quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

PROVAS E GABARITOS SOBRE O ESPAÇO AGRÁRIO NO MUNDO /BRASIL

VESTIBULAR 2013

(UERJ)


Nas últimas décadas, o avanço do cultivo da soja no Brasil, além de incorporar novas áreas, causou diversas modificações nos ecossistemas do país.
Identifique dois biomas brasileiros que sofreram expressiva degradação em função da recente expansão da soja no território nacional.
Aponte, também, dois fatores que explicam o elevado crescimento de sua produção na região central do Brasil.

Resposta:

 Biomas:
• cerrado
• Amazônia
• campos limpos

Fatores:
• baixo valor da terra
• estabelecimento de agroindústrias na região
• melhorias no sistema de transporte regional
• topografia altamente favorável à mecanização
• desenvolvimento tecnológico para a produção de soja

(UNICENTRO) Assinale a alternativa correta sobre os efeitos do processo de modernização da agricultura brasileira, que se verificou a partir da década de 1970 e que afetou as formas de produção e a estrutura fundiária.

a) Ocorreu a ampliação da área plantada nas pequenas e médias propriedades, com maior aproveitamento dos fundos de vales na produção de cultivos diversos (policultura) como o milho, o arroz e o feijão.
b) A monocultura mecanizada de grãos com aplicação maciça de insumos como fertilizantes químicos e biocidas favoreceu os pequenos produtores rurais, que dispunham de pouca mão de obra para o trabalho.
c) Muitos pequenos produtores rurais que não dispunham de capital para assumir os altos custos dos insumos modernos foram obrigados a vender suas propriedades para quem dispunha de capital para investir. Com isso, aumentou a concentração da posse da terra, bem como o tamanho médio das propriedades.
d) A agricultura mecanizada moderna intensificou a adoção de técnicas de adubação orgânica tendo, portanto, reduzido o impacto provocado pelos adubos sintéticos na poluição dos solos e das águas, ao mesmo tempo em que priorizou, no estado do Paraná, o cultivo de produtos permanentes em substituição às culturas temporárias.
e) A agricultura moderna mecanizada foi um dos fatores responsáveis pelo aumento da produtividade dos policultivos de arroz, feijão e milho e particularmente de hortifrutigranjeiros, no “cinturão verde” das cidades.

(UNICENTRO) A agricultura familiar envolve a formação de um circuito produtivo e de círculos de cooperação nas esferas econômica e política, para que o sucesso do empreendimento possa ocorrer. Assinale a alternativa INCORRETA sobre as características e as estratégias pertinentes a esse tipo de sistema produtivo.

a) A cadeia produtiva da produção de alimentos envolve, por exemplo, aspectos da produção, da transformação, da distribuição e do consumo.
b) Os “espaços de transferência” são aqueles responsáveis pelo transporte e pela distribuição social dos alimentos.
c) A produção familiar de soja para exportação foi o mais importante legado do processo de modernização da agricultura brasileira, a chamada “Revolução Verde”, que implantou métodos ecológicos de cultivo.
d) As produção de hortifrutigranjeiros caracteriza-se, geralmente, pela proximidade das áreas de produção e de consumo; a agricultura familiar encaixa-se bem nesses circuitos curtos, de consumo mais imediato.
e) Na produção familiar, a transformação ou o processamento da matéria prima, isto é, do produto
primário cultivado, pode agregar maior valor ao produto final que vai para o mercado.

(UEL) O espaço geográfico é resultante e condicionante da organização social, o que pode ser exemplificado pela apropriação histórica da posse da terra no Brasil e suas implicações socioespaciais.
Com base nesse processo, assinale a alternativa correta.

a) A atual estrutura fundiária norte-paranaense reproduz as características do processo de colonização iniciado no século XVI.   
b) A concentração da posse da terra no Brasil foi reduzida com a Lei de Terras de 1850, que regulamentou a propriedade da terra.   
cA manutenção da elevada concentração da posse da terra e a mecanização agrícola no país intensificaram o processo de urbanização a partir de 1950.   
d) A mecanização da agricultura no interior paranaense, a partir de 1930, favoreceu a formação de pequenas propriedades.   
e) As transformações fundiárias no nordeste brasileiro pós 1950 caracterizam-se pela ampliação do número de pequenas propriedades.   

(UDESC) Em texto publicado no jornal "O Estado de São Paulo", no dia 8 de junho de 2012, Aldo Rebelo
explica que “o objetivo central do novo Código Florestal é deixar o agricultor trabalhar em paz e
em harmonia com o meio ambiente”, de forma que se possa conciliar preservação e
crescimento econômico. O deputado assegura que, com base na nova legislação, é “possível
enfrentar a ilegalidade de boa parte da atividade agrícola e da pecuária em razão das
restrições impostas, com um mínimo de criatividade, que permita aos estados, dentro das
exigências atuais, preservar os porcentuais mínimos de cada bioma, adaptando-se às
condições locais, ao modelo de ocupação do território e à estrutura da propriedade da terra”. O
projeto do novo Código Florestal é muito polêmico em razão de:

a) opor interesses da bancada ruralista aos da bancada ligada à área ambiental.
b) propor o uso de áreas de preservação para projetos turísticos.
c) propor a diminuição de áreas de reflorestamento com a ampliação de áreas para cultivo e criação.
d) defender o uso de espaços de floresta para construção de usinas hidrelétricas.
e) não ser tão rígido com o desmatamento florestal.

(PUCRS) Resolver a questão com base nas informações a seguir.

O Brasil tem uma posição importante na produção e na exportação de produtos agrícolas (café, açúcar, soja e laranja). Entre as culturas desenvolvidas para abastecer o mercado interno, podemos citar o arroz – considerado essencial na alimentação do povo brasileiro.

Os estados do Brasil que mais produzem arroz são

1. Rio Grande do Sul
2. Mato Grosso
3. Pernambuco
4. Alagoas

Os estados corretamente apontados são, apenas, os de número
a) 1 e 2.
b) 1 e 4.
c) 3 e 4.
d) 1, 2 e 3.
e) 2, 3 e 4.

(UFMT) Estimativas de pesquisadores apontam que em áreas planas, como no Cerrado mineiro ou no Sul da Bahia, mais de 50% das colheitas sejam mecanizadas. Acredita­se que no Sul de Minas o percentual tenha alcançado 30%, tomando por base a área com a cultura e o potencial de uso de máquinas obtidos em um estudo de 2006. Cerca de 80% da área total cultivada na região – 500 mil hectares – está apta a receber tratores e 70% dela, em média, é MA PI CE RN adequada para as colheitadeiras.
Nas áreas montanhosas, a mecanização torna-­se limitada ao uso de derriçadoras portáteis, que fazem o serviço de três a cinco apanhadores. E cada vez mais produtores estão utilizando o equipamento, em virtude da falta de mão de obra.

(Valor Econômico, 20.08.2012. Adaptado.)

As informações apresentadas no texto referem-se à produção de

a) cana-de-açúcar.
b) algodão.
c) arroz.
d) cacau.
e) café.

(UERJ)


Com base no mapa, é possível associar a macrorregião brasileira com maior proporção de migrantes à presença da seguinte dinâmica socioespacial:
a) criação de área turística   
b) formação de distrito industrial   
c) ampliação de reserva ambiental   
dexpansão da fronteira agropecuária   

(UERJ)


Nas últimas décadas, o avanço do cultivo da soja no Brasil, além de incorporar novas áreas, causou diversas modificações nos ecossistemas do país.
Identifique dois biomas brasileiros que sofreram expressiva degradação em função da recente expansão da soja no território nacional.
Aponte, também, dois fatores que explicam o elevado crescimento de sua produção na região central do Brasil.

Resposta:

 Biomas:
• cerrado
• Amazônia
• campos limpos

Fatores:
• baixo valor da terra
• estabelecimento de agroindústrias na região
• melhorias no sistema de transporte regional
• topografia altamente favorável à mecanização
• desenvolvimento tecnológico para a produção de soja
• incentivos fiscais para a abertura de novas áreas de produção, aquisição de máquinas e construção de silos e armazéns

 

(IFNMG) A produção de cana-de-açúcar vem crescendo bastante nestes últimos anos no Brasil, impulsionada pela entrada, no mercado, dos carros bicombustíveis. Esta produção está se espalhando por várias regiões do país, mas ainda continua concentrada no estado de São Paulo e no litoral nordestino, como mostra o mapa seguinte.


Fonte: . Acesso: 21 nov. 2012.

Com relação à produção de cana, julgue as afirmativas a seguir:

I-       A produção foi incentivada com o Choque do Petróleo da década de 1970, surgindo o Pró-Álcool e os carros movidos por este combustível.
II-      A ocupação de áreas para produção de cana-de-açúcar tem sido muito criticada por movimentos sociais, já que promovem desmatamento e ocupam áreas de solos de alta qualidade, os quais poderiam ser usados para a produção de alimentos.
III-     Pelo fato de ser um produto que depende da agricultura, o álcool possui períodos de altas e baixas nos preços, prejudicando os consumidores.
IV- A produção de álcool tem prejudicado a produção do açúcar, uma vez que os dois produtos dependem da mesma matéria-prima.
V-      A maior parte da cana do Nordeste Brasileiro destina-se à produção do açúcar, que tem como principal mercado os países africanos e asiáticos.

Com relação às afirmativas, assinale a opção CORRETA:
a) Todas estão corretas.
b) Somente as afirmativas I, II e IV estão corretas.
c) Somente as afirmativas III, IV e V estão corretas.
d) Somente a afirmativa V está errada.

(FGV-RIO) Sobre a agricultura canavieira no Brasil, assinale a alternativa correta.

e) O avanço da monocultura canavieira figura entre os principais fatores de desmatamento do bioma amazônico.
b) O avanço da monocultura canavieira é responsável por um volume crescente de empregos agrícolas, pois ainda não foram desenvolvidos maquinários capazes de substituir a mão de obra na fase de colheita.
c) Os estados nordestinos ampliaram sua participação na produção nacional de cana de açúcar na última década, pois apresentam vantagens comparativas relacionadas ao preço da mão de obra.
d) Na região Centro-Oeste, os canaviais foram substituídos por atividades agropecuárias mais lucrativas, tais como o cultivo de soja e a criação de gado.
e) Na região Sudeste, a expansão do plantio ocorrida na última década resultou do aumento da demanda pelo álcool combustível.

(FGV-SP) Analise o gráfico para responder à questão.

GRANDES REGIÕES


(FERREIRA, Graça M. L. Atlas geográfico: espaço mundial. São Paulo: Moderna, 2010. p. 143)

A leitura do gráfico permite afirmar que 1
a) e 2 correspondem, respectivamente, ao Centro-Oeste e ao Norte, regiões de ocupação agropecuária mais recente.
b) e 2 apresentam a distribuição das propriedades de terra nas regiões Centro-Oeste e Nordeste, ambas com forte concentração fundiária.
c) identifica a estrutura fundiária do Sul, tradicionalmente a região com maior avanço tecnológico no setor agro- pecuário.
d) destaca o predomínio das grandes propriedades no Nor- deste, historicamente a região com maiores desigualdades sociais.
e) apresenta a distribuição das propriedades no Norte, região com fraca participação da agricultura familiar em pequenas propriedades.

(FGV-SP) Analise o gráfico.


(www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/ lspa/lspa_201107comentarios.pdf)

A partir da leitura do gráfico e dos conhecimentos sobre a dinâmica territorial da agricultura brasileira, é correto afirmar que, no período analisado,
a) a produtividade agrícola do país apresentou crescimento significativo.
b) a maior parte da área cultivada no país destinou-se à produção de cereais.
c) o fraco aumento da área cultivada indicou o esgotamento da fronteira agrícola.
d) a instabilidade da produção esteve relacionada aos problemas climáticos.
e) a região Sudeste é a que apresenta maior área e produção agrícola do país.

(URCA) Em Prática de Campo, das disciplinas de Cartografia Temática e Geografia da População do Curso de Geografia da Universidade Regional do Cariri, perfazendo um roteiro que visitou parte dos Estados do Ceará, Pernambuco, Piauí, Maranhão e Tocantins, os alunos do 4o Semestre do Curso de Geografia da URCA se depararam com um Acampamento de Famílias de Agricultores Sem Terra.

Diante da realidade percebida pelos alunos identifique abaixo a proposição que traz informações
ERRADAS sobre a temática.

a) O problema da alta concentração de terras no Brasil, vêm desde 1530, quando com a introdução da monocultura canavieira,e com ela o regime de grandes latifúndios.
b) A Lei de terras de 1850, foi elaborada para reafirmar a grande propriedade rural no Brasil, mantendo assim os privilégios de que gozavam os seus proprietários. Sendo assim o acesso a terra continuou sendo um grande problema para as massas despossuídas da sociedade brasileira.
c) O campo brasileiro está, historicamente, marcado por conflitos que envolvem interesses opostos, temos ações que resultam em desmatamento e concentração fundiária, de um lado, e à defesa da floresta e da posse da terra pelos trabalhadores rurais, de outro.
d) A chegada de grandes projetos agropecuários no sul do Maranhão e Piauí representa um avanço nas questões socioambientais, pois os mesmo só trabalham com produtos de origem orgânica e garantem trabalho, terra e renda para os autóctones.
e) O Pequeno Agricultor do campo brasileiro, em sua grande maioria, está desarmado diante de uma
economia cada vez mais modernizada, concentrada e desalmada, incapaz de se prevenir contra as
vacilações da natureza, de se armar para acompanhar os progressos técnicos, de se defender contra as
oscilações dos preços externos e internos e da ganância dos intermediadores.

(UNCISAL) Situações como a descrita no texto abaixo têm sido comuns pelo menos desde a década de 70 e estão relacionadas ao crescimento, no campo brasileiro,

O grupo móvel do Ministério do Trabalho encontrou 421 trabalhadores em condições consideradas degradantes, em Quirinópolis no sul do estado de Goiás. O MT diz ter resgatado os trabalhadores. Originários na maioria de outros estados, eles atuavam no plantio e corte da cana-de-açúcar, em frentes de trabalho da empresa Agropecuária Campo Alto, Sociedade Anônima dirigida por um conselheiro da ÚNICA (União da Indústria de Cana-de-açúcar).

(disponível em: folha.uol.com.br).

a) da prática do arrendamento capitalista, por cooperativas de trabalhadores.
b) das relações de meação em áreas da agricultura familiar.
cdo trabalho assalariado temporário, nas áreas de monocultura.
d) do sistema de colonato, nas áreas de culturas tradicionais.
e) da agricultura orgânica, baseada no uso intensivo da mão de obra.

(UFPA) Considere a tabela abaixo

Características dos estabelecimentos agropecuários, segundo tipo de agricultura-Brasil 2006.

Fonte: Estatísticas do meio rural 2010 – 2011. MDA/DIESSE. 2011. pp.181

Em relação aos aspectos do espaço rural brasileiro do século XXI, é correto afirmar:
a) Na estrutura fundiária do espaço rural brasileiro predominam estabelecimentos de agricultura não familiar. Herança do período colonial, esses estabelecimentos ocupam as maiores extensões do campo, têm o maior valor de produção e receita, mas empregam menos mão de obra do que a agricultura familiar.
b) No meio rural brasileiro prevalecem os estabelecimentos que desenvolvem agricultura familiar. Eles abrangem as maiores extensões do campo, empregam mais mão de obra do que a agricultura não familiar, ainda que seu valor de produção e renda ainda sejam menores que o desta.
A tabela acima representa a concentração de área nos estabelecimentos que desenvolvem agricultura familiar, ainda que o maior valor da produção e da receita sejam obtidos pela agricultura não familiar. Tal configuração formou-se a partir elaboração do I Plano Nacional de Reforma Agrária, no governo de Fernando Henrique Cardoso.
dO número de estabelecimentos ocupados pela agricultura familiar, associado à área e quantidade de mão de obra empregada por estes denuncia a estrutura agrária desigual, herança histórica que confere à agricultura não familiar as maiores áreas, apesar de empregar menos mão de obra.
e) O maior número de estabelecimentos ocupados com agricultura familiar é um fato recente e indica a desconcentração fundiária desencadeada a partir do II Plano Nacional de Reforma Agrária, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.

(IFBA)

Disponível em: http://1.bp.blogspot.com/_njKNBgP6DkI/ TOGIr1VSxCI/AAAAAAAAAl0/_UKJPKvL9uQ/s400/ %25C3%25AAxodo+rural.png. Acesso em 13 de julho de 2012.

No que se refere à relação campo-cidade no espaço geográfico brasileiro, é incorreto considerar que

a) a concentração fundiária no campo brasileiro tem como marco histórico a Lei de Terras de 1850 a partir da qual a terra se transformou em mercadoria, passando a ser um bem oligárquico.
b) a reflexão sobre a realidade do espaço brasileiro impõe a necessidade da compreensão histórica dos processos sociais articulando espacialmente o campo e a cidade.
c) a expansão do agronegócio vem contribuindo para a redução do êxodo rural pelo aumento do emprego direto de mão de obra assalariada nas áreas de fronteiras agrícolas.
d) o agravamento da problemática da mobilidade urbana nas metrópoles brasileiras está diretamente relacionado à política de incentivo a aquisição individual de automóveis pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).
e) o reconhecimento legal dos territórios quilombolas se impõe como uma ação política necessária com vistas à garantia do direito social à cidade e ao campo enquanto espaços de reprodução da vida.

(IFBA) A problemática decorrente da relação que a sociedade urbano-industrial estabelece com a natureza, no modelo de desenvolvimento capitalista, também se expressa espacialmente no campo. Em particular, no campo brasileiro, considerando o papel estratégico que historicamente a agricultura capitalista desempenha para a inserção produtiva do Brasil na economia mundial.

Assim, considerando a relação estabelecida entre a agricultura e o meio ambiente, no Brasil, é correto afirmar que

a) a prática da monocultura agroexportadora em grandes extensões de terras favorece o desequilíbrio ecossistêmico pelo desenvolvimento de pragas nocivas ao solo, como ocorre no cultivo da soja, algodão e do milho.
b) a utilização de insumos químicos na agricultura capitalista possibilita a correção natural dos solos, aumentando a fertilidade da camada orgânica e, consequentemente, elevando a produtividade na safra agrícola.
c) os problemas ambientais na agricultura se acentuam nas áreas de fronteiras agrícolas do agronegócio em função da utilização de técnicas extensivas no manejo agrícola que degradam a capacidade produtiva da terra.
d) o plantio direto de forrageiras entre as plantações perenes e o terraceamento em curvas de nível são práticas de manejo agrícola que contribuem para o agravamento dos problemas ambientais rurais.
e) o agronegócio é um modelo sustentável de produção agrícola, tanto do ponto de vista ambiental, como social e econômico, contribuindo de forma significativa com a geração de emprego em larga escala e de renda no campo brasileiro.

(IFPE)  Observe atentamente o mapa a seguir.


(Extraído de: http://www.unica.com.br/content/show.asp?cntCode={D6C39D36-69BA-458D-A95C-815C87E4404D})

Com base na interpretação do mapa exposto e considerando o processo atual de expansão da produção da agroindústria canavieira, assinale a alternativa correta.
a) Ao contrário da Zona da Mata nordestina, no Centro-Sul, a agricultura canavieira é comandada pela produção familiar em pequenas e médias cooperativas, as quais utilizam novas tecnologias e alcançam alto nível de produtividade.
b) Um dos principais problemas ambientais é a expansão da agricultura canavieira em terras da Amazônia, o que contribui para acelerar o desmatamento, os processos erosivos e o empobrecimento dos solos pela excessiva lixiviação.
c) As principais áreas produtoras do país são a Zona da Mata do Nordeste, estendendo-se do Rio Grande do Norte a Sergipe, e o Centro-Sul do Brasil, com destaque para o Estado de São Paulo, que é o maior produtor nacional.
d) No período atual, os altos preços do açúcar no mercado mundial e a grande demanda de etanol pelos carros bicombustíveis consolidaram ainda mais a liderança de Alagoas e Pernambuco na agroindústria canavieira nacional.
e) Além das tradicionais áreas de Mata Atlântica, a produção canavieira se expande para áreas que outrora eram cobertas pelo Cerrado, Pantanal e Caatinga, agravando o processo delaterização dos solos.

(UPE) Leia o texto a seguir:

No Brasil e em boa parte da América Latina, o crescimento da produção agrícola foi baseado na expansão da fronteira, ou seja, o crescimento sempre foi feito a partir da exploração contínua de terras e recursos naturais, que eram percebidos como infinitos. O problema continua até hoje. E a questão fundiária está intimamente ligada a esse processo, em que a terra dá status e poder, com o decorrente avanço da fronteira da produção agrícola, que rumou para a Amazônia, nos últimos anos.
Berta Becker, IPEA, 2012.

Com base no texto e no conhecimento sobre a expansão da fronteira agrícola no Brasil, éCORRETO afirmar que
a) a agropecuária modernizada no Brasil priorizou a produção de alimentos em detrimento dos gêneros agrícolas de exportação. Esse fato contribuiu para o avanço das fronteiras agrícolas em parte da Amazônia localizada no Meio-Norte.
b) houve grande destruição tanto das florestas como da biodiversidade genética, ambas causadas pelas transformações da produção agrícola monocultora, além de complexos impactos socioeconômicos determinados pelo modelo agroexportador.
c) a maior parte das terras ocupadas no Brasil concentra-se nas mãos de pequeno número de proprietários os quais vêm desenvolvendo mecanismos tecnológicos para evitar os impactos ambientais causados pelo avanço do cinturão verde, sobretudo no Sul do Piauí.
d) as atividades do agrobusiness no Brasil, com destaque para a produção de soja, vêm provocando uma rápida expansão agrícola do Rio Grande do Sul até o Vale do São Francisco, sem causarem prejuízo aos seus recursos naturais.
e) com o aumento da concentração fundiária nas últimas décadas, a expansão das terras cultivadas obteve uma grande retração agropecuária em decorrência das inovações tecnológicas, desenvolvidas no campo brasileiro, apesar dos impactos ambientais.

(UECE) No Brasil há uma elevada concentração de terras. Os latifúndios predominam, ocupando a maior parte da área enquanto os minifúndios têm pouca expressividade percentual. Sobre as características da estrutura fundiária brasileira, é correto afirmar-se que
a) nas grandes concentrações fundiárias, geralmente existem grandes parcelas de terras ociosas.
b) os pequenos produtores não têm problemas de endividamento no campo, em virtude das linhas de crédito oferecidas pelo Governo Federal.
c) a mecanização das lavouras nas grandes propriedades tem contribuído para a fixação do homem no campo.
d) no Brasil as maiores áreas de tensão e conflitos por disputa de terras estão localizadas na região Sul.

(UNIOESTE) O agronegócio pode ser compreendido mediante a análise dos modelos patronal e familiar de produção. No Quadro 1, é possível visualizar as características essenciais dessas duas principais formas de produção agropecuária.

Quadro 1
Comparativo entre os modelos patronal e familiar de agricultura.

Fonte: FAO/INCRA – In: Informe Agronegócio. Brasília: Instituto Interamericano de cooperação para a agricultura, 2006, p. 72.

Analise as afirmativas abaixo e assinale a INCORRETA.

a) No modelo patronal, o trabalho assalariado é predominante, além de haver uma completa separação entre gestão e trabalho.
b) No modelo patronal, a organização da produção é centralizada, possibilitando a geração de empregos, de renda excedente e de exportáveis.
c) O modelo familiar visa à qualidade de vida, a preservação de tradicionais culturas do país, sendo a direção do processo produtivo assegurada pelos proprietários.
d) A agricultura patronal é mais concentrada em culturas voltadas à exportação, estando inserida em uma visão mais empresarial do negócio, além de estar vinculada à diversificação da produção.
e) Os produtores familiares desenvolvem atividades diversificadas e estão mais voltados à produção para o mercado interno, necessitando de mais apoio do governo. O trabalho assalariado, nesse modelo, não é predominante.

VESTIBULAR 2012
1-(FACID) O Piauí forma, com os Estados do Maranhão, Bahia e Tocantins, a região denominada de MAPITOBA, uma área de expansão econômica e moderna. Destacam-se, entre as atividades desenvolvidas nesta região,
a) grandes projetos de mineração com destaque para a extração de ferro e manganês.
b) a exploração de grandes jazidas carboníferas, devido ser uma área rica em hidrocarbonetos.
c) a instalação de um centro têxtil que se beneficia da grande produção algodoeira da região.
d) a construção de um pólo termelétrico, explorando o grande reservatório de gás natural encontrado na área.
e) a formação de uma fronteira agrícola em grandes latifúndios destinada à industrialização e à exportação de commodities.
2-(UFPA) No mês de maio de 2011, desabaram sobre a sociedade brasileira cenas de uma dupla violência: a violência contra a terra, com a aprovação do Código Florestal na Câmara dos Deputados, e a violência contra a pessoa humana, com os assassinatos dos líderes camponeses Maria do Espírito Santo da Silva e José Cláudio Ribeiro da Silva, que se opunham ao desmatamento na Amazônia.
Artigo de Dom Tomás Balduíno publicado no portal Santa Catarina 24 horas, no dia 6/9/11, adaptado. http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=79182
O campo brasileiro está, historicamente, marcado por conflitos que envolvem interesses opostos dos diversos atores sociais. Os recentes fatos apresentados estão relacionados ao/à(s)
a) oposição entre ambientalistas que aprovam o Código Florestal e ruralistas que exigem ampliação das áreas para produção.
b) ações que resultam em desmatamento e concentração fundiária, de um lado, e à defesa da floresta e da posse da terra pelos trabalhadores rurais, de outro.
c) ampliação da área de reserva legal defendida pelo agronegócio na Amazônia, em detrimento das áreas agrícolas destinadas ao pequeno agricultor.
d) expansão das áreas de preservação permanente (APP) nas margens dos rios, que favorecerá as comunidades extrativistas.
e) embate entre os trabalhadores rurais sem-terra que defendem o Código Florestal e os latifundiários que veem a reserva legal como obstáculo.
3-(MACK) No mapa, estão assinaladas
NIPE - Unicamp, IBGE e DTC
a) áreas de maior produção de minério de Ferro, com exportações voltadas, principalmente, para o mercado chinês.
b) regiões onde se concentra a pecuária melhorada ou semi-intensiva, com destacável participação nas exportações do país.
c) áreas com maior produção de soja.
d) principais áreas produtoras e consumidoras de gás natural.
e) áreas de maior produção de etanol.
4-(UNICAMP)
“A produção de grãos no Brasil na safra 2009/2010 será recorde (147,10 milhões de toneladas), superando em 8,8% o volume produzido na safra 2008/2009 (...). A área plantada na safra 2009/2010 é de 47,33 milhões de hectares, 0,7% menor que a cultivada na safra 2008/2009.”
(Jornal Brasil Econômico, 06 ago. 2010, p. 17.)
O aumento de produção de grãos em área menor indica um aumento da produtividade, em função dos seguintes fatores:
a) uso de sementes geneticamente modificadas, baixa utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente assalariada e uso intensivo do solo.
b) uso de sementes de melhor qualidade, maior utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente assalariada e uso intensivo do solo.
c) uso de sementes de melhor qualidade, maior utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente familiar e uso extensivo do solo.
d) uso de sementes geneticamente modificadas, maior utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente familiar e uso intensivo do solo.
5-(FUVEST) Leia com atenção o trecho selecionado e responda ao que se pede.
"Snacks” de milho transgênico.
A PepsiCo/Elma Chips está substituindo o milho convencional pelo geneticamente modificado (OGM) na produção de snacks no Brasil. As marcas Cheetos e Fandangos já estão sendo fabricadas com milho transgênico. Em nota, a PepsiCo informou que a decisão teve como base a perspectiva de inviabilidade de assegurar a compra de milho convencional para atender ao volume total de matéria-prima comprada pela companhia, devido ao aumento significativo de produção de milho OGM, no Brasil. Em linha com a legislação brasileira, as embalagens dos snacks passarão a ter impressos a frase "salgadinho geneticamente modificado", e o triângulo amarelo com a letra T, símbolo do transgênico. A CTNBio, órgão do governo, permite o cultivo de 17 tipos de milho OGM no país.


(Adaptado da reportagem de Flávia Oliveira, O Globo, p. 24.18 maio 2011).
a) Associe a posição da empresa, em relação à ampliação no uso dos OGM, à dinâmica do complexo agroindustrial.
b) Explique dois argumentos contrários ao cultivo dos OGM que são defendidos por ambientalistas.
Resolução:

a) O aumento no uso dos OGM nos snacks brasileiros corresponde à ampliação do consumo de produtos agroindustriais na sociedade brasileira frente à grande demanda urbano-industrial por matérias-primas no país, na atualidade. Como o Complexo Agroindustrial corresponde a uma cadeia de investimentos em setores diversos (pesquisas, financiamentos, uso de insumos...) voltados para a ampliação do consumo em escala urbana mundial, a velocidade da plantação dos OGM corresponde mais à lógica do complexo do que à dos cultivos tradicionais. Isto pode explicar o aumento expressivo da produção do milho transgênico no Brasil, já que a produção tradicional dessa matéria-prima não dá conta das necessidades do Complexo Agroindustrial atual em ampliar as suas redes de comercialização nos mercados emergentes. Os produtos OGM passaram a compor hoje os fundamentos para o crescimento do setor agroindustrial brasileiro e para a sua expansão no mercado interno e internacional.
b) Entre os argumentos contrários, estão:
- migração dos genes das plantas geneticamente modificadas para outras plantas de cultivo tradicional, causando mudanças genéticas inesperadas;
- plantas geneticamente modificadas são mais resistentes aos herbicidas, ampliando-se o uso dos mesmos, o que contaminaria as próprias plantas, os solos e lençóis freáticos;
- poluição genética dos solos devido à liberação de determinadas toxinas, o que causaria infertilidade dos mesmos;
- risco de os insetos e predadores de plantas geneticamente modificadas tornarem-se mais resistentes; - declínio e/ou desaparecimento de determinadas espécies de insetos (devido ao uso de toxinas muito poderosas), o que afetaria a cadeia alimentar;
- os OGM aumentam os índices de alergia nos humanos;
- genes de resistência a antibióticos, existentes em alguns OGM, podem passar para o intestino humano; - o DNA de um alimento transgênico pode ultrapassar a parede intestinal de um hospedeiro, causando uma mutação genética;
- objeções éticas que colocam em questão a legitimidade do ser humano em realizar o intercâmbio de genes entre espécies completamente diferentes;- o domínio tecnológico de algumas empresas sobre os transgênicos, eliminando a variedade de espécies, grãos, sementes, e criando um monopólio internacional sobre o setor agroalimentar nos países.
6-(FUVEST) Há mais de 40 anos, a Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965, conhecida como Código Florestal, estabeleceu no seu Artigo 1º: “As florestas existentes no território nacional e as demais formas de vegetação, reconhecidas de utilidade às terras que revestem, são bens de interesse comum a todos os habitantes do País, exercendo-se os direitos de propriedade, com as limitações que a legislação em geral e especialmente esta Lei estabelecem”.

Em pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, em junho de 2011, para saber a opinião do cidadão brasileiro sobre a proposta de mudanças no Código Florestal, 85% dos entrevistados optaram por “priorizar a proteção das florestas e dos rios, mesmo que, em alguns casos, isto prejudique a produção agropecuária”; para 10%, deve-se “priorizar a produção agropecuária mesmo que, em alguns casos, isto prejudique a proteção das florestas e dos rios”; 5% não sabem.

a) O Artigo 1º da Lei nº 4.771 indica a existência de um conflito, de natureza social, que justifica a necessidade da norma legal. Que conflito é esse? Explique.
b) Analise os resultados da pesquisa feita pelo Instituto Datafolha, expostos anteriormente, relacionando-os com o Artigo 1º da Lei nº 4.771.
Resposta:
a) O Artigo 1º da Lei nº 4.771 denuncia a existência de um conflito entre quem deseja a preservação do meio natural, entendendo-o como bem de interesse comum, e aqueles que, de posse de alguma da área de floresta, desejam utilizá-la para fins econômicos, mesmo que isso a degrade. Desse impasse nasce a necessidade de uma legislação que determine as regras de uso e ocupação dessas áreas.
b) A pesquisa, que retrata uma tendência contrária ao que vemos nos meios políticos de discussão do novo Código, mostra que a maior parte da população (85%) concorda com os dizeres do Artigo 1º e entende a floresta como área comum e que deve ser preservada, mesmo que para isso setores econômicos como a agropecuária sejam prejudicados e tenham que procurar outras áreas ou novas tecnologias para seu desenvolvimento. Apenas 10% da população acredita que a degradação agrícola está acima da sustentabilidade ambiental.
7-(FUVEST) Obras célebres da literatura brasileira foram ambientadas em regiões assinaladas neste mapa:

Regionalização literária

IBGE, 2007.

Com base nas indicações do mapa e em seus conhecimentos, identifique

a) uma causa da depressão econômica sofrida pela Zona do Cacau na segunda metade do século XX. Explique;
b) a cidade que polarizou a Zona do Cacau e aponte o nome do escritor que tratou dessa região em um conjunto de obras, chamado de “ciclo do cacau”;
c) o escritor mineiro que ambientou, principalmente na região denominada “Gerais”, o grande romance que marca sua obra. Indique também o nome do romance em questão.
Resolução:
a) O principal fato foi a expansão da “vassoura de bruxa”, uma doença do cacaueiro que impede a produção do fruto e se alastrou por grandes áreas do sul da Bahia no século XX, reduzindo drasticamente a produtividade.
b) Ilhéus é a cidade considerada a “capital do cacau” no Brasil e essa região esteve muito presente nas obras de Jorge Amado, como na sua obra mais famosa, Gabriela Cravo e Canela (1958) e em outras, como Cacau (1933) e São Jorge de Ilhéus (1944).
c) O principal escritor da região das “Gerais” foi Guimarães Rosa e sua principal obra foi Grande Sertão: Veredas (1956).
8-(IFBA) O homem do campo brasileiro, em sua grande maioria, está desarmado diante de uma economia cada vez mais modernizada, concentrada e desalmada, incapaz de se premunir contra as vacilações da natureza, de se armar para acompanhar os progressos técnicos e de se defender contra as oscilações dos preços externos e internos, e a ganância dos intermediadores. Esse homem do campo é menos titular de direitos que a maioria dos homens da cidade, já que os serviços públicos essenciais lhe são negados, sob a desculpa da carência de recursos para lhe fazer chegar saúde e educação, água e eletricidade, para não falar de tantos outros serviços essenciais.
SANTOS, Milton. O Espaço do Cidadão. 7a edição. São Paulo: EDUSP, 2007, p. 41-42
Analisar o direito ao campo brasileiro na perspectiva democrática torna-se uma questão de grande complexidade para os cientistas sociais. Nesse sentido, é correto afirmar que:
a) O processo de redemocratização possibilitou a conquista dos direitos sociais do homem do campo, com a extinção das condições de trabalho escravo.
b) Os movimentos sociais de luta pela e na terra reivindicam a conquista dos direitos sociais da democracia na sua prática cotidiana.
c) A implantação da política agrária pelo Estado Democrático de Direito socializou a estrutura da propriedade da terra no campo brasileiro.
d) O aumento substancial da produtividade, do trabalho e emprego pelo agronegócio vem garantindo a cidadania ao homem do campo.
e) Os povos e as comunidades tradicionais têm a propriedade da terra garantida em lei pelo direito histórico ao território para a reprodução social da vida.
9-(FEI) Sobre as características da expansão da fronteira agrícola brasileira para áreas de cerrado, sobretudo nos estados do Mato Grosso, Tocantins e sul do Maranhão, assinale a alternativa incorreta:
a) Como são áreas novas, a incorporação agrícola é feita sem reproduzir as estruturas produtivas preexistentes, permitindo uma nova dinâmica espacial, facilitada pelas baixas densidades demográficas.
b) Há utilização de pesquisa científica, que possibilita a adaptação de espécies vegetais como soja, milho e algodão às características do cerrado.
c) Há uso intensivo de máquinas, equipamentos e insumos, que são determinantes para os bons índices de produtividade que predominam nas culturas introduzidas.
d) Há o predomínio de climas com período seco definido e topografia plana, facilitando a mecanização e a previsão de safra.
e) Há a presença de bioma com baixa diversidade biológica e com pouco interesse preservacionista, o que justifica a expansão agrícola para estas áreas.
10-(FGV-SP) Considere as assertivas sobre a agricultura brasileira.
I. A modernização do campo brasileiro possibilitou o crescimento da agricultura familiar comercial, ampliando a produção e a produtividade.
II. Nestas últimas décadas, a agricultura camponesa tornou-se antieconômica, porque não conseguiu incorporar mudanças estruturais e, praticamente, desapareceu do campo brasileiro.
III. Nas últimas décadas, a industrialização da agricultura contou com o apoio do Estado que, oferecendo financiamentos e infraestrutura, priorizou os produtos destinados à exportação.
Está correto somente o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) I e II.
d) I e III.
e) II e III.
11-(FGV-SP) Analise o mapa.
(http://n.i.uol.com.br/ultnot/Mapa_Brasil2006.gif)
O produto destacado no mapa é
a) a cana-de-açúcar.
b) o algodão.
c) o café.
d) o feijão.
e) a soja.
12-(FGV-SP) Considere as assertivas sobre a agricultura brasileira.
I. A modernização do campo brasileiro possibilitou o crescimento da agricultura familiar comercial, ampliando a produção e a produtividade.
II. Nestas últimas décadas, a agricultura camponesa tornou-se antieconômica, porque não conseguiu incorporar mu- danças estruturais e, praticamente, desapareceu do campo brasileiro.
III. Nas últimas décadas, a industrialização da agricultura contou com o apoio do Estado que, oferecendo financia- mentos e infraestrutura, priorizou os produtos destinados à exportação.
Está correto somente o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) I e II.
d) I e III.
e) II e III.
13-(FATEC) O agronegócio envolve operações desde as pesquisas científicas relacionadas ao setor até a comercialização dos produtos, determinando uma cadeia produtiva entrelaçada e interdependente.
(ALBUQUERQUE, Maria Adailza Martins de et alii. Geografia: sociedade e cotidiano. São Paulo: escala, 2010.)
Podem-se acrescentar outras características ao agronegócio, dentre as quais a seguinte:
a) mantém centros de tecnologia avançados, voltados à agricultura orgânica.
b) expande os cultivos de grãos da região Centro-Oeste para a região Sudeste.
c) promove a concentração de terras e o desemprego no campo.
d) possibilita ao país a autossuficiência nas matérias-primas para a indústria.
e) planeja a expansão das lavouras, barrando o desmatamento e os impactos ambientais.
14-(ETECS) No Brasil, parte da produção de alimentos é feita por trabalhadores agrícolas que se deslocam diariamente para a propriedade rural, executando tarefas sob empreitada, em condições indignas e perigosas, trabalhando nas terras de outros por salários que não são suficientes nem para uma pessoa, que dirá para uma família.
(http://www.infoescola.com/geografia. Acesso em: 30.08.2011. Adaptado)
É correto afirmar que os trabalhadores rurais mencionados no texto são os
a) meeiros, pois repartem com o dono da terra a metade da produção.
b) arrendatários, pois pagam pelo uso de terras durante um tempo determinado.
c) parceiros, pois pagam pelo uso da terra oferecendo parte do lucro da produção.
d) boias-frias, pois trabalham em diversas lavouras mas não possuem suas próprias terras.
e) posseiros, pois têm a posse legal de um imóvel rural ou estão de posse de uma terra devoluta.
15-(ETECS) Na alimentação, a carne bovina é fonte de fósforo, ferro e de vitaminas do complexo B. As regiões Norte e Centro-Oeste, onde se situam a floresta Amazônica e o Cerrado, são as que apresentam as maiores taxas de expansão do rebanho bovino no Brasil.

(http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI74634-16270,00-OS+BOIS+COMERAO+A+AMAZONIA+EM+ANOS.html Acesso em: 27.08.2011.)
Nas regiões citadas, a criação de gado bovino é
a) intensiva, com o gado confinado e alto rendimento financeiro.
b) intensiva, com o gado criado em pastos e produção de carne para exportação.
c) extensiva, com o gado criado à solta em pastos e produção destinada ao corte.
d) extensiva, com o gado confinado, rebanhos escassos e uso de pouca mão de obra.
e) leiteira, com o gado solto em pastos e produção destinada à obtenção de carne.
16-(ETECS) A criação de pastagens para a prática da pecuária, nas regiões mencionadas, tem como consequência(s)
a) o aumento das já elevadas taxas de queimadas e de desmatamento.
b) a contaminação dos lençóis freáticos, já que descompacta os solos.
c) o agravamento da poluição de rios e a diminuição das áreas de assoreamento.
d) a proteção das florestas, já que se evitam problemas como o da desertificação.
e) a diminuição de problemas urbanos como as ilhas de calor e o aquecimento global.
17-(UNICAMP)
“A produção de grãos no Brasil na safra 2009/2010 será recorde (147,10 milhões de toneladas), superando em 8,8% o volume produzido na safra 2008/2009 (....). A área plantada na safra 2009/2010 é de 47,33 milhões de hectares, 0,7% menor que a cultivada na safra 2008/2009.” (Jornal Brasil Econômico, 06/08/2010, p. 17.)
O aumento de produção de grãos em área menor indica um aumento da produtividade, em função dos seguintes fatores:
a) uso de sementes geneticamente modificadas, baixa utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente assalariada e uso intensivo do solo.
b) uso de sementes de melhor qualidade, maior utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente assalariada e uso intensivo do solo.
c) uso de sementes de melhor qualidade, maior utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente familiar e uso extensivo do solo.
d) uso de sementes geneticamente modificadas, maior utilização de insumos agrícolas e de maquinário, mão de obra predominantemente familiar e uso intensivo do solo.
VESTIBULAR 2011

1-(UERJ)

Com base na comparação dos mapas acima, indique a principal contradição verificada na maioria dos países africanos entre o tamanho da População Economicamente Ativa - PEA na agricultura e o percentual de população subnutrida.
Apresente também duas justificativas para a ocorrência dessa contradição.
Resposta:
Países com elevada parcela da População Economicamente Ativa dedicada à atividade agrícola possuem um elevado percentual de população subnutrida.
Duas das justificativas:
- concentração fundiária
- produção agrícola de caráter não alimentar
- agricultura tecnologicamente atrasada, com baixa produtividade
- produção agrícola voltada prioritariamente para a exportação de alimentos
- baixos salários pagos ao trabalhador rural, inviabilizando sua reprodução como força de trabalho

2-(UFF)
PRÁTICAS AGRÍCOLAS MODERNAS

THÉRY, H. e MELLO, N. Atlas do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2008, p. 112.

A economia rural brasileira avança gradativamente na direção de práticas agrícolas modernas, envolvendo a utilização de adubos, a conservação dos solos e a assistência técnica, o que implica uma certa renovação do campo, no qual persistem contradições inerentes à sociedade nacional.
A leitura comparada dos mapas acima permite concluir que essa renovação ainda é marcada por uma clara associação entre:
a) amenização das tensões agrárias e redução do número de assentamentos rurais no país.
b) concentração de grandes propriedades e declínio de culturas agrícolas especializadas.
c) capitalização das empresas rurais e decréscimo de práticas agrícolas sustentáveis.
d) colonização oficial de áreas de fronteira e expansão de pequenos produtores exportadores.
e) apropriação monopolista da terra e difusão desigual da modernização agrícola.

3-(UFRJ)
A nova fronteira dos investimentos internacionais
Compra de terras agricultáveis no mundo (em milhões de hectares):

“Relatório recente do Banco Mundial calculou em 46,6 milhões de hectares as terras adquiridas por estrangeiros nos países em desenvolvimento entre outubro de 2008 e agosto de 2009 – área superior a toda a região agricultável do Reino Unido, França, Alemanha e Itália.” (Folha de São Paulo - 13/09/2010)
Apresente dois motivos para o interesse de capitais chineses e árabes na compra de terras no Brasil e no mundo.
Resposta:
Dentre os motivos para o interesse de capitais chineses e árabes na compra de terras no Brasil e no mundo estão: garantia de segurança alimentar para suas populações; pouca terra agriculturável nos países de origem; aumento da demanda por alimentos devido à elevação do poder aquisitivo; disponibilidade de capitais nestes países; interesses especulativos com bens imóveis; e aumento do preço dos alimentos no mercado internacional.

VESTIBULAR 2010

4-(UFPR) Os índices mínimos de uso da terra utilizados atualmente pelo INCRA para que ela cumpra sua função social foram elaborados em 1980, com base nos indicadores de produtividade das lavouras e dos rebanhos por hectare, levando-se em conta o nível técnico da agropecuária, segundo os dados do censo agropecuário de 1975 do IBGE. Hoje eles estão completamente defasados, pois, por exemplo, no estado de São Paulo, basta produzir 1.900 kg/hectare de milho para que a propriedade seja considerada produtiva. Entretanto, a produtividade média do milho nesse estado na safra de 2005/6 foi de 4.150 kg/ha. E por que até agora esses índices não foram atualizados? Porque assim imóveis com baixas produtividades escapam da desapropriação e da reforma agrária.
(Adaptado de: OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. "Me engana que eu gosto": A não atualização dos índices de produtividade da terra no governo Lula. Rádio Agência Notícias do Planalto, 26 mar. 2007.)
A respeito desse tema, considere as seguintes afirmativas:
1. A expansão das áreas para agropecuária, elevando os indicadores de produtividade, mostra que os índices de uso da terra não precisam ser atualizados, pois ainda estão de acordo com as necessidades do campo.
2. O debate sobre a atualização dos índices de produtividade mostra que, na dinâmica da reforma agrária, convergem aspectos legais, técnico-produtivos e sobretudo políticos.
3. A mudança dos indicadores da função social da terra ajuda a reforma agrária, pois mostra que esta deve ser implementada onde não foram alcançados altos índices de produtividade.
4. A resistência à atualização dos índices de produtividade revela a manutenção do latifúndio, que teve sua origem na forma de repartição da terra realizada pelos portugueses após a conquista e se prolonga até os nossos dias, como uma estrutura produtiva que condena o campo à subutilização.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
b) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras.

5-(UEMG) O interior nordestino é considerado como o lugar da seca, da terra inóspita e da miséria. Porém, surge, nesta sub-região, uma área que foi denominada pela população local de Mapitoba que, no cenário brasileiro atual, está sendo apresentada como uma das maiores potências do agronegócio. Observe as ilustrações e gráficos, a seguir:

AgrafNP, Conab, Ícone e Ministério da Agricultura. Adaptação - Revista Exame - 15/07/2009

A análise dos dados indicados no texto, nas ilustrações e gráficos, acima, sobre a região de Mapitoba, SÓ permite afirmar que
a) a área está geograficamente localizada em espaços de vegetação do cerrado das regiões centro-oeste e nordeste do Brasil.
b) em uma década, a soja teve uma expansão aproximada de 150% das terras produtivas e quase quadruplicou o seu volume de produção.
c) nos dois anos subsequentes ao ano de 2004, ocorreu uma estabilização do volume de produção e uma retração da ocupação das terras produtivas.
d) o oeste baiano é a área mais promissora para a cana-de-açúcar, cuja produção deverá crescer e atrair a implantação de usinas de etanol na região.

6-(UFPR) Nos últimos anos, no Brasil, tem chamado a atenção à expansão do plantio de cana-de-açúcar para produção do etanol, utilizado como combustível. No dia 17/09/2009, o governo lançou um programa denominado Zoneamento Agroecológico da Cana-de-açúcar, que visa ordenar o avanço dessa cultura sobre o território, proibindo sua expansão sobre alguns biomas, haja vista que isso poderá trazer impactos negativos no meio ambiente.

Sobre esse assunto, assinale a alternativa correta.
a) O bioma Amazônia, por sua grande extensão geográfica e vastas áreas ainda não usadas para agricultura, é considerado um espaço adequado para a expansão da cana-de-açúcar.
b) O bioma Pantanal, devido à abundância de recursos hídricos necessários ao desenvolvimento da cana-de-açúcar, é tido como área ideal para seu plantio.
c) Existem, em território brasileiro, milhões de hectares de terra subutilizados que podem ser revertidos ao plantio de cana-de-açúcar, sendo desnecessário o avanço sobre biomas ainda conservados.
d) Remanescentes florestais não utilizados na região Sudeste podem ser incorporados como áreas de plantio, evitando assim sua expansão sobre biomas ambientalmente mais suscetíveis.
e) No Centro-Sul brasileiro não haverá expansão da cana-de-açúcar, porque as áreas agrícolas já estão incorporadas à dinâmica produtiva.

7-(CESGRANRIO)
UM DOMÍNIO DA AMAZÔNIA LEGAL

“É o domínio da lavoura tecnificada.Trata-se de uma porção onde predominam os cerrados, e não as florestas, e onde foi mais patente o progresso técnico na agricultura brasileira, tendo em vista a expansão do cultivo da soja com alta produtividade.” BECKER, Bertha. Amazônia. Geopolítica na virada do III milênio.Rio de Janeiro: Garamond, 2004, p. 82.
É possível associar o transporte de grãos de soja provenientes da porção amazônica, descrita acima, a uma das três estradas apresentadas no mapa.
O trecho de estrada que torna essa associação possível é:
a) Mato Grosso – Pará, BR–163.
b) Maranhão – Pará, BR–230.
c) Tocantins – Pará, BR–230.
d) Pará – Amazonas, BR–230.
e) Rondônia – Amazonas, BR–319.

8-(UFPB) Considere, nos quadros a seguir, as informações sobre dois produtos agrícolas brasileiros.


Produto I
ALBUQUERQUE, Maira A. M. de; BIGOTTO, José F. e VITELLO, Márcio A. Geografia: Sociedade e Cotidiano. 6ª Série. São Paulo: Escala, 2006, p. 133.
Principal produto do agrone­gócio brasileiro.
O Brasil é o segundo maior produtor do mundo.
As maiores produções ocor­rem na região Centro-Sul.


Produto II
ALBUQUERQUE, Maira A. M. de; BIGOTTO, José F. e VITELLO, Márcio A. Geografia: Sociedade e Cotidiano. 6ª Série. São Paulo: Escala, 2006, p. 135.
Adapta-se facilmente às con­dições naturais.
É cultivado há muito tempo por povos nativos do conti­nente americano.
As maiores produções ocor­rem nos estados do Paraná, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

ALBUQUERQUE, Maira A. M. de; BIGOTTO, José F. e VITELLO, Márcio A. Geografia: Sociedade e Cotidiano. 6ª Série. São Paulo: Escala, 2006, p. 133.

Com base nas informações apresentadas, os produtos I e II são respectivamente:
a) Soja e milho
b) Café e trigo
c) Soja e feijão
d) Arroz e milho
e) Algodão e trigo

9-(UFMS) A expansão da cana-de-açúcar em Mato Grosso do Sul é revestida de questões políticas, econômicas e ambientais controversas. Em relação a essa atividade agrícola, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

01) Os principais impactos ambientais atribuídos à lavoura de cana-de-açúcar são as queimadas para a realização do corte, enquanto que, nas usinas de açúcar e nas destilarias de álcool, a liberação de resíduos tóxicos é o que causa maior impacto, especialmente nas bacias hidrográficas.
02) O álcool, como um produto da indústria sucroalcooleira, é um biocombustível, como o biodiesel, obtido de fontes renováveis; o consumo do álcool vem sendo estimulado tanto no país como no mercado internacional, exigindo ampliação da capacidade produtiva industrial e da oferta de matéria-prima.
04) A cana-de-açúcar é muito exigente em nutrientes do solo, por isso é cultivada em solos férteis do tipo Massapê ou Terra-roxa nas regiões Nordeste e Sudeste do país. Devido à exaustão dos solos naquelas regiões, houve diminuição de sua plantação, motivando os usineiros a procurarem novas áreas para plantio, dirigindo-se para a região Centro-Oeste.
08) Haverá êxodo rural nos municípios atingidos pela monocultura canavieira, visto que essa lavoura é altamente mecanizada e estimula a concentração de terras, exigindo pouco uso do trabalho humano, contribuindo pouco para a oferta de trabalho, como ocorre com a pecuária extensiva.
16) Os usineiros sul-mato-grossenses querem ocupar as terras baixas do Pantanal por serem mais úmidas e de solos mais férteis, fazendo com que as lavouras de cana-de-açúcar obtenham alta produtividade, possibilitando concorrerem com o produto no mercado nacional e internacional.

Resposta: 3 (01+02)

10-(FEI) No Brasil, os agro-negócios relacionados com o setor sucroalcooleiro (álcool e açúcar) têm apresentado grande crescimento nesta década. Segundo levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a área cultivada na safra 2008/09 cresceu quase 16% em comparação com a safra anterior. Sobre o setor sucroalcooleiro assinale a alternativa incorreta:

a) O aumento da produção está relacionado com o aumento da demanda interna de álcool combustível, principalmente após o desenvolvimento da tecnologia Flex-Fuel. Também há uma demanda crescente de álcool pelos países que querem reduzir a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera e diminuir a dependência de combustíveis fósseis.
b) Existem vários problemas sociais e ambientais associados à cultura da cana-de-açúcar, destacando-se as condições de trabalho dos cortadores de cana (boias-frias).
c) Um importante problema ambiental e de saúde pública associado à cultura da cana é a queima da palha após o período de safra. Além da emissão de gases de efeito estufa, esta prática causa graves problemas de saúde aos trabalhadores e às populações do entorno.
d) Uma alternativa à queima da palha nos canaviais após a safra é o uso da palha e do bagaço da cana para produzir a energia elétrica utilizada nas usinas, cujo o excedente pode ser vendido.
e) A monocultura tem sido apontada como uma saída inovadora que leva ao fortalecimento da diversidade econômica das cidades produtoras.

11-(UNICAMP)
“O campesinato neste continente [América Latina] sempre precisou se movimentar para procurar terras de trabalho. Locomove-se movido pelo interesse de trabalhar com terras e ao mesmo tempo à procura delas. Ora consegue-as por ocupações e as perde por despejo judicial ou por grilagem; ora perde-as economicamente em função da política de preços que leva à perda de prazos de vencimento da hipoteca consumada para obter crédito para a lavoura. Perde-as ainda em função de determinações mais estruturais do processo de acumulação capitalista no campo em cada conjuntura – proletarização, subordinação à agroindústria ou transformação do segmento de produtores familiares numa determinada área em bolsão de reserva para o capital enquanto mão-de-obra disponível para exploração eventual ou intermitente. Ou, como pequeno produtor, se proprietário permanentemente endividado, acaba amarrado a contratos draconianos de parceria com os ‘tubarões’ da agricultura de exportação.”
(Ana Maria Motta Ribeiro, Sociologia do narcotráfico na América Latina e a questão camponesa, em Ana Maria Motta Ribeiro; Jorge Atílio S. Iulianelli (Orgs.), Narcotráfico e violência no campo. Rio de Janeiro: DP&A, 2000, p.24.)

a) O que significa grilagem de terras? Como surge o termo “grilagem”?
b) Como a estrutura agrária contribui para o processo migratório de camponeses, em vários sentidos e direções, pelo interior do Brasil?
Resolução:
a) A grilagem de terra é um ato ilegal, fundado na tentativa de apossamento de terras alheias ou públicas mediante falsas escrituras de propriedade. O termo se deve ao uso de grilos (insetos) para dar a aparência de envelhecimento ao papel dos documentos por conta dos dejetos dos insetos.
b) A estrutura fundiária não é homogênea no Brasil, sendo que, muitas vezes no local de origem dos camponeses há grande quantidade de pequenas propriedades, o que contribui para a impossibilidade de permanência dos novos membros das famílias decorrente da inviabilidade econômica. Além disso, a concentração de terras é comum nessas áreas, o que impõe a migração não só dos filhos, mas, também, dos pais. Assinalem-se também os poucos investimentos públicos para a produção agrícola camponesa que, sem financiamento, não tem condições de produzir de forma competitiva. Já em relação às áreas de destino, as terras mais baratas, geralmente em regiões de expansão da fronteira agrícola, permitem aquisições de extensões maiores de terras que as constituídas nas localidades de origem, o que dá novas possibilidades de reprodução econômica e social para as famílias migrantes. Há também as migrações sazonais dos camponeses para as áreas de demanda por trabalho temporário (bóias frias).

12-(UFG) A luta pela terra no Brasil reflete o processo histórico de sua apropriação, ocupação e uso, desde a colonização até os dias atuais. Ao longo do tempo, verificaram-se vários conflitos pela posse da terra. Na segunda metade da década de 1980, houve aumento da violência no campo nas regiões brasileiras, decorrente

a) da organização dos movimentos sociais em defesa da pequena propriedade e dos interesses dos migrantes.
b) da expansão dos latifúndios e do aumento da luta pela posse da terra por parte dos camponeses.
c) do apoio da Comissão Pastoral da Terra (CPT) aos movimentos sociais de luta pela posse da terra.
d) da modernização da agricultura nas regiões Norte e Nordeste, o que provocou o aumento da luta pela posse da terra.
e) da elaboração de legislações federais contrárias às ocupações de terras pelos movimentos sociais.

13-(UEG)
Eu sou roceiro
Eu sou roceiro, vivo de cavar o chão.
Tenho as mãos calejadas, meu senhor.
Me falta terra, falta casa e falta pão.
Não sei onde é o Brasil do lavrador.
Só tenho a enxada e o título de eleitor
Para votar em seus fulanos educados
Que não fazem nada pelo pobre agricultor,
Que não tem terra para fazer o seu roçado
[...]
Sou um soldado retirante sem medalha,
Sou estrangeiro quando pego a reclamar.
Sou camponês que usa tanga e sandália,
Sou brasileiro só na hora de votar.

LIMA, Jorge Pereira. Cultura insubmissa. Fortaleza: Nação Cariri Editora, 1982. p. 110-111.

Com relação ao texto acima, é CORRETO afirmar:
a) as Ligas Camponesas e o MST transformaram as relações de trabalho e garantiram ao homem do campo o direito à terra.
b) atualmente, a política agrária do Brasil visa assegurar a produção de gêneros alimentícios e terras destinadas à agricultura familiar.
c) a modernização da agricultura gerou a concentração fundiária e, por consequência, o desemprego no campo, caracterizado pelo crescimento dos bóias-frias e/ou peões.
d) a melhoria dos indicadores socioeconômicos dos trabalhadores rurais brasileiros, bem como sua qualificação profissional, vem sendo asseguradas através da sua participação nas últimas eleições.

14-(FUVEST) Considere os mapas do Estado de São Paulo, seus conhecimentos e as afirmativas abaixo.


I. A expansão desse cultivo tem ocorrido, principalmente, com vistas ao aumento da produção de etanol para o abastecimento dos mercados interno e externo.
II. O cultivo desse produto agrícola tem ocupado porções do Oeste Paulista que, tradicionalmente, eram ocupadas com pasto.
III. A expansão desse cultivo tem acarretado a diminuição da produção de gêneros alimentícios em algumas regiões do estado.
Está correto o que se afirma em:
a) I e II, apenas.
b) II, apenas.
c) II e III, apenas.
d) III, apenas.
e) I, II e III.
15-(FUVEST)
Os gráficos revelam
a) pequena quantidade de propriedades, com até 100 ha, ocupando a maior parcela da área, o que significa uma distribuição desigual da terra.
b) grande quantidade de propriedades, com mais de 1000 ha, correspondendo à maior parcela da área ocupada, o que significa uma distribuição equitativa da terra.
c) grande quantidade de propriedades, com até 100 ha, correspondendo às menores parcelas da área ocupada, o que significa uma distribuição desigual da terra.
d) pequena quantidade de propriedades, de 100 a 1000 ha, ocupando a maior parcela da área, o que significa uma distribuição equitativa da terra.
e) pequena quantidade de propriedades, com mais de 1000 ha, correspondendo à menor parcela da área ocupada, o que significa uma distribuição desigual da terra.

16-(UEM) Sobre agricultura, seu papel histórico e sua importância econômica no mundo, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) Nas terras ocupadas na América desde o século XVI, os colonizadores implantaram sistemas agrícolas para a produção de gêneros alimentícios e de matérias primas voltadas ao abastecimento do mercado europeu.
02) Após a Segunda Guerra Mundial e com o processo de desenvolvimento da biotecnologia em marcha, os países desenvolvidos criaram espécies vegetais a partir do pacote tecnológico denominado Revolução Verde, fundamentado na difusão do consumo de produtos orgânicos e hidropônicos.
04) No século XIX, as lavouras de café no Brasil foram desenvolvidas com base na grande propriedade escravista e monocultora, voltada à exportação.
08) A partir da Revolução Industrial, a agricultura alcançou um estágio técnico e científico que possibilitou o aumento da produção sem a necessidade de ampliação da área de cultivo. Foi a fase da chamada Revolução Agrícola.
16) Na atualidade, por conta da redução de seu espaço agrícola, os países europeus não cultivam gêneros alimentícios, caracterizando-se como grandes importadores desses produtos dos países em desenvolvimento.

Resposta: 13 (01+04+08)

17-(UFBA)

Os problemas referentes à questão agrária estão relacionados, essencialmente, à propriedade da terra, consequentemente à concentração da estrutura fundiária, aos processos de expropriação, expulsão e exclusão dos trabalhadores rurais: camponeses e assalariados; à luta pela terra, pela reforma agrária e pela resistência na terra; à violência extrema contra os trabalhadores, à produção, abastecimento e segurança alimentar; aos modelos de desenvolvimento da agropecuária e seus padrões tecnológicos, às políticas agrícolas e ao mercado, ao campo e à cidade, à qualidade de vida e dignidade humana. Por tudo isso, a questão agrária compreende as dimensões econômica, social e política.
(FERNANDES, 2001, p. 23-24).

Com base na ilustração, no texto e nos conhecimentos sobre o espaço agrário, pode-se afirmar:
(01) A desigual distribuição das terras, herança do modelo econômico que se implantou recentemente no país, trouxe como consequência os atuais conflitos sociais no campo e a fixação, cada vez maior, do homem nas áreas rurais em função da chegada da modernização agrícola.
(02) O movimento das “Ligas Camponesas”, originado no início do século passado, deve ser entendido como uma manifestação local dos produtores rurais do agreste pernambucano contra a alta dos impostos.
(04) A luta por terra é uma importante dimensão da questão agrária e os movimentos sociais dela resultantes se configuram em ações dos trabalhadores, que envolvem processos de expropriação, expulsão e exclusão social.
(08) A modernização da agricultura e da pecuária é bastante equilibrada nas diversas regiões do país, originando grande produtividade de alimentos com farta dieta alimentar da população.
(16) O modelo de reforma agrária vigente no país vem assegurando o acesso à terra, proporcionando recursos necessários para ela produzir e atingindo grande número de trabalhadores rurais.
(32) O MST representa diferentes expressões de contestação, seja contra a desapropriação de terras pelo Estado, a exemplo da região de Itaipu, seja contra a permanência de latifúndios improdutivos, como áreas no interior do Norte e do Nordeste.
Resposta: 36 (04+32)

VESTIBULAR 2009

18-(UFSCAR) A partir dos anos de 1990, várias legislações regulamentaram aspectos da reforma agrária no Brasil. Entre elas, destacam-se:

1. Alteração da Lei do Rito Sumário: regulamentou a imediata posse, pelo governo, das terras em processo de desapropriação para fins de reforma agrária, após depósito judicial correspondente ao preço oferecido pelas benfeitorias e do lançamento dos Títulos da Dívida Agrária, para pagamento do valor da terra nua. Assim, mesmo que o proprietário entre com contestação judicial contra qualquer aspecto do processo de desapropriação, a posse da terra tornou-se imediata para o Governo.
2. Aumento do Imposto Territorial Rural para os proprietários de grandes extensões de terra e pequeno grau de utilização produtiva, que pode chegar a 20% do valor da propriedade.
3. Proibição de que a propriedade rural ocupada por trabalhadores rurais sem terra seja vistoriada ou desapropriada para fins de reforma agrária durante a ocupação e nos dois anos seguintes à sua desocupação.

Considerando o teor dessas legislações, pode-se dizer que:
a) todas elas representam vitórias políticas decorrentes da organização dos movimentos sociais no campo, que tomaram grande impulso ao longo dos anos de 1990.
b) demonstram a força política dos grandes latifundiários, pois reduzem a ação dos movimentos de luta pela terra e implementam o pagamento das terras desapropriadas.
c) ilustram a postura política dos governos da década de 1990 que, pressionados pelo avanço dos movimentos sociais, resolveram os conflitos por posse de terra no país.
d) representaram um retrocesso, pois impediram ou restringiram a aplicação das leis da reforma agrária aprovadas na Constituição de 1988.
e) refletem interesses opostos, pois em parte atendem demandas dos movimentos de luta pela terra e, por outro, protegem interesses dos proprietários de terras.

19-(UNIFEI) Recentemente, a atividade industrial no Brasil vem se distribuindo melhor entre suas diversas regiões. Há uma região que se destaca como grande produtora de grãos e carnes para exportação. É considerada a segunda maior região em criação de bovinos do país, visando aos mercados interno e externo. Matadouros e frigoríficos industrializam os produtos de exportação.
A descrição acima se refere à região:
a) Sul.
b) Sudeste.
c) Centro-Oeste.
d) Nordeste.

20-(FUVEST) Considere as afirmações abaixo, relativas à ocupação do Centro-Oeste brasileiro, onde originalmente predominava a vegetação do Cerrado.

I. A vegetação nativa do Cerrado encontra-se, hoje, quase completamente dizimada, principalmente em função do processo de expansão da fronteira agrícola, que avança agora na Amazônia.
II. O desenvolvimento de tecnologia apropriada permitiu que o problema da baixa fertilidade natural dos solos no Centro-Oeste fosse, em grande parte, resolvido.
III. O modelo fundiário predominante na ocupação da área do Cerrado imitou aquele vigente no oeste gaúcho, de onde saiu a maioria dos migrantes que chegaram ao Centro-Oeste nos últimos 30 anos.

Está correto o que se afirma em:
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) III, apenas.
d) I e II, apenas.
e) I, II e III.

21-(UESPI) A expansão da fronteira agropecuária, no Brasil, é um processo caracterizado, também, pelo desmatamento e anexação do solo para o plantio e a criação de gado. Na Amazônia, particularmente, esse processo gera, tanto para a biodiversidade como para as comunidades tradicionais, as seguintes consequências:

1. desequilíbrio dos fatores bióticos e abióticos da floresta.
2. conflitos entre pequenos agricultores e grandes proprietários.
3. conflitos entre grupos tradicionais indígenas e grandes proprietários de terras.

Estão corretas:
a) 1 apenas
b) 2 apenas
c) 1 e 2 apenas
d) 1 e 3 apenas
e) 1, 2 e 3

22-(UEMG) O Eldorado brasileiro mudou de lugar. Neste início de século XXI, as boas oportunidades não se escondem mais nas grandes cidades nem nas capitais dos estados. A prosperidade e a riqueza, embaladas pelo sucesso do agronegócio, espalham-se pelo interior do país a uma velocidade inédita. O melhor exemplo dessa nova ordem é a Região Centro-Oeste. Os três estados que a compõem - Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás - viram seu peso na economia brasileira aumentar espetacularmente.
Revista Veja – Especial 40 Anos – Setembro/2008

Baseando-se nas informações e interpretação dos dados acima e nos seus conhecimentos sobre o assunto, só não é CORRETO afirmar que:
a) em 1968, o PIB da região correspondia a, aproximadamente, 4% do PIB do país e, hoje, o Centro-Oeste já participa com 8,9% da riqueza nacional.
b) o cultivo da soja e a criação de gado são as duas grandes atividades que sustentam o crescimento do campo, atualmente, na região Centro-Oeste.
c) o agronegócio foi o maior responsável pela mudança na paisagem do interior do País, nas últimas décadas.
d) os índices de crescimento e faturamento do agronegócio da região Centro-Oeste apresentam proporções equivalentes aos outros índices regionais.

23-(Unifesp) Apesar das críticas de ambientalistas e de cientistas, aumentou no mundo a área cultivada:
a) com irrigação por águas subterrâneas, com destaque para a Argentina e o Paraguai, que exportam frutas para o Mercosul.
b) de milho para geração de energia, em especial no Brasil e na Rússia, maiores exportadores de biodiesel do planeta.
c) de soja transgênica, com destaque para os Estados Unidos e o Brasil, que estão entre os maiores produtores da Terra.
d) com defensivos agrícolas, em especial nos países do Sahel, que exportam arroz para países asiáticos e europeus.
e) de cana-de-açúcar para produzir álcool, em especial em Cuba e na Alemanha, o que diminuiu a biodiversidade nesses países.

24-(UEPB) Escreva F ou V conforme sejam Falsas ou Verdadeiras as proposições que tratam dos interesses da soja em terras das regiões Sul, Centro-Oeste, e sua expansão no Norte e Nordeste.

( ) Seu cultivo tem garantido aos pequenos proprietários rurais o acesso à terra.
( ) Sua produção tem exigido grandes investimentos em insumos industriais.
( ) Sua produção está associada aos complexos agroindustriais e ao agronegócio.
( ) Seu preço no mercado mundial tem envolvido mercados de ações e grupos financeiros.
( ) Sua exportação tem contribuído para a obtenção de superavits na balança comercial.

A alternativa que apresenta a sequência correta é:
a) V V F F F
b) V V V V F
c) F V V V V
d) F F F V V
e) V F V F V

25-(UFJF) Observe a charge a seguir:
Na charge é apresentada uma prática que não é uma exclusividade de países em desenvolvimento, de países pobres, ela existe em todas as economias do mundo, em todas as regiões e apresenta as mais diversas formas. Essa prática é:
a) grilagem de terras.
b) invasão de terras.
c) pirataria ecológica.
d) trabalho escravo.
e) trabalho por tarefa.

26-(UFLA) As colunas abaixo dizem respeito à organização da produção na agricultura brasileira. Faça as correlações entre as colunas A e B e, em seguida, marque a alternativa CORRETA.

Coluna A
1. Latifúndio
2. Unidade familiar produtora de mercadorias
3. Unidade familiar de subsistência
4. Empresa agropecuária capitalista

Coluna B
( ) Corresponde à exploração da terra com base na chamada "interdependência", ou seja, depende do fornecimento de insumos da indústria ("indústrias para agricultura"), e essa, por sua vez, passou a depender das compras e do consumo da agricultura.
( ) Corresponde à exploração da terra realizada por pequenos proprietários, arrendatários, parceiros ou ainda posseiros. A produção visa a atender às necessidades do grupo.
( ) Corresponde às grandes áreas dedicadas à produção voltada para o mercado interno e externo.
( ) Corresponde à utilização da terra realizada por pequenos proprietários e arrendatários; produção para abastecer o mercado.
a) 4-1-3-2
b) 4-3-1-2
c) 3-2-4-1
d) 3-1-2-4

27-(UFV) Vários pesquisadores — geógrafos, economistas e sociólogos — afirmam que no Brasil o processo de modernização agrícola, pós-1970, foi fortemente conservador, uma vez que manteve as estruturas fundiária e produtiva desiguais, tanto espacial quanto social e tecnologicamente, através de políticas agrícolas governamentais também conservadoras.

Assinale a alternativa que indica CORRETAMENTE uma iniciativa de caráter conservador presente nas políticas agrícolas:
a) Incentivo estatal à permanência na terra do pequeno produtor, para gerar desenvolvimento local.
b) Apoio incondicional à produção de alimentos nas pequenas propriedades destinados ao mercado interno.
c) Financiamento e incentivo à produção de “commodities” para a agroindústria e para o mercado externo.
d) Transferência de renda para a agricultura familiar, através dos assentamentos de reforma agrária.

VESTIBULAR 2008

28-(UEL) Assinale a alternativa que, respectivamente completa corretamente as lacunas (I) e (II) da frase abaixo. Há uma distinção conceitual entre os termos modernização e industrialização da agricultura brasileira.

Pode-se dizer que na modernização ocorre uma ——-(I)——-, enquanto que a industrialização envolve a idéia de que ——-(II)——-.
a) I - desaceleração nos ciclos naturais da produção em detrimento do uso de defensivos agrícolas;
II - as máquinas passam a ser intensamente utilizadas na agricultura, promovendo a expansão do setor.
b) I - disputa entre o campo e a cidade, uma vez que o campo passa a ser expressivamente produtivo;
II - a produção agrícola supera a urbana no que se refere à exportação de produtos.
c) I - transformação da produção artesanal camponesa numa agricultura consumidora de insumos;
II - a agricultura acaba se transformando num ramo da produção semelhante a uma indústria.
d) I - intensificação dos investimentos a fim de gerar novas tecnologias incrementadoras da produção agrícola;
II - o resultado de tal intensificação amplia a potencialidade de fabricação de novas máquinas para o setor.
e) I - expansão do rítimo de produção da agricultura em detrimento de políticas de incentivo ao crédito rural;
II - a importação de maquinarias deve ser comparável aos resultados das exportações de produtos agrícolas.

29-(UNESP) Estudos recentes indicam que a agricultura brasileira poderá sofrer grandes alterações em função das mudanças climáticas em curso. Considerando as possibilidades de aumento de +1 ºC, +3 ºC e +5,8 ºC e 15% a mais de chuvas, pesquisadores calcularam as perdas de produção na cafeicultura e nas lavouras de soja. As alterações estimadas aparecem na tabela e nos mapas.

Assinale a alternativa que indica a cultura que será mais prejudicada, o motivo principal e o percentual de diminuição na produção, caso se confirme o aumento de 1 ºC nas temperaturas médias e 15% a mais de chuva, nos próximos quinze anos.
a) Café; diminuição da produtividade; redução de 58% no total produzido.
b) Soja; diminuição da área com aptidão climática; redução de 39% no total produzido.
c) Café; diminuição da área com aptidão climática; redução de 23% no total produzido.
d) Soja; diminuição da produtividade; redução de 10% no total produzido.
e) Café; diminuição da área com aptidão climática; redução de 64% no total produzido.

30(UFES) Atenção! Analise as informações constantes nos gráficos abaixo para responder a questão.


(Fonte: ABEF – Associação dos Produtores e Exportadores de Frango.
Disponível em: . Acesso em: 20 ago 2007.)

A pandemia da influenza[1] aviária afetou o mercado mundial de carne de frango nos anos 2000. Considerando os dados constantes nos gráficos acima, sobre os impactos dessa pandemia é CORRETO afirmar que
a) o aumento do excedente para exportações brasileiras de carne de frango deveu-se à diminuição do seu consumo no Brasil, em decorrência do aumento nos impostos, que fez subir o preço do produto ao consumidor.
b) a implantação de tecnologias na produção brasileira de carne de frango visou ao aumento das exportações para suprir a demanda do mercado internacional, devido às restrições sanitárias impostas aos países com casos de influenza aviária.
c) a diminuição na produção de carne de frango entre 2000 e 2006 ocorreu nos principais países produtores, exceto no Brasil, por se encontrar este país fora área de ocorrência da influenza aviária.
d) a imposição de barreiras sanitárias a países com surtos de influenza aviária promoveu abertura de mercado para o Brasil, que somente conseguiu suprir essa demanda por já contar com um setor produtivo de aves bastante competitivo.
e) a diminuição do consumo mundial de carne de frango promoveu a diminuição da produção e da exportação brasileiras, mas não afetou pequenos produtores rurais, já que essa produção dispõe de alta tecnologia e é controlada por grandes empresas.

31-(PUCRIO) As figuras A e B apresentam formas de produção em espaços e tempos distintos no território brasileiro.

A opção que descreve corretamente a estrutura socioespacial relacionada às figuras é:
a) Figura A: pequena propriedade – elevada produtividade em decorrência da expansão da fronteira agrícola – policultura. Figura B: grande propriedade – monocultura – trabalho escravo.
b) Figura A: grande propriedade – relações de trabalho servis – produtividade elevada devido à aplicação do conhecimento técnico-científico na produção. Figura B: grande propriedade – monocultura – trabalho escravo.
c) Figura A: grande propriedade – monocultura – produtividade relacionada à incorporação de terras e superexploração do trabalho. Figura B: pequena propriedade – monocultura – desmatamento em grandes proporções da Mata Atlântica.
d) Figura A: grande propriedade – adoção do conhecimento técnico-científico no sistema produtivo – emprego de mão-de-obra pouco numerosa e qualificada. Figura B: grande propriedade – trabalho escravo – produtividade ligada à superexploração da mão-de-obra e à expansão da área de produção.
e) Figura A: pequena propriedade – monocultura – contaminação dos rios e lençóis freáticos. Figura B: grande propriedade – predomínio de relações escravocratas – desaparecimento da floresta de araucária.

32-(FATEC) De acordo com o último censo realizado pelo IBGE, em 2001, um em cada cinco brasileiros trabalhava em atividades agrícolas. É correto afirmar que
a) a grande maioria desses trabalhadores (quatro em cada cinco) atua em pequenas e médias propriedades, que utilizam basicamente a mão-de-obra familiar.
b) a maior parte desses trabalhadores (quatro em cada cinco) atua em grandes propriedades agrícolas que têm investido fortemente na exportação de seus produtos.
c) estão principalmente envolvidos na produção de soja e na pecuária, fazendo com que a maior concentração desses trabalhadores esteja na região centro-oeste.
d) por conta da expansão da agroindústria na região Sul houve intensa migração para essa região, que hoje concentra o maior contingente desses trabalhadores.
e) a agricultura de soja e a pecuária leiteira são as principais atividades desenvolvidas nas pequenas propriedades, onde está o maior número desses trabalhadores.

33-(INATEL) O Brasil possui uma estrutura fundiária caracterizada pela concentração da terra e pela existência de latifúndios, dos quais muitos improdutivos. Tal modelo é secular e foi implantado desde o início da colonização. Como forma de combate a essa estrutura fundiária excludente, vem se destacando nas últimas décadas a atuação:
a) do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que, através de ocupações de terras devolutas e latifúndios, principalmente os improdutivos, busca efetivar a reforma agrária e denunciar os crimes cometidos no campo;
b) da UDR (União Democrática Ruralista) que, como o próprio nome diz, visa democratizar o acesso dos camponeses à propriedade da terra, a fim de frear o processo de êxodo rural que vem caracterizando o Brasil;
c) do PT (Partido dos Trabalhadores) que, nos três primeiros anos do governo Lula, realizou um investimento maciço em programas de reforma agrária, erradicando a desigualdade e a violência no campo;
d) da CUT (Central Única dos Trabalhadores) que vem realizando uma série de greves com o objetivo não só de reivindicar melhores salários, mas também de sensibilizar a sociedade em relação à questão da reforma agrária;
e) da UNE (União Nacional dos Estudantes), que vem organizando uma série de movimentos de invasão de prédios públicos e de terras produtivas como forma de pressionar o governo a acelerar o processo de reforma agrária.

34-(FUVEST) A distribuição espacial dos frigoríficos de carne bovina no Brasil obedece a lógicas distintas. Por exemplo, algumas empresas distribuem seus frigoríficos por diferentes estados, em função de problemas sanitários. No entanto, é possível observar a existência de algumas importantes concentrações espaciais, a exemplo das destacadas no mapa com os números 1 e 2.
Nesse sentido, explique a concentração de frigoríficos

a) na área 1, citando, ao menos, duas características geográficas dessa área.
b) na área 2, considerando, ao menos, um aspecto físico- natural e um histórico-geográfico dessa área.
Resposta:
a) A área em questão envolve o vale do Rio Paraná e seus afluentes, no entorno das fronteiras dos estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, onde se encontram climas tropicais e uma vegetação que, alterada em sua estrutura original, constituiu excelente pastagem. Essa região geográfica possui uma infra-estrutura de transportes e comercial e se encontra próxima dos grandes mercados consumidores do Centro-Sul e mesmo dos mercados externos.
b) A região 2 corresponde à Campanha Gaúcha. São áreas naturais de campos ou pradarias (coxilhas: superfícies em forma de colinas suavemente onduladas), favoráveis à pecuária extensiva. Os terrenos favoráveis atraíram colonos a partir do século XVIII. A princípio, jesuítas e posteriormente criadores de gado de São Paulo, que, recebendo sesmarias, estabeleceram grandes estâncias.

35-(UFMG) A agricultura brasileira tem grande importância social e econômica. Entre os fatores que a caracterizam, é INCORRETO afirmar:
a) A atividade agrícola fornecedora de alimentos gera as maiores receitas financeiras, seguida de fontes de matéria-prima e produtos de exportação.
b) As atividades agrárias sofrem influência de fatores naturais, como características tropicais, que favorecem a produção de cultivos de destaque no mercado mundial.
c) A economia agro-exportadora contribuiu, durante um extenso período, para estabelecer uma organização social que relacionou a propriedade da terra à concentração do poder político e econômico, favorecendo os conflitos existentes.
d) A atividade agrícola apresenta forte dualidade entre uma agricultura comercial, mecanizada e de exportação, e lavouras arcaicas de subsistência, com trabalho familiar.

36-(UFPE) As proposições abaixo se referem a questões relativas à estrutura agrária e à existência da fome. Observe-as e marque V ou F.

( ) Do ponto de vista científico e técnico, a fase moderna do desenvolvimento da atividade agrícola teve sua origem na Inglaterra, no século XVIII, com o advento da Revolução Industrial.
( ) A concentração da propriedade da terra é característica da economia rural brasileira, tendo sua origem na Lei de Terras de 1850.
( ) A carcinicultura é uma atividade econômica que vem se expandindo muito na Região do Nordeste brasileiro, nos últimos anos. Contudo, ela vem causando sérios transtornos ambientais ao ecossistema dos mangues e às áreas de florestas de babaçu que estão sendo desmatadas para ocupação com a atividade.
( ) Os minifúndios são as pequenas propriedades produtivas do país com uma extensão pouco superior a do módulo rural.
( ) A fome existente no mundo está mais relacionada a causas políticas e econômicas do que mesmo às condições naturais adversas ao desenvolvimento da atividade agropecuária ou mesmo à falta de alimentos.

Resposta: VFVFV

37-(UNIFOR) Mesmo considerando-se que o atual estágio de modernização da agropecuária brasileira possibilita alcançar expressiva produção, as atividades agrícolas ainda provocam sérios impactos ambientais em algumas áreas do país. Dentre esses impactos, pode-se citar
a) o desaparecimento dos manguezais e conseqüente desaparecimento da fauna local devido à ocupação dos solos férteis em áreas litorâneas.
b) a retificação e o aprofundamento do canal da porção sertaneja do rio São Francisco para a produção de soja e de frutas destinadas à exportação.
c) o inicio acelerado do processo de desertificação em extensas áreas frágeis do Nordeste e do Sudoeste do Rio Grande do Sul.
d) a diminuição do volume das águas do rio Paraguai para irrigação das lavouras que ocupam o lugar do cerrado sul mato-grossense.
e) o ressecamento dos solos amazônicos em decorrência da drenagem realizada nos igarapés da região para cultivo de pastos.

38-(UMTM) Considere os mapas e as características do espaço geográfico brasileiro.
(Graça Maria Lemos Ferreira. Atlas Geográfico Espaço Mundial.)

I. Novas áreas que se incorporam ao processo produtivo.
II. Área de economia mais dinâmica.
III. Áreas com manchas de modernização e expansão da agropecuária modernizada.

Assinale a alternativa que apresenta a correta correspondência entre o espaço geográfico e sua respectiva localização no território brasileiro.
a) 1-III, 2-II, 3-I.
b) 1-II, 2-III, 3-I.
c) 1-II, 2-I, 3-III.
d) 1-III, 2-I, 3- II.
e) 1-I, 2-III, 3-II.

39-(UFVJM) ASSINALE a alternativa correta que representa uma das consequências da modernização da agricultura brasileira.
a) Redução dos conflitos agrários devido à diminuição da expansão da fronteira agrícola na região Centro-Oeste.
b) Comprometimento das áreas remanescentes de Mata Atlântica do Rio de Janeiro e São Paulo para a implantação da lavoura cafeeira.
c) Aumento da acessibilidade aos maquinários agrícolas e da dependência ao fornecimento de sementes transgênicas.
d) Aumento dos impactos ambientais e diminuição do êxodo rural devido à inserção de novas tecnologias no campo.

40-(INATEL)
Nos últimos anos, o Brasil vem se destacando como um grande exportador de produtos agrícolas, resultado do excepcional desenvolvimento do agro-negócio em nosso país. Contudo, as imagens reproduzidas na charge tornam-se cada dia mais presentes em nossa realidade socioeconômica, pois:
a) os grandes lucros obtidos pela maior parte da população camponesa com as exportações de gêneros agrícolas vêm produzindo o enriquecimento dessa população e, conseqüentemente, uma fuga do meio rural;
b) o inchaço demográfico e a falta de emprego nas grandes cidades, associados às extraordinárias rendas obtidas através da agricultura familiar, estão produzindo um crescente processo de êxodo urbano em nosso país;
c) tanto no campo quanto nas cidades, a crise econômica das últimas duas décadas vem provocando a paralisação das atividades produtivas industriais, agrícolas e, consequentemente, o desemprego;
d) embora o agro-negócio gere grande produção e rentabilidade, é caracterizado pelo latifúndio e pela mecanização da agricultura, o que resulta em desemprego no campo e êxodo rural;
e) ao contrário das grandes cidades, as áreas rurais vêm se tornando cada vez mais dinâmicas e atrativas aos investimentos externos, principalmente àqueles direcionados às atividades industriais e financeiras.

41-(UFF)
Acerca da agricultura canavieira no Brasil, com base no mapa e nas informações acima, é correto afirmar:
a) a monocultura de cana alcança as bordas da floresta amazônica, assegurando a diversidade de espécies e a fertirrigação com o vinhoto;
b) os grandes canaviais são chamados “desertos verdes” pelos ambientalistas, pois atraem e ocupam um reduzido contingente de trabalhadores migrantes;
c) a cultura de cana-de-açúcar para a fabricação de etanol se expande no País, embora se mantenham condições degradantes de trabalho;
d) a região do noroeste paulista é conhecida como “Califórnia brasileira”, por seus canaviais modernos e mecanizados, com amplas reservas florestais;
e) a expansão do plantio da cana no Centro-sul corresponde à demanda do álcool combustível e, nas demais regiões, à produção do açúcar.

42-(UFF)
Dentre os fatores que explicam o sentido geográfico dessa expansão da soja no País, destaca-se o seguinte:
a) política oficial de assentamento de colonos em áreas de fronteira agrícola, visando à melhor distribuição da terra;
b) política oficial de incentivo agrícola, visando a aumentar a produção de alimentos para o consumo interno;
c) disponibilidade de terras férteis, permitindo sua ocupação imediata e consequente evolução da produtividade;
d) pressão do mercado externo pelo produto, incentivando investimentos sociais e ambientais por parte do governo;
e) investimento elevado em tecnologia, viabilizando o cultivo em diversos ambientes ecológicos.

43-(UNIFEI) Considerando as seguintes afirmações sobre a produção agrícola brasileira:
O produto é de elevado valor protéico, ocupa extensas terras no país, tornando-se, em alguns estados, a cultura principal. Grande parcela da produção nacional destina-se à exportação.
É um produto de grande difusão em vários estados brasileiros e esteve associado à suinocultura. Recentemente, sua lavoura tem se modernizado e sua produção tem sido exportada.

Essas afirmações referem-se aos seguintes produtos, respectivamente:
a) Soja e milho
b) Laranja e feijão
c) Café e trigo
d) Cana-de-açúcar e algodão

44-(URCA)
“A agricultura é uma das atividades básicas da humanidade e provavelmente foi responsável pela primeira grande transformação no espaço geográfico”.
(LUCCI, Elian A; BRANCO, Anselmo L; MENDONÇA, Cláudio - Geografia Geral e do Brasil – ensino médio. São Paulo: Saraiva; 2003, pág. 116).

Assinale a alternativa incorreta:
a) Plantation é um sistema agrícola baseado na produção monocultora de gêneros tropicais para fins de exportação, praticada em grandes propriedades (latifúndios).
b) Revolução Verde é uma estratégia de elevação da produção agrícola mundial, concebida nos Estados Unidos, por meio da introdução de um ―pacote tecnológico‖, contendo novas técnicas de cultivo, equipamentos para mecanização, fertilizantes, defensivos agrícolas e sementes selecionadas.
c) Transgênicos são os vegetais derivados da alteração genética onde esse processo pode alterar o tamanho das plantas, retardar a deteriorizaçao dos produtos agrícolas após a colheita ou torná-los mais resistentes às pragas, aos herbicidas e aos pesticidas, etc.
d) A Biotecnologia aplicada ao desenvolvimento de alguns produtos agrícola é de todas as novas tecnologias, a que oferece o maior potencial para se elevar a produtividade, como: aplicação do nitrogênio visando utilizar água do mar para irrigação, frutas cítricas mais resistentes às geadas, trigo que cresce no deserto, etc.
e) Agricultura Orgânica utiliza métodos inadequados para correção do solo e controle de pragas, por exemplo. Desse modo essa prática, que já causou vários problemas ambientais, pois muitos deles contribuem para a degradação do solo, poluição dos rios, córregos e lençóis freáticos, entre outros, sofre descaso por parte dos órgãos ambientais.

45-(UFAM) Sobre os bóias-frias, emitem-se as frases seguintes:
I – Trabalhadores que ocupam terras devolutas ou particulares.
II – Pequenos produtores, arrendatários, transportados para o trabalho de caminhão.
III – Trabalhadores rurais temporários, diaristas e sem vínculo empregatício.

Está (ão) correta (s):
a) Apenas II
b) Apenas I
c) Apenas III
d) II e III, apenas
e) As três

46-(UEPE) “É um tipo de sistema agrícola primitivo, adotado historicamente nos ecossistemas de floresta tropical, em que o ser humano derruba trecho da floresta, queimando-o como preparo da terra para o cultivo de subsistência, obtendo durante poucos anos (4 a 6) alimento e, posteriormente, abandonando essa área que se tornou improdutiva. Passa então a ocupar novo trecho de floresta e assim por diante. A área inicial abandonada, onde se estabeleceu vegetação secundária, após cerca de 20 anos, poderá ser novamente utilizada para o cultivo".

Essa é a definição do:
a) Sistema de "Plantation"
b) Sistema Intensivo
c) Sistema de Agricultura Vazante
d) Sistema de Agricultura Itinerante
e) Sistema de Rotação de Culturas

47-(UNIFESP) Assinale a alternativa cujo mapa indica a distribuição da produção da laranja no Brasil.
a)
b)c)d)e)VESTIBULAR 2007

48-(CÁSPER LÍBERO) No final da década de 50 e início da de 60, difundiu-se pelo Brasil, tendo o estado de Pernambuco como principal foco, o movimento social conhecido como Ligas Camponesas. As Ligas reeditavam, de certo modo, ações perpetradas nas áreas rurais pelo Partido Comunista na década de 40. Podem ser apontadas como as principais atividades das Ligas Camponesas:
a) Ações de desobediência civil, saques, pilhagens e seqüestros.
b) Práticas religiosas e messiânicas; mendicância e autopenitência.
c) Práticas assistenciais, jurídicas e médicas e politização dos trabalhadores rurais.
d) Ações urbanas e rurais violentas e longas marchas de protesto.
e) Práticas cooperativas e difusão da doutrina social da igreja.

49-(UFPI) Acerca do processo histórico de apropriação do território brasileiro, a partir das grandes monoculturas como cana-de-açúcar, café e soja, é correto afirmar que elas:
a) garantiram a preservação da biodiversidade.
b) coibiram a exploração do trabalho pelo capital.
c) favoreceram a predominância dos minifúndios.
d) contribuíram para preservar o patrimônio natural.
e) exigiram infra-estrutura de transporte voltada à exportação.

50-(Ufrn) Nas últimas duas décadas, têm sido cada vez mais freqüentes noticiários destacando conflitos pela posse da terra em diversas regiões do Brasil. Dentre as causas responsáveis por tais conflitos, pode-se identificar:
a) ampliação do mercado de terras, promovendo a sua desvalorização e a modernização do processo produtivo.
b) expansão da agricultura familiar, tendo em vista as políticas de crédito agrícolas para a produção moderna de grãos destinados ao mercado externo.
c) cumprimento da função social da terra, como resultante da expansão da fronteira agrícola e das relações não-capitalistas de produção.
d) maior organização dos trabalhadores rurais, que buscam soluções para a questão da terra e para a concretização da reforma agrária.

51-(UFOP) Observe a figura a seguir, que representa a estrutura fundiária brasileira:

FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. Geografia. Rio de Janeiro: Globo, 1996. p. 24.

Com base na análise da figura acima e nos seus conhecimentos sobre a questão agrária brasileira, assinale a afirmativa correta:
a) A área com predomínio de grandes propriedades coincide com a das regiões de expansão da fronteira agrícola e de agricultura comercial, voltada sobretudo para a exportação.
b) A região Sul apresenta o maior número de latifúndios, em virtude do processo de ocupação baseado em padrões modernos de cultivo do café e da ação das agroindústrias.
c) O Nordeste brasileiro é caracterizado pela mescla entre grandes latifúndios destinados à produção de cana-de-açúcar e minifúndios modernizados e improdutivos.
d) A região Sudeste apresenta predomínio de minifúndios, em decorrência do processo de industrialização e urbanização do campo, que permitiu o retorno dos trabalhadores ao campo.

52-(UDESC) Sobre a Reforma Agrária no Brasil, é correto afirmar:
a) O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) nasceu do interesse dos ruralistas descontentes com a política de subsídios para a agricultura.
b) A Reforma Agrária é necessária no Brasil por causa da grande concentração de terras do país, e está prevista na Constituição de 1988.
c) Posseiros e grileiros fazem parte do mesmo grupo de invasores de terras e são comandados por grandes fazendeiros, representantes da UDR (União Democrática Ruralista), que lutam pela Reforma Agrária.
d) O módulo rural institui os latifúndios e minifúndios e facilita a exploração da terra.
e) As empresas rurais diminuem a concentração de terras e são uma alternativa para o movimento dos sem-terra.

53-(UFG) A produção de grãos no Brasil, até a década de 1970, concentrava-se na região Sul, expandindo-se a partir daí para os chapadões da região Centro-Oeste, transformando-a numa das maiores produtoras de grãos do país. Neste contexto, indique o principal produto agrícola cultivado nessa região e explique a forma de utilização desse produto no mercado interno e externo.
Resposta:
O principal produto agrícola produzido nessa região é a soja.
- Mercado interno: a soja é utilizada como matéria-prima do setor agroindustrial, destinada ao processamento para produção de óleo comestível comercializado no mercado interno tanto para o consumo doméstico como por indústrias do setor alimentício e, mais recentemente, como combustível.
O subproduto resultante do esmagamento da soja para produção de óleo é o farelo de soja, largamente utilizado na fabricação de ração animal, sendo parte consumida no mercado interno e parte exportada.
- Mercado externo: a soja é exportada em forma de grãos para diversos países, destinada ao processamento industrial ou ao seu consumo direto, tendo papel importante no equilíbrio da balança comercial brasileira.

54-(UFG) Os movimentos de luta pela terra no Brasil, oriundos da concentração da propriedade da terra, intensificaram-se na década de 1980 na porção sul do país, por causa:
a) do grande número de minifúndios.
b) do intenso processo de modernização da agricultura.
c) da expansão da fronteira agrícola.
d) da tradição camponesa dos imigrantes europeus.
e) das ações organizadas pelas Ligas Camponesas.

55-(UNESP) Observe o gráfico.
Utilizando seus conhecimentos geográficos, é possível inferir que, no Brasil:
a) não há políticas agrícolas que incentivem a produção para o mercado externo.
b) as políticas agrícolas adotadas incentivam a produção voltada tanto para o processo industrial quanto para o mercado externo, em detrimento dos cultivos alimentares básicos.
c) os produtos destinados à alimentação básica da população são baratos e não precisam de incentivos.
d) as políticas agrícolas adotadas incentivam igualmente a produção de cultivos alimentares básicos e daqueles voltados para o mercado externo.
e) as políticas adotadas incentivam a produção de cultivos alimentares básicos, em detrimento dos cultivos voltados para o mercado externo.

56-(PUCRS) Responder à questão com base no mapa.
Após a leitura do mapa, conclui-se que
a) a área 3 é grande produtora de café e cacau, graças a seu solo tipo massapé.
b) a área 2 constitui uma faixa de transição, produzindo, milho, arroz, feijão e mandioca.
c) na área 4, ocorre a produção de cana-de-açúcar e também a extração do látex.
d) todas as áreas numeradas no mapa pertencem ao Polígono da Seca, que tem como principal característica fisiográfica a existência de desertos.
e) a área 1 produz uvas de excelente qualidade, concorrendo diretamente com as castas viníferas do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul.

57-(PUCRIO) A idéia de “fome” vem há algum tempo sendo re-significada, politicamente, sob a luz do conceito de “segurança alimentar”. No Fórum Mundial Social de Mumbai (Índia), em 2004, as discussões foram focadas na necessidade de emancipação dos povos dependentes das políticas internacionais que regulam a produção, estocagem, distribuição e comercialização alimentar no mundo. Sobre o conceito de “segurança alimentar”, pode-se afirmar que:
I – ele representa uma mudança de concepção que poderá transformar a qualidade de vida de inúmeras sociedades historicamente dependentes dos padrões de consumo alimentar de países e regiões possuidores de índices de desenvolvimento humano (IDH) bastante elevados.
II – ele é o caminho para a construção de outro conceito, ainda mais expressivo, voltado para a erradicação da miséria no mundo: o da “sustentabilidade alimentar”. Este conceito, que incorpora programas ligados à preservação do meio ambiente e à não utilização de agrotóxicos nas monoculturas extensivas, concebe o enfrentamento da pobreza a partir de programas locais voltados para o mercado de trabalho.
III – se as populações em estado de “pobreza absoluta” forem os principais atores de sua própria emancipação social – isto é, se o controle da “fome” apoiar-se sobre suas atividades econômicas e não fundamentalmente na ajuda alimentar dos outros – então há chances de que espaços diversos onde há “insegurança alimentar” sejam menos afetados por processos de marginalização socioespacial.
IV – a sustentabilidade das atividades agrícolas nos países mais pobres deve ser delegada às suas tecnologias e tradições produtivas, para que seja possível a erradicação da fome. O conceito relaciona a autonomia alimentar dos países com a geração de novos empregos e a menor dependência das importações e flutuações dos preços no mercado internacional.

Estão corretas:
a) todas as afirmações.
b) somente as afirmações I, II e III.
c) somente as afirmações I, II e IV.
d) somente as afirmações II e III.
e) somente as afirmações III e IV.

58-(PUCRIO) O Centro-Oeste brasileiro tem registrado, segundo vários estudos, elevada produtividade e rentabilidade nas lavouras agrícolas. Para entender tal dinâmica, os estudos sobre a sojicultura são exemplares, já que esse cultivo é implementado em alguns estados da região, como em Mato Grosso, com base na intensa utilização de insumos como fertilizantes e agrotóxicos, e de máquinas e implementos modernos.
(Adaptado de Bernardes, J. e Filho, O. [orgs]. Geografias da Soja: BR-163. Fronteiras em mutação. Rio de Janeiro. Arquimedes, 2006).

Dentre as opções abaixo, assinale aquela que apresenta corretamente os impactos socioeconômicos e ambientais da expansão da sojicultura no Centro-Oeste.
a) Valorização das terras, utilização intensiva de mão-deobra migrante nordestina e desconcentração fundiária.
b) Aumento da utilização da mão-de-obra barata do migrante nordestino e preservação do meio físico-biótico.
c) Ampliação de novas dinâmicas socioeconômicas em todas as cidades regionais, a partir da diversificação das atividades geradas pela agricultura moderna.
d) Alteração no meio físico-biótico, forte presença de agroindústrias e predominância de pequenas e médias propriedades.
e) Valorização das terras favoráveis à mecanização, alterações no meio físico-biótico e (re) concentração fundiária.

59-(CEFETSP – ENSINO MÉDIO) Leia a charge para responder às 3 questões que seguem.

chageonline

Nos últimos anos, o Brasil vem se destacando como um grande exportador de produtos agrícolas, resultado do excepcional desenvolvimento do agro-negócio em nosso país. Contudo, as imagens reproduzidas na charge tornam-se cada dia mais presentes em nossa realidade socioeconômica, pois
a) os grandes lucros obtidos pela maior parte da população camponesa com as exportações de gêneros agrícolas vêm produzindo o enriquecimento dessa população e, consequentemente, uma fuga do meio rural.
b) o inchaço demográfico e a falta de emprego nas grandes cidades, associados às extraordinárias rendas obtidas através da agricultura familiar, estão produzindo um crescente processo de êxodo urbano em nosso país.
c) tanto no campo quanto nas cidades, a crise econômica das últimas duas décadas vem provocando a paralisação das atividades produtivas industriais e agrícolas e, conseqüentemente, o desemprego.
d) embora o agro-negócio gere grande produção e rentabilidade, é caracterizado pelo latifúndio e pela mecanização da agricultura, o que resulta em desemprego no campo e êxodo rural.
e) ao contrário das grandes cidades, as áreas rurais vêm se tornando cada vez mais dinâmicas e atrativas aos investimentos externos, principalmente àqueles direcionados às atividades industriais e financeiras.

60-(ESPM) Observe a matéria que aborda a produção de borracha no Brasil:
“Tem melhor investimento que esse?
Cotação de borracha chegou a
R$ 3,7 mil tonelada e sua produção
já emprega 20 mil pessoas...

O economista Daniel Bampa Netto, caminha lentamente entre as fileiras de árvores aspirando com gosto o ar fresco e viscoso que, de gota em gota, vai enchendo pequenos baldes atados ao caule.
As novas cotações deixam o setor cada vez mais longe do seu pior momento, há 4 anos, quando a tonelada de borracha valia US$ 500,00. (O Estado de S. Paulo - Outubro/2006)
A matéria faz referência ao novo ciclo da borracha brasileiro, que está com produção e preço em alta.

Atualmente, o maior produtor brasileiro de borracha é:
a) São Paulo.
b) Amazonas.
c) Pará.
d) Acre.
e) Rondônia.

VESTIBULAR 2006

61-(UNESP) Com relação à estrutura fundiária e às relações de produção do meio rural brasileiro, é correto afirmar que
a) a Revolução Verde foi aplicada às pequenas propriedades para incentivar a agricultura voltada para o mercado interno.
b) a introdução de parcerias está resolvendo a questão da concretização da reforma agrária.
c) as unidades familiares adaptaram-se à dinâmica do mercado, levando-as a abandonar a produção voltada ao consumo externo.
d) a maioria quase absoluta dos pequenos estabelecimentos controla pouca terra em todas as regiões brasileiras, exceto as regiões Sudeste e Sul.
e) o modelo agrícola de exportação brasileira é baseado na monocultura e apóia-se na concentração da propriedade rural.

62-(MACKENZIE) Sobre a Lei de Terras, aprovada em 1850 sob o governo de D. Pedro II, e tão importante para se compreender a estrutura fundiária nacional ainda em nossos dias, é correto afirmar:
a) Demonstrava o caráter democrático da monarquia brasileira, pois criava meios de acesso a pequenas propriedades para os indivíduos de menor posse.
b) Indicava a crise do modelo agrário exportador brasileiro e procurava estimular a diversificação da produção agrícola, baseando-a na pequena propriedade.
c) Estabelecia um mecanismo legal para se impedir a aquisição de terras por pequenos agricultores, como muitos dos imigrantes europeus que então afluíam ao Brasil.
d) Resultou das lutas políticas do Segundo Império, entre liberais e conservadores, e representou a vitória dos primeiros em seu propósito de realizar uma reforma agrária de amplitude nacional.
e) Pretendia canalizar para a nascente indústria nacional os trabalhadores imigrantes, restringindo-lhes o emprego nas fazendas, onde devia continuar a vigorar o trabalho escravo.

63-(UFJF) Leia, com atenção, o texto a seguir:
“Segundo o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA, 2005), este tipo de agricultura produz hoje 40% da riqueza gerada no campo no Brasil, correspondente a aproximadamente R$ 57 bilhões. São cerca de quatro milhões de agricultores (84% dos estabelecimentos rurais brasileiros) que vivem em pequenas propriedades e produzem a maior parte da comida que chega à mesa dos brasileiros. Quase 70% do feijão vêm desta atividade, assim como 84% da mandioca, 58% da produção de suínos, 54% do leite bovino, 49% do milho e 40% das aves e ovos. Além disso, é um importante instrumento para manter os trabalhadores no campo.
Em 2003, o PIB do setor cresceu 14,31% em relação ao ano anterior. Além de ser a base de importantes cadeias de produtos protéicos de origem animal, sendo majoritária no caso do PIB da Cadeia Produtiva dos Suínos (58,8% do PIB total desta cadeia), do Leite (56%) e das Aves (51%).” Fonte: www.mda.gov.br

Marque o conceito que adequa-se CORRETAMENTE às informações:
a) Latifúndio de exploração
b) Monocultura de subsistência
c) Agricultura familiar
d) Agricultura de plantation
e) Agricultura de terraceamento

64-(UFMG) Considerando-se a agricultura comercial praticada no Brasil, é INCORRETO afirmar que:
a) o agronegócio constitui um canal de entrada do capital internacional na agricultura brasileira e, assim, contribui para a subordinação de grande parte dessa atividade aos interesses estrangeiros.
b) a agricultura de exportação reúne, em reduzidos espaços, grande diversidade de culturas visando a atender às exigências do mercado.
c) as áreas agrícolas de incorporação recente apresentam estrutura fundiária concentrada e exigem elevados investimentos por hectare cultivado.
d) as últimas safras agrícolas justificam a expressão .celeiro mundial. atribuída ao País e contribuem para a liderança deste na exportação de vários produtos alimentares.

65-(UFSCAR) Cada número, no mapa, situa-se sobre a área de maior produção de um determinado produto agrícola, segundo a safra colhida em 2004.
Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, a correlação correta.
a) soja cacau cana trigo arroz
b) arroz manga laranja café soja
c) milho algodão tomate soja trigo
d) algodão cana café milho maçã
e) sorgo tabaco amendoim arroz milho

66-(UFT) É INCORRETO afirmar que a agricultura brasileira praticada na atualidade:
a) incorpora, em sua cadeia produtiva, indústrias químicas e de máquinas e equipamentos agrícolas que estruturam os complexos agroindustriais.
b) mantém sua função histórica de produtora de bens de exportação, essencial para a inserção do País na economia globalizada.
c) resulta do desaparecimento dos pequenos e médios produtores rurais, que, tradicionalmente, se organizavam em núcleos familiares.
d) é fornecedora de matéria-prima para o setor industrial e para o abastecimento dos mercados urbanos nacionais.

67-(FGV - ECONOMIA) Nestes últimos anos, a movimentação da produção de milhões de toneladas de soja tem requerido cada vez mais velocidade com qualidade e baixos custos, pois o frete é um componente importante no preço final de produtos agrícolas.
Pode-se mesmo afirmar que a distribuição seletiva de grandes sistemas de transporte tem provocado profundas transformações no uso do território brasileiro.

Assinale a alternativa que apresenta um título adequado ao texto.
a) A organização do espaço geográfico é fator importante para o aumento da competitividade do setor agroindustrial.
b) A cadeia produtiva da soja caracteriza-se pela aliança entre grandes empresas nacionais detentoras de modernas tecnologias.
c) O crescimento do agronegócio tem provocado fortes impactos geoecológicos no espaço nacional.
d) A necessidade de aumentar a produtividade agrícola tem elevado o nível tecnológico dos complexos agroindustriais.
e) A conquista dos novos mercados latino-americanos para produtos como a soja tem sido acompanhada pelo crescimento de meios técnico-científicos.

68-(FGV - ECONOMIA) Observe o gráfico que apresenta os 10 estados brasileiros com maior número de famílias com terras insuficientes para o sustento.
A leitura do gráfico e os conhecimentos sobre o campo brasileiro permitem afirmar que:
a) as fortes densidades demográficas na zona rural dificultam o acesso à terra e aumentam as dificuldades de subsistência das famílias.
b) nas regiões de ocupação agrícola mais antiga, como o Nordeste, é elevado o contingente de famílias com pouca terra.
c) onde a agricultura apresenta elevados índices de modernização, os pequenos proprietários marginalizam-se, pois ainda utilizam poucos recursos técnicos.
d) a presença de solos de baixa fertilidade associada às baixas taxas de investimentos dificultam o aumento da produção dos pequenos agricultores.
e) as pequenas propriedades rurais são sinônimo de exclusão socioeconômica sobretudo nas áreas próximas aos centros urbanos.

(FMTM) Observe o quadro:

Movimenta 458 bilhões de reais por ano
Um terço do PIB do Brasil
Gera 17,7 milhões de empregos, 37% do total nacional
Rende 30 bilhões de dólares em exportações, 42% do que o Brasil exporta

Os dados contidos no quadro referem-se à importância, no Brasil, do setor
a) da indústria petrolífera.
b) de agronegócio.
c) de carne bovina e derivados.
d) da indústria automobilística.
e) da indústria aeronáutica.

70-(FMTM) Observe a tabela:
A partir dos seus conhecimentos geográficos, da análise dos dados da tabela e da associação com o problema gerado pelos subsídios agrícolas da UE, discutido pelo Brasil na OMC, em 2004, pode-se afirmar que o produto em questão é:
a) a soja.
b) a carne.
c) o açúcar.
d) o leite.
e) o algodão.

71-(MACK)

Comparando-se as duas tabelas, concluir-se que:
a) gradativamente o INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) vem realizando uma ampla reforma agrária no país, minimizando a diferença entre o número de pequenas e o de grandes propriedades rurais.
b) a concentração de terras persiste; portanto, os assentamentos rurais não significam que no Brasil está sendo implantada a reforma agrária ideal.
c) vem ocorrendo uma relativa democratização na estrutura fundiária no país.
d) a política de assentamento rural corresponde a uma ampla reforma agrária, pois o aumento significativo desses assentamentos vem se verificando nos últimos anos.
e) vem ocorrendo uma transformação no meio rural, onde se observa a desconcentração das terras.

72-(MACK) O Estatuto do Trabalhador Rural – ETR, criado no início da década de 1960, garantiria a esses trabalhadores uma série de benefícios trabalhistas, a exemplo da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, criada para os trabalhadores urbanos.
Observam-se, na realidade, as seguintes transformações no meio rural brasileiro:
I. Institucionalização do trabalho temporário.
II. Distanciamento nas relações sociais de trabalho entre patrão e empregado.
III. Crescimento do número de trabalhadores rurais com carteira profissional assinada, que, em algumas regiões do país, superou o número de trabalhadores volantes.

É correto apenas o que se afirma em
a) I.
b) I e II.
c) II.
d) III.
e) I e III.

73-(PUCAMP) Considere o conjunto das afirmações abaixo sobre um dos tipos de ocupação da terra no Brasil.
• Correspondem a apenas 4% do total de imóveis rurais no Brasil.
• Organizam-se tanto em pequenas como em grandes propriedades.
• Utilizam técnicas de produção modernas, com intensa divisão do trabalho.
• Abrangem cerca de 10% das terras ocupadas pela agropecuária.

No campo brasileiro, as características apresentadas referem-se:
a) às empresas rurais.
b) às reservas extrativistas.
c) ao latifúndio improdutivo.
d) aos assentamentos do MST.
e) aos sistemas agrícolas tradicionais.

74-(PUCRIO) A expansão da produção da soja no Brasil atende a numerosos interesses. Assinale a afirmativa que NÃO apresenta corretamente interesses relacionados com a produção da soja:
a) sua exportação contribui para a obtenção de superávits na balança comercial;
b) sua ligação com o mercado de trabalho garante numerosos postos de trabalho;
c) seu preço no mercado mundial envolve os mercados de ações e grupos financeiros;
d) sua produção está associada aos complexos agroindustriais e ao agronegócio;
e) seu cultivo exige grandes investimentos em insumos e máquinas produzidos pelas transnacionais.

75-(UNIFESP) A partir do gráfico,
está correto afirmar que a produção agrícola brasileira, no período de 1975 a 2003,
a) teve um crescimento vertiginoso, mantendo as áreas de cultivo, que é destinado à exportação.
b) manteve-se estável, apesar do crescimento da área cultivada, gerando desmatamento elevado.
c) apresentou crescimento na produção e declínio na área cultivada, sem prejuízo das exportações de alimentos.
d) cresceu, pelo cultivo de cana-de-açúcar para produzir álcool, triplicando a área cultivada.
e) aumentou mais que o dobro, enquanto a área cultivada expandiu-se pouco, indicando uma maior produtividade.

76-(URCA) Sobre a Questão Agrária no Brasil, é correto afirmar:
a) Os conflitos de terras no Brasil envolvem somente posseiros e grileiros;.
b) No Brasil a estrutura fundiária não sofre concentração nas mãos de poucos, é inversamente proporcional a distribuição social de renda no Brasil.
c) A estrutura fundiária no Brasil não deve se modificar, deve permanecer com a situação atual, pois somente assim não haverá mais conflitos nem mortes entre os envolvidos na luta pela terra.
d) Entre as principais distorções encontradas nas questões agrárias no Brasil, estão a concentração de propriedades; situação precária dos posseiros e grileiros; produção de gêneros para exportação ou para transformação industrial.
e) As questões agrárias são irrelevantes, pois se limitam apenas aos pequenos proprietários de terra e não apresentam um reflexo no contexto social brasileiro.

77-(UERJ)
Radiografia do século XX no seu final

Metade da população do mundo – cerca de 3 bilhões de pessoas – vive subalimentada, enquanto outros 10% sofrem graves deficiências alimentícias, totalizando 60% dos habitantes com algum tipo de problema de nutrição. De outro lado, 15% das pessoas do mundo estão superalimentadas. Alimentos não faltam, há excedentes agrícolas – conforme os critérios de mercado, não das necessidades humanas – de 15%. (Adaptado de SADER, Emir. In: MOCELLIN, R. e CAMARGO, R. de. Passaporte para a História. São Paulo: Editora do Brasil, 2004.)

Com base nos dados apresentados no texto, um aspecto marcante da conjuntura macroeconômica mundial do final do século passado e início deste milênio é:
a) aumento da desigualdade social, devido ao desenvolvimento diferenciado entre os países.
b) elevação das taxas do desemprego estrutural, em decorrência da concentração industrial nos países desenvolvidos.
c) baixa produtividade agrícola, em função do acelerado crescimento demográfico nos países do hemisfério sul.
d) distribuição desigual de alimentos, pelo esgotamento de áreas agriculturáveis nos países subdesenvolvidos.

78-(UERJ) O MST é uma coletividade de párias, certamente a única organizada, a mais consciente em relação a sua identidade e a seu sentido, e por isso a mais competente: é uma coletividade de condenados que se fez sujeito da história para revogar a sua condenação. Essa contradição mostra que os parias deixam de ser párias quando se organizam, pois organizar-se é, antes de mais nada, inocular-se a substância social e ocupar um espaço social(Adaptado de BISOL, José Paulo. In: A questão agrária no Brasil. São Paulo: Atual, 1997.)

O texto acima apresenta reflexões sobre a origem e a identidade dos movimentos sociais organizados.
Um componente da nossa sociedade que explica o surgimento desses movimentos e uma característica de sua organização, respectivamente, estão indicados em:
a) luta pela inclusão social – centralização sindical
b) concentração da riqueza nacional – unidade partidária
c) expropriação dos meios de produção – ativismo político
d) contestação do sistema representativo – coerência ideológica

79-(UEL) O aumento crescente da demanda por produtos livres de agrotóxicos tem impulsionado a agricultura orgânica no Brasil. Esse sistema agrícola que se apóia no manejo sustentável, dispensa o uso de agrotóxicos sintéticos, privilegia a preservação ambiental, a biodiversidade, os ciclos biológicos e a qualidade de vida do homem. Com uma área plantada de 842 mil hectares, o setor movimentou cerca de US$ 1 bilhão em 2003. O país tem 19 mil propriedades e 174 processadoras espalhadas em diversas regiões. (Disponível em: Acesso em: 19 Jun. 2005.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre agricultura, considere as afirmativas a seguir.
I. Na agricultura orgânica, a forma de produzir demanda uma maior utilização de mão-de-obra para colocar em prática o controle biológico e o manejo integrado de pragas, constituindo-se em alternativa para o desenvolvimento da agricultura familiar.
II. O crescimento do mercado para os produtos orgânicos não se limita ao Brasil, o que tem permitido aos agricultores aumentar a receita, por unidade de produção, a uma razão superior à da agricultura convencional.
III. O crescimento do número de propriedades rurais em que se pratica a agricultura orgânica invalida o debate sobre os impactos do consumo de agrotóxicos no Brasil.
IV. O sistema de agricultura orgânica é impraticável nas pequenas propriedades rurais, pois a eliminação do uso de fertilizantes e de pesticidas químicos proporciona um aumento dos custos de produção, o que, conseqüentemente, diminui a renda da unidade produtiva agrícola.

Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e II.
b) II e III.
c) III e IV.
d) I, II e IV.
e) I, III e IV.

80-(UEM) Sobre o espaço agropecuário brasileiro, assinale a alternativa correta.
a) As culturas destinadas ao consumo interno, como, por exemplo, o arroz, o feijão e a mandioca, ocupam os solos mais férteis e são as que, historicamente, recebem os melhores financiamentos do governo.
b) Os estados do Norte e do Nordeste concentram as áreas agrícolas mais modernas, mais produtivas, mais competitivas e mais mecanizadas.
c) O Sul, com forte concentração no estado do Paraná, possui o maior rebanho bovino e o maior rebanho caprino do país.
d) As pequenas e as médias propriedades são as grandes responsáveis pela produção dos alimentos básicos da população e de várias matérias-primas industriais.
e) A participação do Brasil no mercado mundial como exportador de produtos agropecuários é insignificante, merecendo destaque apenas as grandes exportações de trigo.

81-(Uepb) O poema e as proposições a seguir são radiografias da estrutura fundiária do Brasil. Analise-os e identifique a resposta correta.

“Malditas sejam
todas as cercas
Malditas sejam
todas as propriedades privadas
que nos privam
de viver e de amar
Malditas todas as leis
aprovadas por mãos
que amparam as cercas e os bois
e fazem da terra escrava
e escravizam o homem”
(Ariovaldo Umbelino)

I. A distorção da estrutura fundiária vem se acentuando no Brasil com a modernização agrícola. A violência e os assassinatos são uma constante na vida daqueles que buscam o direito de possuir a terra.
II. Desde o início do processo de colonização, a terra no Brasil representou um bem social, uma mercadoria cara e fundamental para o desenvolvimento do Estado.
III. Nas regiões Norte e Nordeste, o latifúndio está concentrado nas mãos das oligarquias locais e grupos econômicos que impõem relações de trabalho tradicionais e algumas bem próximas à escravidão.

Está(ão) correta(s)
a) Todas as proposições
b) Apenas a proposição I
c) Apenas a proposição II
d) Apenas a proposição III
e) Apenas as proposições I e III

82-(FATEC) Considere os textos a seguir:
I. Os canaviais paulistas devem crescer dos atuais 3,3 milhões de ha para 4,3 ha em 4 ou 5 anos. As perspectivas para o agronegócio sucroalcooleiro passam por uma boa fase, especialmente por causa do preço do petróleo e já se prevêem possibilidades de novas expansões capazes de dar ao Brasil posição geopolítica relevante no mundo.
II. Cerca de 40 mil migrantes, a maior parte deles nordestinos, representam a mão-de-obra utilizada nos canaviais da região de Ribeirão Preto. A produtividade média por homem tem crescido rapidamente, mas a remuneração pelo trabalho continua evoluindo em ritmo lento.

A leitura dos textos e os conhecimentos sobre a agricultura brasileira permitem afirmar que:
a) o crescimento tecnológico do setor agrícola ainda está restrito aos estados do Sudeste e do Sul do país, justamente onde a mão-de-obra é mais numerosa.
b) o agronegócio ligado à produção de açúcar e álcool é, atualmente, o único em expansão no país justamente por concentrar-se na região que mais recebe migrantes.
c) uma das principais características do agronegócio no Brasil é sua grande capacidade de gerar novos empregos, sobretudo para mão-de-obra migrante.
d) a modernização do campo aumentou a competitividade do país em nível internacional, mas ainda não foi suficiente para aprimorar as relações de trabalho no setor agrícola.
e) a ampliação das atividades agrícolas modernizadas tem sido responsável pela criação de novas oportunidades de emprego para as populações rurais mais carentes.

83-(FATEC) Em 4 de setembro de 1850, foi sancionada no Brasil a Lei Eusébio de Queirós (ministro da Justiça), que abolia o tráfico negreiro em nosso país. Em decorrência dessa lei, o governo imperial brasileiro aprovou outra, “a Lei de Terras”.

Dentre as alternativas abaixo, assinale a correta.
a) A Lei de Terras facilitava a ocupação de propriedades pelos imigrantes que passaram a chegar ao Brasil.
b) A Lei de Terras dificultou a posse das terras pelos imigrantes, mas facilitou aos negros libertos o acesso a elas.
c) O governo imperial, temendo o controle das terras pelo coronéis, inspirou-se no “Act Homesteade” americano, para realizar uma distribuição de terras aos camponeses mais pobres.
d) A Lei de Terras visava a aumentar o valor das terras e obrigar os imigrantes a vender sua força de trabalho para os cafeicultores.
e) O objetivo do governo imperial, com esta lei, era proteger e regularizar a situação das dezenas de quilombos que existiam no Brasil.

VESTIBULARES ANTERIORES

84-(UEG) A agropecuária no Brasil apresenta duas faces diferentes. Uma – denominada agronegócios (agribusiness) – é a da modernidade e da elevada produtividade, que a coloca entre as mais competitivas do mundo, apesar das barreiras encontradas pelos produtos agrícolas brasileiros nos principais mercados internacionais. Outra se caracteriza pela miséria dos trabalhadores rurais, que perdem seus empregos e suas terras e tornam-se incapazes de prover a própria subsistência. LUCCI, Elian A.; BRANCO, Anselmo L.; MENDONÇA, Cláudio. Geografia geral e do Brasil. São Paulo: Saraiva 2003, p. 133.

De acordo com o texto acima e seus conhecimentos sobre a atividade agrícola brasileira, julgue as proposições abaixo marcando V (verdadeiro) ou F (falso).
( ) Parte da exploração agrícola está entre as mais modernas do mundo, competindo em produtividade e preço com a produção dos países centrais, além de constituir um dos maiores setores de exportação do país.
( ) A constituição de cadeias produtivas que integram vários setores da economia, como fornecedores de insumo, produção, processamento, transformação e distribuição de produtos agrícolas, são denominados agronegócios.
( ) O avanço dos cultivos comerciais, principalmente da soja, do algodão e da pecuária bovina em áreas de agricultura tradicional, tem como conseqüência a expropriação do pequeno agricultor e a degradação ambiental, entre outros fatores.
( ) No espaço rural brasileiro são percebidas duas realidades que se contrapõem. De um lado, o meio ífico/informacial e, de outro, o tradicional.

Marque a alternativa CORRETA
a) F, F, F, V
b) V, F, F, F
c) V, F, V, F
d) V, V, V, V
e) V, F, F, F

85-(UEC) Na última década do século passado, vários setores produtivos no Brasil passaram por processos de redefinição econômica. No setor primário deu-se início à reorganização do chamado “agronegócio” em algumas áreas geográficas do país. É correto dizer que hoje o agronegócio no Brasil tem como características:
a) Abertura comercial, queda da produtividade e perda de competitividade dos produtos do agronegócio nacional;
b) Proteção estatal ao setor primário através de políticas de créditos, elevada taxação de produtos importados e perda de competitividade dos produtos do agronegócio nacional;
c) Menor papel do Estado na definição das políticas agrícolas, abertura comercial, aumento da produtividade e da competitividade dos produtos do agronegócio nacional.
d) Proteção estatal ao setor primário, com aumento da produtividade e da competitividade do agronegócio nacional.

86-(UEL)
Considerando a perspectiva do cartunista sobre o campo brasileiro, a charge evidencia:
a) A proliferação dos minifúndios em virtude das sucessivas partilhas por herança e conseqüente insustentabilidade econômica das propriedades.
b) O amplo acesso à terra decorrente da distribuição eqüânime entre as diferentes estirpes familiares desde os primórdios da colonização.
c) A legitimidade tanto do uso das armas quanto da consolidação de milícias privadas para a manutenção do patrimônio fundiário intra-familiar.
d) O acelerado processo de desconcentração fundiária decorrente das sucessivas vendas de terra entre uma mesma linhagem familiar.
e) O bloqueio do acesso democrático à terra em virtude da ausência de limites máximos de extensão das propriedades.

87-(PUCRIO) A partir da década de 1970, o Governo Federal passou a intervir, de forma mais decisiva, na Região Centro-Oeste. Programas e planos contemplaram a região, concedendo incentivos e atraindo investidores para numerosos setores da sua economia.
Assinale a alternativa que NÃO apresente um objetivo desses programas e planos regionais.
a) O acirramento de conflitos pela posse da terra entre grandes proprietários e empresários agrícolas.
b) A execução de grandes projetos agropecuários com base em incentivos fiscais.
c) A ampliação da fronteira agrícola com a incorporação de novos espaços produtivos.
d) O aumento do rendimento agrícola graças à introdução de técnicas mais eficientes.
e) A ampliação da infra-estrutura viária e a construção de hidrelétricas.

88-(MACK) A mobilização de abundante mão-de-obra em pequenas propriedades, geralmente irrigadas, e a utilização de intensa adubação orgânica caracterizam o sistema agrícola conhecido como:
a) jardinagem oriental.
b) roça tropical.
c) rotação trienal.
d) lavoura itinerante.
e) "plantations".

89-(FGV) O sistema agrícola denominado Agricultura Irrigada ou Jardinagem, praticado principalmente no Sudeste da Ásia, apresenta:
a) rizicultura nos vales dos rios e encostas/ mão-de-obra numerosa/ grande subdivisão das pequenas propriedades/ cuidados manuais com o solo e plantas.
b) monocultura do chá nas planícies fluviais/ mecanização/ grande subdivisão das pequenas propriedades/ seleção de sementes e mudas.
c) rizicultura nos vales dos rios e encostas/ mecanização/ seleção de sementes e mudas/ produção para o mercado externo.
d) plantação de seringueiras nas planícies e encostas/ mão-de-obra numerosa/ grandes propriedades/ produção para o mercado externo.
e) monocultura do chá nas planícies fluviais/ pequena mecanização/ grandes propriedades/ produção para o mercado interno e externo.

90-(UFF) A "Revolução Verde", implementada em países latino-americanos e asiáticos nos anos 60 e 70, tinha como objetivo suprimir a fome e reduzir a pobreza de amplas parcelas da população. Entretanto, as promessas de modernização tecnológica da agricultura não foram cumpridas inteiramente, o que contribuiu, decisivamente, para a geração de novos problemas e aprofundou velhas desigualdades.
Assinale a opção que faz referência a efeitos da "Revolução Verde" .
a) coletivização das terras, implemento da agroecologia e expansão do crédito para os agricultores
b) distribuição eqüitativa de terras, difusão da policultura e uso de defensivos biodegradáveis
c) expansão de monoculturas, uso de técnicas tradicionais de plantio e fertilização natural dos solos
d) reconcentração de terras, crescimento do uso de insumos industriais e agravamento da erosão dos solos
e) estatização das terras agrícolas, trabalho em comunas e produção voltada para o mercado interno.

91-(UNESP) Apesar do intenso crescimento industrial, a agricultura ainda é importante para a economia chinesa. Indique a alternativa que caracteriza o tipo de clima da China Meridional e o principal produto agrícola ali cultivado.
a) Equatorial; arroz.
b) Temperado continental; café.
c) Subtropical; cana-de-açúcar.
d) Tropical monçônico; arroz.
e) Semi-árido; chá.

92-(UFC) A partir de 1970, surgiram novas culturas no espaço agrário brasileiro, como, por exemplo, a soja. Sobre esse produto, assinale a alternativa correta.
a) Cultura produzida por grandes empresas rurais e destinada, principalmente, ao mercado externo.
b) Cultura produzida em pequenas propriedades e, principalmente, para o mercado interno.
c) Cultura de subsistência, produzida, principalmente, na região Centro-Oeste do país.
d) Cultura produzida em escala comercial e dominante na Zona da Mata nordestina.
e) Cultura produzida em escala familiar utilizando muita mão-de-obra.

93-(UFV)

"Tem muita gente sem terra tem muita terra sem gente"
(Cartaz do MST, inspirado nos versos de lavradores de Goiás.)

A luta pela terra no Brasil, existe há décadas e já fez várias vítimas entre trabalhadores do campo, religiosos e outros. Entre as principais razões dos conflitos de terra no Brasil, pode-se citar:
a) a disputa pelas poucas áreas férteis em nosso território, típico de terras montanhosas.
b) a concentração da propriedade da terra nas mãos de poucos e a ausência de uma reforma agrária efetiva.
c) a divisão excessiva da terra em pequenas propriedades, dificultando o aumento da produção.
d) a perda do valor da terra agrícola pelo crescimento da industrialização no nosso país.
e) a utilização intensiva de mão-de-obra permanente, onerando o grande produtor rural.

94-(PUCRS) O avanço das relações capitalistas na década de 1970 provocou expressivas mudanças no espaço agrário gaúcho, ao mesmo tempo que o país se preocupava com a inserção da sua economia no mercado internacional. A característica que melhor define a situação do Rio Grande do Sul nessa década é:
a) o predomínio da produção de alimentos em pequenas propriedades em função do abastecimento de uma sociedade urbano-industrial local.
b) a produção de policulturas destinadas ao mercado interno gaúcho, realizada por antigos colonos com o auxílio de subsídios governamentais.
c) o intenso processo de reformas agrárias, que contribuíram definitivamente para o atual quadro fundiário gaúcho.
d) o retorno do migrante das grandes e médias cidades gaúchas, que busca novamente possibilidades no campo, amenizando os problemas sociais urbanos.
e) a produção voltada principalmente para a cultura da soja, com a finalidade de exportação, contribuindo para a diminuição da área destinada a outros cultivos.

95-(UFRJ)
"Todas as nações do chamado Terceiro Mundo usam seu solo arável para exportações, e em todas há fome. Quanto mais exportam, mais longe estarão de resolver seu próprio problema alimentar. As nações ricas tendem a usar cada vez mais seu solo para a produção de alimentos essenciais, deixando para as nações pobres a produção complementar de matérias-primas para processamento industrial..." OLIVA, Jaime e GIANSANTI, Roberto. "Temas da geografia mundial". São Paulo, Atual, 1995. p.228.

A exemplo do Terceiro Mundo, o equívoco brasileiro resulta:
a) da pequena produtividade dos seus solos aráveis.
b) da sua insuficiente capacidade agrícola, frente à população nacional.
c) da destinação prioritária da sua produção agrícola subsidiada.
d) da importância secundária que dá ao seu setor primário.
e) da incapacidade agrícola nacional, frente à produção dos países ricos.

96-(UERJ) O mapa acima mostra a distribuição espacial de conflitos em torno da propriedade da terra no Brasil.
Observando a diferenciação por estados e regiões e traçando um paralelo com as características da agricultura brasileira, é possível afirmar que os conflitos ocorrem principalmente em:
a) áreas em processo de modernização agrícola e expansão da agroindústria
b) estados administrados pela oposição ao governo federal e em crise econômica
c) regiões de maior densidade demográfica e crescimento populacional acelerado
d) periferias das grandes metrópoles e áreas urbanas em processo de rápida expansão

97-(UFRS) Sobre a agricultura brasileira são feitas as seguintes afirmações.
I. A mecanização da agricultura é uma das manifestações da modernização agrícola, e trouxe consigo o êxodo rural.
II. A estrutura fundiária brasileira mantém-se excludente, na medida em que privilegia o grande capital e as culturas de exportação, em detrimento da agricultura familiar.
III. A reforma agrária é atualmente uma das grandes questões sociais e políticas do Brasil, congregando vários setores da sociedade e partidos políticos.

Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas I e II.
e) I, II e III.

98-(PUCRIO) Qual das alternativas seguintes NÃO faz uma afirmativa correta sobre a situação da agricultura brasileira?
a) Nas últimas décadas, com o avanço do capitalismo no campo, a agricultura passou por um processo de modernização; mas isso não garantiu a melhoria do padrão de vida de grande parte dos trabalhadores rurais.
b) Nos últimos anos, a manutenção de latifúndios vem sendo duplamente ameaçada: pela ocupação de terras e pela queda do preço da terra.
c) Nos anos 90, o Movimento dos Sem Terra (MST) tem sido o mais forte movimento social em prol da distribuição da terra no país e vem contando com o apoio de grandes proprietários de terra e de grandes empresários rurais.
d) Na última década, as indústrias de alimentos inovam e diversificam os produtos alimentícios agregando maior valor à matéria-prima fornecida pelos produtores rurais e transferindo renda do campo para as grandes indústrias e cadeias de supermercados.
e) A partir da década de 1960, a modernização da produção agrícola teve como condição básica os créditos agrícolas garantidos pelo Estado, e os grandes beneficiários foram os grupos sociais com maior poder político e econômico.

99-(MACK)
Só produzir alimentos não é o bastante para acabar com a fome. O importante - sobretudo nos países e nas regiões onde a população rural é grande e tem taxas de crescimento demográfico elevadas - é que se consiga uma integração orgânica entre o combate à fome e a produção de alimentos por parte dos pobres que vivem no campo. Abramovay

O texto pode ser utilizado como argumento a favor:
a) do desenvolvimento industrial.
b) do controle da natalidade.
c) da reforma agrária.
d) da distribuição de cestas básicas.
e) da exportação de produtos agrícolas.

[1] A influenza é também conhecida como gripe

FONTE: GEOGRAFIAPARATODOS
REVISADO : GEOCONCEIÇÃO

GABARITO:
1-- 2-E 3-- 4-C 5-B 6-C 7-A 8-A 9-03 10-E 11-- 12-B 13-C 14-E 15-C 16-13 17-36 18-E 19-D 20-D 21-E 22-D 23-C 24-C 25-D 26-B 27-C 28-C 29-C 30-D 31-D 32-A 33-A 34-- 35-A 36-- 37-C 38-B 39-C 40-D 41-C 42-E 43-A 44-E 45-C 46-D 47-D 48-C 49-E 50-D 51-A 52-B 53-- 54-B 55-B 56-B 57-A 58-E 59-D 60-A 61-E 62-C 63-C 64-B 65-A 66-C 67-A 68-B 69-B 70-C 71-B 72-B 73-A 74-B 75-E 76-D 77-A 78-C 79-A 80-D 81-E 82-D 83-D 84-D 85-C 86-E 87-A 88-A 89-A 90-D 91-D 92-A 93-B 94-E 95-C 96-A 97-E 98-C 99-C

Um comentário:

Anônimo disse...

Conceição estou feliz em ver seu trabalho muito bom, parabéns pelo esforço. prof. Valdecir Rondônia BR