda Guerra Mundial.
Exemplos dessas emancipações radicais, respectivamente, contra a França e Portugal, são as independências da
a) Guiné-Bissau e de Congo.
b) Argélia e de Angola.

c) Angola e de Moçambique.

d) Argélia e de Marrocos.

e) África do Sul e de Moçambique.

9-(UFES)


Analise os contextos geopolíticos mundiais que justificam os dados mostrados no gráfico.
Resposta:
O gráfico mostra o grande número de armas nucleares da URSS e dos EUA de 1950 a meados dos anos 1980, período que corresponde à Guerra Fria. Após o final da Guerra Fria há uma significativa diminuição do número de armas nucleares, o que corresponde ao não desenvolvimento de mais armamentos e à desativação das armas existentes. Os países mostrados do gráfico participam do conselho de segurança da ONU e são as potências nucleares signatárias do Tratado de Não-Proliferação Nuclear.
10-(MACK)

Caía a tarde feito um viaduto

E o bêbado trajando luto me lembrou Carlitos

A lua, tal qual a dona do bordel

Pedia a cada estrela fria um brilho de aluguel

E nuvens, lá no mata borrão do céu,

Chupavam manchas torturadas, que sufoco

Louco, o bêbado com chapéu-coco

Fazia irreverências mil pra noite do Brasil, meu Brasil

Que sonha com a volta do irmão do Henfil

Com tanta gente que partiu num rabo-de-foguete...

João Bosco e Aldir Blanc, “O bêbado e a equilibrista”, 1979
A canção destaca a figura do sociólogo Betinho, irmão do famoso cartunista Henfil, premiado com o Global 500, da ONU, por sua contribuição em favor da ecologia na Campanha pela Reforma Agrária. A letra da música retrata, na história recente do Brasil, o perfil dos
a) estudantes secundaristas, os “caras-pintadas”, exigindo medidas éticas contra o governo de Fernando Collor de Melo.
b) anistiados políticos, vítimas do regime repressivo durante a ditadura militar e a volta deles do exílio.

c) manifestantes que participaram da Campanha contra a Fome, liderados por Betinho contra a miséria social.

d) refugiados políticos, sendo a maioria integrantes do Partido Comunista Brasileiro, cassados durante o Estado Novo.

e) integrantes das campanhas “Diretas Já”, que nas capitais do país, se manifestaram a favor do retorno ao voto direto para presidência da República.

11-(FGV-RIO-DIREITO)
No início de novembro de 1989, às vésperas das eleições presidenciais no Brasil, o mundo tomou conhecimento pela televisão da queda do muro de Berlim. Naquele momento, ruía não somente um dos símbolos da Guerra Fria, como o até então inexpugnável poderio da União das Repúblicas Socialistas
Soviéticas (URSS) na Europa Oriental. Logo em seguida, novos levantes populares vieram a derrubar os regimes comunistas em outros países do leste como Hungria, Checoslováquia, Polônia etc. O ato final desse processo foi a extinção, em 1991, da própria URSS em meio à decadência econômica, à crise política e ao avanço dos movimentos separatistas. Com o colapso soviético e o fim da bipolaridade que marcou a Guerra Fria, iniciou-se um novo ciclo nas relações internacionais.

a) EXPLIQUE uma razão que tenha influído no colapso dos regimes comunistas europeus.

b) JUSTIFIQUE o trecho sublinhado no texto.
c) Enquanto o povo tomava as ruas na Europa Oriental, o eleitorado brasileiro ia às urnas para elege pelo voto direto o novo presidente da República. EXPLIQUE o significado dessa eleição para o processo brasileiro de transição política.

Resposta:
a) Várias foram as razões que influíram no colapso do comunismo europeu, tais como: a falta de dinamismo da economia planificada socialista; o agravamento das lutas no interior do Partido Comunista; a intensificação das lutas sociais por maior liberdade política; o recrudescimento das lutas separatistas no interior da União Soviética.
b) O colapso do comunismo assinalou o início de uma nova ordem mundial, marcado pela presença de uma única superpotência – os Estados Unidos da América -, pela multipolaridade econômica, pelo acirramento dos conflitos nacionalistas e pela formação de blocos econômicos regionais, dos quais se destaca a Europa Unificada.
c) As eleições presidenciais de 1989 deverão ser examinadas pelo candidato no contexto das lutas da sociedade brasileira pela democratização do país. Deverá mencionar que foram as primeiras eleições diretas à presidência depois de 29 anos.
12-(UFAL) Após a II Guerra Mundial, a proposta de reconstrução da economia alemã, de acordo com o Plano Marshal, objetivava:
a) neutralizar a influência do Kominform sobre os partidos socialistas.
b) provocar crises políticas e rebeliões sociais na Europa Ocidental.

c) garantir o equilíbrio europeu com o fortalecimento do novo Estado alemão.

d) liberar a economia americana da crise de superprodução de alimentos.

e) impedir o desdobramento da Alemanha em duas nações, conforme proposta em Yale.

13-(UFAL) As afirmativas a seguir referem-se a um importante tema abordado pela Geografia Humana, especialmente pela Geografia Política, que é o Socialismo. Analise-as.
1) Como resultado das transformações provocadas pela Revolução Russa de 1917, a existência da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas passou a ser um dos elementos decisivos do quadro político e social estabelecido por quase todo o século XX, sobretudo na Europa do Pós-Guerra.

2) Empregou-se a expressão “Socialismo” para designar, de forma genérica, um conjunto de teorias socioeconômicas, de ideologias e políticas que postulavam a abolição das desigualdades entre as classes sociais.

3) A URSS emergiu, após a Segunda Guerra Mundial, como uma das duas grandes superpotências mundiais acarretando, por conseguinte, a divisão do mundo em dois polos distintos e antagônicos.

4) A “Perestroika”, como um programa de reformas radicais imposto pelos países capitalistas, sobretudo os da Europa Ocidental, acelerou, na URSS, a democratização do regime político, levando à desagregação do antigo mecanismo de planejamento estatal.

Está(ão) correta(s):
a) 1 apenas
b) 1 e 4 apenas

c) 2 e 4 apenas

d) 1, 2 e 3 apenas

e) 1, 2, 3 e 4

14-(PUCSP)
“Criticamos toda sociedade em que as pessoas são passivas.”
Daniel Cohn-Bendit, Londres, junho de 1968 -
“Nosso programa baseia-se na convicção de que o homem e a humanidade são capazes não apenas de aprender sobre o mundo, mas também de mudá-lo.”
Alexander Dubcek, Boêmia, maio de 1968
Citados por Mark Kurlansky. . Rio de Janeiro: José Olympio, 2005 - 1968, o ano que abalou o mundo
As frases acima são de dois personagens centrais dos episódios rebeldes de 1968. Daniel Cohn-Bendit participou das lutas estudantis na França e Alexander Dubcek foi um dos líderes da “Primavera de Praga”.
Podemos dizer que as frases
a) diferem, pois o movimento francês se caracterizou pela busca da anarquia e o checo, pela defesa do socialismo real.
b) assemelham-se por seu caráter utópico e anti-popular, bastante estranho ao contexto político de ampla mobilização social da década de 1960.

c) diferem, pois o estudante francês critica a passividade e o político checo privilegia a observação como forma de compreender o mundo.

d) assemelham-se na defesa da participação política ativa da sociedade, embora se vinculem a experiências políticas bastante distintas.

e) diferem, pois, ao contrário da Checoslováquia de então, a França era um país socialista, voltado apenas aos interesses do proletariado.

15-(UERJ)

Falamos a todo momento em dois mundos, em sua possível guerra, esquecendo quase sempre que existe um terceiro. É o conjunto daqueles que são chamados, no estilo Nações Unidas, de países subdesenvolvidos. Pois esse Terceiro Mundo ignorado, explorado, desprezado como o Terceiro Estado, deseja também ser alguma coisa.
ALFRED SAUVY, Adaptado de France-Observateur, 14/08/1952

Com essas palavras, o demógrafo e economista francês Alfred Sauvy caracterizou, na década de 1950, a expressão Terceiro Mundo.
No contexto das relações internacionais a que se refere o texto, esse conceito foi utilizado para a crítica da:
a) luta pela descolonização
b) expansão do comunismo

c) bipolaridade da Guerra Fria

d) política da Coexistência Pacífica

16-(UDESC) As décadas de 1950 e 1980 foram marcadas por uma polarização global entre duas formas de pensar e organizar o mundo, conhecida como Guerra Fria.
Analise cada proposição sobre os acontecimentos e processos que contribuem para o entendimento desse período e assinale (V) para verdadeira ou (F) para falsa.
( ) A emergência da União da República Socialista Soviética – URSS, após a Segunda Guerra, como uma das grandes potências militares e políticas do mundo, alarmou os países capitalistas, sobretudo diante do avanço do comunismo na Europa.

( ) A Doutrina Truman foi o ponto de partida para a Guerra Fria; o Plano Marshall, que dela fez parte, foi proposto pelos Estados Unidos com a intenção de conter a expansão socialista, mantendo os países europeus sob influência norte-americana.

( ) O bloqueio de Berlim, em 1948, foi o primeiro grande conflito entre os dois blocos; mais tarde a construção de um muro separando as duas partes da cidade tornaria o Muro de Berlim o principal símbolo da Guerra Fria.

( ) A crise dos mísseis foi um dos momentos mais críticos da Guerra Fria.

( ) A Guerra Fria significou ações que iam da ameaça militar à coação política, econômica e ideológica. A hostilidade gerada por estas ações colocava no horizonte a possibilidade de uma guerra nuclear, gerando um clima de medo que se espraiou para todo o mundo, nesse período.

Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo.
a) V – V – V – V – V

b) F – V – F – V – V

c) F – F – V – V – V

d) V – F – F – F – V

e) V – V – V – F – F

VESTIBULAR 2010
17-(UFMT) Uma sombra se estendeu sobre os cenários há tão pouco tempo iluminados pela vitória aliada. Ninguém sabe o que a Rússia soviética e sua organização comunista internacional pretendem fazer num futuro imediato (...). De Stettin, no mar Báltico, a Triestre, no Adriático, uma cortina de ferro desceu através do continente.
(Winston Churchill. Discurso pronunciado nos Estados Unidos, 1946.Adaptado.)

O discurso foi feito
a) quando se esboçava a Guerra Fria, período no qual a União Soviética e os Estados Unidos disputaram a hegemonia mundial.
b) nos momentos finais da Segunda Guerra, quando a vitória aliada já estava assegurada e Churchill retornava para a Inglaterra.

c) no contexto da tomada de poder pelos bolcheviques russos com a consequente consolidação de seus domínios no leste europeu.

d) no momento em que a União Europeia decidiu fechar as suas fronteiras, em função da imigração crescente vinda do leste do continente.

e) com o intuito de alertar os países da Europa Ocidental a respeito dos riscos de depender do gás e do petróleo vindo da Rússia.

18-(FEI) Para responder à questão, leia o texto a seguir:
...Os resultados do programa logo se fizeram sentir, em todos os países, nos mais variados setores: na Inglaterra, contribuiu para a expansão da indústria de construção naval; na Itália, viabilizou extensos projetos de recuperação de terras agricultáveis; na Alemanha, possibilitou a introdução de melhoramentos agrícolas e a reconstrução de sua base industrial. De 1948 a 1950, a produção industrial europeia, como um todo, aumentou mais de 25%, e em todos os países atingidos pelo programa, superou os índices de 1938.
(REZENDE FILHO, Cyro B. História econômica geral. São Paulo: Contexto, 1991, p. 233).

O programa mencionado no texto é:
a) a criação da União-Europeia após o término da Segunda Guerra Mundial.
b) o projeto de recuperação europeia elaborado pela OTAN no fim da Segunda Guerra.

c) o Programa de Financiamento Europeu elaborado pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) conhecido como a política de "beggar-thy-neighbor".

d) o Comecon (Programa Europeu de Recuperação Comercial), que levou à intensificação do comércio entre seus membros.

e) o plano de recuperação europeia conhecido como Plano Marshal executado a partir de 1947.

19-(FEI) Na política doméstica, foi um governo caracterizado pela tentativa de ampliação dos direitos civis e da integração racial, sobretudo dos afro-americanos. Na política externa, o seu governo foi marcado pela tensão da Guerra Fria. Entre as mais importantes crises do período, duas delas estão relacionadas a Cuba, governada por Fidel Castro: a frustrada invasão da Baía dos Porcos e a crise dos mísseis soviéticos.

Trata-se do governo de:
a) Dwight David Eisenhower
b) John Fitzgerald Kennedy

c) James Earl "Jimmy" Carter, Jr.

d) Richard Milhous Nixon

e) Lyndon Johnson

20-(MACK-SP)

“Em um zoológico, satisfazem-se as necessidades materiais básicas, mas não se pode sair da clausura. Nessas circunstâncias, muitos animais suspiram por voltar à selva. Sem dúvida, esquecem, ou nunca souberam, que o mundo da selva é cruel e que poucos ali sobrevivem decentemente e menos ainda são os que triunfam. Além disso, durante o período da grande transição, as vantagens do zoológico são subestimadas e as da selva, exageradas.”
L. Enmerij, “Perestroika en Occidente”, in R. Haesbaert, Blocos internacionais no poder.

Considerando o processo de declínio do mundo socialista, o texto sugere que

a) os problemas sociais observados nos países do antigo Bloco Socialista não seriam solucionados com a simples transição para o Capitalismo.
b) a Glasnost - e sua proposta de transparência política - deixou nítida a superioridade técnica e social gerada pelo Capitalismo, em comparação com o Socialismo.

c) havia, a partir da Perestroika, esperanças de que o mundo sucumbisse à estabilidade econômica e social promovida pelo Socialismo Utópico.

d) a democracia e a liberdade, típicas do mundo capitalista, promoveram a superação dos problemas de ordem social que o sistema possa ter originado, daí sua supremacia.

e) o elevado padrão de vida, a igualdade social e a democracia, garantidos pela estrutura socialista, a exemplo da ex URSS, nunca serão atingidos dentro do mundo capitalista.

21-(PUCRIO) A partir da observação dos mapas sobre a Descolonização no Sudeste Asiático e na África, entre 1945 a 1990, é CORRETO afirmar que:


Fonte: O século XX. Volume III. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.
a) na década de 1960, observou-se um declínio dos processos de independência na África e na Ásia provocado pelo acirramento da Guerra Fria envolvendo as potências colonizadoras.
b) a Ásia precedeu a África no processo de descolonização, devido ao fato de os grandes impérios ali existentes terem mantido suas tradições políticas e culturais e resistido ao processo de modernização capitalista iniciado com o Imperialismo.

c) o processo de descolonização da maior parte dos territórios da África e do Sudeste Asiático ocorreu na década de 1950 devido à influência das resoluções tomadas na Conferência de Bandung, em 1955.

d) na década de 1970, ocorreram na África os últimos movimentos de independência nas regiões colonizadas pelos portugueses, fato relacionado à ascensão da ditadura de Salazar em Portugal.

e) o processo de descolonização da África e da Ásia ganhou força a partir do final da 2ª Guerra Mundial, momento de declínio político da Europa e de crescimento das aspirações de independência dos povos dominados.

22-(ESPM) A imagem apresentada deve ser relacionada à uma das alternativas:


O Pasquim: antologia. Volume I – 1969-1971

a) ditadura do Estado Novo comandada por Getúlio Vargas;
b) implantação do Estado autoritário pelo governo de Marechal Castelo Branco;

c) imposição do Ato Institucional no 5 pelo governo de Marechal Costa e Silva;

d) campanha das Diretas-Já no governo do general João Figueiredo;

e) período do milagre econômico brasileiro no governo do general Garrastazu Médici.

23-(UFC) “É preciso dizer que o que ocorreu comigo não é exceção, é regra. Raros os presos políticos brasileiros que não sofreram torturas. Muitos, como Schael Schreiber e Virgílio Gomes da Silva, morreram na sala de torturas. Outros ficaram surdos, estéreis ou com outros defeitos físicos.” BETO, Frei. Batismo de Sangue: guerrilha e morte de Carlos Marighella. 14. ed. rev. e ampliada. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.
A partir desse trecho do depoimento de frei Tito de Alencar, escrito na prisão, em 1970, assinale a alternativa correta sobre a situação dos direitos humanos no decorrer da ditadura instalada no Brasil em 1964.
a) Os governos estabelecidos depois de 1964 conseguiram provar que os que morreram na prisão já estavam doentes e não aceitavam o tratamento médico oferecido.
b) A tortura realizada nas delegacias de polícia era uma exceção, na medida em que havia a publicação de reportagens na imprensa com o objetivo de defender os direitos humanos.

c) A tortura de presos começou a ser utilizada no Brasil a partir de 1972 e foi abolida com o movimento em torno da Anistia em 1979, em sintonia com os movimentos pelos direitos humanos.

d) A coerção em torno dos meios de comunicação e a tortura em presos políticos eram meios utilizados pelo regime de 1964 para reprimir movimentos e opiniões divergentes da ideologia oficial.

e) A repressão aos meios de comunicação se realizou a partir do Governo do Presidente Médici, momento em que se inaugura a prática da tortura para obter depoimentos de subversivos.

24-(UNESP) Leia com atenção os textos
I. “A política internacional do pós-guerra apresenta duas características que a distinguem de todos os períodos anteriores: a universalidade das relações entre Estados e a bipolarização do poder planetário. A universalidade das relações entre Estados é fruto da desagregação definitiva dos impérios coloniais. A descolonização da Ásia e da África, que se iniciara no entreguerras, praticamente se completa na década de 60. O aparecimento de dezenas de novos países independentes cria, pela primeira vez, uma diplomacia efetivamente mundial”.
II. “A bipolarização do poder planetário é resultado do enfraquecimento geopolítico das antigas potências e da emergência de duas superpotências capazes de desencadear a destruição de todo o sistema mundial de Estados”.
III. “Comandando direta ou indiretamente dezenas de Estados abrigados em suas áreas de influência, as superpotências encetam uma disputa pela hegemonia mundial que tem repercussões nos planos político, econômico e propagandístico. [...] A diplomacia contemporânea se desenvolve em circunstâncias sem precedentes. Raras vezes existiu base menor de entendimento entre as grandes potências, mas tampouco jamais foi tão coibido o uso da força”. (Demétrio Magnoli, O mundo contemporâneo, Relações Internacionais 1945 a 2000. São Paulo: Moderna, 2002. Adaptado.)
Os textos referem-se, respectivamente, a:
a)
I. Organização das Nações Unidas (ONU);
II. Inglaterra e França;

III. Doutrina Monroe.

b)
I. Organização das Nações Unidas (ONU);
II. Estados Unidos e a União Soviética;

III. Guerra Fria.

c)
I. Organização dos Estados Americanos (OEA);
II. Reino Unido e Japão;

III. Plano Marshall.

d)

I. União Europeia;
II. Canadá e EUA;

III. Doutrina Truman.

e)
I. Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN);
II. Alemanha e França;

III. Conferência de Potsdam.

25-(FGV-RJ) Em 20 de julho de 1969, o mundo acompanhou maravilhado o desembarque dos astronautas da missão Apollo 11 em solo lunar. No dia seguinte, o jornal New York Times abordaria o evento de um ponto de vista exterior à humanidade, estampando poesia na primeira página: “Homens andam na Lua”. Algumas linhas abaixo, o jornal trazia a celebre frase pronunciada por Neil Armstrong ao pisar em solo lunar: “Um pequeno passo para um homem, um gigantesco salto para a humanidade”.

Considerando o contexto mundial na década de 1960 e a chegada do homem à Lua, podemos considerar:
(I) A conquista da Lua e os consequentes avanços tecnológicos frutos dessa realização só podem ser compreendidos no contexto da Guerra Fria, período em que duas superpotências (EUA e URSS) lutavam pela hegemonia política e militar do mundo.
(II) Na verdade, a URSS não representou uma ameaça à hegemonia norte-americana durante a corrida espacial, uma vez que, nesse período, os soviéticos desenvolveram, em parceria com os EUA, as estações espaciais para pesquisa científica na órbita da Terra.

(III) Decididos a superar os soviéticos, os EUA criaram a NASA - Agência Espacial norte-americana e cumpriram o desafio proposto pelo então presidente John F. Kennedy, de levar um astronauta até a Lua e trazê-lo de volta, em segurança.
(IV) Com o fim da Guerra Fria, os EUA e a URSS perderam interesse pela corrida espacial e passaram a priorizar a luta contra o terrorismo, principalmente após a invasão do Iraque e do Afeganistão e os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

(V) A corrida espacial teve início com o lançamento do Sputnik - primeiro satélite artificial da Terra – pela URSS, que, anos depois, mandou para o espaço o cosmonauta Yuri Gagárin, pioneiro das missões tripuladas.

a) I e II estão corretas.
b) II e IV estão corretas.

c) II, III e V estão corretas.

d) I, III e V estão corretas.

e) Todas as afirmações estão corretas.

Leia os textos, observe a charge e responda às duas próximas questões
Texto I
Em 1938, O. Hahn e F. Strassmann, ao detectarem bário numa amostra de urânio 238 bombardeada com nêutrons, descobriram a fissão nuclear induzida por nêutrons. A colisão de um nêutron com um núcleo de um isótopo, como o 235U, com sua consequente absorção, inicia uma violenta vibração, e o núcleo é impelido a se dividir, fissionar. Com a fissão cada núcleo de 235U produz dois ou mais nêutrons, propiciando uma reação em cadeia.
(Adaptado de: OHANIAN, H. C. Modern physic. New York: Prentice Hall inc. 1995, 2 ed. p. 386.)
Texto II
A reação em cadeia explosiva do 235U deu um banho de radiação mortífera no centro da cidade: Cerca de dez quilômetros quadrados de Hiroshima ficaram torrados. Noventa por cento dos prédios da cidade foram destruídos. Os médicos que ainda estavam vivos não tinham ideia do tipo de arma que havia sido empregada. Mesmo quando se anunciou que uma bomba atômica fora lançada, eles não tinham noção do mal que ela pode fazer ao corpo humano nem dos seus sintomas posteriores. Era uma revolução na ciência e na guerra.

(Adaptado de: SMITH, P. D. Os homens do fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. p. 359-360.)

(HENFIL. Hiroshima meu humor. 4 ed. São Paulo: Geração, 2002, p. 19.)

26-(UEL) Com base na charge e nos conhecimentos sobre a geopolítica no contexto da ordem mundial bipolar, assinale a alternativa correta.

a) A geopolítica mundial, inerente à Guerra Fria, caracterizou-se pela desmilitarização das relações internacionais, em face da ameaça de extermínio nuclear.
b) A ameaça norte-americana de empregar artefatos nucleares na Guerra do Vietnã restringiu o avanço do bloco socialista ao Leste Europeu.

c) A adoção de um modelo político pluripartidário pelo Vietnã do Norte resultou da influência chinesa e do apoio militar baseado em seu arsenal nuclear.

d) A troca do domínio colonial japonês sobre o Vietnã pela hegemonia chinesa amenizou a disputa nuclear entre o bloco socialista e os EUA no Sudeste Asiático.

e) A eclosão de diversas guerras regionais no período da Guerra Fria, a exemplo da Guerra do Vietnã, substituiu o confronto bélico direto entre as superpotências.

27-(UEL) Assinale a alternativa que apresenta uma das principais razões alegadas por Harry Truman, presidente dos EUA, para justificar o uso da bomba atômica contra as cidades de Hiroshima e Nagazaki em agosto de 1945.

a) Apesar das vitórias dos EUA no Pacífico, os japoneses apresentaram notável resistência devido ao emprego de kamikazes, gerando a perspectiva de prolongamento da guerra.
b) A base industrial do Japão não fora destruída pelos bombardeios convencionais, permitindo ao país a continuidade da produção de armamentos em pé de igualdade com os aliados.

c) A despeito das vitórias sobre os alemães na Europa, os exércitos dos EUA e da URSS não tinham condições de promover uma invasão no Japão devido ao seu caráter insular.

d) A resposta negativa do Japão aos EUA e à Inglaterra, que buscavam negociar o fim da guerra e evitar o crescimento da ofensiva nipônica.

e) Para garantir a supremacia dos interesses liberais e capitalistas no pós-guerra, era necessário impedir a conquista do Japão pela URSS, evitando que o Pacífico ficasse sob a influência soviética.

28-(UERJ)


Em 2009, comemoram-se na Alemanha vinte anos da derrubada do Muro de Berlim. Sua construção, em 1961, esteve relacionada à:
a) divisão étnica da cidade
b) crise dos regimes democráticos europeus

c) bipolaridade das relações internacionais

d) reação nacionalista à influência estrangeira

29-(UFBA)


Logo após o final da Segunda Guerra Mundial (1945), o grande império soviético estava dividido administrativamente em 15 repúblicas federadas unidas por um governo central (Moscou). Essa organização se manteve até agosto de 1991, quando, após meio século de crescimento, o império soviético se desmantelou e a situação se modificou na transição para o capitalismo, deixando várias sequelas.

(ADAS, 2001, p. 35).
Fundamentado no mapa, no texto e nos conhecimentos sobre a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e sua desintegração,
• mencione como se organizou o espaço da União Soviética quando foi desintegrado politicamente, em 1991;
• cite dois efeitos negativos ocorridos na Federação Russa, após o fim da União Soviética.

Resolução:
• Organização do espaço da União Soviética:
Surgiram vários países independentes, dentre os quais o principal é a Federação Russa. Foi criada a Comunidade dos Estados Independentes (CEI), um fórum de coordenação política e econômica entre 12 das 15 ex-repúblicas soviéticas.

• Efeitos negativos ocorridos na Federação Russa após o fim da União Soviética:
― Conflitos étnicos;

― Tendência à fragmentação;

― Problemas resultantes da transição para o capitalismo — inflação, recessão, desemprego e crescimento das máfias em vários setores da economia;

― Sucateamento das empresas por falta de investimentos significativos;

― Agravamento da pobreza;

― Economia enfrenta sérias dificuldades.

30-(UFRN) O fim da Guerra Fria encerrou um período caracterizado pela bipolarização entre o bloco capitalista e o socialista.
Explicite as modificações ocorridas, após o fim da Guerra Fria, em quatro países da Europa as quais alteraram o mapa político desse continente.

Resolução:
O mapa político da Europa foi alterado com:
- Reunificação da Alemanha – os territórios da Alemanha Ocidental e Oriental foram reunificados, dando origem a Um único país, denominado Alemanha.
- Fragmentação da Iugoslávia – o território iugoslavo foi dividido, dando origem a novos países como Sérvia, Montenegro, Eslovênia, Croácia, Bósnia-Herzegovina e Macedônia

- Divisão da Tchecoslováquia – o território do referido país foi dividido, propiciando a emergência de dois países: República Tcheca e República Eslovaca.

- Fragmentação da URSS – o território soviético foi dividido, fazendo surgir 15 novas repúblicas, entre elas, Ucrânia, Bielo-Russia e Moldávia.

31-(UFSC) Em novembro de 2009, comemorou-se de várias formas os 20 anos da queda do muro de Berlim.

Em relação a este tema, é CORRETO afirmar que:

01. tratava-se de uma divisão simbólica entre dois blocos ideológicos, o socialismo e o capitalismo, separados por uma profunda e irreconciliável divisão no campo das ideias, comparada, por isso, a um muro.

02. o muro de Berlim foi levantado na capital alemã por determinação de Adolf Hitler, como demonstração de força do nazismo, para separar os judeus dos alemães.

04. foi construído por determinação das forças que compunham a OTAN, especialmente a Alemanha Oriental, tendo sido um resultado da guerra fria.

08. a queda do muro de Berlim foi uma necessidade que se impôs frente à nova configuração econômica da Europa, isto é, à constituição de um bloco de países que adotou o euro como moeda comum.

16. a sua construção foi motivada para conter a emigração de alemães orientais, em grande número, para o lado capitalista, especialmente de trabalhadores com alta qualificação profissional.

32. considerando que as potências aliadas na II Guerra Mundial decidiram dividir a Alemanha em quatro zonas de influência (norte-americana, soviética, inglesa e francesa), a queda do muro foi uma consequência inevitável.

64. o muro de Berlim dividiu a capital da Alemanha em área comunista e área capitalista, cabendo aos cidadãos decidirem em qual dos lados se estabelecer.

Resposta: 16
32-(MACK) A estrutura psicológica do ser humano não suporta que a dor e a angústia se mantenham tão vivas na memória como no momento em que ocorreram. [...] Por isso, agora, ao sairmos desses 20 anos difíceis e doloridos de nossa história, a lembrança de que houve irmãos nossos, nesse período, que perseguiam sem piedade, torturaram e mesmo mataram pessoas pelo simples fato de elas se oporem ao governo que se impôs ao país em 1964, parece mais pesadelo do que realidade. E, no entanto, esse absurdo ocorreu, aqui em nossa terra, como se um vendaval frio de loucura tivesse gelado esses corações. [...] Que objetivos justificam tudo isso?
D. Paulo Evaristo Arns

Identifique a alternativa relacionada ao contexto histórico citado.

a) O Brasil, liderado pelos Estados Unidos, vivia guerra aberta contra o narcotráfico que, aliado às FARC, assolava a América do Sul, sobretudo a região de fronteira amazônica.

b) A chamada “guerra das civilizações” entre Ocidente e Oriente ameaçava a hegemonia americana; apoiando ditaduras militares, os EUA procuravam deter o avanço do fanatismo islâmico na América.

c) O mundo encontrava-se em sua ordem bipolar e os Estados Unidos procuravam, por meio do apoio a golpes e a regimes ditatoriais na América Latina, deter o avanço do Comunismo.

d) O avanço da ideologia nazista pelo mundo e as pretensões imperialistas alemãs justificam as práticas autoritárias citadas, que garantiriam o sucesso da Doutrina de Segurança Nacional.

e) O crescimento do Positivismo entre os líderes populistas ameaçava os ideais neoliberais das Forças Armadas, que tomaram o poder e implantaram um verdadeiro “terror de estado” no país.

VESTIBULAR 2009

33-(UFBA) A Segunda Guerra Mundial intensificou o processo de descolonização e independência dos países asiáticos e africanos e muitos deles tornaram-se socialistas. Os aliados também dividiram a Alemanha em zonas de ocupação: soviética, francesa, inglesa e americana. Mais tarde, a zona soviética

transformou-se na República Democrática Alemã, também socialista.
CÁCERES, 1997, p. 400.

A partir da análise do texto e dos conhecimentos sobre o segundo pós-guerra, pode-se afirmar:
(01) A referida descolonização no continente africano propiciou a integração dos novos países como parceiros no processo de expansão do capitalismo internacional.

(02) O processo de descolonização, nos países asiáticos, assumiu o caráter de não-violência e desobediência pacífica, preconizado por Mahatma Ghandi.

(04) A presença da URSS na partilha do território alemão decorreu do fato de os soviéticos terem participado, como aliados, da vitória das democracias contra o Eixo, formado pela Alemanha, Itália e seus aliados.
(08) A construção do muro de Berlim (1961) decorreu do aprofundamento dos confrontos de interesses entre Estados Unidos juntamente com a Europa versus URSS, no contexto da Guerra Fria.

(16) A política da Perestroika e do Glasnost, instalada na URSS durante o governo de Mikhail Gorbachev, relaciona-se com o esfacelamento do sistema socialista no Leste Europeu.

(32) O desmembramento da antiga União Soviética propiciou o surgimento de movimentos nacionalistas nas repúblicas do Leste Europeu, resultando no reordenamento das fronteiras políticas naquela região.

Resposta: 04 + 08 + 16 + 32 (60)
34-(UESPI) A Conferência de Bretton Woods, realizada em 1944, nos Estados Unidos, definiu uma nova ordem econômica entre os países capitalistas, com o objetivo de ampliar a integração da economia mundial. Para efetivação dessa nova ordem econômica foram criadas as seguintes instituições, exceto:

a) o Banco Mundial, para prover recursos correspondentes à geração de infra-estrutura em vários países.

b) o FMI, com o objetivo de estimular o comércio internacional.

c) o GATT, com o objetivo de regulamentar o comércio mundial.

d) a OMC, que posteriormente substituiu o GATT.

e) o COMECOM, criado para auxiliar o desenvolvimento dos países que adotavam a economia socialista.

35-(UESPI) A tensão política, conhecida por Guerra Fria, entre os EUA, liderando o bloco Capitalista, e a então URSS, à frente do bloco socialista, refletiu-se em outros paises. No Brasil, o movimento militar de 1964 deveu-se, entre outras questões:

a) ao descontentamento das elites políticas de direita com as reformas de base propostas por João Goulart.

b) à marcha da Família com Deus pela liberdade realizada em defesa das reformas pela universalização da educação.

c) ao rompimento do Brasil com os EUA, em razão dos interesses da classe média de nacionalização dos bens privados.

d) a um levante popular, ocorrido, em Recife, na madrugada de 31 de março, com apoio do governador Miguel Arraes.

e) à insatisfação geral de toda a sociedade com o governo eleito, incluindo-se o grupo estudantil ligado à UNE.

36-(FUVEST) Existem semelhanças entre as ditaduras militares brasileira (1964-1985), argentina (1976-1983), uruguaia (1973-1985) e chilena (1973-1990). Todas elas

a) receberam amplo apoio internacional tanto dos Estados Unidos quanto da Europa Ocidental.
b) combateram um inimigo comum, os grupos esquerdistas, recorrendo a métodos violentos.

c) tiveram forte sustentação social interna, especialmente dos partidos políticos organizados.

d) apoiaram-se em idéias populistas para justificar a manutenção da ordem.

e) defenderam programas econômicos nacionalistas, promovendo o desenvolvimento industrial de seus países.

37-(UTRPR) “Cortina de Ferro” foi uma expressão usada no Ocidente para designar a fronteira que dividiu a Europa em duas áreas de distintas influências política e econômica, do final da Segunda Guerra Mundial até ao final da chamada Guerra Fria. Durante este período, a Europa Oriental esteve sob o controle político e/ou influência da União Soviética, enquanto que a Europa Ocidental esteve sob o controle político e/ou influência dos Estados Unidos da América. Era apenas uma linha imaginária, ao contrário do Muro de Berlim, que se constituiu numa barreira física. Sobre os Estados-satélites que faziam parte do bloco soviético, NÃO podemos enumerar a:

a) Polônia
b) Tchecoslováquia

c) Áustria

d) Hungria

e) Bulgária

38-(UTRPR) Na conjuntura mundial do pós-Segunda Guerra, ocorreu um movimento revolucionário num país cuja quase totalidade da riqueza estava nas mãos de poucas famílias nativas e de empresas norte-americanas lá instaladas. Enquanto isso, milhões de habitantes alimentavam-se mal, moravam em barracos e viviam de empregos temporários. Os camponeses, por exemplo, tinham trabalho garantido apenas entre dezembro e maio, e a imensa maioria não sabia ler. Foi nesse cenário marcado por intensa desigualdade social que um grupo de revolucionários, liderado por um jovem advogado, iniciou uma luta sem tréguas contra o ditador. Depois de uma tentativa fracassada de chegar ao poder, os revolucionários embrenharam-se nas matas e, apoiados pelos camponeses, partiram para a guerra de guerrilhas. Em janeiro de 1959, quase dois anos depois de iniciada a guerrilha, os revolucionários conseguiram conquistar o poder. Trata-se da:
a) Revolução Mexicana.
b) Revolução Cubana.

c) Revolução Nicaragüense.

D) Revolução Bolivariana.

d) Revolução Panamenha.

39-(UTRPR) "(...) precisamos compreender a realidade que se encontra por trás da elaborada mitologia da Guerra Fria. Não é muito difícil, se atentarmos aos fatos. O fato básico e crucial, que nunca é demais repetir, é que o sistema da Guerra Fria é altamente funcional para as superpotências, e é por isso que ele persiste, apesar da probabilidade de mútua aniquilação no caso de uma falha acidental, que ocorrerá mais cedo ou mais tarde. A Guerra Fria fornece um arcabouço onde cada uma das superpotências pode usar a força e a violência para controlar seus próprios domínios contra os que buscam um grau de independência no interior dos blocos – apelando à ameaça da superpotência inimiga, para mobilizar sua própria população e a de seus aliados."

(Chomski, Noam. Armas Estratégicas, Guerra Fria e Terceiro Mundo. In: Thompson, Edward. Extremismo e Guerra Fria. São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 189-192)

Tendo como referência o texto acima, assinale a alternativa que corretamente interpreta a transcrição.
a) Os discursos ideológicos da Guerra Fria elaboraram um acervo literário, de natureza mitológica, só superado pelo acervo mitológico da antiguidade clássica greco-romana.

b) A eclosão de um conflito nuclear entre EUA e URSS durante a Guerra Fria só não ocorreu graças à eficiência técnica de ambos ao evitarem qualquer falha acidental.

c) O conteúdo ideológico da Guerra Fria forneceu aos países do Terceiro Mundo a condição de perceberem os interesses velados no discurso de todos aqueles que buscavam deles se aproximar.

d) A proposição do uso da força e da violência foi amplamente usado pelos países do Terceiro Mundo para evitar a interferência dos interesses das superpotências nos seus limites territoriais.

e) A Guerra Fria foi utilizada pelas duas superpotências para manter a dominação sobre o Terceiro Mundo, para evitar que algum país de sua área de influência escapasse ao seu controle.

40-(UTRPR) A história da União Soviética começou com a Revolução de 1917, numa tentativa de implementar o socialismo marxista na prática. Mais tarde, a URSS tornou-se um Estado policial sob o comando de Stálin. Contudo, a partir da década de 1970, o planejamento econômico, pilar do regime socialista (por oposição ao livre-mercado) começou a dar sinais de esgotamento. O controle rígido da economia pela burocracia estatal gerou estagnação em vez de crescimento. Aos poucos, o desabastecimento até de mercadorias de primeira necessidade tornou-se a regra da economia soviética. Nesse pano de fundo, em 1985, subiu ao poder Mikhail Gorbachev que, para evitar o colapso do sistema, tentou implementar dois grandes programas político-econômicos:

a) “Perestroika” e “Glasnost”
b) “Bolcheviques” e “Mencheviques”

c) “Gulags” e “Plano Quinqüenal”

d) “Nomenklatura” e “Novaya Ekonomiceskaya Politika”

e) “Kolkozes” e “Soukozes”

41-(UNIFESP) A Guerra do Vietnã opôs o norte ao sul do país e contou, entre 1961 e 1973, com participação direta dos Estados Unidos. Relacione esta guerra com a:
a) Descolonização da Ásia.

b) Guerra Fria.

Resolução
a) Durante a Segunda Guerra Mundial, com a derrota da França na primeira fase da Guerra, o Vietnã que era um domínio colonial francês foi ocupado pelo Japão. Quando a guerra terminou, a França tentou restabelecer o controle, mas não conseguiu. Os franceses foram derrotados pelo Viet Minh na Batalha de Dien Bien Phu, em 1954 na primeira guerra da Indochina, mesmo com ajuda dos EUA. Na Conferência de Genebra o Vietnã foi dividido em dois países separados, conhecidos como Vietnã do Norte e Vietnã do Sul.

b) Durante a Guerra Fria, o norte tinha o apoio da China e da União Soviética, enquanto o sul era "apoiado" pelos EUA. Em 1965, os Estados Unidos enviaram tropas para impedir o governo do Vietnã do Sul de entrar em colapso completo devido as ações do Vietcong (exército comunista no sul) apoiado pelo norte para derrubar o governo do corrupto Ngo Dinh Diem. Os Estados Unidos pretendiam evitar a invasão do Norte e a unificação do Vietnã sob o regime comunista.
42-(UFPEL)
As duas Coréias


SCALZARETTO, R; MAGNOLI, D Atlas: geopolítica. São Paulo: Scipione, 1996.
O mapa demonstra a divisão da Coréia, que foi um episódio da
a) Segunda Guerra Mundial (entre Aliados e Eixo).

b) Guerra Fria (entre União Soviética e Estada Unidos).

c) Revolução Chinesa (entre comunistas e nacionalistas).

d) Guerra Sino-Japonesa (entre a China e o imperialismo japonês).

e) Guerra Russo-Japonesa (na disputa pela Península da Coréia).

VESTIBULAR 2008
43-(ENADE)
No seu nascedouro, a palavra “descolonização” já vem carregada de ideologia, parecendo definir um destino histórico dos povos colonizados: depois de ter colonizado, o europeu “descoloniza”, estando, pois, implícita a vontade do país colonizador de abrir mão de pretensos direitos adquiridos em determinado momento. A generalização do termo implica, de certa forma, uma interpretação eurocêntrica da História, ou seja, a noção de que só a Europa possui uma história ou é capaz de elaborá-la.
Os outros não têm história: nem passado a ser contado nem futuro a ser elaborado.

LINHARES, Maria Yedda Leite. Descolonização e lutas de libertação nacional. In: REIS FILHO, Daniel Aarão; FERREIRA, Jorge; ZENHA, Celeste (orgs.). O século XX. O tempo das dúvidas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. 3 v. Vol. 3: p. 41.
Nas décadas de 1950 e 1960, as reivindicações das ex-colônias africanas e asiáticas resultaram em alterações na dinâmica bipolar do sistema internacional da Guerra Fria. Por meio do Movimento de Países Não-Alinhados (MPNA), os países do “Terceiro Mundo” buscaram (re)escrever a sua história e elaborar projetos próprios para o futuro.
A respeito da descolonização do mundo afro-asiático e da formação do Terceiro Mundo, constata-se que:
a) o não-alinhamento implicou a recusa a qualquer forma de cooperação com alguma das duas superpotências.

b) o discurso terceiro-mundista, esboçado na Conferência de Bandung, consolidou-se no MPNA, denunciando o subdesenvolvimento como fruto da dominação imperialista.

c) o MPNA buscou articular um pólo alternativo de poder, eqüidistante das duas superpotências da Guerra Fria, para atuar no Conselho de Segurança da ONU.

d) o MPNA entrou em declínio nas décadas de 1970 e 1980, devido à “diplomacia do pingue-pongue”, à crise do pan-arabismo e ao fracasso militar das lutas de libertação nacional.

e) a Conferência de Bandung contou com a participação exclusiva de países subdesenvolvidos e excluiu das discussões os países alinhados aos EUA ou à URSS.

44-(FDV) “A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) ou North Atlantic Treaty (NATO) foi criada em 1949, como um grande sistema de defesa multinacional, que reuniu as forças militares dos Estados Unidos, do Canadá e de vários países da Europa.”
LUCCI, Elian Alabi; BRANCO,Anselmo Lazaro; MENDONÇA, Cláudio. TERRITÓRIO E SOCIEDADE no mundo globalizado. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo: Saraiva, 2005, p.84.
Sobre a OTAN, assinale a única afirmativa CORRETA.
a) Criada no contexto da Guerra Fria, a OTAN tinha como principal objetivo garantir o sucesso do Plano Marshall na reconstrução dos países europeus afetados pela Segunda Guerra Mundial.

b) Com o desmoronamento do bloco socialista no final dos anos 1980, a OTAN perdeu sua razão de existência e encerrou suas atividades.

c) A Rússia finalmente rendeu-se ao projeto dos Estados Unidos para a instalação de elementos de um escudo antimísseis na Polônia e na República Tcheca.

d) A OTAN tinha, na sua origem, um significado e um objetivo paralelos, no domínio político-militar aos do Plano Marshall no domínio político-econômico.

e) Com o aval da Rússia, a OTAN decidiu ampliar-se até os Bálcãs Ocidentais, a região mais instável da Europa, admitindo como novos membros da Organização a Ucrânia e a Geórgia.

45- (MACK)

“(...) Fidel se beneficiou da Guerra Fria e vendeu a importância geopoIítica de Cuba à União Soviética, em troca de generosos subsídios. Cuba é muito mais importante no mundo como um símbolo. E ela é um símbolo por causa de Fidel. Sem Fidel, o regime cubano perde o símbolo da vanguarda do comunismo internacional ou, ao menos, do antiimperialismo, especialmente do antiamericanismo. A Revolução Cubana nunca se viu como uma mudança de governo em Cuba apenas. A atuação de Ernesto Che Guevara na África e na América do Sul era parte da mística em torno dos combatentes de Sierra Maestra. Para a América Latina, especificamente, Fidel foi o ícone das mudanças que organizações de esquerda do Continente inteiro buscavam.” (Revista Época, fevereiro de 2008)

A saída de Fidel Castro da liderança do governo reacendeu o debate acerca da controvertida História Cubana. A respeito do tema, considere as afirmações abaixo.
I. No contexto internacional da Guerra Fria, Cuba foi um palco importante na disputa entre os EUA e a ex-URSS, com destaque para a ‘Crise dos Mísseis’, em 1962, quando o mundo esteve à beira de um confronto nuclear.
II. A Revolução Cubana inspirou movimentos de esquerda na América Latina, a partir da década de 1960, sendo adotada como modelo para os grupos guerrilheiros pró-socialistas, a exemplo da Guerrilha do Araguaia, no Brasil.
III. Para superar a crise vivida por Cuba desde o fim da URSS, o país busca ampliar suas relações econômico-comerciais, sobretudo na América Latina, destacando-se sua aproximação com a Venezuela de Hugo Chávez.
Dessa forma,
a) apenas as afirmações I e II estão corretas.
b) apenas as afirmações II e III estão corretas.

c) apenas as afirmações I e III estão corretas.

d) apenas a afirmação III está correta.

e) todas as afirmações estão corretas.

46-(UNEAL) Após 1950, ocorreram transformações sociais que alteraram as relações norte-sul no planeta. Entre essas situações, podem ser mencionadas as seguintes, exceto:
a) as revoluções socialistas em países do Terceiro Mundo.
b) a ascensão dos EUA como superpotência.

c) a Revolução Bolchevique e o surgimento do Estalinismo.

d) o estabelecimento do Plano Marshall.

e) os movimentos de independência na Ásia e na África.

47-(UFVJM) Leia este texto.
“Cercada de mitos e impregnada intensa propaganda oficial, a expressão guerra fria se baseia num princípio fundamental: a partir do fim da II Guerra Mundial, tamanho era o poderio nuclear dos Estados Unidos e da União Soviética, que evitavam se destruir passando a se chocar diplomaticamente em locais onde não havia risco de conflito nuclear. Esta seria a equação básica para as relações internacionais e, na medida em que o conflito entre EUA e URSS é ideológico e de aniquilação mútua, o mundo teria de se posicionar entre um e outro, formando áreas de influência e blocos diplomáticos..”

(Adaptado de: BARROS: 1988, p. 5)

Dentre os eventos da chamada Guerra Fria, ASSINALE a alternativa INCORRETA.
a) Em 1955, foi criado oficialmente o plano Marshall, formulado pelo Secretário de Estado norte-americano, George Marshall, com o objetivo de reconstruir a Europa Oriental do pós-guerra por meio de ajuda financeira, técnica e econômica.
b) Em 1949, por iniciativa da URSS, criou-se o Conselho de Assistência Mútua (Comecon), que tinha por objetivo integrar as economias do bloco socialista do leste europeu por meio da elaboração de planos estratégicos de dinamização econômica.

c) Em 1949, foi instituída, sob a liderança dos Estados Unidos da América, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), instrumento políticomilitar e ideológico com o objetivo de conter qualquer ameaça soviética aos países capitalistas.

d) Em 1955, foi criado o Pacto de Varsóvia (Tratado de Amizade, Coorperação e Assistência Mútua) por iniciativa da URSS, configurando-se como uma clara resposta à criação da OTAN.

48-(UMTM) Harry Truman, presidente dos Estados Unidos, afirmou em 1947:
“Um dos modos de vida se baseia na vontade da maioria e distingue-se pelas instituições livres, pelo governo representativo (...). O segundo modo de vida baseia-se na vontade de uma minoria, imposta pela força à maioria. (...). Acredito que a política dos Estados Unidos deve ser a de apoiar os povos livres que estão resistindo à subjugação tentada por minorias armadas ou por pressões vindas de fora.”
(Harold Syrett, Documentos históricos dos Estados Unidos)

O “segundo modo de vida” a que o presidente norte-americano se refere é o
a) comunista.
b) neoliberal.

c) fundamentalista.

d) capitalista.

e) anarquista.

49-(UFMA) Analise as proposições abaixo relativas à conjuntura pós Segunda Guerra Mundial e, depois, assinale a opção que contém a seqüência correta.
I. Um dos fenômenos históricos que marcou o pós guerra foi a descolonização da Ásia e da África.

II. A Guerra Fria possibilitou aos países europeus manterem sob o seu domínio as antigas

III. No que se refere à África, à luta contra o colonizador somou-se a disputa interna pelo poder entre facções rivais.

IV. Na Ásia, após a Revolução de 1948, a China surgiu como nova potência comunista sob a liderança de Chiang Kai-Chek.

V. Na Índia, a luta pela independência deu origem a dois Estados: Índia e Paquistão

a) I, III e V.
b) II, IV e V.

c) I, II e III.

d) II, III e IV.

e) III, IV e V.

50-(PUCMG-adap) O processo de exumação da área de influência do comunismo no mundo europeu teve como começo a reunificação das duas Alemanhas. Entre os diversos fatores que contribuiu para avançar esse processo, é CORRETO indicar:
a) a intensificação da Guerra Fria na Ásia.
b) Glasnost e Perestroika na União Soviética.

c) o fim do Apartheid e a influência da Igreja Católica.

d) o aumento das ações terroristas no mundo.

51-(UNISC) A Guerra Fria entre EUA e URSS fez com que os americanos desenvolvessem políticas de “boa vizinhança” com seus pares latino-americanos, inclusive com o Brasil. Faz parte dessa política
a) o programa Bolsa-Escola implementado pelo Regime Militar.
b) o empenho do cinema americano produzindo filmes desqualificando a América Latina.

c) a ajuda do governo Kennedy a Cuba depois da Revolução Cubana.

d) o auxílio conhecido como Aliança para o Progresso, que distribuía, entre outros, alimentos para a população pobre da América Latina.

e) o projeto de erradicação do analfabetismo, da fome e da miséria com a transferência direta de renda do FMI aos pobres.

52-(PUCMG) O processo de exumação da área de influência do comunismo no mundo europeu teve como começo a reunificação das duas Alemanhas. Entre os diversos fatores que podemos apontar para avançar esse processo, é CORRETO indicar:
a) a intensificação da Guerra Fria na Ásia.
b) Glasnost e Perestroika na União Soviética.

c) o fim do Apartheid e a influência da Igreja Católica.

d) o aumento das ações terroristas no mundo.

53-(UFMT-adap) Os textos abaixo se referem a um contexto de um período da história brasileira.
Como é difícil acordar calado

Se na calada da noite eu me dano

Quero lançar um grito desumano

Que é uma maneira de ser escutado

Esse silêncio todo me atordoa

Atordoado eu permaneço atento

Na arquibancada pra a qualquer momento

Ver emergir o monstro da lagoa

(Cálice. Chico Buarque de Hollanda e Gilberto Gil. In: BOLLE, A. B. M. Chico Buarque de Hollanda. Col. Literatura comentada. São Paulo: Abril Cultural, 1980, p.42.)


(HENFIL. A volta do Fradim. São Paulo: Geração Editorial, 1993.)

Que características da sociedade nacional daquela época estão retratadas, respectivamente, nos textos?
a) Abertura política e tortura.
b) Censura e anticomunismo.

c) Eleições diretas e censura.

d) Repressão e voto universal.

e) Anticomunismo e militarismo.

54-(FGV) "O novo secretário-geral do PC soviético, Mikhail Gorbachev, de 54 anos, assumiu o poder (...). Gorbachev é o mais jovem líder soviético desde Josef Stalin (...)."
(Jayme Brener, "Jornal do século XX")
Sobre esse governo, é correto afirmar que foi caracterizado
a) pela ampliação do arsenal atômico da União Soviética e dos aliados no leste europeu, como decorrência direta do Programa Guerra nas Estrelas do presidente Ronald Reagan.

b) pelo projeto e execução de profundas reformas econômicas e políticas, que superassem a estagnação econômica e garantissem o desenvolvimento da democracia.

c) pelo aumento constante da produtividade soviética na indústria e na agricultura, com o conseqüente aumento do PIB, que superou o dos Estados Unidos em 1990.

d) pela realimentação da Guerra Fria com a acusação formal contra espiões norte-americanos e ingleses, além do rompimento das relações diplomáticas com a China.

e) pela recuperação de vários princípios da era stalinista, como os planos qüinqüenais, a coletivização da terra e a obrigatoriedade de salários iguais para os operários industriais.

55-(UFRJ)


"Caiu o muro. Na noite de 9 de novembro de 1989, uma quinta-feira cinzenta de outono, esta notícia se espalhou pelas duas Berlim, Ocidental e Oriental. Milhares de pessoas foram fazer o teste, foram ver para crer e passaram sem controle por uma das fronteiras mais sensíveis e bem defendidas do mundo, o muro de Berlim, que separou duas partes de uma cidade de mais de três milhões de habitantes e, mais do que isso, limitou dois mundos, dois sistemas políticos e econômicos antagônicos."
Adaptado de RAMALHO, Luís Antônio. "Caiu o muro, viva Gorbatchov", in: "Tempo e presença". Rio de Janeiro:CEDI,1990.
A derrubada do Muro de Berlim representa um dos mais fortes signos do ocaso da chamada Guerra Fria (1947-1991). Identifique dois motivos para o fim da Guerra Fria.
Resposta:
O candidato deverá identificar dois motivos que levaram ao fim da Guerra Fria, entre os quais:
- estagnação econômica e incapacidade da União Soviética e de seus aliados em acompanhar a revolução científica e tecnológica operada nos países centrais do capitalismo (EUA; Japão; Alemanha);

- contínua ampliação da luta por reformas democráticas nos países do Leste Europeu e, nesse mesmo sentido, a acolhida majoritariamente positiva das iniciativas renovadoras do governo Gorbachev;

- necessidade da URSS de desanuviar suas relações com os EUA e seus aliados, no sentido de reduzir os altos comprometimentos do orçamento com a produção bélico-militar;

- intensificação de movimentos nacionalistas e separatistas na URSS, o que fortaleceu sua desintegração oficializada em 1991;

- êxito da onda neoliberal, nucleada pela Inglaterra de Margaret Thatcher e os EUA de Ronaldo Reagan;

- fracasso da política de reestruturação econômica e perda da legitimidade interna do governo Gorbachev.

VESTIBULAR 2007
56-(CÁSPER) “O ator de cinema George Clooney e o escritor e Prêmio Nobel Elie Wiesel reuniram-se com o Conselho de Segurança da ONU, nesta quinta-feira, para solicitar maior intervenção da comunidade internacional na crise humanitária que afeta a região de Darfur, no Sudão. Devido à guerra civil e crise alimentar, em pouco mais de três anos, 300 mil pessoas morreram e 2,5 milhões tornaram-se refugiados internos no Darfur. As Nações Unidas querem que as autoridades do Sudão permitam a deposição de uma força de paz ONU com 20 mil soldados, em substituição às tropas da União Africana,que se retirarão do Darfur no final de setembro.O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, na quarta-feira, mais de uma vez condenou o governo sudanês pelo massacre de grupos rebeldes na região. Nesta quinta-feira, na sede da ONU, em Nova York, também foi realizada uma conferência internacional sobre as Nações Unidas, a reação e prevenção de genocídio.”

14 setembro 2006-George Clooney e Elie Wiesel pedem proteção à população de
Darfur http://radio.un.org/por/story.asp?NewsID=1111 Rádio das Nações Unidas

Questões como essas são tratadas no filme Hotel Ruanda, que mostra a demora do Conselho de Segurança em adotar uma resolução sobre o genocídio imposto pelos hutus aos tutsis, em 1994. O genocídio e a crise humanitária em Darfur (Sudão) e o conflito entre Israel e o Líbano em 2006 têm mostrado a dificuldade do Conselho de Segurança em adotar algumas ações e resoluções urgentes, capazes de impedir ou controlar conflitos com conseqüências humanitárias graves. Em relação ao Conselho de Segurança da ONU, é correto afirmar que:
I. Cinco membros do Conselho de Segurança são permanentes e têm poder de veto, de acordo com o estipulado na Carta das Nações Unidas. São eles: China, França, Estados Unidos, Reino Unido e Federação Russa.

II. O Conselho de Segurança dá muita importância à prevenção de conflitos armados num primeiro momento, mas, depois de uma disputa já ter começado, o primeiro objetivo é tentar encontrar uma solução diplomática.

III. O Conselho de Segurança não tem poder de estabelecer sanções econômicas, já que isso é uma atribuição que só pode ser tomada em conjunto com outro órgão da ONU, que é a OMC (Organização Mundial do Comércio)

IV. Cinco membros do Conselho de Segurança são permanentes e têm poder de veto, de acordo com o estipulado na Carta das Nações Unidas. São eles: França, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Rússia. A Venezuela postulou, sem sucesso, o seu ingresso nesse grupo em 2006.

V. A Carta das Nações Unidas, espécie de Constituição da ONU, estabelece que o Conselho é o órgão primordialmente responsável pela manutenção da paz e da segurança internacionais.

Estão corretas:
a) II; IV e V.

b) I; III e V.

c) II; III e IV.

d) I; II e V.

e) Todas as afirmativas.

57-(UEPB) Em relação à Guerra Fria, que teve como marco inicial o fim da II Guerra Mundial e o seu término simbolizado pela queda do Muro de Berlim, pode-se afirmar:
I. A Guerra Fria foi um confronto nuclear direto entre os Estados Unidos e a União Soviética.
II. Os países latino-americanos foram diretamente afetados por esse confronto ideológico, com a implantação de ditaduras militares, cuja finalidade era evitar a expansão do comunismo nesses países.

III. Países como a Coréia e o Vietnã tiveram seus territórios divididos por sangrentas guerras que separaram capitalistas e comunistas, alinhados respectivamente aos Estados Unidos ou à ex-União Soviética.
IV. Em países do Terceiro Mundo, guerras, violações dos direitos humanos através de torturas e mortes, além do cerceamento de liberdades, foram justificadas em nome da democracia e do combate ao comunismo.

Estão corretas APENAS as proposições:
a) II e IV

b) I, III e IV

c) II, III e IV

d) I e III

e) I, II e IV

58-(UFMS) Assinale a alternativa que melhor define a Guerra Fria.
a) Política de “paz armada”, desenvolvida pelas potências internacionais no período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial, da qual resultaram tratados de alianças como a Tríplice Entente e a Tríplice Aliança.
b) Estado de tensão permanente entre o bloco capitalista, liderado pelos Estados Unidos, e o bloco socialista, liderado pela União Soviética, resultante da disputa entre essas duas potências por uma posição hegemônica no contexto internacional, no período posterior à Segunda Guerra Mundial.

c) Tensão militar ocorrida entre Inglaterra e Alemanha, no final do século XIX, motivada pela disputa, entre os dois Estados Nacionais, pelo controle do comércio do Mar do Norte.

d) Estratégia desenvolvida pelos Estados Unidos, no âmbito de sua política internacional, visando conter a expansão imperialista da União Soviética, nação que emergiu da Segunda Guerra Mundial como a maior potência econômica e militar do mundo.

e) Choque ocorrido entre os países industrializados europeus entre o final do século XIX e o início do século XX, em razão da disputa por colônias na África e na Ásia.

59-(UFPI) Mikhail Gorbachev assumiu a chefia da União Soviética, em março de 1985. Analise as afirmações abaixo sobre as características de seu governo.
I. Fim da economia planejada com a liberação dos preços.
II. Incentivo aos movimentos de autonomia das nacionalidades.

III. Autorização para o funcionamento de pequenas empresas privadas.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente I é verdadeira.
b) Somente II é verdadeira.

c) Somente I e II são verdadeiras.

d) Somente II e III são verdadeiras.

e) Somente I e III são verdadeiras

60-(UFAL) Após a Segunda Guerra Mundial uma série de fatos novos foi responsável por uma ordem mundial que teve a duração de, aproximadamente, quatro décadas. Sobre essa ordem considere a lista a seguir:
I. Começou a tomar força a discussão sobre a existência de um grupo de países capitalistas, dependentes e com grande atraso tecnológico, que passou a denominar-se Terceiro Mundo.
II. Uma forte onda de superprodução abalou as bolsas de valores dos países centrais e, por conseqüência, provocou crises sucessivas nos países capitalistas industrializados.

III. O planejamento de Estado implantado na União Soviética estendeu-se aos países da Europa Oriental que se tornaram satélites da potência soviética.

IV. O Globo ficou dividido em duas grandes áreas de influência político-ideológica responsável pelo desaparecimento de órgãos supranacionais como a OTAN e o Pacto de Varsóvia.

Está correto o que se afirma SOMENTE em
a) I e II.
b) I e III.

c) I e IV.

d) II e III.

e) III e IV.

61-(UFRN) A “queda do muro de Berlim”, ocorrida no final de 1989, é um dos marcos do surgimento de uma “nova ordem mundial”, que pode ser compreendida a partir de duas dimensões: a geopolítica e a econômica.
Explique as mudanças geopolíticas e econômicas decorrentes dessa “nova ordem mundial”.
Resposta:

Do ponto de vista geopolítico, a principal mudança foi o fim do período denominado de Guerra Fria e, por conseguinte, da bipolaridade de poder das superpotências mundiais (União Soviética e Estados Unidos) e dos blocos mundiais por elas comandados. Na “nova ordem geopolítica mundial”, denominada “ordem multipolar”, as superpotências se impõem mais em face do seu poderio econômico do que bélico, ou seja, na “nova ordem”, o poder está vinculado diretamente ao avanço tecnológico, a níveis de produtividade, à disponibilidade de capitais, à competitividade e à qualificação da mãode- obra. Outra característica marcante na “nova ordem mundial” é o processo de globalização da economia, com a formação de blocos econômicos regionais, tais como a União Européia e o Nafta.

62-(UFRJ) A partir do final da Guerra Fria, ocorreram importantes mudanças nos limites territoriais de diversos estados europeus. O mapa da Europa já não é mais o mesmo.


Apresente três importantes mudanças ocorridas na divisão territorial dos estados europeus a partir do fim da Guerra Fria.
Resposta:
Entre as mais importantes mudanças ocorridas nos limites territoriais de Estados europeus estão: a unificação da Alemanha, com o fim da separação entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental; a desestruturação do Estado Soviético e o surgimento de vários Estados independentes; a divisão da Tchecoslováquia em dois Estados, a República Tcheca e a Eslováquia; a fragmentação da Iugoslávia em vários Estados, tais como, Croácia, Eslovênia, Bósnia-Herzegovina, Sérvia e Montenegro.

63-(CEFETSP)


Sobre o país destacado no mapa, é correto afirmar que

a) seu território esteve, na Antigüidade, sob domínio do Império Romano, sendo a província mais lucrativa ao fornecer trigo e metais preciosos.
b) tornou-se, no início da Idade Moderna, sede da Reforma Protestante, onde surgiu uma nova religião baseada na venda de indulgências.

c) desenvolveu, no final do século XIX, uma política de alianças que gerou o nazismo, regime político derrotado na Guerra Franco-Prussiana.

d) foi dividido em áreas de influência pelo Tratado de Versalhes, no fim da Primeira Guerra Mundial, nascendo um Estado capitalista e um socialista.

e) alcançou a reunificação em 1990, após a queda do Muro de Berlim, símbolo da Guerra Fria, construído na zona de ocupação soviética.
FONTE: GEOGRAFIAPARATODOS
GABARITO:
1-B 2-E 3-C 4-A 5-E 6-D 7-B 8-B 9-- 10-B 11-- 12-C 13-D 14-D 15-C 16-A 17-A 18-E 19-B 20-A 21-E 22-E 23-D 24-B 25-D 26-E 27-A 28-C 29-- 30-- 31-16 32-C 33-60 34-E 35-A 36-B 37-C 38-B 39-E 40-A 41-- 42-B 43-B 44-D 45-E 46-C 47A 48-A 49-A 50-B 51-D 52-B 53-B 54-B 55-- 56-D 57-C 58-B 59-E 60-B 61-- 62-- 63-E

Nenhum comentário: